19 setembro 2020

Resenha | Úrsula e outras obras - Maria Firmina dos Reis

Livro: Úrsula
Série: Série Prazer de ler
Gênero: Clássico
Autora: Maria Firmina dos Reis
Editora: Edições Câmara
Páginas: 313
Ano: 2018
Resenha:

Esse ano estou participando do Desafio Mulheres Da Literatura e quando aceitei participar o meu maior medo foi o mês de setembro: um clássico nacional. Já vi três dificuldades ai. Primeiro que não me dou bem lendo clássicos, posso contar nos dedos de uma mão os clássicos que eu realmente gostei. Segundo um clássico nacional. Lembro que na época da escola tentei ler vários clássicos nacionais e também não me dei bem com nenhum. Mas a grande dificuldade foi que além de ser um clássico nacional, ainda tinha que ser escrito por uma mulher. Quem ai pode me dizer de cabeça um clássico nacional escrito por uma mulher? Quase ninguém, porque os poucos que temos conhecimento foram escritos por homens. 

Por isso me decidi por esse que foi uma dica das próprias organizadoras do desafio. Maria Firmina dos Reis é considerada a primeira romancista brasileira. Ùrsula foi publicado em 1859 quando a escravidão ainda imperava no Brasil. Então imaginem um romance escrito por uma negra dando voz a perversidade da escravidão e a realidade do Brasil pelo ponto de vista dos negros. Esse romance representa muito e a autora mais ainda para a literatura não somente nacional, mas mundial. Embora tristemente seu trabalho ainda é tão pouco reconhecido. Essa edição que eu li tem de grátis na Amazon então quem quiser conferir é só ir lá baixar o seu.

E o livro não contêm apenas Úrsula, traz outras três obras da autora: Gupeva, A Escrava e Contos à beira-mar. E a autora não é pioneira somente em mostrar o horror da escravidão, ela ergue a bandeira do feminismo em uma época onde mulheres e escravos eram oprimidos e tratados como inferiores. Infelizmente apesar de todo valor histórico do livro, eu penei para seguir e terminar a leitura. Só não abandonei porque sou brasileira e não desisto nunca e também porque era o livro para o desafio e não sou dessas de deixar um desafio por cumprir. E para minha surpresa minha dificuldade com o livro não foi a linguagem que normalmente encontramos em clássicos e sim a maneira poética com que a autora contou a história. 

Eu particularmente não sou fã de poesias e poemas, por isso tenho dificuldade de me concentrar na leitura quando me deparo com uma linguagem poética. Eu não conseguia me prender a história e frequentemente minha mente estava vagando por outro lugar enquanto lia. E demorei horrores para entender o que estava acontecendo na história. Sem falar que a narrativa não é linear e fiquei perdidinha. E Úrsula infelizmente foi a história que menos gostei do livro. Até porque os personagens mais interessantes da história não são os protagonistas. E ainda tem o final que me lembrou muito o que eu odiava ao ler um clássico brasileiro: tragédias. 

Para quem acompanha o blog sabe que sou romântica e amo um final feliz. Até por isso romance de época é meu segundo gênero literário favorito, porque sei com certeza que vai dar tudo certo no final. Eu gosto sim de ler livros que mostram a realidade da vida, também sei que é necessário termos certos assuntos sendo discutidos nos livros. Mas eu particularmente leio para me divertir e ser feliz, se quisesse ver tragédias era só ligar a TV em algum noticiário. Porém entendo o quanto esse livro significa, por isso vou dar uma nota na média, mas eu particularmente não gostei. Mas gosto é gosto e cada um tem o seu, por isso eu recomendo a leitura do livro. Até mesmo pela importância do mesmo.

Nota:








17 setembro 2020

Tag da Fruta

Eu vi essa tag no blog da Lia, o Doce Letras e pedi que ela me desse uma fruta e ela me deu Acerola. Consiste em indicar ou citar livros cujos títulos comecem com as letras que compõem o nome de uma fruta. Se quiser responder a tag é só me pedir uma fruta nos comentários. 



A Nuvem foi um livro que li recentemente e foi impossível não favoritar. 


Como se livrar de um escândalo é o melhor livro dessa série e indico para quem quer conhecer o gênero.


Ecos foi uma grata surpresa. Além da edição perfeita a história é tocante.


Reino de Cinzas veio para fechar a série com maestria e sempre que puder vou indicar ele e a série hehe.


O Rei Perverso tem tudo para ser o melhor livro lido do ano.


Ligeiramente Perigosos tem um dos meus personagens mais queridos de romance de época. 


Anne de Green Gables é um livro muito fofo que se tornou favorito fácil. 



Já leram algum desses? Quais livros vocês me indicam com essas letras? 







15 setembro 2020

Resenha | 4 homens em 44 capítulos - BB Easton

Livro: 4 homens em 44 capítulos
Série: Não
Gênero: Autobiografia, Erótico
Autora: BB Easton
Editora: Paralela
Páginas: 325
Ano: 2020

Sinopse:

4 homens em 44 capítulos é um irreverente e espirituoso livro de memórias que resultou de experiências malucas, recheado de episódios divertidos e cenas muito, muito quentes.

Depois de anos tentando apimentar minha vida sexual, resolvi me contentar com um diário sobre aventuras do passado. Talvez meu marido, um nerd lindo e frio, só não fosse capaz de sentir a paixão que eu esperava, já que era totalmente diferente dos meus ex-namorados supertatuados e tarados. Bom, se eu não podia ter o amor que desejava na vida real, pelo menos podia escrever sobre ele no diário. Seria meu segredinho.

Mas adivinha? Meu marido leu tudo. E sabe o que mais? Depois disso, ele foi tomado pela paixão, se é que você me entende.

A partir daí, resolvi seguir o conselho da minha melhor amiga e usar o diário para manipular o comportamento dele. Eu só queria convencê-lo a: me dar um apelido fofo; me elogiar mais; fazer sexo selvagem e apaixonado; e fazer uma tatuagem completamente amadora do meu nome e/ou rosto em uma parte do corpo bem visível!

Não é pedir demais, é? O que poderia dar errado?


Resenha: 

Achei a sinopse desse livro bem diferente dos livros que estou acostumada a ler, por isso resolvi ler ele. O livro está classificado como uma autobiografia, mas como diz a própria autora, o livro é baseado em acontecimentos reais que foram floreados, adaptados e exagerados em nome do humor e/ou em razão da tendencia da autora em escrever bêbada ou estado de privação do sono. Ao ler a palavra baseado já me veio a mente aqueles filmes ou séries que são adaptados dos livros que a gente tanto ama e quando a gente vai assistir encontra uma coisa ou outra que é fiel ao livro, porque de resto as vezes é só o nome dos protagonistas que é igual, e as vezes nem isso. Então não sabemos o quanto do que está escrito é verdade.

B.B. Easton foi uma adolescente bem liberal que soube aproveitar a vida, principalmente no quesito sexo. Ela experimentou de tudo, mas o engraçado que na hora de se casar acabou escolhendo um marido completamente diferente dela. Cansada daquela vida louca e procurando um porto seguro acabou se casando com Ken, o homem certinho que faz com que B.B. tenha que fazer malabarismo para conseguir ter alguma satisfação na cama. Mas a frustração está falando mais alto e B. B. procura ter prazer em outros lugares, como nos livros eróticos, onde ela reencontra os homens que fizeram sua adolescência feliz.

Mas chega num ponto onde nem isso a satisfaz mais e ela resolve escrever um diário colocando ali todas as suas aventuras do passado. O problema é que ela pega seu marido lendo o diário e tem certeza de que ele vai pedir o divórcio. Mas para sua surpresa, Ken começa a mudar seu comportamento, levando B.B. para jantar fora e deixando de ser passivo na hora do sexo. Ao contar para a melhor amiga Sara o que aconteceu, a mesma incentiva B.B. a começar a provocar e manipular Ken para ele fazer exatamente o que ela deseja. Mas será que vai dar certo?

Como diz o título do livro, temos  a história de B.B com quatro homens que marcaram sua vida, então a história não vai foca somente em Ken, mas vamos conhecer os ex dela que fizeram com que B.B. desejasse se casar com alguém como o Ken. O primeiro deles Knight, foi quem tirou a virgindade dela aos 15 anos. Knight era um skinhead que odiava todo mundo, mas que tratava B.B. como uma princesa quando estavam sozinhos e como sua propriedade quando estava perto de outras pessoas. O relacionamento deles é claramente abusivo e até mesmo B.B. sabe disso, mas não consegue sair dele.

Depois ela namorou com Harley James, um badboy tatuado com passagem pela policia e cinco anos mais velho que ela. Outro relacionamento dado ao fracasso já que ela odiava as tatuagens bizarras dele e seu QI "meio" baixo. Sem falar que raramente ele não estava drogado. E o terceiro namoro foi com Hans Oppenheimer, vocalista de uma banda de heavy metal que fazia declarações de amor a todo instante, mas era totalmente irresponsável quando o assunto era dinheiro. E por fim Ken, que ela nunca olharia duas vezes se já não estivesse "cheia" da vida que levava até então.

A narrativa alterna entre o diário" verdeiro de B.B. e o que ela inventa para manipular o marido e levar ele a fazer o que ela quer. E também tem as partes onde ela conta o presente, mostrando o resultado das leituras do marido em seu diário e os e-mails que ela troca com a amiga, também falando sobre o assunto. Mas não é nada confuso porque antes do inicio do capitulo ela já deixa claro o que vamos ler a seguir. E confesso que queria ter lido alguma coisa pela visão do Ken. Até porque só temos a visão dela e pode ser que a coisa na verdade não era nada daquilo que estávamos lendo.

E tenho que deixar claro que o livro é para maiores. Porque a autora não se contém na hora de falar palavões, descrever cenas de sexo e uso de drogas entre outras coisas. E até eu que sou acostumada com livros eróticos me incomodei com algumas cenas. A autora é psicóloga e pelo que pude perceber ela está precisando e muito ter algumas sessões com um colega de profissão urgente se o que ela escreveu no livro é verdadeiro. E confesso que achei que iria me divertir mais pelo o que está escrito na sinopse, mas valeu a leitura por ser algo bem diferente do que costumo ler. E gostei bastante da capa, ainda mais por representar a autora, que tem cabelo rosa.

Nota:






14 setembro 2020

Resenha | Becky Bloom - Delirios de Consumo na 5ª Avenida - Sophie Kinsella

Livro: Becky Bloom - Delirios de Consumo na 5ª Avenida
Série: Becky Bloom #2
1- Os Delírios de Consumo de Becky Bloom
Gênero: Chick-Lit
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
Páginas: 466
Ano: 2002
Resenha:

Contêm spoilers do livro anterior.

Rebeca Bloom é uma Shopaholic, uma compradora compulsiva que compensa suas tristezas e frustrações com o ato da compra. E como fatalmente não consegue pagar tudo o que compra, ela mente e engana todos à sua volta, inclusive ela mesma chega a acreditar nas mentiras que conta. E a ironia disso tudo é que ela trabalha na área de finanças. E a situação chegou em um ponto insustentável, mas por um golpe de sorte Becky conseguiu um novo emprego como consultora financeira em um programa de tv, com um salário infinitamente maior do que seu anterior e conseguiu quitar todas as suas dívidas e de quebra ainda conseguiu um namorado, Luke Brandon.

Mas agora ela aparece na televisão e precisa de roupas melhores, por isso seu novo guarda roupa conta como um investimento. E é isso que ela usa para justificar seus novos surtos de compras, tanto para sua melhor amiga Suze, como para o gerente do seu banco que vem alertar sobre o valor que ela já está devendo no cheque especial. Ele também avisa Becky que está aposentando e que seu substituto tem a fama de ser muito rigoroso com os devedores. Mas Becky nem presta muita atenção já que está pensando na sandália que ela precisa comprar para sua viagem romântica com Luke. Que na verdade acaba virando uma viagem de negócios e ela ainda descobre que Luke vai se mudar para Nova York.

Becky fica desesperada achando que vai levar um fora de Luke, mas para sua surpresa ele pede que Becky vá morar com ele. Luke diz que ela não precisa decidir já, primeiro eles podem tentar um período de adaptação e Becky concorda. Assim ela parte para Nova York para ficar quinze dias deixando para trás o emprego e todas as milhares de cartas de cobrança que tem chegado nos últimos dias. E se Becky já é um perigo em Londres, imagine na meca mundial do consumo. Assim que chega à 5ª Avenida Becky sabe que encontrou seu lugar no mundo. São tantas promoções e descontos que Becky imagina estar no céu. Mas então à realidade bate a sua porta e Becky está prestes a perder o emprego, a credibilidade e Luke, tudo de uma vez.

"Olho em volta no salão luminoso, ruidoso, as mulheres se juntando aqui e ali, pegando a mercadoria, experimentando echarpes, enchendo os braços com coisas novas e brilhantes. E sinto um calor súbito: uma realização avassaladora. Este é o meu povo. É este o lugar que eu pertenço. Encontrei minha pátria."

Eu li o primeiro livro dessa série em 2016, em uma época que chick-lit era meu gênero literário favorito. E desde então meu gosto e minhas opiniões sobre vários assuntos mudaram muito. E pude perceber que o gênero já não me agrada tanto quanto antes. Recentemente eu reli a trilogia A Rainha da Fofoca e me irritei muito com as atitudes da protagonista. E com a Becky não foi diferente. Eu estou procurando ler livros mais leves e achei que a série da Becky Bloom, que tenho inteira na estante e só tinha lido o primeiro livro até então, iam ser leituras leves e divertidas. Mas o que antes eu achava engraçado e ria muito, hoje só me irrita.

Quando li o primeiro livro já percebi que a autora criou a Becky como um alerta. Mas o que me frustou na leitura foi ver que em vez de mostrar um caminho para quem sofre com o problema, a personagem foi "recompensada" por tudo de errado que fez. E mesmo com um final meio aberto dá para entender que ela não mudou nada, pelo contrario, continuou fazendo tudo igualzinho. E porque mudar se daquele jeito deu certo? O negócio é que a conta só chega nesse segundo livro, então quem só leu o primeiro livro vai ficar com um final diferente na cabeça, achando que na verdade a autora apenas brincou com o vício, que infelizmente muita gente sofre sem nem perceber. 

E como sabemos esse é um problema muito sério, que a pessoa não consegue resolver sozinha e se Becky não procurar uma ajuda profissional ela nunca vai melhorar. E pelo menos nesses dois primeiros livros foi isso que vemos, a personagem tapando o Sol com a peneira, mas o vício está lá. Até porque nem ela nem ninguém ao seu redor consegue enxergar que ela sofre de uma doença e tudo o que acontece de errado é sempre culpa de outra pessoa ou de alguma circunstancia infeliz, nunca é culpa do vício. Por isso fiquei chateada pela forma como a autora abordou o assunto, já que a gente sabe que na vida real a realidade é bem diferente. Não vai acontecer um milagre, igual acontece nesses dois livros, para livrar a cara da personagem.

E meu Deus que nervoso que passei com a Becky. Vai dando um desespero ao ver como ela compra, compra e vai inventando justificativas para comprar e vai se enfiando em dívidas cada vez maiores e ainda por cima acreditar que se ela não abrir e ler as cartas de cobrança, não vai ser real. E ela acaba se tornando uma mentirosa compulsiva porque uma mentira vai levando a outra e quando percebe ela não consegue mais voltar atrás e até acaba acreditando em suas próprias mentiras. E acho que a coisa fica tão "fácil" que ela acaba inventando histórias em outras situações também, não somente quando envolve o dinheiro. 

Quanto ao romance do livro, achei que não evoluiu nada do primeiro livro para esse. No primeiro Luke mal aparece, e nem sei quando foi que a Becky teve tempo para se "apaixonar" por ele. Já nesse Luke trabalha que nem um louco e eles mal se falam. É zero conversas entre eles. Tem uma situação onde eles vão ir em um casamento de um vizinho da Becky e de quebra Luke vai conhecer seus pais, e Luke não aparece, não avisa nada e Becky não liga para ele para perguntar o que aconteceu. Será que já tinham inventado o telefone nessa história? 

Mas enfim, eu avaliei o livro pela escrita da autora, que é ótima e eu li as quase 500 páginas em um dia de tanto que ela prende a gente. E também procurei olhar pelo lado do publico alvo do livro, porque se eu tivesse lido esse livro alguns anos atrás, minha visão teria sido diferente. Agora só me resta rezar para que por um milagre a série inteira, que até o momento tem nove livros, não seja desse mesmo jeito porque se não já prevejo muita irritação. Quanto a edição, é antiga, só encontrei os primeiros livros da série em um sebo e os livros são com folhas brancas. E as capas acho bem sem graça. 

Nota: 








13 setembro 2020

Minha Opinião - Agosto/2020

E chegou a postagem do resumão dos livros lidos em agosto que não terão resenha no blog, só trago um breve comentário sobre eles.


Apenas Amigos
Sinopse: Skoob
Nota: 1/5
Estava procurando um livro mais leve para passar o tempo e resolvi ler esse. Mas infelizmente encontrei um livro que só fez me deixar mais nervosa e passei muita raiva com o que encontrei na história. Temos vários clichês na história, mas não foi isso que me incomodou. O que me fez ficar indignada foi que o livro faz apologia a violência e trata agressões, tentativa de estupro, e outros tipos de violência como se fosse algo normal. A protagonista é uma estudante de direito, mas leva uma surra da atual do ex e não faz nada. Sem falar que toda hora tem um homem puxando ela pelos cabelos ou pelo braço, xingando de tudo o que é palavrão e é tudo normal. As brigas são constantes dentro do campus da faculdade e nunca tem nenhum segurança nem ninguém dá queixa de nada. Toda hora tem alguém batendo e alguém apanhando como se essa fosse a forma de se relacionar com os outros. Sem falar que o protagonista masculino é um babaca. Não recomendo.

Se não fosse por você, eu não estaria aqui
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
A Editora Seguinte convidou os participantes da quarta edição do Festival de Literatura Pop (Flipop) a escreverem uma carta com tudo o que diriam para eles mesmos quando adolescentes e dessa junção das cartas surgiu esse livro. E como todos livro onde temos vários autores, existem textos muito bons e outros nem tanto. Eu não conhecia quase nenhum dos autores que participaram do projeto e só tinha lido até então dois deles e pude conhecer um pouco mais sobre cada um. Mas como um todo achei o livro bem fraquinho e não teria feito muita diferença ter lido ele ou não.

0
Entre o Certo e o Errado
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Quem segue o blog já sabe que não gosto desse tipo de capa, mas fazer o que se quem escolhe elas só pensa em vender o livro e acreditam que sem esses homens semidespidos a história por si só não vai vender. Mas... Enfim, deixando de lado a capa eu gostei bastante da história e só não dei nota máxima porque passei muita raiva com a protagonista feminina. Quanta burrice em uma só pessoa. Mas relevando isso, a história é intensa e para quem gosta de sofrer com um bom drama romântico onde o casal não fala o que sente e dai se tem uma história enorme de encontros e desencontros, a leitura vale a pena. E uma coisa que gostei bastante foi que o título do livro faz um trocadilho com os sobrenomes dos protagonistas.


Até Que a Culpa Nos Separe
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Resolvi participar de um grupo de leitura coletiva e esse mês o livro escolhido foi esse da Liane. Eu só tinha lido um livro dela até agora, o Segredo do Meu Marido, que gostei bastante e estava ansiosa pela leitura desse livro. O livro alterna entre o presente e um churrasco no passado em que aconteceu alguma coisa que mudou a vida de três famílias. Mas o começo é tão chato que até pensei em desistir. E os personagens não despertam nenhuma simpatia. Mas então a coisa engrena e não consegui parar até terminar de tanta curiosidade que fiquei. O livro que era para ser lido em quatro etapas foi lido em dois dias. E achei os dois livros bem parecidos. Os dois tem um mistério que se "resolve" no meio do livro, mas a curiosidade continua porque dai temos as consequências daquilo. Gostei bastante e quero ler outros livros da autora. Mas não dei nota máxima pelo começo "chato" e pelo final que ficou meio aberto.


Deu Match!
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Eu peguei esse livro, novela na verdade, para ler porque achei a capa bonitinha e pelo titulo achei que fosse ser um romance fofinho. Mas infelizmente não foi isso que encontrei. A protagonista cansada de ser trouxa por acreditar no amor verdadeiro decide que vai tacar o foda-se e cria um perfil em uma rede social para transar sem compromisso e até rola uma aposta com uma amiga. E a premissa até que é interessante, mas o desenrolar foi chatoooo. 90% da história praticamente é troca de mensagens. E se fossem mensagens de uma conversa bacana até ia, mas não é. Começam a trocar mensagens em um dia, no outro já estão apaixonadas e a garota que ia só transar não quer mais transar, mas também só fala nisso o tempo todo. Queria desler. 

Nove meses depois
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
Eu peguei esse livro grátis esses dias e como estou optando por livros mais leves olhei o título e essa capa e achei que esse fosse ser assim. Mas como já diz o ditado para não julgar um livro pela capa, acabei me enganando. E não é que o livro seja ruim não, só não foi o que eu esperava, por isso minha nota foi menor. Achei que fosse encontrar aquele clichê de gravidez inesperada que faz os protagonistas ficarem juntos, mas encontrei um drama onde a protagonista fica metade do livro, que tem quase 500 páginas, rejeitando a criança depois de não ter coragem de abortar e a outra metade rejeitando o pai da criança porque acredita que não consegue manter um relacionamento. Mas resolvi avaliar o livro sem levar em conta minhas expectativas erradas, que a autora não tem culpa, e ele ficou na média. Não poderia dar nota maior, mesmo sem as expectativas, porque a protagonista me irritou do começo ao fim do livro.

Dormindo com o Inimigo
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
Peguei esse livro para ler porque achei o enredo dele interessante, mas já vi muitos problemas logo no começo da história. É meio incoerente a forma como a autora "explica" o porque deles terem que ficar escondidos juntos. E também o ódio todo que a garota sentia do cara, e com razão diga-se de passagem, some assim que ele olha nos lhos dela e se diz arrependido. Isso dois anos depois. Depois da sacanagem que o cara fez ela continuou amando ele e é só dar uns beijos que pronto está tudo esquecido. Me poupe dessa protagonistas sem amor próprio. Mas de resto achei a história legalzinha, principalmente por pelo menos ter um enredo diferente das mesmas coisas que sempre vejo na Amazon. Mas não dá para relevar algumas coisas e dei uma nota na média.

A tentação de Juliana
Sinopse: Skoob
Nota: 4.5/5
Eu li o primeiro livro dessa série em janeiro e apesar de ter gostado da história como um todo, me irritei muito com o protagonista masculino. E achei a história tão mais ou menos que nem lembrava dos personagens secundários, por exemplo a Juliana, irmã da protagonista do primeiro livro, que vai ter a história contada nesse livro. E acabei gostando bem mais desse segundo livro. Mas ainda assim teve alguns pontos que me incomodaram. A Juliana mesmo não me agradou totalmente. Achei ela uma personagem diferente e engraçada com seu dom de cupido, mas ao mesmo tempo achei ela bem fútil ao considerar um dos homens só por sua posição social e pela cor do cabelo. Mas depois me afeiçoei a ela e adorei o casal. Gostei bastante da história principalmente por conseguir fugir dos mesmos enredos de sempre do gênero e indico a leitura. 

O Chefão
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Quem olha esse título e essa capa já pensa, livro erótico com CEO perseguidor. E foi exatamente o que pensei desse e dos outros livros da autora e por isso nunca tive o interesse de ler os livros dela. Mas ao ler uma resenha dele no blog da Miriã, o Capitulo Treze, resolvi dar uma chance para a autora e adorei o livro. A história é divertida e os personagens são muito interessantes e é impossível não gostar das interações entre eles. Não existe nada abusivo na história e apesar de estar dentro do clichê do gênero, consegue fugir da mesmice de sempre. E outra coisa que gostei bastante foi que encontrei um livro erótico sem exageros e sem palavras e cenas de mal gosto que é o que mais tem nos livros do gênero. Por isso com certeza vou ler outros livros da autora.

A Melhor Escolha
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
Esse livro também peguei a dica com a Miriã. E ele tem vários clichês que já estamos acostumados a ver em livros de romance. Tem os melhores amigos que se gostam, tem um contrato, e claro como você já podem ver pela capa, tem gravidez. E achei a leitura fácil e gostosa. A escrita da autora me agrada, eu já tinha lido um livro dela antes e gostado bastante. Mas dei uma nota na média porque o livro deixou a desejar em algumas coisas como o final, que foi super corrido. Eu até achei que no segundo livro da série ia continuar na história do casal porque faltavam poucas páginas e nada de resolver as coisas. E também não gostei das palavras usadas pela autora durante as relações sexuais. Até descobri uma nova nesse: vagina gotejando. Precisei parar e rir nessa hora hehe.

O Melhor Acidente
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
Nesse segundo livro temos o irmão do protagonista masculino e a amiga da protagonista feminina do primeiro. E ele segue na mesma linha do outro. Romance leve, alguns traumas dos personagens que a autora deixa de lado durante a história, vários clichês do gênero e bastante sexo com palavras "criativas" que me fazem revirar os olhos quando leio hehe. Mas é daquelas histórias ideais para serem lidas depois de uma leitura mais pesada. A gente lê em uma sentada. E uma curiosidade é que esse é o terceiro livro que leio da autora e todos tem uma gravidez no meio. 

A Garota Perfeita
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Esse livro já estava a tempos na minha lista de desejados. Então quando descobri pela Ale que ele estava no KU, é claro que já corri ler ele. Achei a narrativa meio confusa no começo. O livro é narrado por várias pessoas e se divide entre passado e presente. E uma curiosidade é que a personagem principal não narra a história, só um capitulo. E acho que esse fator foi determinante para eu não me apegar a ela, o que deixou a história mais fria. Mas gostei muito e fiquei morta de curiosidade para saber o que realmente tinha acontecido e não cheguei nem perto da verdade. Eu já tinha lido um outro livro da autora, mas achei esse bem melhor e vou querer ler mais livros dela sim. 

Alice e o vestido de noiva (quase) assombrado
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Esse conto é a minha segunda experiência com a Bianca e assim como aconteceu com o livro Estrelas Perdidas, me vi envolvida com a história logo no inicio. Quem acompanha o blog sabe que não tenho o costume de ler contos, mas nesse eu tive que me aventurar. E adorei o que li. A autora brinca com o sobrenatural e isso rende momentos engraçados na histórias. Me peguei rindo e torcendo para a protagonista. E ainda deu tempo de ser surpreendida por uma revelação lá no final do conto. Recomendo com certeza.

Um Bárbaro De Joelhos
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Esse livro é um spin-off da trilogia Paixões Improváveis que amei. Por isso não podia deixar de conferir ele. E apesar de não ter dado nota máxima, por ter achado que em alguns pontos a história não foi tão boa quanto na trilogia, ainda assim achei uma história divertida e bem romântica. Novamente temos um enredo diferenciado dos que vemos nos romances do gênero. E uma coisa que gosto muito nessa série, é a autora misturar protagonistas ingleses e escoceses, o que resulta em muitas cenas divertidas. Por isso recomendo para quem quer ler um romance leve e divertido.








11 setembro 2020

Resenha | Diga Sim ao Marquês - Tessa Dare


Livro: Diga Sim ao Marquês
Série: Castles Ever After # 2
Gênero: Romance de Época
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 288
Ano: 2016

Resenha:
Quando completou 17 anos Clio Whitmore viu seu amigo de infância Piers Brandon, o futuro Marquês de Granville, se ajoelhar na sua frente e pedir sua mão em casamento fazendo assim a alegria das duas famílias. Mas Piers estava no início de uma carreira promissora em diplomacia e como Clio ainda era muito nova para assumir a administração de uma casa, eles se decidiram por um noivado longo. O problema é que esse longo está mais para permanente, porque oito anos se passaram e eles ainda são apenas noivos. Como não tem muitas opções Clio continua esperando Piers marcar a data do casamento. Ou melhor não tinha opções porque Clio acaba de herdar, além de uma substancial quantia em dinheiro, um castelo em Kent, do seu falecido tio o Conde de Lynforth.

Cansada de ser a piada da cidade e agora podendo escolher entre se casar ou ter seu próprio negócio, Clio decide romper o noivado e como Piers ainda está viajando à trabalho, ela precisa da assinatura de Rafe Brandon, irmão mais novo do agora Marquês de Granville que está responsável por seus negócios. Mas enquanto Piers é o orgulho da família, Rafe é seu oposto e ganha a vida lutando boxe e é um dos canalhas mais notórios de Londres. Só que com a morte de seu pai e com Piers viajando, Rafe precisou dar um tempo nas lutas e assumir os negócios da família. E não deixar Clio desistir do casamento faz parte de suas atribuições. Rafe não vê a hora de poder voltar a lutar e ter seu título de campeão de volta, já que o perdeu em sua última luta com a única derrota de sua carreira.

E ele tem certeza de que se Clio cancelar o casamento, Piers vai arrumar uma desculpa para não voltar e, dessa vez quem sabe por quanto tempo ele vai ficar fora, prendendo Rafe em uma tarefa que ele não quer. Por isso ele tem que encontrar um jeito de fazer Clio mudar de ideia e se casar. Rafe sabe que Clio foi treinada para ser uma esposa perfeita e acha que se ela se envolver com os preparativos do casamento, ela vai mudar de ideia. Por isso Rafe pede que Clio lhe dê uma semana para lhe mostrar que ela nasceu para se casar com Piers e Clio aceita a proposta desde que se no final dessa semana ela mostrar a Rafe que será mais feliz solteira, ele vai assinar o rompimento do noivado. O problema é que enquanto tenta manter o noivado do irmão, Rafe tem que refrear sua própria vontade, que é ter Clio só para ele.


Esse é o segundo livro da série Castles Ever After, que diferente das outras séries, onde os personagens geralmente transitam nos livro uns dos outros, a única ligação entre os livros dessa série é que cada uma das protagonistas herdam um Castelo do Conde de Lynfort. Eu amei o primeiro livro da série, meu primeiro livro lido da autora também e me apaixonei pela escrita dela. Ela escreve em um tom de comédia romântica que não tem como quem gosta do gênero, não se apaixonar pelas história e pelos personagens. Mas nesse livro, eu fiquei meio dividida.

Ainda tem tudo o que gostei no primeiro livro dá série. A começar pela capa linda, que como já citei na resenha do primeiro livro, tem todos os elementos que espero em um livro de romance de época. O castelo, a garota com um vestido lindo (tenho um fraco por capas com vestidos) e por dentro os capítulos começam com uma ilustração de um buquê de rosas e eles são separados por uma ilustração de um anel de noivado. Amo esse tipo de detalhe nos livros. Tem também todo o humor que descobri ser uma das características da autora, ri tanto em algumas cenas que até doeu a barriga. E tem as mocinhas que são um tantinho mais espertas do que as de outros romances de época no quesito sexo.

O que me incomodou aqui na verdade foi essa questão da traição. Se não olhar por esse ângulo, o romance entre eles foi lindo, as cenas apaixonante, mas cada vez que elas aconteciam eu só conseguia pensar no coitado que estava sendo enganado. Traição, é traição, não importa os motivos. Eu achei o Piers um canalha por anos enrolando a garota, mas isso não justifica ela ficar com o irmão dele. E com o Rafe é a mesma coisa, ainda mais que segundo ele mesmo, ele estava cuidando de tudo o que era do irmão, o que incluía sua noiva. Afinal se os dois se amavam, não custava nada terminar o noivado antes de se entregarem a paixão.

E por essa questão fiquei muito em dúvida na hora de dar minha nota. E acabei dando uma nota na média porque de resto gostei muito da história. E uma coisa que chamou minha atenção foi a autora colocar um personagem com Síndrome de Asperger no livro, Phoebe, a irmã mais nova de Clio. É claro que na época eles não sabiam o que era a doença, mas quem lê já percebe o que ela tem. E foi uma das personagens que mais gostei no livro. Ela e o cachorro do Piers, cachorro esse que rendeu ótimas cenas na história. Enfim, mesmo com essa ressalva, afinal é algo pessoal, eu indico o livro para quem é fã do gênero. 

Nota:








© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo