30 maio 2013

Resenha | Razão e Sensibilidade - Jane Austen

Sinopse: Este romance concentra sua narrativa nas idílicas tramas de amor e desilusão em que duas belas irmãs inglesas se envolvem - Elinor e Marianne Dashwood - quando chega a idade do casamento. À procura do amor verdadeiro, as filhas órfãs de uma família pertencente à pequena nobreza enfrentam o mundo repleto de interesses e intrigas da alta aristocracia. Marianne e Elinor representam polos opostos do universo ético de Austen - enquanto Marianne é romântica, musical e dada a rompantes de espontaneidade, Elinor é a encarnação da prudência e do decoro.

Na época em que se passa a história, quando morria o pai da família  o filho homem mais velho herdava as propriedades e o dinheiro. Isso acontece com a família Dashwood. Henry Dashwood  tem um filho homem, John, de seu primeiro casamento e 3 filhas mulheres do segundo. Quando ele morre, seu filho herda tudo, mas antes de morrer ele faz John prometer que vai cuidar das suas meio irmãs e lhes dar assistência financeira. John até pretendia cumprir essa promessa, mas sua esposa que só pensa no "bem estar do seu marido" ( entenda-se: no seu dinheiro ), convence-o de que se ele ajuda-las a encontrar um lugar para morar e dar lhes hospedagem em sua casa enquanto isso, já vai estar cumprindo a promessa feita a seu pai.


Só que essa temporada como hospedes, faz com que Elinor, a irmã mais velha, também conhecida pelo seus pés no chão, ou seja pela Razão, se aproxime de Edward Ferrars, cunhado de John. Mas esse romance não é bem visto pela mãe e irmã de Edward, fazendo com que a estadia delas na casa acabe depressa. Então elas vão para um chale confortável e  dentro de suas posses. Chegando lá elas logo conhecem o coronel Brandon que cai de amores por Marianne, a irmã do meio, a mais romântica e espontânea da irmãs, ou seja a Sensibilidade, mas ele não é correspondido. Marianne acha ele muito velho e sem graça. Elinor e Marianne são os opostos, enquanto uma é centrada e esconde de todos as suas emoções, a outra diz o que pensa e na hora em que pensa, sem se importar com o que as pessoas vão pensar. Acompanhe a vida dessas duas jovens tão diferentes, mas que sabem amar com a mesma intensidade.


Primeiro livro que eu leio da autora. Me desculpem os fãs, mas não achei nada demais nela. Gostei do livro sim, mas não me surpreendi em nenhum momento. E desde antes do meio, eu já sabia como o livro ia acabar. Sem falar na linguagem antiga, os diálogos parecem que são lidos e não falados. E os nomes dos personagens? Ninguém tem nome, só sobrenome, dai você tem que adivinhar a quem está se referindo o texto em questão. Por exemplo, quando cita a sra. Dashwood, você fica pensando se está se referindo a mãe das protagonistas ou a esposa do irmão delas. Tirando isso gostei muito da história, principalmente da Elinor. Ela é tida como a razão, mas sem ela para dar equilíbrio a família, eles tinham desmoronado com a morte do seu pai. Nota:  .  








19 comentários:

  1. Tenho vontade de ler este livro, mas você não é a única pessoa que fala sobre isso.
    Muitas pessoas gostaram, outras curtiram e outras odiaram.
    É complicado... rsrs Só lendo para tirar as próprias conclusões.
    Ótima resenha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Ai ai, Jane Austen e seus livros! BOM DEMAIS! *-*
    Abraços,
    Fanie.

    ResponderExcluir
  3. Pela sua resenha também não fiquei muito afim de ler! ;x

    Blog: www.kaahmenezes.com
    Fã page: www.facebook.com/kaahmenezes1

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nenhum livro da autora,
    mas já ouvi maravilhas a respeito, nem me deixo levar mais por isso, já que tem autores que todos amam eu não consigo ver da mesma forma... Enfim, não me animei a ler principalmente pela linguagem antiga, tenho pavor.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ah, eu adorei "A Cabana".
    Estou com "A Travessia" do mesmo autor, e quando tiver um tempinho, lerei!

    Não conhecia este livro, e no fundo, não me interessei para lê-lo.
    Acho que não faz muito meu estilo.

    Beijos, Lu ✿
    http://luizando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ahh Sil, a Jane Austen é maravilhosa. Principalmente quando a gente pensa que esses livros foram escritos no século XVII. E aí que percebemos que ela estava muito à frente do seu tempo. Jane retrata de maneira muito eficiente os costumes da sociedade da época e já ensaiava os primeiros passos para a revolução feminista no século XX. Ela era uma mulher do século XVIII com uma mente contemporânea. Isso é o que mais admiro nas obras da Jane Austen.

    Beijos
    http://oacucareiro.com/

    ResponderExcluir
  7. Mas você pegou o pior livro da Jane Austen que eu já li. Você não pode basear a autora maravilhosa que ela é por esse acredite!. Meu preferido até agora é Orgulho e Preconceito (que é o preferido de muita gente), e eu recomendo você tentar de novo por esse.
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  8. O ruim de livros antigos é exatamente essa questão dos nomes, leva um tempo até se acostumar para diferenciar. Eu particularmente AMO esse livro, mais do que Orgulho e Preconceito (que é o qual todo mundo gosta). Mas pena que não gostou :/
    E sim Silvana, temos gosto literário diferente ;)
    Beijos

    Helena - https://hassdc.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Ai não, fiquei louca de medo depois que li sua resenha, se você achou tudo isso é bem provável que eu também vá achar. Tenho pavor de linguagem antiga e por causa disso fujo dos clássicos, mas todo mundo fala tantooo da tal da Jane Austen que até estava considerando a possibilidade de ler algum livro dela. Agora não sei, acho que vou deixar na fila para um dia ler.. hehe Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  10. Tenho vontade de ler Jane Austin, mas...nunca coloca ela na frente da lista de leitura, vejo os filmes de suas obras, e são até legais. Boa resenha :)

    http://legadodaspalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil!

    Gostei muito das suas resenhas, pois são sempre francas. O que mais gostei do livro foi a descrição da época e a visão da própria em um mundo que ela conhecia muito bem. O papel da mulher e o mundo de conveniências que vivia em torno delas. Gostei muito do livro.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Já comentei sobre esse post acima! <33
    Atualizei o blog, dá uma conferida lá!? =**

    Blog: www.kaahmenezes.com
    Fã page: www.facebook.com/kaahmenezes1

    ResponderExcluir
  13. Sil, sua sinceridade é um ponto fortissimo que eu adoro nas resenhas.
    Jane Austen é a autora que todo mundo baba, e fiquei surpreso por você não ter achado isso tudo tbm rsrsrs
    Eu nunca li e nem leria nada dela, nem os filmes eu vi, acho que não condiz com meu gosto. Acho que alguns livros tem que permanecer na época deles, rs
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Jane Austin está nas minha lista. Mas como vc não sei se vou gostar tanto,
    o que a proposito eu gostei na tua resenha, vc foi bem franca.

    P.S: Participa dos sorteios do aniversário do blog, agora no mês de junho

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
  15. Ai nossa, devido os comentários achei que você tinha feito uma resenha terrível de sincera e achado o livro péssimo... mesmo com sua opinião não tirou a minha vontade de passar por esse clássico para ter uma noção do que Jane Austen foi e escreveu.

    Adorei o seu ponto de vista e a resenha me fez ver que é um tipo de hitória que vou gostar. Vamos ver os detalhes depois!

    Beijos

    Livros... Quero ler sempre

    ResponderExcluir
  16. Eu tenho ele aqui, só esperando para ser lido. Tenho um grande receio em relação à autora, todos falam bem, mas eu tenho medo de que seja muito chato, parado, ai, ai, ai, você me deixou com pé atrás.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Eu nunca li nenhum livro da Jane Austen também, e este é um dos mais comentados. Ri um pouco quando você pediu desculpa aos fãs por não ter gostado, mas é assim mesmo nem, tudo agrada a todos. O romance também não me parece essas coisas todas, e nossa acho um saco livro que fica chamando os outros pelo sobrenome é ainda pior quando o autor não se decide ora usa o nome ora usa o sobrenome.

    Abraços,
    Raquel.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Silvana!
    Adorei a resenha (aliás, são todas ótimas, você precisa me ensinar um dia).
    A Hellen lá em cima já deu bons argumentos sobre as críticas que você fez. Considerando a época que eles foram escritos percebemos uma análise bem interessante de uma época.

    Agora, eu sugiro que você leia Orgulho e Preconceito. Na minha opinião, disparado o melhor dela.

    Beijão!

    Jo
    www.asletras.com.br

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo