07 fevereiro 2020

Resenha | Invisível - Tarryn Fisher


Livro: Invisível
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Tarryn Fisher
Editora: Faro Editorial
Páginas: 256
Ano: 2020

Resenha:
Margô nunca teve uma vida fácil. Mas as coisas só tem piorado conforme os anos vão passando. Ela e sua mãe moram em uma casa caindo aos pedaços, o único bem deixado por sua avó. A casa que devora, é assim que ela se refere a casa pois, ela vem devorando a vida de sua mãe aos poucos. Faz tempo que ela descobriu o que sua mãe fazia para viver. São duas visitas por noite. E a Margô só resta ficar fora do caminho. E ela se acostumou a isso, tanto que dentro de casa e na escola seu comportamento é o mesmo. Margô se anulou tanto que é praticamente invisível para os outros. Até seu nome ela estranha quando ouve ele na boca de algum professor, porque é raro alguém falar com ela.

Mas é graças a sua mãe e sua indiferença que Margô acaba prestando atenção em Judah, seu vizinho cadeirante. Porque ela começa a observar como a mãe dele é tão diferente da sua. Mesmo plantando maconha no quintal para uso próprio, seu filho é a sua prioridade. Toda vez que Margô passa pela casa dele a caminho do trabalho, Judah acena. Até o dia que Margô cria coragem e se aproxima. Então Margô encontra em Judah uma pessoa com quem ela pode conversar sobre tudo e não é julgada por causa do que sua mãe faz ou pelo seu peso. E eles pensam e agem tão parecidos que é como se eles já se conhecessem por toda a vida.


E quando Nevaeh, uma garotinha de sete anos desaparece e somente meses depois seu corpo é encontrado carbonizado, aquilo muda alguma coisa dentro de Margô. Ela sabe que precisa fazer alguma coisa e sua primeira atitude é quebrar o para-brisa de uma caminhonete de alguns caras que mexeram com ela. E ela se sente muito bem depois. Mas o que desencadeia a mudança dentro dela, é quando Margô descobre a identidade de seu pai e logo depois acontece uma tragédia em sua casa. Margô então acredita que ela deve ser um instrumento para erradicar o mal do mundo e acaba embarcando em um caminho sem volta.

"— Você parece diferente ultimamente.
— Diferente como? — pergunto. Minhas mãos estão suando. Eu pareço uma assassina, é isso que está diferente. Mas o que ele vê? Será que consegue ver o sangue em minha mãos?
 — Como se você não ligasse mais para merda nenhuma — diz ele."

Esse é o quarto livro que eu leio da Tarryn. E o quarto livro que ela me surpreende. Sabe quando o autor do livro é tão interessante que isso reflete na forma de ler seus livros? Porque é assim que vejo os livros dela. Eu pego uma história leio e penso, se fosse de outro autor seria assim. Mas como é da Tarryn é algo surreal e completamente diferente de tudo o que a gente imagina. Acho que já disse nas outras resenhas dos livros dela, mas para quem não leu e ainda não conhece a autora, ela tem um fraco por protagonistas "vilãs". Pelo menos nos quatro livros que eu li elas eram personagens fortes que tem atitudes consideradas erradas, mas que mesmo assim acaba conquistando o leitor.

Com Margô não é diferente. O começo do livro é meio lento, mas é onde vamos entender como foi moldada a personalidade da protagonista. A vida dela não foi nada fácil tendo que lidar com uma mãe viciada e que ignorava sua existência. Mas o estopim vem quando ela descobre a identidade de seu pai. Tudo o que Margô veio sofrendo calada desde pequena sai para fora em forma de raiva. E ela redireciona essa raiva para as pessoas que machucam deliberadamente outras que não tem como se defender. Ela poderia ser chamada de justiceira, mas não é bem isso que a protagonista faz. Ela não quer justiça, ela quer machucar, fazer a pessoa sentir a mesma dor que provocou em outros.


E assim como as outras personagens da autora, Margô é uma personagem complexa, daquelas que cada leitor vai enxergar uma face dela. Talvez você leia o livro e veja algo em Margô completamente diferente do que eu vi. E essa é uma das coisas que admiro na Tarryn. Essa capacidade de escrever várias histórias em uma, porque para cada leitor ela será unica. Eu fui lendo e fiquei "nossa será que estou lendo isso mesmo?", "isso está acontecendo?". Porque o enredo é tão louco que você duvida do que está lendo e não sabe no que acreditar. E até uma parte do livro eu tinha certeza de uma coisa. Mas então aconteceu o crossover.

Se fosse qualquer outro personagem, eu teria acreditado no que aconteceu dali e diante. Mas esse personagem especificamente, não dá para acreditar em mais nada depois que o dito cujo apareceu. Quem quiser saber quem é, e de qual livro é só selecionar a parte em branco.   Dra. Saphira Elgin de O Lado Obscuro.    Quem leu o livro sabe bem do que essa pessoa é capaz e dali em diante eu duvidei de tudo o que aconteceu. Por isso posso dizer que temos um final aberto, mas não é daqueles que a gente fica sem saber as respostas. Ele tem respostas, é só saber enxergá-las. E para finalizar indicando e muito o livro, não posso deixar de elogiar mais essa edição impecável da Faro Editorial.

Nota: 








17 comentários:

  1. Oi, Sil como vai? Este livro está na minha wishlist e vou lê-lo futuramente. Me parece ser um livro incrível. Que bom que a leitura tenha lhe surpreendido positivamente. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Sil!
    Nossa de fato parece muito envolvente. Pena que suspense é um gênero que eu nao consigo levar. Todos que li até hoje, por mais positivas que as resenhas fossem, foram decepcionantes. Não consigo me envolver com a história em si ou me conectar aos personagens. Ai nem me arrisco mais.

    Abraços
    Emerson
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil
    Acho que só li um livro da Tarryn, mas em parceira com a CoHo, então não conheço bem as outras obras dela, mas fiquei interessada, só não sei se curto personagens vilãs hahaha
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Uau, você gostou tanto desse livro que é impossível não querer ler ele também. Dica mais que anotada! ❤

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, eu estou lendo e ficando bem surpresas com os acontecimentos, o mais engraçado que nem consigo determinar o gênero dele. Essa autora é sensacional!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Parece bom, Silvana, embora eu não tenha visto nenhum objetivo assim tão claro na trama, pois o foco ficou em como a autora mexe com a mente do leitor com seus personagens complexos. Um abraço. Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  7. Eita, conseguiu atiçar a minha curiosidade em um nível muito alto. Fiquei muito curiosa para saber mais sobre Margot, o pai dela e a amizade da garota com o cadeirante. Gosto muito de protagonistas que não são totalmente bons. Acho que isso os deixa mais realistas. Vou pesquisar mais sobre a autora e sobre esse livro.

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil,
    Conheci a Tarryn por ela ser melhor amiga da Colleen, então já tive uma empatia com a autora. Depois de ler Fuck Love (que foge muito dos típicos romances que leio) soube que deveria me aventurar mais nas obras dela.
    Você não é a primeira a favoritar esse livro e a me recomendá-lo. Vou ter que comprar para fazer parzinho com 'O Lado Obscuro', rs.
    beeeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Hey Sil! Tudo bem?
    É a primeira vez que vejo falar nesse livro, mas
    Obrigada por comentar lá no blog.sobre a autora já vi diversos elogios. Fiquei curiosa em ler a parte branca mesmo nunca tendo lido os livros da Tarryn e não fazer ideia dos personagens kkkkk
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Ainda não me apeguei pra ler nada da autora, por causa das resenhas negativas de Stalker, mas bem provável que mude de ideia.
    Eu gosto quando as protagonistas saem nessa direção. Um diferencial que nem todo leitor está pronto. O que vale mesmo é a forma de abordar.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sil. Tudo bem?
    A primeira coisa que quero falar antes da sua resenha é essa capa. Que capa sensacional! Voltando para sua resenha, eu não conhecia essa autora e agradeço pela indicação, faz um tempo que quero um livro de personagem vilão ou cinza.
    Gostei de como definiu bem na sua resenha o que acontece na história e quem são os personagens e ao mesmo tempo não revelou nada.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  12. ainda nao conhecia o livro e parece ter mesmo um erredo mt louco mas ao mesmo tempo interessante, fiquei curiosa com essa leitura

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil! Já estou na expectativa de ser surpreendida pelo livro. Eu nunca sei o que a autora vai trazer nas histórias, mas sempre é algo que me agrada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oi Sil,

    Eu só li um livro da autora junto com a Colleen então não posso falar muito rs.
    Mas quero conhecer suas obras, pois sinto que vou gostar pela escrita diferente dela.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  15. Eu gosto muito da autora desde que li 'Nunca Jamais' (mesmo odiado umas partes da história) e depois li Fuck Love e gostei mais ainda. Vou procurar esse livro para ler, a história parece muito boa.
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Olá, Silvana.

    Pela sinopse tinha até esquecido que o gênero seria suspense, parecia ser um livro simples de romance. Aí eu vi sua resenha e fiquei bem mais interessada em ler. Gosto quando o autor nos surpreende. Ainda mais aquele escritor que consegue surpreender até quem está acostumado com seus livros.

    Gratidão pela resenha.

    R.W.

    newsfallenbooks.com

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo