13 junho 2019

Resenha | A Criança do Fogo - S.K. Tremayne


Livro: A Criança do Fogo
Série: Não
Gênero: Suspense
Autor: S.K. Tremayne
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 368
Ano: 2019

Resenha:
Rachel Daly ficou fascinada por David Kerthen assim que o conheceu. Eles eram diferentes em tudo, David é bem mais alto, bem mais velho e muito mais rico que Rachel, mas assim que ela vê a relação que David tem com seu filho Jamie de oito anos, ela sabe que é um homem assim que ela quer criando seus filhos. O casamento não demora a acontecer e Rachel abre mão da sua vida em Londres para viver em Carnhallow, a propriedade da família de David na Cornualha Ocidental. A propriedade pertence a família de David há mil anos e os tuneis que se expandem sob a propriedade, já foram ricas minas de estanho e cobre. Hoje só restam as lendas que o povo conta, como a de que os Kerthen possuem um dom, uma especie de clarividência, e quem possui esse dom é conhecido como povo do povo.

Quando Rachel conheceu Jamie, foi amor a primeira vista pelo garoto espontâneo e extrovertido, que não perdeu a alegria junto com a mãe, que faleceu há quase dois anos. Mas isso mudou quando eles foram viver em Carnhallow. Jamie mal fala com Rachel e parece que a tristeza é sua constante companhia. E como David faz questão de viver na propriedade, mesmo tendo que viajar constantemente por causa do seu trabalho, Rachel praticamente só tem a companhia de Jamie, da empegada Cassie, uma tailandesa que quase não fala inglês, e da sua sogra Juliet, que mora em um anexo na propriedade. Por isso ela tem tempo de sobra e nada para preenchê-lo. Ela até poderia cuidar da reforma que a propriedade tanto precisa, mas cada vez que pensa em fazê-lo, Rachel começa a se comparar com Nina, que estava reformando a casa quando veio a falecer.

E conforme o tempo vai passando, Rachel vai notando que Jamie está ficando cada vez mais perturbado e ele começa a falar algumas coisas que não fazem sentido na hora, mas que acabam por acontecer. E a coisa só piora porque Jamie alega que sua mãe está de volta. É então que Rachel descobre que o corpo de Nina nunca foi encontrado. Quando pede explicações a David, ele mal fala sobre o assunto e Rachel decide investigar por conta própria e acaba descobrindo que pairam algumas dúvidas sobre o que realmente aconteceu no dia da morte de Nina, em um Natal. E por coincidência é também no Natal que Jamie lhe diz que será o dia da sua morte. Então Rachel começa a duvidar da sua própria sanidade porque ela começa a ver Nina e já não sabe mais o que é loucura ou realidade. 

— Ah, minha querida, há tantos mistérios, tantas pessoas nesta casa. Eu nunca sei em quem acreditar. Mas talvez você esteja certa porque você sabem o que dizem: duvidar da dúvida é o começo da fé.
(...)
— E não se preocupe com as coisas que você vê, nós todos vemos coisas aqui. Nós todos vimos tanta coisa, aprendemos tanta coisa, Jamie mais do que todos, ele vê tudo."

As Gêmeas do Gelo do mesmo autor, foi um livro que amei. Por isso quando vi esse livro entre os lançamentos da Record já fiquei doida para ler ele. E as expectativas estavam bem altas, mas então comecei a ler algumas resenhas não tão elogiosas do livro e acabei desanimando um pouco com a leitura. E não sei se foi por isso, por ter lido o livro não esperando muito, mas acabei gostando bastante. Tem alguns problemas com ele? Tem sim. Mas nada que me impedisse de ficar presa a historia e ler as quase 400 páginas em menos de dois dias. E o tamanho do livro foi o que me fez tirar um ponto da nota. Porque a história dava para ter sido contada em bem menos páginas. O excesso de descrição do ambiente por parte do autor, cansa. 

A ambientação do livro não é chata, é interessante e serve para criar o clima de tensão e mistério que a história pede. Mas achei desnecessário o autor descrever os mesmo lugares em todo capítulo. Até no final da história isso acontece e acabou por quebrar um pouco o ritmo da leitura. Agora vamos aos pontos positivos. Por um lado o excesso de descrição incomodou, mas por outro me transportou para dentro da história e fez parecer que eu estava dentro de um filme de suspense/terror. E esse foi um dos pontos que pode identificar como um "padrão" nos livros do autor. Ele usa da ambientação para provocar e confundir o leitor.

Outros pontos que relacionei ao seu outro livro que li, foi que as duas histórias tem um misto de realidade e sobrenatural e o livro todo fica aquela sombra de dúvida sobre o que realmente está acontecendo. A Nina está morta ou está viva? Se ela morreu, qual a verdade sobre a morte dela? E se ela morreu o que a Rachel e o Jamie estão vendo? Alucinações coletivas? Jamie consegue prever o futuro ou é só coincidência? Essas são algumas das perguntas que ficam martelando durante a leitura e só encontramos as respostas no final. Final esse que gostei, mas achei que faltou um quê de explicação ou um epílogo mais elaborado do que o apresentado. 

Quanto aos personagens, Rachel não foi carismática a ponto de me conquistar, mas me deixou curiosa o suficiente para querer descobrir os fantasmas do seu passado. O David teve uma atitude no meio da história que me desagradou bastante a forma como o autor lidou com a situação e o Jaime apesar de eu ter imaginado outro papel para ele, eu gostei do personagem. Queria pegar ele no colo e proteger. Quanto a edição, está muito bem feita com uma capa intrigante e com fotos que dão ainda mais o tom sombrio do local. Enfim é uma leitura que indico, você só vai saber se gostou lendo ela.

Nota:










12 junho 2019

Divulgação | Alana Gabriela

E tem livro novo da Alana vindo por ai. O livro Noite outra Vez já está a venda na Amazon. Eu tive o privilégio de ser leitora beta do livro e gostei bastante da história.

Até que as estrelas apareçam ou que seja dia.
Depois de se machucar em um acesso de raiva, Caleb passou a evitar o piano, submergindo em dias cada vez mais nebulosos e tão escuros quanto a noite. Para evitar um novo acidente, ele se refugia na casa do avô. Mas mais do que qualquer coisa Caleb quer esconder a verdade violenta por trás do que o fez parar de tocar.
Acostumada a ideia de que é uma decepção para seu pai, Gris Stewart tenta se afastar dos sentimentos ruins assistindo a vida através das fotos que costuma tirar. Mas nem sempre é possível, muitas vezes é noite em seus dias. Todos os seus problemas estão ligados a um único evento: o dia do seu nascimento. Há muitas palavras escondidas, verdades não ditas e fantasmas do passado que ela não tem certeza poder lidar.
Os caminhos dos dois adolescentes se cruzarão na bela e tranquila cidade no interior da Inglaterra, e eles precisarão decidir entre o caminho da verdade ou do silêncio, da noite ou do dia para seguirem em frente. Noite outra Vez narra uma sinuosa trilha de recomeços, autoconhecimento e amizade.


Se interessou pelo livro? É só clicar na imagem para comprar.








10 junho 2019

Resenha | Um Banquete Para Hitler - V.S. Alexander


Livro: Um Banquete Para Hitler
Série: Não
Gênero: Ficção Histórica, Romance
Autor: V.S. Alexander
Editora: Gutenberg
Páginas: 304
Ano: 2018

Resenha:
Magda Ritter tem 25 anos e viveu toda a sua vida em Berlim com seus pais. E mesmo sendo de uma tradicional família alemã, ela não sentiu necessidade de se filiar ao Partido Nazista até então. E mesmo sua mãe apoiando Hitler, seu pai ainda discorda de várias coisas impostas pelo Führer, como a perseguição aos judeus, mesmo que ele só diga isso dentro de sua casa. Até o momento eles estavam protegidos, mas conforme a guerra vai avançando, as bombas começam a cair cada vez mais perto da casa deles e seu pai decide que está na hora de Magda ir para a casa de seus tios em Berchtesgaden. Seus tios são mais devotos a Hitler do que seu pai, e até a decoração da casa é em homenagem ao Führer.

Assim que chega na casa dos tios, Magda percebe que sua vida será diferente a partir de agora. Sua tia exige que ela consiga um trabalho o mais rápido possível, já que ela será mais uma boca para eles alimentarem, ainda mais em tempos de guerra em que a comida é tão escassa. Mas o problema é que Magda não tem nenhuma qualificação e o único lugar que aceitam entrevistá-la é no Reichsbund, a Liga do Reich, e ainda porque seus tios são bem conhecidos no local. E a primeira coisa que querem saber é porque ela ainda não se filiou ao Partido. Magda promete fazer isso o mais rápido possível e consegue uma colocação. Ela vai trabalhar em Berghof, a casa-refúgio de Adolf Hitler.

Magda começa a trabalhar logo em seguida, mas até chegar a residencia ela não sabia no que consistia seu emprego e quando descobre o que terá que fazer, sua primeira reação é fugir do local. Ela será uma das quinze mulheres que trabalham no quartel-general provando a comida de Hitler. E Magda só fica porque se não aceitar o trabalho, não somente ela, mas também sua família serão vistos como traidores. E enquanto coloca sua vida em risco pelo Führer, Magda conhece o Capitão Karl Weber e com a convivência eles acabam se apaixonando. E Magda descobre que apesar da grande maioria das pessoas adorarem o chão que Hitler pisa, existem algumas pessoas que querem o bem da Alemanha e que acreditam que para isso, Hitler deve ser removido do poder. 

"Como todos na Alemanha podiam olhar para o outro lado? Me perguntei se aqueles que viviam nas cidades ou em fazendas nos arredores dos campos conseguiam sentir o cheiro de carne queimada. Será que olhavam para os céus quando os flocos cinza caíam sobre eles? Como podiam não saber o que estava acontecendo e, se o sabiam, por que não se importavam? Onde estavam as pessoas que precisavam se mobilizar com indignação e horror contra o que o nosso governo estava fazendo?"

Um Banquete Para Hitler é uma ficção histórica inspirada na história real de Margot Woelk, que foi uma provadora de Hitler e que manteve isso em segredo até completar 95 anos. Mas apesar de todo contexto histórico, o autor deixa claro que o livro não se trata de uma biografia e por vezes ele usou da licença poética para contar a história de Magda Ritter. Eu quis ler esse livro desde que lançou, porque sou fascinada por histórias que se passam durante a Segunda Guerra, mas somente agora consegui ler. Sei que existem livros que contam o lado dos alemães durante a guerra, mas até hoje eu só tinha lido histórias narradas por judeus e fiquei surpresa por "descobrir" que eles sofreram com a guerra tanto quanto as outras nações.

No livro vamos acompanhar Magda, uma alemã que tinha uma vida boa até o dia em que Hitler começou a perder a guerra por volta de 1943. Até então ela ouvia falar do que estava acontecendo, mas tinha certeza de que Hitler ia vencer a guerra, assim como todos a sua volta. E mesmo não sendo fanática como a maioria, ela meio que ficava em cima do muro, somente quando foi trabalhar em Berghof que ela descobriu a verdade sobre o que acontecia com quem ficava contra Hitler, independente de ser alemão ou não. Geralmente nós tendemos a achar que toda a Alemanha apoiava os desmandos de Hitler, mas a coisa não era bem assim. Quem falava um a que fosse contra, era executado como traidor.

Existiam sim muitos fanáticos que o apoiaram até o fim, até o fim mesmo porque chegaram a cometer suicídio junto com ele, mas também existiam muita gente que via o que estava acontecendo com seu país, mas que estavam de mãos atadas para tentar fazer alguma coisa. E muita gente tentou. E o próprio sabia que muitos do seu povo não o apoiava, vide o trabalho de Magda como provadora. Tudo o que Hitler ingeria era provado por várias pessoas, já que o veneno era a forma mais "fácil" de alguém chegar até ele. Mas a dificuldade não estava somente em matar Hitler e sim acabar com toda uma cúpula que pensava igual a ele. Não adiantava matar a figura e sim todo um ideal.


Uma coisa que gostei bastante no livro foi que o autor abordou sobre o carisma de Hitler. Ele tinha o dom de fascinar as pessoas com suas palavras. Mesmo Magda tendo visto fotos das atrocidades cometidas por ele, quando Hitler falava, era como se ele estivesse certo. E o próprio acreditava no que dizia. O autor soube dar o tom certo para cada personagem, os reais e os fictícios e não tem como a gente ler a história e não querer saber mais sobre cada uma das pessoas citadas no livro. Eva Braun foi uma personagem que me fascinou porque eu não sabia se ela era ingênua aquele ponto ou se ela amava tanto Hitler que não ligava mais para o que ele fazia.

 Magda também foi um personagem que gostei bastante. Foi interessante acompanhar suas "descobertas" sobre Hitler e torcer por ela por causa do perigo a que ela se expunha. Mesmo sabendo que ela tinha sobrevivido, já que a história começa com ela em 2013, é impossível não se agoniar quando ela ficava a um triz de ser pega. Outra personagem que achei muito bem construída foi Cook, a cozinheira de Hitler. Eu achei a leitura do livro mais demorada, mas porque a história é daquelas que a gente quer absorver nos mínimos detalhes. Eu amei a leitura e por isso indico com certeza para quem gosta de histórias que se passam nesse período. Quanto a edição da Gutenberg só tenho elogios, desde a capa que está linda até a diagramação que está impecável, mesmo eu não me dando tão bem com aspas no lugar de travessão, não tenho do que reclamar.

Nota:








09 junho 2019

Lançamentos de junho da Faro Editorial

Esse mês a Faro tem dois grandes lançamentos e ainda tem uma super novidade do livro Quando Ela Desaparecer. Um dos lançamentos, O Homem que odiava Machado de Assis, será o primeiro livro publicado no Brasil com a imagem de Machado de Assis real.

Em meio a amigos e filhotinhos de seu pet shop, Willa Davis leva uma vida de enorme realização profissional. Mas falta algo: a seção de sua vida “relacionamentos amorosos” anda paralisada. E nada parece estar a caminho para mudar esse destino.
Keane também anda desiludido depois de muitos desencontros. Mas após receber a tarefa de cuidar da temperamental gata de sua tia-avó, ele procura uma especialista no assunto, e o destino joga suas cartas.
Ele não faz a mínima ideia de quem seja a proprietária da loja de animais, mas Willa sabe exatamente quem ele é… Alguém que no passado já partiu seu coração.
E nada é fácil quando se trata de duas pessoas que se fecharam para o amor.
Os amigos entram em ação. Mas tão diferentes? Tão improváveis? Será que Keane mudou? Será que Willa é capaz de perdoar?

Neste romance, uma outra face de Machado de Assis é apresentada e convidamos os leitores a conhecerem a versão de seu adversário mais desgraçado.
Dois garotos, de origens muito diferentes, são forçados a conviver por alguns anos e acabam por ver suas trajetórias enlaçadas por um destino irônico. Do Morro do Livramento, passando por Portugal e pelo Rio de Janeiro do final do século XIX, os meninos, agora homens, se reencontram e retoma m uma rivalidade pela qual vale dedicar a vida.
E hoje, enquanto um é celebrado como um dos maiores escritores brasileiros, Pedro Junqueira, nosso personagem marcado pelo azar e pela usurpação, tem pela primeira vez a chance de ver sua história narrada sob outro ponto de vista…
Porque ter como adversário o escritor de maior prestígio na literatura brasileira não deve ser fruto apenas do acaso, mas uma maldição. Junqueira não teve apenas ideias roubadas e oportunidades minadas, mas também a perda de seu grande amor.



Livro de Victor Bonini vai virar série de TV


O livro “Quando ela desaparecer” do jornalista Victor Bonini, publicado pela Faro Editorial em fevereiro deste ano vai virar série de TV, o anúncio foi feito peça produtora Clube Filmes. Com direção de Fabricio Bittar e com a concepção de roteiro do próprio autor Victor Bonini, o romance policial “Quando Ela Desaparecer” vai virar série com 10 episódios.
“Estou bastante feliz em ser o diretor da série. O livro traz uma história envolvente com personagens perfeitamente construídos e que nos cerca em um suspense eletrizante”, revelou Fabricio Bittar.
“Quando Ela Desaparecer” conta a história de Kika, garota de dezesseis anos que desaparece em Guarulhos, na grande São Paulo. Mas não se trata de uma garota qualquer, pois há dois anos Kika enfrentou a morte de perto e mesmo contra todas as expectativas, sobreviveu.
Agora Kika foi vista pela última durante uma excursão do colégio. A jovem desapareceu
misteriosamente e os indícios são que algo gravíssimo aconteceu.
“Este é meu terceiro livro (Colega de Quarto e O Casamento) e será a primeira adaptação para
as telas. Como o livro é um romance policial nada melhor do que a adaptação para uma série.
É muito importante poder fazer parte do processo de produção do roteiro e ajudar a transpor para as telas essa história de angústia e reviravoltas”, conta Bonini.
O livro teve sua primeira impressão esgotada logs nos primeiros dias de lançamento. São mais
de 20 mil exemplares vendidos até agora e a terceira edição já está a caminho.

Quem quiser conferir minha resenha do livro é só clicar aqui.










07 junho 2019

Resenha | Rio Vermelho - Amy Lloyd


Livro: Rio Vermelho
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Amy Lloyd
Editora: Faro Editorial
Páginas: 276
Ano: 2018

Resenha:
Samantha é uma professora inglesa de 31 anos que tinha uma vida simples com seu namorado Mark, até o dia em que o mesmo lhe mostrou o documentário Construindo a verdade: O assassinato de Holly Michaels. O filme exibido há dezoito anos, mostra a história de Dennis Danson, que foi condenado pelo assassinato brutal de uma jovem no condado de Red River, na Flórida, e apresenta várias inconsistências nas provas usadas para a condenação. E assim que viu o olhar de Danny com dezoito anos recebendo a sentença, Sam soube que ele era inocente. Desde então ela ficou obcecada por provar a inocência de Danny, a ponto de Mark desistir do relacionamento deles. Sam encontrou fóruns que concordam com ela e mesmo estando do outro lado do continente, ela não se conforma por Danny estar no corredor da morte e começa a se corresponder com ele.

A troca de cartas, tímidas no começo, acabam por deixar Sam à vontade para revelar seus mais profundos sentimentos e Danny também parece sentir o mesmo, e ao longo dos meses eles acabam se apaixonando. Então Sam decide que está na hora de ver Danny e resolve deixar sua vida para trás e viajar para os Estados Unidos. E ao mesmo tempo uma nova série sobre crimes reais, Um garoto de Red River, está sendo produzida pela Netflix e Sam acredita que estando perto, será mais fácil provar a inocência de Danny. E com um diretor famoso por trás da série, os pedidos pela soltura de Danny viraliza na internet e até várias celebridades começam a postar seu apoio a Danny. Na primeira visita na prisão, Sam não sabe bem o que dizer para Danny, já que por carta tudo é bem diferente e o Danny na sua frente nem de longe lembra na aparência o garoto que foi preso anos atrás. 

E a visita se torna ainda mais constrangedora porque uma das mulheres que também estava em visita pergunta a Sam se ela gosta de assassinos de crianças e se Danny contou onde estão os outros corpos. Porque apesar dele ter sido preso pelo assassinato de Holly, várias outras garotas desapareceram na mesma época. Sam nem dá bola para a mulher porque tem certeza da inocência de Danny. E as coisas começam a dar certo para Sam, pois Danny a pede em casamento e eles se casam em uma cerimonia dentro da prisão. E logo em seguida surge uma nova evidência e de repente Danny está livre. Os primeiros dias são uma correria, pois além de Danny ter que se atualizar vinte anos, todo mundo quer tirar uma casquinha da fama dele. E Sam começa a se incomodar, ainda mais que esse Danny que saiu da cadeia, é muito diferente do que ela conheceu através das cartas, a ponto dela duvidar se ele é realmente inocente.

"De repente, Sam se sentiu muito só, como se o homem com quem se casou nunca tivesse existido e tivesse acordado para uma vida que não reconhecia, no meio de uma história que não entendia."

Mesmo lendo resenhas bem controversas sobre esse livro, eu quis muito ler ele. Afinal quem nunca leu sobre mulheres que se apaixonam por condenados presos, e ficou se perguntando como isso é possível? Um caso bem famoso e que acompanhei na época é o de Francisco de Assis Pereira, o Maniaco do parque que foi condenado pelo estupro e assassinato de várias mulheres e dentro da cadeia recebeu centenas de cartas de amor e acabou se casando com uma de suas fãs. E como esse, temos muitos casos onde os condenados alegam inocência e as mulheres além de acreditarem, ainda se "apaixonam" pelos presos. Eu não consigo entender o que essas mulheres tem na cabeça.

Por isso me interessei em ler esse livro. Ainda mais que vamos acompanhar a história junto a Sam, a mulher que se apaixonou pelo assassino. Mas será que ele é mesmo culpado do crime pelo qual foi condenado? Essa é a principal questão levantada pela autora e ao longo da história a dúvida permanece e somente nos últimos capítulos que descobrimos se Dennis é inocente ou não das acusações. Eu precisei me segurar para não ler o final antes, porque não estava mais aguentando a agonia de não saber a verdade. E em momento nenhum eu desconfiei do que realmente tinha acontecido. Fiquei o livro todo na dúvida e ora acreditava na inocência dele, ora tinha certeza de que ele era culpado.

Mas uma coisa é certa, respondendo a minha pergunta sobre o que as mulheres que se apaixonam por condenados tem na cabeça, pelo menos no caso da Sam, é que ela tem probleminhas. Desde o começo do livro já dá para perceber que Sam não é muito estável psicologicamente. Do nada ela tem uns ataques de nervo e reage de uma forma meio exagerada a diversas situações, principalmente quando ela tem ciúmes. E também fica claro que aconteceu alguma coisa grave no relacionamento que ela tinha com Mark na Inglaterra. Teve horas que eu fiquei com mais medo dela do que do Dennis.


A história é em terceira pessoa somente no presente, mas temos trechos de um livro, Quando o rio fica vermelho, que foi escrito baseado na história do Dennis, que contam o que aconteceu na época da condenação. E como eu disse antes, o livro me prendeu e não consegui descobrir nada antes das revelações finais. Mas não dei nota máxima porque achei que o final foi meio que na correria e faltou algumas coisas para serem explicadas. E não foi final aberto, faltou explicação mesmo. A impressão que deu foi que a autora decidiu o que era relevante e precisava ser explicado e ignorou o resto. Mas como um todo, o suspense é muito bom e eu recomendo.

Não vou falar dos personagens porque se não vou acabar soltando spoilers. Mas não consegui me ligar em nenhum deles, porque sobre cada um pairava aquela sombra de dúvida, se o personagem era aquilo mesmo, se estava falando a verdade, se era inocente ou não, por isso acabei desconfiando de todo mundo e me recusei a me apegar. Mas por outro lado vou falar de mais uma edição maravilhosa da Faro. A cada livro me surpreendo mais com o capricho e com a qualidade com que eles trabalham. Eu particularmente não gostei muito da capa, mas tenho que reconhecer que a edição está incrível. Enfim, termino essa resenha indicando o livro. Se você, assim como eu, leu resenhas negativas do livro, não tenha medo de ler, a história pode te surpreender como aconteceu comigo.

Nota:









05 junho 2019

Minha Opinião - Maio 2019

Essa coluna é onde eu falo um pouco dos livros que li no mês e que não terão resenha aqui no blog.

60 horas
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
Eu virei fã do Rodrigo desde que li o primeiro livro da série As Crônicas dos Mortos e com certeza vou ler tudo o que ele escrever. Por isso quando vi que ele tinha publicado esse conto, corri ler ele. O conto é bem curto, tem apenas 24 páginas. Apenas, porque a escrita do Rodrigo é tão boa que a gente quer ler muito mais hehe. Mas deu para se envolver na história e ainda se surpreender no final. O conto vai acompanhar dois personagens, um preso nas ferragens do carro após um acidente e outro, um agente da ditadura militar interrogando através de tortura, uma moça que jura inocência. Nas poucas páginas deu para sentir o horror desse período triste da nossa história, que agora alguns insistem em dizer que não existiu. Fica aqui a dica, leitura mais que recomendada. 




A Esposa do Soldado
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Eu amei essa capa e assim que deu um espacinho nos livros de parceria eu corri ler o livro. Nunca fui muito fã de filmes de faroeste, e essa é a ambientação dessa história. Mas essa não foi a razão da minha nota baixa, pelo contrário, foi a parte que mais gostei, ver como era a vida dos soldados no Forte Laramie e os conflitos com as tribos indígenas. O meu problema foi que infelizmente eu não consegui gostar da protagonista Julia e muito menos da filha dela Suzanne. A garota tem seis anos e manda na mãe. Achei o cúmulo a Julia viver sua vida de acordo com as vontades da filha. E o romance deixa muito a desejar também. Não pelo Andrew, que desde o principio se mostra um amor de pessoa e confesso torci para eles não ficarem juntos porque ele merecia alguém melhor. Era uma enrolação e a Julia uma hora queria, outra não. No final do livro a autora fala que o próximo da série é com a Suzanne já adulta e provavelmente eu não lerei. Se for ler é apenas para ver se ela cresceu e amadureceu um pouco, porque criança ela é insuportável.


Série Para Quem Tem Pressa

A História do Mundo para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
A História do Brasil para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
A História da Mitologia para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
A História do Cinema para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
A História da Ciência para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
A História do Universo para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
A História do Século 20 para quem tem pressa
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Eu sempre fui interessada em ler essa série, e assim que vi que estavam no programa Kindle Unlimited, corri ler eles. O título da série já diz o que vamos encontrar nos livros. É literalmente para quem tem pressa, porque os livros tem em média 200 páginas, e como se conta anos de história em tão poucas linhas? Mas acredito que os autores conseguiram. O que mais gostei foi o da Mitologia, que abordou de tudo um pouco e aprendi bastante com o livro. E o que menos gostei foi o da História do Brasil, porque depois que li os livros do Laurentino Gomes, fica dificil gostar de algum outro que aborde o mesmo tema. Mas são ótimas leituras e indico para quem tem interesse em aprender mais sobre os assuntos. O da Ciência e e do Universo por exemplo, são assuntos que não estavam entre meus interesses, mas gostei bastante dos livros. Fica a dica.


Uma Proposta Indecente 
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
Quando vi a Tamires divulgando esse livro, fiquei bastante interessada nele. A capa está maravilhosa e a proposta do livro era muito interessante e bem diferente para um romance de época. E a leitura foi ainda mais diferente do que eu cheguei a imaginar. O livro é ótimo e amei cada parte da história. A principio achei que teria um triângulo amoroso, mas logo fica claro que não é isso que vai acontecer e na verdade temos dois casais para torcer na história. E nem sei dizer qual deles gostei mais, porque os quatro personagens são ótimos. Mas acho que o livro pode ser considerado um romance hot, porque tem bastante cenas de sexo, bem mais do que estamos acostumadas com o gênero. Eu li o livro praticamente em um dia, porque depois que a gente começa a ler, não consegue mais largar. Acabou que li até de pé no ônibus hehe. Por isso é um livro que indico para quem gosta do gênero.






© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo