27 dezembro 2018

Resenha | Menina Boa Menina Má - Ali Land


Livro: Menina Boa Menina Má
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Ali Land
Editora: Record
Páginas: 376
Ano: 2018

Sinopse

Os corações das crianças pequenas são órgãos delicados. Um começo cruel neste mundo pode moldá-los de maneiras estranhas Nome novo. Família nova. Eu. Nova. Em folha. A mãe de Annie é uma assassina em série. Um dia, Annie a denuncia para a polícia e ela é presa. Mas longe dos olhos não é longe da cabeça. Os segredos de seu passado não a deixam dormir, mesmo Annie fazendo parte agora de uma nova família e atendendo por um novo nome — Milly. Enquanto um grupo de especialistas prepara Milly para enfrentar a mãe no tribunal, ela precisa confrontar seu passado. E recomeçar. Com certeza, a partir de agora vai poder ser quem quiser... Mas a mãe de Milly é uma assassina em série. E quem sai aos seus não degenera...

Resenha:
Em Menina Boa Menina Má vamos conhecer Annie, ou melhor Milly, pois é assim que ela é conhecida agora. Milly está prestes a completar dezesseis anos e poderia estar preocupada com roupas, cabelo, maquiagem e namorados, mas ela é alheia a tudo isso já que tem uma coisa que ocupa seu tempo e sua mente o tempo todo: sua mãe é uma assassina em série e está na cadeia por sua causa. Por anos Milly foi maltratada física e psicologicamente e viu sua mãe assassinar várias crianças entre outras coisas. Mas enfim ela criou coragem, foi até uma delegacia e fez a denuncia. E agora Milly está sendo preparada para enfrentar o julgamento, e seu testemunho é a unica arma que a policia tem para manter sua mãe na cadeia.

Enquanto aguarda o julgamento, Milly está sob a guarda de Mike, um psicólogo que volta e meia abriga adolescentes em sua casa. Na casa vive também Saskia e Phoebe, esposa e filha de Mike respectivamente. Mãe e filha não tem uma relação muito boa e por ser filha de quem é e pela forma que foi criada, Milly fica admirada em ver o quanto Phoebe desrespeita a mãe, e Saskia não toma nenhuma atitude. E não é só em casa que Phoebe faz o que quer. Como as duas garotas estudam na mesma escola, Milly é vitima constante de bullying por parte de Phoebe e suas amigas. Mas como não quer causar confusão com a filha da pessoa que está lhe ajudando, Milly aguenta tudo calada. Só que Phoebe não tem nem ideia de quem Milly é na verdade.

E quanto mais se aproxima o dia do julgamento, mais as coisas vão piorando na cabeça de Milly. Ela sabe que fez a coisa certa ao denunciar a mãe, ainda mais depois de saber o que a mãe tinha preparado para seu aniversário de dezesseis anos, mas não consegue deixar de sentir culpa por ter sido ela a responsável pela mãe ter sido presa. E também não consegue esquecer tudo o que viveu até agora e mal consegue dormir a noite. E dentro dela é uma luta constante porque ela quer ser uma menina boa e se esforça para isso, mas e se a maldade de sua mãe for hereditária e na verdade ela é tão má quanto sua mãe?

"O cérebro de um psicopata é diferente do da maioria, eu já vi as estatísticas. Oitenta por cento genética, vinte por cento influencia do meio.
Eu.
Cem por cento fodida."

A história de Menina Boa Menina Má faz jus ao seu titulo e é exatamente isso que você vai encontrar no livro, uma verdadeira guerra interna dentro de uma menina de quinze anos que não sabe para qual lado seguir. Ela não sabe se segue seu lado bom e renega tudo o que aprendeu com a mãe ou se deixa seu lado má falar mais alto e dá orgulho a mãe, que mesmo com tudo o que aconteceu, ainda é a pessoa mais importante na vida dela. Por isso se ao ler a sinopse você estiver procurando um livro que vai mostrar detalhadamente o "serviço" de uma psicopata, esse livro não é para você. Aqui nos vamos conhecer uma garota que passou pelo inferno, mas que não conseguiu realmente sair dele.

Eu tenho 37 anos e tenho certeza de que se é comigo eu tinha surtado. Por isso fiquei o livro todo imaginando como que uma adolescente estava aguentando passar por aquilo tudo. E não foi só pelas agressões físicas e psicológicas que ela sofreu, que foram sem medida, mas pela culpa e pelo medo que ela enfrenta depois. Sem falar no anjinho e no diabinho que fica o tempo todo falando na mente dela a todo instante. E o interessante na forma como a autora escolheu contar a história, foi que como leitora eu me sentia os próprios anjinho e diabinho e a cada coisa que acontecia eu queria falar para ela faz isso ou aquilo e me alternava nos sentimentos porque teve momentos em que eu queria falar "não faz isso, você consegue, você não é a sua mãe", mas teve outras vezes em que eu queria dizer "não seja tonta, faz ela pagar por isso ". 

Porque gente, como me irritei com a família que deveria ser o porto seguro de alguém que passou por tudo aquilo e na verdade é o contrário. Nem sei dizer quem é pior dos três. Phoebe tem suas desculpas para ser como é já que não tem pai nem mãe praticamente. A mãe nitidamente não gosta dela e não tem nenhum preparo para ser mãe e o pai só da atenção as crianças que passam por seus cuidados e esquece da filha. Mas ai entra a escolha e Phoebe escolhe ser daquele jeito. Ela gosta de ser má e não é só com a Milly mas com todo mundo que não faz o que ela quer. Por isso me sinto até mal, mas gostei do que aconteceu com ela no final.

"Achei que você seria menos dona de mim depois que eu a entregasse, mas às vezes tenho a sensação que é ainda mais.(...) Correntes invisíveis. Vibram quando ando."

Já Saskia logo de cara se percebe que ela não está nada bem e que precisa de ajuda. Mas parece que tanto a filha como o marido ignoram isso e decidem viver como se tudo aquilo fosse normal. Não cheguei nem a gostar nem a desgostar dela. Agora Mike ganhou meu rancor. A principio achei que ele fosse ser de ajuda para Milly, mas ele não serviu a esse papel nem como pai temporário nem como médico. E no final vamos ver suas razões que foram egoístas ao extremo. Como que ele leva alguém como Milly para dentro de sua casa e não enxerga nada do que acontece debaixo do seu nariz? Péssimo pai, e médico ainda pior.

Como disse anteriormente, os crimes cometidos pela mãe fica nas entrelinhas. A gente sabe o que aconteceu, mas não tem aquelas partes descritivas que tende a ser chocantes. E gostei bastante do livro. Mas, sim tem um mas, eu não dei notá máxima ao livro porque desde o começo eu já sabia o que estava por vir e como ia terminar a história. Faltou a surpresa. Acredito que por ter lido alguns livros do gênero onde tem coisas muito semelhantes ao apresentado pela autora, eu não me surpreendi com nada. Mas fora isso o livro foi uma ótima leitura e que indico para quem gosta do gênero. E antes de terminar tenho que falar dessa capa que só quem pega em mãos consegue ver o quanto ela é perfeita. Vi inúmeras fotos por ai, inclusive essa que tirei, mas nenhuma delas faz justiça ao trabalho excelente que a editora fez no livro.

Nota:





14 comentários:

  1. Siiiiil, eu comprei esse livro!!!!!
    Vou começar a leitura hoje mesmo e não sei o que esperar, será que vou acertar o final?
    Eu não leio muitos livros do gênero, então estou empolgada.
    E essa capa é tão maravilhosa!!!!!!
    Beeeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Amazing post, dear! A big hello from Germany!
    Hugs ♥
    LIANA LAURIE | My book video

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil!

    Esse livro deve ser bem forte, a mente da coitada da protagonista então deve ser uma confusão enorme, sem um suporte familiar, completamente sozinha. Fiquei curiosa com a obra!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi oi querida!
    adorei a resenha. Esse livro está sendo a minha leitura atual (estou no inicio), e por isso tentei ler o menos possível da resenha para não ser surpreendida com nenhum spoiler. Mas a sua resenha ficou bem sincera e isso me fez ficar encantada com o enredo do livro.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil! Esse livro é intenso. Que situação aquela menina viveu com o mãe, nem dá para imaginar viver aquilo. Eu gostei e fico feliz que tenha gostado também. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi
    parece realmente ser um livro muito bom, que mexe com a cabeça do leitor, nem me imagino no lugar da menina, pois não aguentaria essa guerra. Fiquei interessada na leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil! Li muitas resenhas positivas da obra, embora eu mesma ainda não tenha lido, mas acho que surpresas em livros do gênero são bem importantes mesmo.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Oi, Sil! Tudo bom?
    A Bibs leu esse livro e curtiu a história. Apesar da minha curiosidade com o plot - que tem uma premissa bem chamativa - tô saturadíssima de thrillers do tipo UHASUHASUHUHASUH vou ficar longe por um tempo pra ver se desintoxica, esse ano li demais do gênero e_e

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sil!
    Eu estou com esse livro aqui em casa para ler e estou muito ansiosa para poder colocar meus dedinhos nessa história. Como você questionou na resenha, como que ela aguentou tudo isso? Eu também surtaria eu acho. Bem, em 2019 com certeza será uma das primeiras leituras.
    Beijos
    Our Constellations

    ResponderExcluir
  10. Oi Sil!
    Eu vi uma resenha desse livro no blog da Bibs e da Nizz, mas confesso que nao me animou, embora ela tenha gostado tanto quanto voce. Tive minhas experiencias com o genero e comigo nao fluiu. Todos parecem trazer uma premissa muito parecida pra mim, de forma que nao me atrai, apesar da complexidade.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil
    Acho muito interessante o assunto deste livro, é um enredo curioso. Não é a primeira resenha que leio deste livro. Leio pouco do gênero, mas curto muito.

    Biejinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá, Sil!
    Eu quero demais esse livro. Vou adicioná-lo agora no meu skoob para não esquecer.
    Pensei que seria mais chocante as cenas dos assassinatos também. Pensaria como você com a questão da surpresa.
    Amei tua resenha.

    Beijos! Dear Masen

    ResponderExcluir
  13. to querendo ler mais thrillers no proximo ano, adorei conhecer esse livro, parece ser uma leitura ótima

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sil!
    Será se quando eu for ler já vou adivinhar o final? Faz tempo que não leio thrillers e espero estar enferrujada para esse detalhe hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo