04 julho 2020

Tag dos 50% - 2020


Já estamos na metade do ano e como já é tradição por aqui, vamos de Tag dos 50%.

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2020.
O problema dessa tag é que ela já começa a com a pergunta mais dificil de todas. Como escolher apenas um entre tantos lidos? Por isso não escolhi um mas uma história dividida em uma duologia hehe.


2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2020.
Esse livro foi de tirar o folego. Eu que tinha amado o primeiro acreditei que não pudesse melhorar, mas o autor conseguiu se superar.


3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.
Eu comprei esse livro em uma caixa literária e até agora não chegou. Mas assim que chegar vai furar a fila com certeza.


4. O livro mais aguardado do segundo semestre.
A editora já ensaiou lançar esse livro várias vezes, espero que dessa vez seja verdade.


5. O livro que mais te decepcionou esse ano.
Eu nem sei porque ainda espero alguma coisa dos livros dela. Mas esse foi a gota d'água.


6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.
Vou citar esse pelo gênero em si. Eu nunca tinha lido nenhum romance dark e acabei surpreendida ao gostar muito do livro.


7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).
Os melhores livros que li foram de autores que eu já conhecia. Mas essa trilogia está entre os melhores livros lidos do ano então já virei fã do autor hehe.



8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.
Não foi uma quedinha não foi um precipício mesmo. Alejandro me tirou o chão.


9. Seu personagem favorito mais recente.
O Kaz de Six of Crows com certeza. Aquela pegada meio Michael Scofield dele me deixou apaixonada.


10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.
Não li muitos livros de chorar nessa quarentena, mas um que me desidratou depois de tanto passar raiva com as atitudes da protagonista foi esse.


11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.
Eu ri bastante nessa quarentena porque escolhi ler livros mais leves. Mas um que me fez dar gargalhadas foi esse livro.


12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2020.
Não assisti muitos filmes esse ano e o que eu lembro de ter lido e assistido foi Os Miseráveis que não gostei. Então vou citar o filme de um livro que ainda não li mas pretendo ler.


13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).
Acho que por tudo o que o livro representa escolho a resenha de Não basta não ser racista - Sejamos antirracistas de Robin Diangelo.


14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.
Eu amo essas edições da Autêntica dos livros da Anne então meu favorito foi Anne de Avonlea.


15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
Nunca coloco metas de leitura, olho para o livro e se der vontade eu leio hehe

Esse foi meu balanço da metade do ano. Me contem nos comentários como foi o seu...













02 julho 2020

Resenha | A Poção Perdida - Amy Alward


Livro: A Poção Perdida
Série: Diário de uma Garota Alquimista #2
#1 - A Poção Secreta
Gênero: Jovem Adulto, Fantasia, Aventura
Autora:  Amy Alward
Editora: Jangada
Páginas: 448
Ano: 2017

Contêm spoilers do primeiro livro nos 3 primeiros parágrafos. 

Resenha:
Samantha Kemi venceu a caçada Selvagem com muito esforço da sua parte, já que tinha outros concorrentes tentando ganhar na base da trapaça e alguns até jogando bem sujo para ganhar. Mas Sam contou com a ajuda de amigos e de seu avô para encontrar os ingredientes e fabricar a poção que salvou a vida da Princesa Evelyn e consequentemente de todos em Nova, já que com a mente alterada pela poção, Evelyn não iria conseguir conter por muito tempo todo seu poder e iria acabar destruindo tudo à sua volta. E além de vencer a competição e ganhar o prêmio em dinheiro, Sam ainda ganhou uma amiga na princesa e um namorado, Zain Aster, filho do maior rival de sua família no mundo da alquimia, Zoro Aster, dono da maior empresa de poções sintéticas do mundo.

Sam agora é famosa e tudo o que faz ou diz, é assunto de debate nos fóruns das Teorias das Caçadas Selvagens. E quando Sam dá uma entrevista na Tv, acompanhada de Zain e Evelyn, acaba falando mais do que devia para defender sua bisavó. Sam diz que sua bisavó criou a poção mais poderosa já preparada e que é uma pena seu diário ter se perdido. Antes mesmo deles saírem do estúdio, esse vira o assunto mais comentado dos fóruns, e a teoria de todos é que se trata da Aqua Vitae, uma poção capaz de curar qualquer coisa. E as pessoas acreditam nisso e lotam a loja dos Kemi atrás da poção. E eles só tem um pouco de sossego quando "vasa" uma foto da princesa com seu suposto novo amor e na hora Sam sabe que foi a própria princesa que fez isso para ajudá-la.

Mas alguém continua muito interessado na poção porque seu avô é atacado e sua mente adulterada, e Sam tem a leve desconfiança de que foi Emília, a irmã do Rei quem o atacou. Mas isso seria impossível já que Emilia está presa. E antes do seu avô ser levado para o hospital ele diz para que Sam encontre, o que Sam deduz ser o diário de sua bisavó. Então Sam é convocada para ir ao Palácio e Evelyn diz que Emilia escapou e ela tem quase certeza de que foi Emilia quem atacou o avô de Evelyn para conseguir a Aqua Vitae. Agora Sam tem certeza de que precisa encontrar o diário antes de Emilia, e o Tour Real, onde a princesa vai "escolher" um marido, vai servir de disfarce para Sam e seus amigos. E além de procurar o diário, Sam ainda precisa criar uma poção que controle os poderes da princesa para que ela não seja obrigada a se casar sem amor. 

"Tentar ao máximo e falhar não é um desfecho ao qual eu esteja acostumada."

Esse é o segundo livro da série Diário de uma Garota Alquimista. Eu gostei muito do primeiro livro e estava ansiosa pela leitura desse. Mesmo ele sendo voltado para o publico infanto-juvenil, é uma história tão gracinha que agrada aos leitores de todas as idades. Nele temos aventuras, magia, criaturas fantásticas, romance, amizade e tudo isso em uma mistura de contos de fadas com a tecnologia atual. Assim como no primeiro livro, a história é narrada em primeira pessoa. No primeiro tivemos a narração da Samantha e da Princesa Evelyn, já nesse temos a maioria dos capítulos narrados pela Sam e em alguns capítulos podemos acompanhar as postagens e comentários das pessoas sobre o que está acontecendo através dos fóruns das Teorias das Caçadas Selvagens.


Diferente do que li em algumas resenhas, não vi muita evolução, nem na história nem nos personagens, de um livro para o outro. Achei tudo bem igual, mas não de uma forma negativa, afinal o que me conquistou no primeiro livro, continua por aqui. A aventura dessa vez será ir à procura de um diário que está desaparecido há anos. E dessa vez ela vai encontrar dragões, uma das criaturas que mais amo, e centauros. E essa "caçada" é novamente o ponto forte do livro. Assim como o romance entre Sam e Zain, e os vilões da história continuam sendo o ponto fraco. Acho que a história teria sido melhor sem esse romance porque o Zain estar lá ou não, não faz muita diferença. E os vilões lembram aqueles dos desenhos que eu assistia quando era criança, atrapalhados e que nunca dão uma dentro.

Já uma coisa que continuo gostando é de como a autora mostra a amizade entre as garotas. Nesse livro além da amizade da Anita, Sam também pode contar com a princesa Evelyn. No primeiro livro como a princesa estava sob o efeito de uma poção, não deu para conhecê-la, mas nesse vemos como ela é, e gostei bastante do que vi. Outra personagem que cresceu foi Molly, irmã de Sam. E espero que no próximo volume essas garotas arrasem. Estou bem ansiosa pelo terceiro livro, porque diferente do primeiro que tem um final bem fechadinho, esse segundo termina de forma desesperadora. E vou terminando por aqui, mas antes tenho que falar da edição que está linda e a capa conseguiu superar a primeira na minha opinião. Indico os livros para todos que gostam de um bom livro de aventura, com personagens marcantes e uma história leve e divertida.

Nota:








01 julho 2020

Resumo Literário e Cinéfilo de Junho/2020

Epa! onde vocês pensam que vão? Ainda é pra ficar em casa. Se puder. Combinado !?


Olivia


{Filmes e Séries}








Silvana 



{Filmes e Séries}


{Livros}


Melhor leitura do mês


O que menos gostei


Decepção


Surpreendeu










30 junho 2020

Resenha | Uma mulher no escuro - Raphael Montes


Livro: Uma mulher no escuro
Série: Não
Gênero: Suspense
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia da Letras
Páginas: 256
Ano: 2019

Resenha:
Foi o dia mais feliz da vida de Victoria Bravo. Ela estava muito cansada, mas se divertiu tanto que valeu a pena. Sua festa de quatro anos foi um sucesso. Veio todas as suas amiguinhas da escola e todos os vizinhos. Tinha um bolo enorme, doces, cachorro quente, pipoca, muita brincadeira e Victoria usou um vestido de princesa. No fim ela estava tão exausta que foi só deitar na cama para o sono vir. Mas ela acordou no meio da noite com os cachorros latindo e o dia mais feliz da sua vida acabou se tornando na noite mais horrível de todas. Um garoto entrou em sua casa e matou toda a sua família a facadas e pichou seus rostos com tinta preta. Não se sabe bem o porquê, mas Victoria sobreviveu.

Vinte anos se passou e a vida de Vic é apenas uma sombra mal formada do que poderia ter sido se nada daquilo tivesse acontecido. De noite ela sofre com pesadelos terríveis e durante o dia ela tenta ficar longe da bebida de quem se tornou dependente. E foge de todo e qualquer relacionamento. Ela simplesmente não consegue falar de sua vida com ninguém, por isso não tem amigos, e muito menos ser tocada por outra pessoa, então nada de namorados. As únicas pessoas que ela tem algum contato são seu psiquiatra Max, que inclusive foi quem incentivou Vic a conhecer Arroz, um cara que ela conheceu pela internet, sua tia Emília que está em uma casa de repouso e recentemente Georges, um escritor que passa as tardes na lanchonete que Vic trabalha.

O assassino, um garoto de dezessete anos chamado Santiago, foi preso na mesma noite em que tudo aconteceu, mas ao completar dezoito anos foi solto e ninguém sabe o que aconteceu com ele depois. Mas agora vinte anos depois ele parece estar de volta para "terminar" o serviço. Ao voltar para casa depois de um dia de trabalho Vic encontra a parede do quarto pichada de preto com a seguinte inscrição: Vamos Brincar? e seu urso de pelúcia, a unica lembrança da Victoria de quatro anos, pintado de preto. Até agora Vic fingiu que seu passado não existiu, mas diante dessa nova ameaça ela vai ter que tomar uma atitude. E ao revirar o passado, Vic vai descobrir que ele é bem pior do que ela pensava.

“O excesso de amor é tão perigoso quanto a falta.”

Esse é o terceiro livro que leio do autor. Em O Vilarejo ele conseguiu me deixar com o estômago revirado e em Jantar Secreto foi que descobri o tanto que ele podia ser ousado em suas histórias. Por isso estava com as expectativas bem altas para esse livro que é voltado mais para o lado investigativo, meus favoritos, e também por termos sua primeira protagonista mulher. E apesar de ter gostado bastante do que encontrei, não pude dar nota máxima por alguns pontos que irei expor na resenha. Mas ainda assim é um livro policial que eu não tenho como não deixar de indicar, até porque cada um é cada um e cada leitor vive a história de maneira diferente.

Mesmo não tendo lido todos os seus livros, um dos pontos fortes que eu sempre vejo sendo elogiado no autor, é sobre sua originalidade. E infelizmente nesse livro livro ele foi muito clichê. Desde o título, que apesar de não ser A Garota é a A Mulher, até a premissa da história, a personagem principal e o desenvolvimento eu já vi em vários outros livros do gênero. A vida da protagonista não poderia ter sido mais clichê, porque ela se tornou o que já estamos cansados de ver em pessoas que passam por traumas parecidos. Isso é ruim? Não, mas além do clichê, ainda temos uma protagonista que não desperta empatia no leitor.

É de se esperar que por tudo o que Victoria passou, a gente comece a ler o livro com pena dela e consequentemente torça por ela durante a leitura. Mas em nenhum momento isso aconteceu. Eu não consegui gostar dela. Fiquei sim morrendo de curiosidade para saber o porque daquilo tudo ter acontecido com sua família e porque ela foi poupada. E também não me aguentava de vontade de ir até o final do livro e descobrir logo quem dentre os três homens que a rodeavam era o assassino, mas foi só isso, curiosidade de uma ávida leitora de suspense, não porque queria ver a protagonista bem e livre daquilo tudo.

E até esse suspense todo não foi bem amarrado pelo autor, porque logo criei uma teoria e no fim descobri que estava certa. Não descobri todos os detalhes, mas o principal ficou evidente logo de cara. E assim como aconteceu em O Jantar Secreto, não gostei da motivação. Achei tudo tão fraco para algo daquele tamanho. Mas enfim. Ele é um ótimo livro de suspense, para quem não leu muitos do gênero como eu, ou até mesmo para quem não conhece a escrita do autor e não esteja esperando algo de nível extraordinário por todos os elogios que ele recebe. Quanto a capa gostei bastante e a edição está muito bem feita.

Nota: 












28 junho 2020

Resenha | Mais Forte Que o Sol - Julia Quinn


Livro: Mais Forte Que o Sol
Série: Irmãs Lyndon # 2
#1 - Mais Lindo Que A Lua
Gênero: Romance de época
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2018

Resenha:
Desde criança Eleanor Lyndon mostrou que tinha tino para os negócios. Quando sua irmã Victoria se apaixonou por Robert e eles começaram a se encontrar, Ellie aceitou de bom grado ser subornada por Robert para deixar os dois sozinhos. O namoro da irmã terminou por culpa de seu pai e do pai de Robert, mas Ellie guardou o dinheiro e soube investi-lo muito bem. Victoria ficou tão decepcionada com o pai que acabou indo embora de Kent e a Ellie só restou perdoar o pai e aguentar seus desmandos como vigário local. Mas com o dinheiro e os investimentos que fez, Ellie percebeu que pode ser uma mulher independente e nunca quis se casar com ninguém. Até agora.

Seu pai acaba de ficar noivo com a Sra. Foxglove e o passatempo predileto dela é dizer que Ellie com vinte e três anos é uma solteirona que precisa urgentemente de um marido. E se Ellie não encontrar alguém por vontade própria vai ter que se casar com quem a Sra. Foxglove escolher. Por isso quando um homem cai do céu nos seus pés, ela acha que isso pode ser um sinal. O homem é Charles Wycombe, o sedutor conde de Billington que na verdade caiu de um carvalho por estar muito bêbado. E assim como Ellie, Charles acredita que Deus ouviu suas preces já que tem quinze dias para encontrar uma esposa ou vai perder toda sua herança para seu primo ao completar trinta anos ainda solteiro.

O pouco tempo que passa com Ellie faz com que Charles veja a mulher interessante que está na sua frente e ele não pensa duas vezes antes de pedi-la em casamento. Ellie não pensava em se casar, mas com sua futura madrasta pressionando ela resolve aceitar o pedido de Charles, desde que ele consiga resgatar o dinheiro que ela investiu no nome do seu pai, já que por ser mulher ela não poderia fazer qualquer transação de negócios e agora não consegue retirar o dinheiro sozinha. Assim os dois fazem um trato de se casarem para cada um obter o seu dinheiro. Mas o problema é que eles mal conseguem se manter afastados um do outro e esse casamento de conveniência acaba por ser muito vantajoso para ambos.

"O cabelo dela, pensou de repente. O cabelo de Eleanor era da cor exata do sol em sua hora preferida do dia.
Seu coração se encheu de inesperada alegria, e ele sorriu."

Depois da decepção com o primeiro livro não estava esperando muito desse, mesmo que todas as resenhas que li falavam que esse segundo livro era bem melhor que o primeiro. Concordo com as resenhas. Se comparado ao primeiro livro, esse é bem superior, mas ainda assim ele é somente bom, não tem nada de extraordinário ou do que eu esperava sendo um livro de alguém que cria personagens como Os Bridgertons. Ou se compararmos aos livros da Tessa Dare ou da Sarah MacLean por exemplo, o livro é apenas mediano. Mas ainda assim é uma boa leitura para quem não leu muitos romances de época ainda.

No primeiro livro a autora abordou o tema amor a primeira vista e nesse segundo casamento por conveniência. Geralmente esse tema rende ótimos enredos para romances de época, mas mais uma vez eu achei que a autora se perdeu e não soube desenvolver bem a história. No começo até que ela foi bem, a ideia foi legal até certo ponto, mas a autora foi inserindo coisas que não tiveram muito desenvolvimento e ela até tentou inserir alguns mistérios que logo de cara o leitor já sabe quem é o responsável pelos acontecimentos e teve alguma ação no final, mas que também achei totalmente desnecessária. O que me fez dar um bom para o livro foram os protagonistas, que diferente do primeiro livro, me cativaram bastante.

Ellie já no livro da irmã chama a atenção e ela continua uma ótima personagem em sua própria história. Ellie é inteligente, engraçada, inocente na medida certa e junto com Charles protagonizou um romance para nenhum romântico de plantão colocar defeito. As cenas entre eles renderam boas risadas e os diálogos foram agradáveis. Mas infelizmente o romance em si não conseguiu sustentar a história que foi mal desenvolvida. E nem a Judith, uma fofura em forma de criança, conseguiu aumentar a nota do livro. Geralmente quando tem crianças nessas histórias, eu amo, mas aqui nem isso resolveu. E para não falar só coisas ruins, eu amei essa capa. É tão simples, mas ao mesmo tempo tão detalhista que entrou para minha lista de favoritas de capas de romances de época.

Nota:







26 junho 2020

#32 | Eu Quero! e #104 | A Estante Aumentou!

Nesses dias de quarentena não tenho comprado muita coisa e por isso resolvi juntar as duas colunas. Esse mês só chegou um livro por aqui e doei alguns que eu li e não vou reler para abrir espaço na estante.

Chegou 


Eu só comprei esse livro porque eu precisava dele para um desafio que estou participando, mas ele já estava na minha lista de desejados. E comprei com um vale presente então nem gastei dinheiro. Tem resenha dele aqui.


Saiu 


Esses foram os livros que doei esse mês. 



Desejados


O futuro do Conde e da Condessa de Worthington promete estar longe de ser entediante. Lady Grace Carpenter está pronta para aproveitar o dia - ou melhor, a noite - com o homem mais atraente que já conheceu. O casamento significaria perder a tutela dos seus amados irmãos, e certamente nenhum cavalheiro são assumiria sete filhos que não fossem os seus. Mas se ela puder ter uma oportunidade anônima com Mattheus, Conde de Worthington, Grace se contentará em viver o resto de sua vida como uma solteirona. Matt quase tinha perdido a esperança de encontrar uma esposa que pudesse envolver tanto a sua mente como o seu corpo. E agora esta mulher sensual e inteligente está se entregando a ele. O que poderia ser mais perfeito? Exceto que, depois de uma noite de amor, a misteriosa Grace se recusa a ter qualquer coisa relacionada com ele. No meio das distrações da temporada ele terá de convencê-la, com um delicioso encontro de cada vez, que nenhum obstáculo - ou família - é demais para um homem que descobriu o desejo do seu coração...

Esse eu desejei por causa da capa, apesar de não ter gostado muito da modelo escolhida, esse perfil não ficou bom para ela. Mas fora a capa é romance de época então uniu o útil ao agradável.


UMA HISTÓRIA DA SÉRIE JOGOS VORAZES. AMBIÇÃO O ALIMENTARÁ. COMPETIÇÃO O CONDUZIRÁ. MAS O PODER TEM O SEU PREÇO.
É a manhã do dia da colheita que iniciará a décima edição dos Jogos Vorazes. Na Capital, o jovem de dezoito anos Coriolanus Snow se prepara para sua oportunidade de glória como um mentor dos Jogos. A outrora importante casa Snow passa por tempos difíceis e o destino dela depende da pequena chance de Coriolanus ser capaz de encantar, enganar e manipular seus colegas estudantes para conseguir mentorar o tributo vencedor. A sorte não está a favor dele. A ele foi dada a tarefa humilhante de mentorar a garota tributo do Distrito 12, o pior dos piores. Os destinos dos dois estão agora interligados – toda escolha que Coriolanus fizer pode significar sucesso ou fracasso, triunfo ou ruína. Na arena, a batalha será mortal. Fora da arena, Coriolanus começa a se apegar a já condenada garota tributo... e deverá pesar a necessidade de seguir as regras e o desejo de sobreviver custe o que custar.

Eu amei Jogos Vorazes então fica difícil não desejar esse livro. Mesmo que seja de um dos personagens que menos gosto da série

O amor pode levar a loucura. E foi exatamente isso que o visconde Locksley viu acontecer com o pai, após a morte de sua amada esposa. Mas, quando o marquês decide se casar com Portia Gadstone, Locke se vê obrigado a tomar medidas drásticas para impedir que aquela mulher incrivelmente bonita se aproveite dele. O desespero levara Portia a concordar em se casar com um louco. O acordo lhe ofereceria a proteção de que precisava. Pelo menos era o que ela pensava, até o filho do marquês ler as letras miúdas do contrato e... tomar o lugar do pai! De maneira repentina, a união supostamente calma planejada por Portia se transforma em uma relação perigosa e repleta de tentações. Ao se ver apaixonada por Locke, ela descobre segredos sombrios, que ameaçam separá-los para sempre... a menos que ele arrisque tudo e entregue seu coração para o amor.

Esse eu ainda nem li os dois primeiros, mas já quero só pela capa linda e pela escrita da autora que amo.

Com 18 anos, Anne Shirley agora é aluna do Redmond College, na movimentada cidade de Kingsport, onde estão também seus amigos de Avonlea Priscilla Grant e Gilbert Blythe. Anne conhece pessoas interessantes, faz amigos, incluindo a rica, charmosa e indecisa Philippa Gordon. Na companhia deles, vai estudar e experimentar uma nova e emocionante vida social, com danças, jantares e jogos de futebol. Independente e atraente, a jovem conquistará muitos admiradores e receberá pedidos de casamento.
Suas aventuras românticas são cheias de drama e suspense, da primeira à última página do livro. Muitas vezes, no entanto, as lágrimas cedem lugar às gargalhadas, como quando Anne e suas amigas se mudam para uma casa pequena e adorável, em uma rua nobre de Kingsport, e um gato de rua rouba seu coração.
Os anos de faculdade certamente serão divertidos, mas serão também um tempo para investigar a própria alma e tomar grandes decisões. Anne descobrirá, da maneira mais difícil, que talvez seu coração não esteja batendo de acordo com sua mente. A vida em Kingsport será para ela uma rica jornada de descobertas e crescimento pessoal.

E lá vem a Autêntica com mais um livro maravilhoso dessa série que me ganhou na primeira página do livro. As edições estão cada vez mais lindas.

Certas portas não devem ser abertas. E Coraline descobre isso pouco tempo depois de chegar com os pais à sua nova casa, um apartamento em um casarão antigo ocupado por vizinhos excêntricos e envolto por uma névoa insistente, um mundo de estranhezas e magia, o tipo de universo que apenas Neil Gaiman pode criar.
Ao abrir uma porta misteriosa na sala de casa, a menina se depara com um lugar macabro e fascinante. Ali, naquele outro mundo, seus outros pais são criaturas muito pálidas, com botões negros no lugar dos olhos, sempre dispostos a lhe dar atenção, fazer suas comidas preferidas e mostrar os brinquedos mais divertidos. Coraline enfim se sente... em casa. Mas essa sensação logo desaparece, quando ela descobre que o lugar guarda mistérios e perigos, e a menina se dá conta de que voltar para sua verdadeira casa vai ser muito mais difícil — e assustador — do que imaginava.
Publicado pela primeira vez em 2002, Coraline foi o primeiro livro de Neil Gaiman para o público infantojuvenil e se tornou uma das obras mais emblemáticas do escritor. Repleta de elementos ao mesmo tempo sombrios e lúdicos, a história conquistou crianças e adultos em todo o mundo e, em 2009, ganhou as telas de cinema em uma animação dirigida por Henry Selick, de O estranho mundo de Jack. Nesta edição especial em capa dura, com introdução do autor e projeto gráfico exclusivo, coube ao renomado ilustrador Chris Riddell dar vida ao universo mágico e aterrorizante criado por Neil Gaiman.

Eu não sou tão fã do Gaiman, mas já li tantas resenhas positivas desse livro que eu preciso ler ele. E quando vi essa edição eu sabia que seria essa que eu ia ter na estante.







© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo