23 janeiro 2022

Resenha | A Vida Invisível de Addie LaRue - V. E. Schwab

Livro: 
A Vida Invisível de Addie LaRue
Série: Não
Gênero: Fantasia
Autora: V. E. Schwab
Editora: Galera Recod
Páginas: 504
Ano: 2021

Resenha:

Desespero. Foi o que fez Adeline LaRue nem perceber que o Sol estava se pondo ao adentrar a floresta em busca de ajuda. Estele, a senhora que acredita nos deuses antigos, lhe ensinou que eles são grandiosos, mas nunca bondosos ou compassivos e que se um dia Addie precisasse invocá-los, que tomasse cuidado com o que ia pedir e que estivesse disposta a pagar o preço pedido. Mas que nunca, em hipótese nenhuma, mesmo que sua vida estivesse em perigo, Addie deveria fazer uma prece aos deuses que atendem depois do anoitecer. E Addie só percebe que fez exatamente isso quando a escuridão lhe responde perguntando se ela está disposta a pagar seu preço.

Num primeiro momento ele se apresenta como sombras a sua volta, mas depois ele tem um rosto, o rosto que Addie idealizou e desenhou em seus cadernos ao imaginar o homem perfeito, Luc. E Addie não vai recuar. Ela não pode. Enquanto as garotas da sua idade só pensavam em ser uma boa esposa, Addie queria conhecer o mundo. Ela quer ser livre, pertencer a si mesma e ter tempo para fazer o que quiser. E é isso que ela diz ao Ser com quem faz um pacto. E em troca Addie vai lhe dar sua alma quando ela se cansar e não a quiser mais. O pacto é selado com um beijo, mas o que Addie não sabia, era o preço que teria que pagar por sua liberdade e imortalidade.

Ao tentar voltar para casa Addie descobre que seus pais não se lembram dela. E isso acontece com todos que a conheciam. Mas o pior é que assim que sai das vistas da pessoa com quem está falando, ela é completamente esquecida. Não importa quantas vezes eles a vejam e conversem com ela. Nem seu nome Addie consegue pronunciar, muito menos deixar qualquer marca de sua existência por onde passa. É assim por trezentos anos. Até que um dia Addie ouve as palavras que pensou que nunca mais ouviria: "Eu me lembro de você". Elas vêm de Henry, que aparentemente não tem nada de especial. Mas porque depois de tantos anos ele foi o primeiro a se lembrar dela?

E lá no escuro ele pergunta se valeu mesmo a pena. Os instantes de alegria valeram os períodos de tristeza? Os momentos de alegria valeram os anos de dor? E ela vira a cabeça, e olha para ele, e diz "sempre".

Assim como no ano passado, comecei o ano com um livro da Victoria. Esse é o sétimo livro que leio da autora e ainda me surpreendo com seus enredos tão originais. Victoria pensa fora da casinha e escreve lindamente sobre coisas que a gente nunca imaginou e nem sabia que precisava ler até começar e não conseguir mais parar de tão bom que é. Sem exceção, todos os livros que li dela até agora são perfeitos. Por mais que eu não concorde com um ou outro final, o caminho até eles são maravilhosos e por isso tenho que elogiar sempre essa mulher e indicar para todos, mesmo quem não é fã do gênero. Se você ainda não leu nada dela, você precisa ler.

Esse livro foi lançado no ano passado por aqui e só vi comentários positivos sobre ele. Por isso as expectativas estavam lá nas alturas. E elas foram alcançadas e superadas. Logo nas primeiras páginas já me vi envolvida com a história e encantada com Addie e já prevendo que ia sofrer com sua jornada. É impossível não se colocar no lugar dela e imaginar viver por anos daquele jeito. Ela não tem um lugar para morar, praticamente não tem o que vestir e nem o que comer porque ela não consegue um emprego e nem pode produzir nada, o pouco que consegue é roubando aqui ou ali. E por vezes me questionei se valeu a pena o pacto que ela fez, se a liberdade de não pertencer a ninguém, e a imortalidade compensava se era para viver nessas condições.

E essa é a mesma pergunta que Luc faz para Addie toda vez que eles se encontram. Mas quando ela descreve as belezas de simples momentos em que ela viveu ao longo dos anos você entende o porquê dela ainda resistir e querer permanecer viva. E isso me fez pensar muito em quantas pequenas coisas que a gente não dá nenhum valor, mas que estão ali e podem fazer valer a pena uma vida inteira de luta e dificuldades para quem consegue enxergá-las. Addie estava andando por esse mundo a tantos anos e ainda encontrava coisas que a faziam querer viver. Foi meio que um tapa na cara, ainda mais nesse momento que estamos vivendo que a vida está valendo menos que um sopro.

Vamos acompanhar a história da Addie em dois tempos, no passado, um pouco antes e ao longo dos anos depois do pacto e no presente onde ela finalmente encontra alguém que se lembra dela. É muito interessante acompanhar Addie pela História da humanidade, coisas que lemos nos livros e que ela viveu. E como ela foi aprendendo a deixar sua marca, mesmo que ninguém fora ela mesmo saiba que é ela ali, nas composições musicais ou em quadros de artistas com quem Addie se relacionou pelos momentos que eles se lembraram dela. E também no passado temos a presença constante de Luc, a personificação do deus que ela fez o pacto. E confesso que não sabia se odiava ele pelo que ele fez ou me apegava igual a Addie porque ele era o único que se lembrava dela.

Já no presente conhecemos Henry e fica aquele suspense para saber porque ele consegue se lembrar de Addie. E quando a verdade vem a tona você fica, só podia ser isso mesmo, porque não pensei nisso antes hehe. Mas não vou falar nem sobre ele, nem sobre Luc aqui na resenha porque o interessante é que o leitor descubra por si mesmo qual a importância desses personagens na vida de Addie. E mais uma vez a autora finalizou a história de uma maneira que não foi exatamente do meu gosto, mas nem por isso vou deixar de elogiar e achar o final genial. Por tudo que foi apresentado e pela jornada de Addie, não poderia ter terminado de outro jeito mesmo. Então só me resta te incentivar a ler o livro, aproveita que é único e não vai precisar esperar lançar as continuações hehe.

Nota:






20 janeiro 2022

Melhores de 2021 | Olívia


 E aí gente linda, como foram as festas? Aqui foi uma delicia. Família reunida, mesa farta, coração grato e muitas risadas. 

 E Janeiro é o mês que trazemos as retrospectivas do ano anterior. Adoro fazer esse post e poder ver os filmes e series que assisti. Diferente de 2020 que assisti taaaanta coisa. 2021 assisti um pouco menos, também né gente voltei a trabalhar, acabou o tempo livre hehehe. 

Assisti 78 filmes e 31 series. Não contabilizei os filmes que revi algumas vezes 

           bora conferir essa retrospectiva!?

...

Janeiro >>>  Teve alguns títulos que eu gostei muito. A segunda temporada de Pose, que é bem emocionante. Aquarius que é merecido de todo o sucesso conquistado. Mas... a serie Maravilhosa Sra. Maisel é o que me conquistou totalmente em Janeiro

A Arte de fazer piadas da própria tragédia 

 Fevereiro >>> Continuei a serie ...Sra. Maisel. Assisti o tão bem falado Lupin e Eu me importo. Porém, a historia de superação, contada de forma tão sensível é que vai ganhar o destaque desse mês. O som do silêncio é um filme onde você mergulha na historia de um musico que de repente se vê surdo. 

As vezes o silêncio é ensurdecedor. 


 Março >>> foi um mês teve sabor de nostalgia. Assisti Um príncipe em Nova York 2 o que foi bacana relembrar. Me fez lembrar da época Sessão da Tarde. Mas, ganhou um filme nacional O cabra da peste, já nem sei quantas vezes assisti. É divertido e tem horas que precisamos de obras leves. 
Uma cabra em perigo e um policial muito corajoso e outro nem tanto. Diversão garantida.


 Abril >>> Tô nesse instante escrevendo e definindo quem ganha o destaque. Estão na lista O alienista, Fuja, As silenciadas e Tio Frank. Todos com temas diversos e que valem muito a pena serem vistos. E como diz Rita Lee, nem toda feiteira é corcunda. E essa é minha escolha, um filme que aborda o porque homens acreditavam que as mulheres eram bruxas. As silenciadas
Até que elas voam... 


 Maio >>> No 5º mês do ano mudamos o nosso resumo Cinéfilo agora com uma breve opinião nossa. E nesse período teve vários títulos bons. A serie O inocente com Mario Cavas, À espreita do mal, A mulher na janela e Pieces of a Woman. E vou dar destaque para À espreita do mal, por ser um suspense que merece atenção e respeito. 
Nem tudo é o que parece que é!


 Junho >>> Terminei a serie American Horror Story 5º temp. (aquela com a Lady Gaga) infelizmente não é uma temporada memorável. Mergulhei em Peaky Blinders, o que recomendo. E o que trouxe cor nesse mês foi Lucca, uma produção linda da Disney. Porém, Portanto ou Toda via, meu destaque vai para Joias Brutas com Adam Sandler, que mostra que ele não é só um ator de comédia. 
Aperta o play aí também! 


 Julho >>> Paternidade e Cruella foram filmes tão bem falados que fiquei com medo de me decepcionar e foi grata a surpresa. Eu gostei muito. Mas, vamos falar de Lupin, essa serie dividida no timing certo e não demorou muito já tínhamos a 2º temp. (adorei isso) A serie é muito bem produzida e nos vemos torcendo pra que o roubo dê certo (acho que já estamos acostumados com isso né!?)
Que venha a 3º temporada! posso ouvir um amem?


 Agosto >>> Não foi um mês de filmes empolgantes. A trilogia de A barraca do beijo terminou meio que ok! O destaque ficou para a continuação de O homem das trevas 2. O suspense continua nos deixando cada vez mais curiosos. Realmente o mês do cachorro louco.
Ele "enxerga" mais que todos nós juntos!


 Setembro >>> Chegou ao fim La Casa de Papel repleto de emoção. Mas, não é essa turminha do professor que ganhará o destaque. É a serie Valéria, é uma serie levinha com vários assuntos diversos do universo feminino que me conquistou. 
Um romance pra aquecer o coração


 Outubro >>> Nesse mês eu vou ser direta. O filme me prendeu de uma forma que estava doida pra saber como ia ser o desfecho. O qual foi ótimo! O culpado com Jake Gyllenhaal e ele está incrível! 
Suspense do começo ao fim


 Novembro >>> Teve emoção a flor da pele. A 5º temp. de This is us me deixou com vontade de rever toda a serie novamente. Alerta Vermelho é um dos filmes mais caros da Netflix e é um bom passatempo. Meu destaque é uma animação que ouço falar tão pouco e que gostei tanto. A princesa e o sapo. é uma gracinha. 
Aqui uma princesa atípica.


 Dezembro >>>  Vimos Sandra Bullock atuando incrivelmente em Imperdoável. Homem-aranha: Sem volta pra casa está com gostinho de nostalgia. Porém, um filme que ganhou destaque e criticas controversas. Sem dizer que representa muito oque estamos vivendo nesses últimos anos. Não olhe para cima, fechou 2021 com chave de ouro. 
Parece a gente surtando nessa pandemia. 

...

Chegamos ao fim dessa edição. Tô aqui ansiosa pra saber a opinião de vocês, se concordam ou não com minha seleção de filmes. 
Aproveito pra desejar a cada um de vocês um ano Sensacional. 
E nos vemos novamente em algum momento nesse Blog que em breve completará uma década. 
Beijo em todos!!! 





17 janeiro 2022

Resenha | Um Brinde de Cianureto - Agatha Christie

Livro: 
Um Brinde de Cianureto
Série: Não
Gênero: Romance Policial
Autora: Agatha Christie
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 256
Ano: 2021

Resenha:
Iris Marle tentou não pensar na morte da irmã após ela ter se suicidado, mas agora ela precisa se lembrar. Iris e Rosemary nunca foram próximas. A diferença de seis anos entre elas sempre pareceu ser maior do que realmente era. Seus interesses sempre foram diferentes e somente depois de adultas é que elas conviveram um pouco mais já que Iris foi morar com Rosemary e seu marido George Barton após a morte de sua mãe. Marido esse aliás, que Iris nunca entendeu o motivo de ele ter sido o escolhido de Rosemary, já que George era quinze anos mais velho que ela e apesar de ser um homem gentil, não é bonito e nunca teve dinheiro, diferente de Rosemary que herdou uma fortuna de seu padrinho. 

E contrariando as expectativas, Rosemary foi muito feliz em seu casamento, pelo menos até aquela semana antes da tragédia acontecer. Rosemary estava se recuperando de uma gripe quando Iris a encontrou chorando sobre a mesa da sala de estar. E quando Rosemary saiu rapidamente afirmando que estava tudo bem, Iris encontrou sob a mesa uma carta endereçada a ela que mais parecia um testamento e que acabou sendo uma das provas que corroborou com o veredito de suicídio devido a uma depressão pós-gripe para a morte de Rosemary. E essa explicação foi aceita por todos, até agora. Prestes a completar um ano da tragédia George recebe algumas cartas anônimas afirmando que na verdade Rosemary foi assassinada.

Certo de que a polícia não vai voltar a investigar um crime já resolvido por eles, George tem a ideia de recriar o ambiente onde tudo aconteceu. Foi em um jantar para comemorar seu aniversário com os amigos mais íntimos que Rosemary tomou aquela taça envenenada. E será possível que um deles seja o responsável pela morte dela? George chama as mesmas pessoas para um jantar, dispõe os convidados da mesma maneira e infelizmente a tragédia volta a acontecer. Mas qual deles é o assassino? Ruth, a secretária apaixonada pelo o patrão; Iris, a irmã que herdou todo o dinheiro; Stephen, um possível amante, Alexandra, a provável esposa traída; Anthony que parecia enfeitiçado por Rosemary; ou até mesmo George que pode ter descoberto a traição da esposa? E qual seria o motivo para o assassino ter agido novamente? 

"— Sandra, Rosemary está morta.

— Está? Às vezes, parece que ela está bem viva..."

Esse sempre foi um dos meus livros favoritos da Agatha. Não pelo mistério ser um dos melhores, mas por eu ser uma romântica de plantão e esse é um dos poucos livros da Agatha que temos romance nele hehe. Mas entendo ele não estar entre os mais lidos dela e nem estar entre os melhores na escolha dos fãs da autora. Primeiro porque não temos os tão amados detetives Hercule Poirot e Miss Jane Marple, e segundo porque o começo do livro é um tanto arrastado e o mistério nem é tão misterioso assim. Mas como cada um tem suas preferências seja por qual motivo for, eu gosto muito dele. E não temos os dois detetives citados, mas temos um velho conhecido, o Coronel Race, que aparece em outras três histórias da rainha.

Para quem não sabe a Agatha trabalhou em uma farmácia antes de aceitar o desafio da irmã e escrever seu primeiro romance policial. Então grande parte de seus "assassinatos" são cometidos com venenos. E nesse até temos um deles no título. E o grande mistério dos crimes é saber como esse veneno foi administrado porque era algo praticamente impossível de acontecer. E o engraçado é que era essa a única coisa que eu lembrava da história, a forma como o crime tinha acontecido, e mais especificamente o segundo assassinato. Eu não lembrava quem era a segunda vítima, nem quem era o culpado, por isso foi bom essa releitura porque foi como se fosse a primeira vez.

E falando em culpado, nesse livro todos os personagens podem ser o assassino. Todos sem exceção têm motivos para matar a Rosemary e fica aquela dúvida pairando sobre nossa cabeça até quase o final do livro. Vamos acompanhar os personagens em capítulos específicos e é como se cada um deles admitisse sua culpa pelo ocorrido, então fica mais fácil procurar alguém inocente do que o culpado, porque todos eles carregam algum tipo de culpa por algo do passado com Rosemary, que pode ser tê-la matado ou não. E como citei antes, temos romance nessa história e a gente torce pelos casais e por isso além de tudo fica aquele desejo de que eles sejam inocentes.

E o interessante de reler um livro anos depois, é vermos a diferença com que vamos ver certas questões. Aqui no caso nessa segunda leitura minha visão sobre a Íris por exemplo, foi completamente diferente da primeira leitura. Também lá se vão vinte e poucos anos entre as duas leituras e a Silvana adolescente não pensava igual à Silvana de quarentena anos. Mas ainda assim esse livro continua sendo um dos meus favoritos da autora. Quanto à edição, eu o reli nessa edição maravilhosa que a Harper Collins está lançando com as capas duras coloridas. Tem gente que não gosta, mas eu amo e vou ficar na torcida para que lancem boa parte dos livros dela e não parem na metade como é de costume.

Nota:






14 janeiro 2022

Lançamentos de Janeiro da Faro Editorial

A Faro vem com tantas novidades esse ano que fica até difícil escolher o que ler. Na dúvida lemos tudo hehe. Vai ter romance de época, séries infantis, suspense, fantasia, romance LGBTQIA+, Christina Lauren e Mauricio de Sousa com 4 livros da Turma da Mônica Jovem. E os trabalhos já começaram. Confiram o que já está sendo lançado em janeiro:


UM PACTO DE SILÊNCIO... E A RELAÇÃO ENTRE AMIGOS É POSTA À PROVA Todos os anos as montanhas da Califórnia sofrem com uma temporada de incêndios. Ninguém leva isso mais a sério do que Hannah, a filha do xerife. Até este verão... Quando ela e seus melhores amigos provocam um incêndio de forma acidental, o instinto os leva a fugir, mentir para a polícia e para os investigadores. Mas o que era um pequeno fogo toma proporções gigantescas, devorando tudo o que encontra pelo caminho: casas, animais, pessoas. É nesse momento que as relações de amizade se estremecem e cada um vai revelando faces de suas personalidades até então desconhecidas. O QUE ALGUMAS PESSOAS SÃO CAPAZES DE FAZER DIANTE DO MEDO, DO DESESPERO OU POR INSTINTO DE SOBREVIVÊNCIA?

 

A Soma de Todos os Afetos traz a reunião das crônicas mais inspiradoras da autora, que abordam sobre sentimentos e percepções da vida, tão delicadamente desenhadas, que poderiam ser indicadas para quem busca entender as particularidades do nosso processo de amadurecimento emocional. Tradutora de emoções, a prosa poética apresentada é como uma janela que abre horizontes para pessoas sensíveis. É um toque de vida aos que procuram explicações sobre o sentir. É mãe que assopra a ferida do filho que caiu da bicicleta. O reencontro consigo mesma e o amor pelos seus são tão intensos que transformam letras em risos, frases em lágrimas, textos completos em simples suspiros. Seus parágrafos têm cor e cheiro. O livro todo é um grande abraço terno de reconciliação com a maturidade que a vida proporciona. Fabíola Simões é uma das melhores cronistas da nossa geração, pois tem a capacidade de conciliar conteúdo de extrema qualidade com a beleza estética de sua escrita. Afinal, a perfeição não mora longe da simplicidade. Definitivamente um livro para ler, reler e presentear quem amamos.

“Terrivelmente divertido! Uma série cheia emoções e risadas ainda maiores.” Jeff Kinney, autor do best-seller Diário de um banana Salvar o mundo de um apocalipse de zumbis e monstros nunca foi tão difícil... Jack e seus amigos estão procurando o vilão Thrull e seu exército de esqueletos. E o tempo está correndo contra eles: o inimigo já começou a construir um portal poderoso capaz de trazer o mal supremo para a Terra. Seguindo uma pista encontrada por June, o grupo deixa a cidade e embarca numa viagem épica, cheia de monstros a cada esquina, locais apavorantes e grandes descobertas. Para quem ama histórias divertidas sobre amigos desbravando o mundo enquanto o salvam de monstros terrivelmente perigosos. Os últimos jovens da Terra ― A estrada dos esqueletos, lançamento da Faro Editorial, é a aventura que não pode faltar para a família.

Edição traz introdução escrita por David Cronenberg, cineasta e diretor de dezenas de grandes produções, entre elas, A Mosca. Metamorfose foi escrito por Franz Kafka em apenas vinte dias. E mais de cem anos depois da primeira publicação, a obra continua a provocar leitores, acender debates, inspirar interpretações que se transformam e ganham novos olhares a cada época. Com uma narrativa aparentemente simples, direta, cheia de absurdos, o autor construiu uma obra farta em camadas; a partir do olhar do homem que virou inseto e de como o mundo ao seu redor reage tão naturalmente a ele, a história traz temas tão universais como a paralisia, a transformação, o despertar no cerco de nossas dúvidas e de nossas relações sociais.

Depois de uma aventura dentro do jogo Potência Máxima, Jesse e Eric não queriam mais saber de videogames... Eric, na verdade, só estava interessado em joguinhos para celular. Então surge uma oportunidade para salvar um amigo que ficou preso no jogo e Jesse aceita a missão, e logo se vê dentro do mundo invisível do game Solte as Feras. Agora, para resgatar o amigo, os dois precisam lidar com Pés-Grandes, dinossauros e morcegos gigantes, enquanto descobrem segredos que poderão mudar o mundo.


Robert Nozick foi professor de filosofia na Universidade de Harvard. Famoso por suas contribuições para a filosofia política, seu livro Anarquia, Estado e Utopia ajudou a estabelecer a perspectiva liberal clássica e libertária como uma alternativa viável ao liberalismo igualitário redistributivo e ao socialismo. Sua análise clara, acessível e bem fundamentada atravessou fronteiras e venceu o National Book Award em 1975. Apesar de muitos filósofos divergirem dos argumentos apresentados, seu trabalho não pôde ser ignorados pela academia. Em sua obra, Nozick explorou ideias sobre os direitos individuais, a necessidade de limitar o poder do Estado e os mecanismos de crescimento da riqueza num sistema de livre mercado, conceitos perfeitamente elucidados por Aeon J. Skoble nas páginas deste livro. “Os indivíduos têm direitos, e há coisas que nenhuma pessoa ou grupo pode fazer contra eles (sem violar seus direitos).” ― ROBERT NOZICK

A era da razão é considerada uma obra de introdução e referência para quem estuda o pensamento liberal e a filosofia, mas nem sempre foi assim.

Este livro reúne os resultados de anos de estudo e reflexão de Thomas Paine sobre o lugar da religião na sociedade, questionando a autoridade da igreja em assuntos fora de seu escopo, mas expressando uma forte defesa da crença em Deus com base na razão (deísmo).

Considerando o contexto político na época, é fácil compreender por que suas palavras soaram tão desconfortáveis para tantas pessoas. Com A era da razão, Paine acabou por influenciar o pensamento de inúmeros intelectuais ao redor do mundo, criticando a corrupção da Igreja Cristã e seus esforços para adquirir poder político numa época em que fazer isso poderia significar sua ruína e destruição social.

Suas ideias priorizam a razão em lugar da revelação, mas não se trata de uma obra ateísta, e sim deísta: pois defende a ideia de uma religião natural, a importância da consciência individual e a existência de um Deus criador.
“A arma mais formidável contra todos os tipos de erros é a razão.” ― Thomas Paine





12 janeiro 2022

Resenha | O Encanto dos Corvos - Margaret Rogerson

Livro: 
O Encanto dos Corvos
Série: Não
Gênero: Fantasia
Autora: Margaret Rogerson
Editora: Literalize
Páginas: 350
Ano: 2021

Resenha:

Isobel é uma retratista, provavelmente a melhor de todo o reino Excêntrico. Quando ela pega um bastão de carvão ou pincel nas mãos, é como se ela possuísse a magia de seus retratados: o povo das fadas. Há muito ela aprendeu a lidar com os feéricos, não irritá-los nunca, usar o mínimo de palavras para não acabar ofendendo sem querer, e ao negociar um trabalho, sempre deixar claro o feitiço que ela quer como pagamento para não acabar tendo problemas enormes, e até fatais. Sim, os feéricos não podem criar nada sem correr o risco de perderem seus poderes e sua essência feérica e pagam aos humanos pelos seus trabalhos com feitiços.

Isobel tem a prova viva em sua casa da instabilidade dos feéricos, já que suas irmãs gêmeas March e May nasceram cabras e foram enfeitiçadas por uma fada que bebeu vinho demais. Por isso ela sempre pede como pagamento feitiços relacionados à proteção dela e da sua família, que além das três contam com sua tia Emma. O cliente mais antigo de Isobel é Gadfly, com quem Isobel começou há trabalhar cinco anos atrás quando tinha apenas doze anos. E é através de Gadfly que Isobel fica sabendo que será procurada por Rook, o príncipe do outono, que não pisa no reino Excêntrico há anos. E o príncipe realmente vem no dia seguinte e Isobel encontra uma certa dificuldade em desenhar seus olhos. 

E quando ela finalmente consegue, descobre o terrível engano que cometeu. Rook é diferente de todos os feéricos que ela já encontrou. Isobel fica fascinada e acaba pintando uma emoção humana em seu rosto, o que no mundo dele significa uma fraqueza e pode custar não apenas seu trono como sua vida também. Rook decide que vai levar Isobel para o reino das fadas para ser julgada pelo seu crime, mas no meio do caminho eles são atacados e para sobreviver vão ter que aprender a confiar um no outro e junto à confiança, sentimentos inesperados começam a surgir: sentimentos que significam uma sentença de morte para ambos.

Esse é o segundo livro que leio da Literalize, apesar de ter os quatro aqui na minha estante, e o segundo que leio da autora também, que escreveu O Feitiço dos Espinhos e que foi uma grata surpresa. A autora é uma das poucas que consegue escrever uma história de fantasia sensacional em um livro único. Mas apesar de que enquanto em O Feitiço dos Espinhos a fantasia é o foco e o romance fica em segundo plano, nesse temos uma história romântica com um pano de fundo fantástico que vai agradar aos dois públicos. E eu amo um livro de fantasia, mas como romântica que sou não pude deixar de gostar mais desse já que o romance reina por aqui.

O Encanto dos Corvos é um conto de fadas para ninguém colocar defeito. E claro que suspirei e deu um quentinho no coração com o amor entre os protagonistas. Um amor proibido entre um feérico e uma humana. Um amor impossível de acontecer já que a única maneira de ficarem juntos seria ela bebendo do Poço Verde e se tornando uma fada, o que nenhum dos dois queria já que Isobel esqueceria quem ela era. E falou em amor impossível a gente já se apaixona e começa a imaginar como a autora vai fazer para que eles terminem juntos. E quando tudo termina fica aquela sensação gostosa e aquela ponta de esperança de que não só deu certo para eles em um mundo imaginário, mas que o amor ainda vai vencer um dia na vida real também hehe.

E o cenário gente? A autora descreve tudo tão nítido que é como se estivéssemos lá junto com eles. E quem ama livros com magia e contos de fadas não têm como não ficar encantado por tudo. Só me senti assim nos livros da Holly Black que também é maravilhosa descrevendo o reino das fadas. Vi muita gente comparando o livro a Corte de Espinhos e Rosas, pela premissa parecida, mas as histórias são completamente diferentes. E sem falar que por aqui não tem enrolação já que é livro único. Mas as trezentas e cinquenta páginas parecem muito mais pelo tanto de conteúdo que a autora conseguir inserir na história. Conforme vamos lendo ela vai dando detalhes do reino das fadas e vamos ficando cada vez mais encantado com tudo.

Por isso favoritei o livro fácil. Fui encantada literalmente pelo livro e já preciso de mais livros da autora. E já vi que a editora vai lançar mais um no ano que vem. Sei que você que está lendo essa resenha vai ficar com vontade de ler o livro, mas vai achar o valor salgado. Eu também achei quando fui comprar o primeiro livro lançado pela editora, O Feitiço dos Espinhos. Mas só posso dizer que vale a pena o investimento. Não estou ganhando nada da editora para fazer propaganda aqui, mas quando merece é justo dar os créditos. As edições deles são impecáveis. É tudo tão lindo e caprichado e pelo menos os livros que li até o momento, as histórias são maravilhosas. Por isso finalizo indicando o livro para quem ama um bom livro de fantasia com muito romance.

Nota:






11 janeiro 2022

Melhores e Decepções de 2021

O ano passado não foi fácil para ninguém, mas felizmente consegui manter meu ritmo de leitura já que os livros é uma forma de escape de todas as tristezas da vida. E acabei lendo bem mais do que esperava já que meu tempo disponível diminuiu bastante. Em janeiro mudou meu horário no serviço e passei acordar 4:45, consequentemente 9:00 da noite eu já estava dormindo. Então praticamente só lia durante o horário do almoço já que devido a Covid eu não estava lendo no ônibus. 

Em fevereiro eu perdi um membro da minha família e em março pegamos Covid aqui em casa. Foram meses difíceis, mas Deus nos deu vitória e como disse me refugiei nos livros para passar por esse período. E acabei tendo leituras maravilhosas. Como foquei mais nas leituras acabei não assistindo tanto, então os melhores e decepções esses ano será somente com livros.

Decepções 




Melhores










Alguns Números
Livros Nacionais: 70
Livros Estrangeiros: 130
Escritos por mulheres: 167
Escritos por Homens: 33
Ebooks: 113
Físicos: 87
Recebidos: 114
Desapegos: 77

E que 2022 traga ótimas leituras a todos nós.




08 janeiro 2022

Resenha | Uma Aposta Irresistível - Tessa Dare

Livro: 
Uma Aposta Irresistível
Série: Girl Meets Duke #3
#1 - Um Casamento Conveniente
Gênero: Romance de Época
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 224
Ano: 2021

Resenha:

Lady Penélope Campion acredita em muitas coisas. Ela acredita que estudar é muito importante, que livros são essenciais, que mulheres deveriam ter o direito de votar, que lá no fundo a maioria das pessoas são boas, e principalmente que todas as criaturas, humanas ou não, merecem serem amadas. E como ninguém que ela conhece ama os animais, ela faz isso por todo mundo. A ponto de até mesmo arriscar sua vida para salvar um deles. O bicho da vez é Dalila, uma papagaia muito da esperta, que conseguiu se soltar e acabou indo parar na casa ao lado. 

Por anos a velha residência Wendleby ficou vazia, mas recentemente ela foi vendida e está sendo reformada. Penny ainda não conheceu o novo proprietário, mas como tem uma chave reserva, ela nem hesita em ir ao socorro de Dalila no meio da noite vestida apenas com uma camisola. E é nessas circunstâncias que Penny conhece seu novo vizinho, que se trata de ninguém menos que Gabriel Duke, um milionário que fez sua fortuna comprando casas de nobres falidos, reformando as casas e vendendo por um alto valor para os novos ricos, ganhando assim o apelido de Duque da Ruína. 

E Penny é o motivo de Gabriel ter comprado a casa Wendleby, já que vão pagar um bom valor para morar ao lado da filha solteirona de um conde. Mas seus planos estão em risco já que ninguém vai querer morar ao lado de um zoológico e é isso que a casa de Penny parece, e segundo que a família dela pensa a mesma coisa e exigem que Penny de um jeito em todos os bichos, renove seu guarda-roupa e volte a frequentar a sociedade ou ela vai ter que de mudar para o interior. Porém Gabriel não vai ter seus planos frustrados e se oferece para ajudar Penny ficar em Londres. O que ele não imaginava era que quem precisava de ajuda era ele e que ajudar é uma das especialidades de Penny.

Esse é o terceiro livro da série Girl Meets Duke onde a ligação entre as histórias são as amigas Emma, Alexandra, Penny e Nicola, cada uma protagonista de um livro. Os dois primeiros livros da série foram perfeitos então a expectativa para esse estava nas alturas. Ainda mais porque a Penny é uma pessoa que chama a atenção desde o primeiro livro. E a autora não deixou a desejar. Novamente temos uma história romântica e muito engraçada onde a gente passa metade do tempo suspirando e torcendo pelo casal e a outra metade rindo das situações hilárias que os protagonistas se envolvem. Principalmente por conta da bicharada que Penny tem em casa.

Isso sem falar nas participações mais do que especiais dos protagonistas dos dois primeiros livros. Uma das melhores cenas do livro que ri muito, foi com Ash, Chase, protagonistas masculinos dos dois primeiros livros da série, e Gabe tentando fazer o parto de uma cabra. Eles continuam apaixonantes e deu até vontade de reler os livros. E ainda temos a participação da Nicola que terá sua história contada ano quarto livro da série e que é uma personagem que chama a atenção desde o primeiro livro. E eu que achava que já tinha lido o melhor da Tessa estou mudando de ideia porque essa série está se tornando a minha favorita da autora. Uma Aposta Irresistível entrou para o meu top três dela.

E não sei se foi impressão minha, mas achei a Tessa mais ousada na cenas mais quentes do livro. A história é muito romântica, mas o lado sensual foi o que mais teve destaque. Me lembrou bastante os livros da Lorraine Heath que sempre tem essas cenas mais ousadas. E também teve um momento bem tenso na história, quando a Penny fala de seu passado, o que raramente vemos em livros de romance de época. Mas ainda assim a história é leve porque é intercalada com essas cenas hilárias e fiquei o tempo todo com aquele sorriso no rosto de saber que estava lendo um livro que ia se tornar um favorito. Por isso é claro que recomendo e muito a leitura, e se puder leia os livros na sequencia. Quanto à capa, achei tão linda quanto as outras da série.

Nota:






07 janeiro 2022

Resumo Cinéfilo de dezembro/2021

 

Não olhe para cima. 

Olívia



Crimes na Madrugada
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
Jamie Foxx é o cara! O cara consegue entregar uma atuação impar. O filme se trata de um policial que está envolvido em uma teia de corrupção, onde até ele pode ser um dos criminosos. 

Distrito 9
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Sempre ouvi boas recomendações desse filme e até que enfim assisti. O filme é sem duvida um questionamento e critica social. Alienígenas estão vivendo na terra de forma sub-humana. Até que um plano do governo em dizimar a todos e obriga-los a deixar a terra. Realmente valeu a pena.  

Fratura
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
Família sai em viagem de carro, até que um acidente com a filha muda os planos do casal. Nesse suspense que nos deixa com duvidas sobre a sanidade dos pais. Filme estilo A ilha do medo. 

Hypnotic
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
O enredo do filme é interessante. Um renomado hipnotizador é contratado por uma jovem mulher. Porém, ela não imagina no problema que acaba de se envolver. Filme mediano.



Imperdoável
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Não tem como deixar aplaudir Sandra Bullock. Personagem bem diferente dos que já a vimos atuando. 
Imperdoável é um filme que nos faz refletir sobre o preconceito com ex-presidiários. amor e tolerância. 

Um menino chamado Natal
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Esse é o único filme com tema de natalino que me rendi. A historia é graciosa e cheia de encantos. Recomendo

Homem-Aranha: Longe de casa
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Peter e seus amigos vão fazer uma viagem. Porém, esses super-heróis tem descanso? Não! Nesse filme, Peter Parker precisa se posicionar e agir em defesa de seus amigos e humanidade. Ah! gente...eu gosto do Homem-Aranha, mas não sou uma entusiasta. Me entendem? hehehe diz que sim!

Obsessiva 
Sinopse: Filmow
Nota: 2/5
Pela minha nota já puderam ver que não é um grandioso filme. Tem a diva Beyoncé e o incrível Idris Elba. Fazem papel de um casal que estão vivendo juntos à 5 anos e tem um bebezinho. Ele tem um cargo de importância na empresa que trabalha e a nova funcionaria fica obcecada nele. O enredo é bom. Mas, não senti entrosamento entre os atores. ficou algo meio sei lá. Se você assistiu, me conta o que achou aqui nos comentários. 

O protetor 2
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Tai mais um ator que sou fã, Denzel Washington. Filme de ação com bons diálogos. Dê o play você aí também hehehe 

Homem -Aranha: Sem volta para casa
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Faça como eu. Vá assistir sem ler nenhuma resenha e viva a experiência. O filme está incrível, emocionante, nostálgico... E os efeitos especiais??? MEU DEUS!!! os caras mandam bem demais! 

Bem ritmo de fuga 
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
Filme com ação, roubo, tiro e musica. Baby é o motorista de um grupo de assaltantes e passa o tempo todo ouvindo musica em um fone de ouvido. As atuações são boas, o filme é mais um bom passatempo. Nada de grandioso. 

Não olhe para cima
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
O filme mais comentado do momento. Não olhe para cima é escancaradamente uma critica social e politica da qual vivemos mundialmente. Um meteoro maior que o que matou os dinossauros está para atingir a Terra. E em seis meses tudo pode ter um fim. Porém, os cientistas vão a publicar para alertar a população. O que não causa um bom resultado e o tempo é curto. Super recomendo. 


Silvana




De pernas pro ar 1,2 e 3
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
Desde que lançou esses filmes que eu tenho vontade de assistir, mas nunca surgia a oportunidade. Eu gosto muito da Ingrid Guimarães então estava bem ansiosa para o que ia encontrar, ainda mais pelo tanto de elogios que vi aos filmes. E achei o primeiro muito bom, ri bastante e me diverti horrores. Já o segundo achei que foi uma repetição do primeiro com o enredo o praticamente idêntico, mas ainda assim engraçado. Acho que teria funcionado melhor se eu não tivesse assistido na sequência. O terceiro mudou um pouco, mas achei o mais fraco da série. Mas vale assistir para dar umas boas risadas.


70 anos esta noite
Sinopse: Filmow
Nota: 3/5
Como noveleira que sou não podia deixar de conferir esse especial. E foi uma nostalgia com tantas produções que marcaram época e influenciaram as pessoas ao longo de anos. Pena que ignoraram uma das maiores atrizes de todos os tempos e responsável por grande parte do sucesso das novelas. Mas foi uma escolha politica dela. Mas enfim, achei que foi tudo muito superficial e o assunto tinha muito assunto para ser resumido em apenas uma noite. teria sido mais proveitoso se fosse uma minisérie no mínimo. 

The Voice Brasil (10ª Temporada)
Sinopse: Filmow
Nota: 4/5
Fazia tempo que eu não acompanhava mais o The Voice por conta do horário. Eu durmo cedo hehe. Mas agora com o Globoplay eu assisto depois. Eu gostei das mudanças dessa ultima temporada, mas não gostei do campeão. Minha torcida era para o Hugo Rafael, primeiro por ele ser da minha cidade e de um bairro ao lado do meu e segundo porque ele canta muito. Mas bater o Michel Teló tá dificil hehe





© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo