22 janeiro 2020

Uma Tag para ser respondida somente em janeiro

Eu vi essa tag no canal De Livro em Livro e achei bem legal as perguntas. O título da tag como vocês podem ver é bem original hehe. A tag é do canal GEEK FREAK.

1. Qual leitura você não pode deixar passar desse ano?
Escolhi esses três porque são livros que eu fiquei doida para ler assim que foram lançados e até agora nada. Mas esse ano vai.


 


2. Você já leu algum livro desde a virada do ano? Se sim, qual(is)?
Como já estamos quase no fim de janeiro é claro que eu já li alguns livrinhos esse ano. Coloquei a imagem do skoob e por falar nisso quem tem e quiser me adicionar é só clicar aqui.


3. Tem algum livro que queria ter lido até o fim de dezembro, mas não deu tempo? 
Eu separei eles para ler nas minhas férias mas acabei lendo outros. Mas desse ano não passa.


 


4. Para qual lançamento desse ano você está mais animado?
Espero que finalmente a editora lance esses livros por aqui




5. Para qual livro você quer dar uma segunda chance esse ano?
Como não abandono livros não tem nenhum que se encaixe nessa categoria. Mas vou citar aqui Os Miseráveis que pensei em ler no ano passado e comecei a ler esse ano. Mas vou dizer, está dificil a leitura.

 

6. Para qual autor você quer dar uma segunda chance também?
Apesar de ter achado o primeiro livro bem do mais ou menos e de ter lido algumas resenhas negativas do segundo, ainda pretendo ler ele esse ano.




7. Qual medo ou preconceito literário você esperar derrubar esse ano?
Não tenho medo ou preconceito com nenhum gênero, o que eu não leio são gêneros ou autores que eu já li e infelizmente não gostei. Apesar de muita gente não concordar com o que vou falar aqui, existem tantos livros para serem lidos que eu não vou perder meu tempo lendo algo que não me atrai.

8. Quantos livros no total pretende ler esse ano?
Eu nunca coloco uma meta literária, vou lendo o que der. Mas pretendo comprar menos livros físicos e mais e-books por falta de espaço mesmo.

9. E conseguiu cumprir o do ano passado?
Como já disse não coloco metas, mas fiquei bem feliz por ter passado dos duzentos.






20 janeiro 2020

Resenha | Sombra e Ossos - Leigh Bardugo


Livro: Sombra e Ossos
Série: Trilogia Grisha #1
Gênero: Fantasia
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 288
Ano: 2013

Resenha:
Alina Starkov e Maly Oretsev se conhecem desde criança. Eles cresceram juntos no orfanato do Duque Keramsov, local que recebe crianças que perderam seus pais na guerra. Os dois sempre foram muito amigos e para Maly eles continuam sendo. Só que Alina tem outro tipo de sentimento pelo melhor amigo e sofre ao ver o sucesso que ele faz com as outras mulheres. E Maly chama a atenção já que é o melhor rastreador do primeiro exército de Ravka. Assim que deixaram o orfanato os dois entraram em treinamento para o exército e enquanto Maly se destaca entre os rastreadores, Alina trabalha como Cartógrafa, coisa que ela nem é tão boa assim.

Os dois estão prestes a entrar na Dobra das Sombras, ou Não Mar, uma faixa escura coberta com uma espécie de névoa preta que divide Ravka e onde habitam os terríveis volcras, criaturas que atacam qualquer um que tente atravessar a Dobra sem proteção.A Dobra foi criada há muitos anos por um dos Darkling, que é o título dado ao líder dos Grishas, pessoas com habilidades que fazem parte do segundo exército. Todas as crianças ao completarem oito anos são testados e os que tem alguma habilidade são levados para treinar com os Grishas, que são divididos em: Corporalki, a ordem dos vivos e dos mortos, os Ethealki a ordem dos conjuradores e os Materialki, a ordem dos fabricadores.

A travessia é perigosa porque grande parte dos que entram no Não Mar não saem vivos. Alina nem conseguiu dormir no dia anterior de tanto medo. E ela estava certa em seu temor porque logo que entram na Dobra, eles são atacados. Maly fica entre a vida e a morte e Alina corre para tentar salvar a vida do amigo. É quando ela e todos descobrem que Alina é um Grisha e não um qualquer, mas uma Conjuradora do Sol, talvez a única capaz de acabar de vez com a Dobra das Sombras. Alina é levada as pressas para o palácio onde vai treinar seu dom. Sozinha sem saber se Maly sobreviveu ao ataque Aline vai se aproximar da única pessoa que lhe dá alguma atenção, o Darkling. E vai descobrir que era muito melhor quando as pessoas ignoravam sua existência.

"Eu chamei e a luz respondeu. Senti a luz fluindo de mim em todas as direções. Eu a senti por toda a parte. Abri as minhas mãos e a luz floresceu direto de mim. Ela me envolveu, resplandecendo com calor, mais poderosa e mais pura do que nunca, porque ela era toda minha. Eu queria rir, cantar, gritar. Finalmente havia algo que pertencia total e completamente a mim."

Eu já tinha lido esse livro anos atrás e resolvi reler agora para dar continuidade nas outras séries da autora que se passam no mesmo universo. E também porque a história virou série e quero ler tudo antes de assistir. E confesso que gostei mais da releitura do que na primeira vez que eu li o livro. Mas mantive a mesma nota por alguns pontos que deixaram a desejar. Tem gente que não gosta de releituras por já saber o que vai acontecer. Mas eu gosto porque na primeira vez que a gente lê não se atenta tanto aos detalhes que só conseguimos ver em uma segunda leitura. E principalmente quando o livro é de fantasia e o autor cria um mundo completamente diferente do que a gente está acostumado.

Mas é claro que não tem mais aquela surpresa e já sabemos quais são as reviravoltas e quem é o mocinho e quem é o bandido de verdade. Mas isso não me incomodou e caí na lábia de um fulano novamente. Quem leu sabe de quem estou falando. Se tem uma coisa que a autora sabe criar são personagens incríveis e até os ditos vilões são tão sedutores que a gente acaba caindo na deles e por mais que a gente saiba que o que eles estão fazendo é errado, não tem como não ficar aquela pontinha de esperança de que não é aquilo mesmo de verdade e que suas motivações são outras. E olha que já li a trilogia e sei que não é nada disso hehe.


A Alina é um personagem que gosto bastante. Se for comparar ela com outras personagens de livros do gênero ela está aquém delas, mas é uma personagem muito interessante. Ainda bem porque o livro é em primeira pessoa pelos olhos dela e se ela fosse uma personagem chata a história se tornaria extremamente cansativa. É claro que no começo do livro ela fica deslumbrada por tudo o que encontra no palácio ao descobrir ser uma Grisha, mas ela continua a mesma de antes. E também me irritei muito com uma decisão dela quase no final do livro, mas isso já é comum de acontecer, as protagonistas sempre fazem alguma burrada, até porque se não fosse assim não teríamos um segundo livro.

Agora quem me deixou no limite foi Maly. Ele nunca nem olhou para a Alina antes dela se descobrir Grisha e ainda ficava esfregando suas conquistas na cara da coitada. Dai é só ela se tornar o centro de tudo e ele se descobre apaixonado por ela? Me poupe. Quanto ao Darkling ele é aquele tipo de personagem envolto em uma aura de mistério que a gente quer saber mais sobre, e a autora só fica soltando alguma informação aqui e outra ali. E além dos personagens incríveis ainda temos o universo criado pela autora, que a gente quer saber mais a cada página virada. Mas não vou falar muito mais sobre a história porque ele é daqueles livros que o interessante é ir descobrindo as coisas conforme vamos lendo. E para finalizar tenho que elogiar a edição que está impecável.

Nota:










19 janeiro 2020

Minha Opinião | Dezembro

Esses são os lidos e não resenhados de dezembro. São livros que eu li mas não vai ter resenha no blog, então trago uma breve opinião sobre eles. Tem bastante porque em dezembro tirei férias e li mais do que nos outros meses.


Cari Mora
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Esse é o novo livro do famoso criador de Hannibal Lecter, o médico canibal, que acredito você já deve ter ouvido falar. E acho que o meu problema com ele foi que eu estava esperando um livro no mesmo nível dessa série do autor e infelizmente ele passa longe de ter a mesma qualidade. O livro apesar de estar classificado como suspense/mistério, ele está mais para uma história de ação. Não entendi muita coisa no livro, principalmente o título já que Cari Mora faz parte da história, mas ele não gira em torno da personagem. Eu já estava na metade e se alguém me pedisse para explicar sobre o que era o livro eu não saberia dizer. E apesar de ter bastante ação na história, achei ela bem tediosa e por vezes meus pensamentos fugiram do que estava lendo e quando percebia tinha lido uma página inteira sem prestar atenção.



Peripécias de uma Estudante de Moda - 4º Semestre
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Esse é o quarto livro da série e não sei se por eu já estar apegada aos personagens, ou se foi a escrita da autora que melhorou, mas o certo é que gostei mais desse livro do que os anteriores. Ou foi porque até que enfim depois de quatro livros se formou o casal que vinha se insinuando desde o primeiro livro. Haja paciência para ler hehe. A autora enrola demais para não contar nada. Mas é uma boa leitura para passar o tempo quando a gente está sem vontade de ler nada ou depois de um livro mais pesado.
Peripécias de uma Estudante de Moda no Natal
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Já no conto a protagonista vai passar o Natal na casa do namorado e achei ele bem do desnecessário, porque só vi ela reclamar de tudo e de todos. A família do namorado fica o tempo todo falando da ex e ela fica toda incomodada sem lembrar que só existe essa ex por culpa dela mesma que fingiu que gostava dele somente como amigo o primeiro livro inteiro. Achei que seria um conto leve e divertido, mas foi somente chato.


Um Conto de Natal
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
Finalmente li o famoso Um Conto de Natal que inspirou inúmeras histórias e personagens, entre eles o Tio Patinhas. No começo do conto eu tive alguma dificuldade para me conectar com a história, talvez pelas palavras mais difíceis. Mas depois eu não consegui largar e li de uma vez até o final. E não tem como não se emocionar com a mudança do personagem e no final derramei algumas lágrimas. É um conto que fala com a gente e nos faz repensar nossas atitudes diante da vida. Afinal do que adianta ter tudo materialmente falando e não ter ninguém que vai sentir sua falta quando você não estiver mais aqui. É um conto que deve ser lido por todos.



Meu Crush de Nova York
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Esse ano participei de um amigo secreto entre os parceiros da Faro Editorial e para minha surpresa quem me tirou foi a Raffa, autora desse e outros romances fofos, e um dos livros que ela me enviou foi esse. Na história temos Charlotte que cansada de enviar currículos para todo lado e não receber nenhuma resposta, resolve viajar para Nova York com o dinheiro da rescisão. Com várias experiencias ruins em relacionamentos, entre eles o do seu pai, que trocou sua mãe por uma garota mais nova que a filha, Charlotte nunca imaginou que ia se apaixonar em Nova York. Mas aconteceu, e como embarcar em algo que desde o começo já está fadado a dar errado por causa da distancia entre eles? O livro é bem curto, o que me frustou um pouco porque eu queria saber mais sobre a história, principalmente o final que ficou aberto. Mas a história é apaixonante e o cenário é incrível. Temos aqui uma verdadeira viagem por Nova York. A vontade enquanto lia o livro era pegar um avião e ir até lá conhecer tudo o que a protagonista estava vendo. Só não dei nota máxima porque como disse o final é aberto e achei a protagonista meio chata em alguns momentos. Mas amei o clima de romance, a representatividade  já que a Charlotte é uma garota bem acima do peso, e adorei a edição do livro. É a primeira vez que leio um livro da editora e achei a edição muito bacana.


Outra Vez Casados
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Antes de mais nada quero dizer que peguei a dica do livro no blog da Miriã. Esse livro tem o clichê casamento por conveniência que adoro, principalmente porque sempre rende confusões e muito romance. Mas tem também algo que eu não gosto de ver em histórias voltadas para o publico mais jovem, o já famoso homem que se transforma por causa do amor e leva tantas pessoas a continuarem em relacionamentos abusivos acreditando que será ela a pessoa que vai mudar o outro. Mas isso já é tão comum que resolvi relevar e aproveitei a história que me surpreendeu pela qualidade da escrita da autora. Estava esperando um romance leve e divertido e encontrei uma história com um certo grau de profundidade que me fez devorar as 650 páginas do livro. Só não dei nota máxima pelo motivo que já citei e também por não ter gostado da autora ambientar sua história nos EUA quando não ia fazer diferença para a história ela se passar aqui no Brasil.


A Namorada Ideal
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
Eu comprei esse livro para completar o valor do vale presente que eu tinha. Saiu por menos de dez reais. E gostei da história. O problema é que a autora usou várias coisas que eu já cansei de ler em livros do gênero. Talvez para quem não é acostumado a ler livros de suspense ele vai ser ótimo, mas para quem já leu bastante como eu,  vai pensar eu já li isso. Outra coisa foi que os protagonistas não são empáticos. Pela história, a gente deveria odiar a Cherry (nora), o que aconteceu, e ficar do lado da Laura (sogra), o que não aconteceu porque a personagem é tão sem sal que nem dá para torcer, só sentir pena mesmo. E sem falar no Daniel(filho/namorado) que é tão besta que a gente só quer que ele se ferre mesmo. E também achei o final tão sem graça, esperava bem mais depois de tudo o que a Cherry fez. 


Prólogo, ato, epílogo
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Quando vi esse livro entre os lançamentos fiquei bastante interessada nele. Eu sou muito fã da Fernanda, que descobri nesse livro se chamar Arlette e já fiquei doida para ler suas memórias. Mas achei a leitura um pouco dificil. Primeiro porque estou acostumada a ler ficção. E segundo porque não tem diálogos no livro, é somente a Fernanda narrando sua história. Mas fora isso adorei o livro. Para os fãs ele é mais do que indicado e não só fãs da Fernanda, mas também da história do teatro no nosso pais. Mesmo não tendo dado nota máxima é um livro que recomendo.


Nem Um Pouco Separados
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
Esse é o segundo livro da série Amores Premeditados, o primeiro é Outra Vez Casados que falei sobre ele ali acima. Já conhecemos os protagonistas do livro anterior, já que ela é prima e ele é melhor amigo do protagonista masculino de Outra Vez Casados respectivamente. Eu já sabia que ia gostar do livro porque os dois já me ganharam no primeiro livro da série. Mas não sabia que ia gostar tanto quanto gostei. E como aqui não teve o negócio de mudar o cara por amor, acabei dando nota máxima para o livro. A escrita da autora é ótima e foi uma grata surpresa. Mas mesmo dando nota máxima eu tenho que ressaltar o tanto de paginas dos dois livros. Cada um tem mais de 600 o que é um exagero. Não que o livro se torne cansativo, mas dava para ter enxugado uma grande parte, porque tenho certeza de que com esse tanto de páginas ela vai perder um monte de leitores. Tem um monte de clichês no livro, como o famoso casamento bêbado em Las Vegas, mas eu não ligo para isso e amei a história dos dois.



O Duque e a Fugitiva
Sinopse: Skoob
Nota: 5/5
Esse é o terceiro livro da trilogia, que poderia ser uma série que eu nem ligava, Paixões Improváveis. Nesse livro vamos acompanhar a história de Helen e Sebastian que já conhecemos dos outros livros. Confesso que fiquei um pouco frustada na primeira parte do livro porque achei que ia continuar de onde parou no segundo livro, mas a autora começou contando como eles se conheceram e como a Helen acabou virando uma criada. E isso levou metade do livro. E como essa coitada sofreu. Não é a toa que ela fingia ser uma criada. Mas mesmo o começo não sendo o que eu esperava, ele foi muito bom. O livro todo seguiu no mesmo estilo dos dois primeiros e não pude deixar de dar nota menor do que a máxima. E além de tudo ainda temos a participação dos personagens dos outros livros nesse. A autora já avisou que vai escrever spin-offs dessa trilogia e com certeza vou querer ler, porque até agora amei tudo dela que eu li.


A Falsa Noiva
Sinopse: Skoob
Nota: 1/5
A Amazon vive me sugerindo livros baseados nos livros que eu li, mas nunca aceitei nenhuma sugestão até agora. E deveria não ter aceitado porque achei o livro, muito, mas muito ruim. A autora parecia perdida na história e a impressão que deu foi que nem ela sabia onde queria chegar. E olha que já li um livro da autora publicado pela Harlequin e gostei da escrita dela. A autora se "inspirou" em vários outros livros para escrever essa história. Mas em vez dela se "inspirar" nos pontos fortes dos outros livros, ela pegou o pior deles e trouxe para o seu. É confuso, os personagens são intragáveis, nem sei dizer qual gostei menos porque gostei menos de todos. Tem o machão que se acha o gostosão, tem cenas de sexo em excesso, palavras chulas e tem instalove de uma página para outra. Em um capitulo eles se odeiam no outro se amam desde criancinha. E era para ter um clichê que gosto, do casamento por conveniência, mas aqui no caso é pagamento por sexo mesmo. Não recomendo.








16 janeiro 2020

Resenha | A Duquesa Feia - Eloisa James

Livro: A Duquesa Feia
Série: Contos de Fadas # 3
#1 - Quando A Bela Domou A Fera
#2 - Um Beijo À Meia-Noite
Gênero: Romance de Época
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2018

Resenha:
James Ryburn, conde de Islay e herdeiro do ducado de Ashbrook, está prestes a tomar uma das decisões mais difíceis da sua vida. Seu pai, o Duque Tolo como é conhecido, tanto fez que acabou levando eles a falência. Foi um mal negócio seguido de outro e para tentar rever o dinheiro perdido, ele acabou usando uma parte da herança de Theodora Saxby, filha de um amigo que lhe confiou a tutela da garota após sua morte. Mas mesmo Theo, como ela prefere ser chamada, não sendo um exemplo de beleza, algumas propostas de casamento começaram a chegar, que ele rejeitou antes que a mãe de Theo ficasse sabendo, porque se alguém descobrir que ele roubou o dinheiro de Theo, eles estarão arruinados. Mas o duque já sabe como resolver a situação, basta James fingir que está apaixonado por Theo e se casar com ela. James vê Theo como uma irmã e só aceita a ideia do pai porque sua mãe está enterrada em uma das propriedades que eles vão perder se a verdade vier a tona.

Theo também considera James como um irmão e fala sobre tudo com ele, inclusive de seu interesse em se casar com o Lorde Geoffrey Trevelyan. E para chamar a atenção de Geoffrey, Theo propõe que James finja lhe fazer a corte sem nem imaginar que ele já ia fazer isso mesmo a mando de seu pai. Mas essa encenação toda faz com que James olhe para Theo com outros olhos e percebe que deseja ela como mulher. Então em um evento na casa do príncipe, James agarra Theo e a beija e quando os dois são flagrados pela mãe de Theo e pelo próprio príncipe, James se declara e pede Theo em casamento. Theo que também nunca tinha sentido por James nada mais do que carinho de irmão, fica devastada com o beijo e aceita o pedido. Mas apesar da declaração de James, as pessoas não acreditam que o casamento é por amor, afinal como alguém lindo como James se apaixonaria por Theo, que recebe da imprensa o apelido de duquesa feia. E mais, as pessoas acreditam que o casamento não vai durar nem seis meses.

Theo fica bastante chateada quando ouve os rumores a seu respeito, mas ela sempre soube que era feia, que somente sua mãe e James que a chama de Daisy (margarida), que a veem diferente. Porém apesar de tudo ela está feliz. Seu casamento vai muito bem em todos os sentidos. James divide tudo com ela, até a parte administrativa do ducado. Mas então o duque volta para casa e Theo tem seu coração partido em dois quando ouve uma conversa entre pai e filho, onde fica claro que James só de casou com ela a mando do pai. Destruída por dentro Theo manda os dois embora de sua casa e diz a James que nunca mais quer falar com ele. Então James parte em uma viagem de navio onde acaba virando um pirata. Quase sete anos depois Theo conseguiu fazer os negócios darem lucro e depois de uma temporada em Paris voltou para Londres, não mais como um patinho feio e sim um cisne em todo seu resplendor. E quando James está prestes a ser declarado morto, ele volta para Londres disposto a ter de volta tudo o que perdeu, principalmente sua Daisy.

“Nas semanas e nos anos seguintes, quando olhasse para trás, ela identificaria aquele instante como o momento exato em que seu coração se partiu em dois. O momento que separou Daisy de Theo, o tempo Antes e o tempo Depois. No tempo Antes, ela tinha fé. Tinha amor. No tempo Depois… teve a verdade.”

Esse é o terceiro livro da série da Eloisa baseada em contos de fadas e o conto/fábula da vez é O Patinho Feio. Eu amei Quando a Bela domou a Fera e minhas expectativas para Um beijo à meia-noite estavam lá em cima e infelizmente o livro foi uma decepção. E quando lançou A duquesa feia e comecei a ler somente resenhas negativas dele, minhas expectativas que já eram quase nulas, deixaram de existir completamente. Acho que até por isso eu acabei apreciando grande parte da leitura, só não gostei de algumas coisas da segunda parte do livro, que se passa após os sete anos. Nessa segunda parte a personalidade dos personagens mudam bastante, talvez para mostrar o quanto a separação mexeu com eles e também por tudo o que eles viveram nos anos separados. E isso deu um choque em quem tinha amado os dois na primeira parte da história.

Mas o meu problema não foi nem esse, e sim a correria com que a autora juntou os dois novamente. O livro bem que poderia ter mais umas cinquenta páginas e desenvolvido melhor a parte final da história que eu teria gostado bem mais do que gostei. Mas como um todo e como disse sem nenhuma expectativa, acabei gostando bem mais do que achei que iria gostar do livro. A primeira parte da história é muito boa, vemos dois amigos cada um com seus defeitos e qualidades que o outro conhece de cor e que se amam e ainda não se deram conta disso. É preciso uma tramoia do pai dele para que eles percebam o que sentem. Mas esse mesmo pai que junta os dois, acaba por separá-los com seus comentários fora de hora e com seu senso de dono da razão. Ele simplesmente não consegue aceitar que seu filho vê a beleza de Theo.


Nem Theo na verdade, ela não se acha bonita e por isso não acredita que alguém possa achar. Isso de beleza na minha opinião é bem relativo porque cada um tem um gosto e o que é belo para um, é feio para o outro e vice-versa. Mas existe um padrão estabelecido sim pela sociedade que atualmente é bem diferente do que era na época que se passa a história, se fosse hoje ela seria considerada linda e as outras feias hehe. Mas essa baixa autoestima dela está enraizada e mesmo após a reviravolta em sua vida, onde ela se mostra uma empreendedora, ela continua insegura por dentro no que se refere a sua aparência. E muita gente criticou esse ponto, que a mudança nela só foi por fora. Mas eu particularmente gostei, porque quantas vezes não acontece isso de verdade? A pessoa se mostra uma fortaleza por fora e só ela sabe como está se sentindo por dentro.

Já o James eu ainda estou na duvida sobre o que achei dele. Me irritei bastante com sua covardia. Então ele trai sua melhor amiga e quando ela fica magoada com o que aconteceu e tem uma reação bem esperada de mandá-lo embora, ele vai e fica sete anos longe fazendo o que tem vontade e só volta porque vai perder o título de duque e não porque queria consertar as coisas. Que tipo de amor é esse? Não me convenceu. Por isso que citei sobre ter mais algumas páginas na história, para que James conseguisse provar isso para o leitor, porque tenho certeza de que muita gente concordou comigo. Quanto a capa está tão ou até mais linda que as outras da série. E claro que vou ler o próximo porque diferente desse, eu li muitas resenhas positivas dele e minhas expectativas estão altas dessa vez hehe.

Nota:







14 janeiro 2020

Lançamentos de Janeiro da Faro Editorial

Para quem ainda não sabe, renovamos a parceria com a Faro Editorial para o ano de 2020. É um prazer ter uma parceria com a editora, porque além de seus títulos incríveis e edições de encher os olhos, nós parceiros somos tratados com muito carinho e respeito pela editora através da Andrea, responsável pela parceria.
Mas vamos ao que interessa, os lançamentos de janeiro. Tem Tarryn Fisher vindo por ai.

Margô mora em uma casa caindo aos pedaços, num bairro abandonado, com sua mãe que a ignora há dois anos. Ela se sente invisível, até que a amizade com Judah, seu vizinho cadeirante, muda suas perspectivas e a desperta. Quando uma criança de sete anos desaparece em seu bairro, Margô resolve investigar o caso com a ajuda de Judah e o que ela descobre a transforma por completo.
Agora, determinada a encontrar o mal, caçar todos os molestadores de crianças, torna-se a razão de sua vida. Com o risco de perder tudo, inclusive sua própria alma, Margô embarca num caminho sem volta... E o que isso diz a ela sobre si mesma? Por que decidiu fazer justiça? O que a tornou tão invisível?

Neste livro você vai constatar que caráter é o que faz toda a diferença no mundo. Se você está decidido a pautar todas as suas ações pelo bom caráter e está na posição de influenciar os outros pelo seu exemplo, você valoriza a liberdade, e entende que o bom caráter é ingrediente indispensável para uma sociedade livre... É o que nos conduz para um mercado liberal, sem uma série de burocracias e regras que cercam direitos e tornam onerosos e arriscados todos os processos. Lawrence Reed discorre sobre a mentalidade liberal, mostrando o trio de elementos centrais de uma sociedade livre: Caráter, Liberdade e Empreendedorismo. O caráter vem em primeiro lugar e é ele quem torna a liberdade possível, seguido do empreendedorismo: um dos chamados mais elevados e nobres de um adulto responsável, que cria valor, emprega pessoas e resolve problemas. Em tempos de notícias desanimadoras sobre corrupção e toda a sorte de crimes financeiros, torna-se difícil pensar que um bom caráter possa vencer. Mas basta olhar ao redor, para notar que tanto no passado quanto no presente, sempre foi o bom caráter que restabeleceu e estruturou o que temos de melhor em nossas sociedades.






13 janeiro 2020

Resenha | Onde Cantam os Pássaros - Evie Wyld


Livro: Onde Cantam os Pássaros
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Evie Wyld
Editora: DarkSide Books
Páginas: 256
Ano: 2015
Sinopse: 
Jake Whyte vive sozinha em uma velha fazenda, em alguma ilha britânica anônima, um lugar de chuvas incessantes e ventos violentos. Apenas ela, seu companheiro indomado, Cão, e um rebanho de ovelhas. Mas algo tem vindo atrás de seus animais – de tempos em tempos algo surge durante a noite, arrebata uma ovelha e a faz em pedaços.
Poderia ser qualquer coisa. Há raposas na mata, um rapaz estranho e um homem esquisito, rumores sobre uma fera obscura e formidável. E há o passado desconhecido de Jake, talvez invadindo o seu presente, uma história escondida há anos e há milhares de quilômetros, em uma paisagem de cores e sons diferentes. Uma história contada nas cicatrizes que cobrem suas costas.

Resenha:
Eu tenho esse livro na estante desde que lançou em 2015. Comprei pela capa confesso. Mas dai fui lendo as resenhas e todas eram negativas, por isso deixei ele parado na estante até agora. Esse ano fui desafiada pelas meninas do Queria Estar Lendo a participar do #DesafioMulheresdaLiteratura e no mês de janeiro o desafio é ler um livro de uma autora nascida em um país que quero visitar. Como tenho muita vontade de conhecer a Inglaterra meu primeiro pensamento foi Agatha Christie, mas dai não seria um desafio porque ela é minha autora favorita. Então resolvi escolher outro da minha estante e acabei chegando nesse.


Uma das dificuldades da maioria do povo que leu, foi que a autora conta a história de uma maneira diferente do que estamos acostumados. Temos aqui a história no presente nos capítulos ímpares intercalada com a do passado nos capítulos pares, mas a do passado começa no ultimo capitulo e vem até o segundo. Acho que isso confundiu muita gente e fez com que a nota dele fosse mais negativa do que positiva. Mas eu peguei a dica no blog O Que Tem Na Nossa Estante e comecei a ler pelo capitulo 32, 30, 28 até o 2 e então fui para o 1, 3, 5 e assim por diante. Será que funcionou?

Como comecei pelo final, ou pelo começo?, logo de cara já fiquei sabendo o que a Jake, a nossa protagonista, tinha aprontado quando criança. Não vou dizer o que aconteceu porque é spoiler, mas foi algo que a fez fugir da sua casa e da cidade. Dai para frente ela só foi colecionando inimigos, o que torna mais difícil descobrir quem é o responsável pelo grande mistério da história: as ovelhas de Jake estão aparecendo mortas. Jake mora sozinha em uma fazenda de ovelhas, sua única companhia é seu cachorro Cão. Mas de uns tempos para cá ela começou a perceber a presença de algo ou alguém espreitando o lugar.

"Eu só consigo lidar com isso porque não há nada aqui, ainda, que me conecte com aquele tempo, com aquelas pessoas, a não ser as marcas em minhas costas, que já estão cicatrizadas o suficiente para parecerem fazer parte de um passado diferente."

Finalizada a leitura concluo que esse livro é para quem gostou do livro Caixa de Pássaros, o que não foi o meu caso. Odeio, odeio e odeio, só para deixar claro, final aberto onde o leitor tem que deduzir um final a sua escolha. Custa pelo menos dar a entender o que aconteceu? Mas não. Terminei o capítulo 31 e cadê as respostas? Porque no capítulo 32 que é o ultimo temos uma cena do passado. Por isso fui a caça de spoilers e acabei achando uma conclusão de uma leitora que acabei concordando com ela sobre o que realmente aconteceu. Mas para meu gosto pessoal a forma como a autora escolheu terminar o livro não me agradou.

Mas se você gostou de Caixa de Pássaros acho que você vai amar porque os dois tem o mesmo estilo de história, e não estou falando somente do final não, mas também de todo aquele suspense psicológico no decorrer da leitura. A Jake é um personagem bem complexo e eu como comecei do final e logo de cara já soube o que ela tinha feito, não consegui simpatizar muito com ela. Mas conforme fui lendo percebi que ela pagou e muito caro pelo o que ela fez. As vezes não é somente em uma cadeia que a pessoa vai pagar pelos seus crimes. A Lei da Semeadura caiu muito bem nessa história.


E não concordei com as resenhas que li sobre o livro ser monótono. Pelo contrário achei o ritmo da história ótimo para o que a autora propôs escrever. E nem achei ele confuso. Só me decepcionei mesmo com o final. Mas como disse, isso é algo pessoal e não posso deixar de indicar ele para vocês. Quanto a edição está maravilhosa como em todos os livros da DarkSide. As cores, os elementos na capa, a contra guarda, tudo está impecável. Minha nota só não foi maior devido ao final mesmo, que como já frisei mil vezes, odeio final aberto e sem respostas hehe.

Nota:










© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo