26 fevereiro 2022

Resenha | O mágico de Oz - L. Frank Baum

Livro: 
O mágico de Oz
Série: Não
Gênero: Clássico/InfantoJuvenil
Autora: L. Frank Baum
Editora: faro Editorial
Páginas: 144
Ano: 2022

Resenha: 

Dorothy é uma órfã que vive com os tios em uma casinha minúscula no Kansas. Tudo por lá é muito cinza, e aos poucos essa falta de cor foi roubando toda a alegria do lugar. A única que ainda não foi afetada é Dorothy, que encontra no cachorrinho Totó, motivos para estar sempre rindo. A casa possui apenas um cômodo onde ficam um forno, um armário, uma mesa com algumas cadeiras e as camas, e no meio um alçapão que dá para um buraco onde eles podem se esconder em caso de acontecer um tornado. E isso realmente acontece, em um dia como outro qualquer um ciclone atinge a fazenda, mas ao tentar salvar Totó que se escondeu em baixo da cama, Dorothy não consegue entrar no buraco.

A casa é pega bem no meio de um ciclone e levada por ele. No começo Dorothy ficou assustada, mas conforme o tempo foi passando ela se acalma e acaba dormindo. Dorothy só acorda quando a casa pousa com um estrondo e ao sair descobre que está em Oz e que acabou de matar uma pessoa. Em Oz existem quatro bruxas, uma em cada ponto cardeal. As do Norte e Sul são boas, mas as do Leste e Oeste são más e a casa de Dorothy acabou de cair exatamente sobre a bruxa má do leste. Os munchkins eram o povo escravizado pela bruxa má e eles ficam muito agradecidos a Dorothy e dão os sapatos prateados da bruxa para ela. Existe um feitiço ligado a eles, mas ninguém sabe qual é. 

Dorothy agradece o presente, mas diz que precisa votar para casa. O problema é que ninguém sabe o caminho. Então a bruxa boa do Norte faz um feitiço com seu capuz e aparece uma lousa escrito que Dorothy precisa ir para a Cidade das Esmeraldas. Quem governa lá é o mágico de Oz e provavelmente só ele vai poder ajudar. E antes de ir embora a bruxa boa dá um beijo na testa de Dorothy e diz que é um sinal de proteção. Mas Dorothy não vai fazer essa viagem sozinha. Ela vai ter a companhia do Espantalho, que quer ter um cérebro, do Homem de Lata que deseja um coração e do Leão Covarde que precisa muito de coragem. E nessa viagem cheia de aventuras e perigos, eles vão aprender valiosas lições que irão transformar suas vidas.

E eis aqui mais um clássico que eu eu nunca tinha lido o original, conhecia de adaptações. Mas quando a Faro anunciou sua publicação já fiquei ansiosa pela leitura e me encantei quando vi a capa. Mal sabia eu que o livro todo seria perfeito e uma das edições mais bonitas da editora. E ainda ficou lindo ao lado do livro da Alice, outro clássico que eu ainda não tinha lido o original e li agora em uma edição da Faro. Se quiser conferir o que achei, tem resenha dele aqui. Além dessa capa maravilhosa com glitter nos sapatos, ainda temos uma guarda linda com ilustrações da história, que aliás está por todo o livro. E o livro é todo colorido, os títulos dos capitulo são em vermelho e o texto é todo na cor verde.

Na verdade meu único contato com a história foi no filme Os Trapalhões e o Mágico de Oróz, sim sou velha, e o filme na verdade é uma paródia da história. Lá tem o básico, mas não chega a 10% da história real como descobri lendo o livro. Aliás, com raras exceções, os livros são infinitamente melhores do que as adaptações. Eles pegam a ideia da coisa, mas o conteúdo fica bem aquém do esperado por quem leu o livro. E me surpreendi com a quantidade de acontecimentos que tem nesse, mesmo o livro sendo bem curto, não chegando nem a 150 páginas. Eles vivem uma aventura atrás da outra e comecei e terminei o livro encantada com a história.

Uma coisa que me chamou muito a minha atenção foi que o autor escreveu essa história para ser algo alegre e encantado para as crianças, porque na época os contos de fadas escritos, todos tinham uma lição de moral em suas histórias e consequentemente os finais não eram tão felizes. Então fiquei me perguntando o que o autor acharia se visse o que as crianças consomem hoje em dia. Eu não tenho filhos, mas fico horrorizada com o que alguns pais deixam seus filhos lerem, jogarem e principalmente assistirem. Porque é mais fácil deixar eles "quietos" dentro de casa do que dar alguma atenção ao filho e mesmo olhar o que eles estão consumindo.

E outro detalhe que preciso mencionar é sobre os sapatos de Dorothy, que na verdade são prateados e não vermelhos. A mudança foi feita nos filmes porque a cor vermelha é mais atrativa do que a prateada. Mas a meu ver isso não muda muita coisa, mesmo os sapatos sendo um item fundamental na história. E além dos sapatos temos muita magia no livro, além das bruxas e do mágico propriamente dito, que dá o título ao livro. Mas os protagonistas dessa histórias são sem dúvida o grupo de amigos inusitado que se forma durante essa jornada. Eu amei cada um deles e me emocionei muito com a história de cada um.

O engraçado é que eles desejam tanto algo que eles já tem. O Espantalho queria um cérebro, mas todas as ideias vinham dele. O Homem de Lata queria um coração, mas ele não tinha coragem de matar nem uma formiga e o Leão queria ter coragem, mas enfrentou todos os perigos que eles viverem de frente. E essa é a maior lição que o livro traz. Porque não é exatamente isso que acontece?, nunca estamos felizes e satisfeitos com o que temos, sempre existe algo para ser alcançado e esquecemos de valorizar aquilo que está ali e não enxergamos. Mas enfim, essa resenha já está enorme e vou parar por aqui indicando o livro é claro. Quem ainda não leu, leia, e quem já leu, mas não tem o exemplar, indico essa edição da Faro que está de encher os olhos.

Nota:






13 comentários:

  1. Oi!
    Li O Mágico de Oz há alguns anos atrás (acho que foi pela edição da Zahar) e um dos maiores atrativos para mim foi a questão de acompanhar a lição de moral mesmo, que eu também já notei essa questão do consumo de cultura infantil, pois a praticidade de streamings, celulares e tablets fez virar uma terra sem lei o respeito às classificações indicativas.

    Beijão
    https://deiumjeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Sil
    Adorei a sua resenha, principalmente a parte "autor acharia se visse o que as crianças consomem hoje em dia" concordo com você, a grande maioria das crianças são apresentadas a coisas que não condiz com a idade delas... é uma pena...
    Sobre o livro, essa edição é muito linda, e está na minha listinha de futuras compras ;)

    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa | Instagram | Facebook | Twitter

    ResponderExcluir
  3. Oi Sil, tudo bom?
    Eu amo O Mágico de Oz desde criança! Assisti ao filme original e uma vez minha escola fez a 'noite da soneca' com o teatro da historia para dormirmos lá, foi algo tão marcante que sempre recordo quando vejo algo relacionado.
    Seria uma nostalgia maravilhosa ler a obra! Ainda mais com a Faro que faz edições lindas lindas!
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Sil, tudo bem?
    Conheço essa história pelo imaginário popular, mas nem os filmes assisti.
    Se os sapatos são prateados, seria melhor que a capa trouxesse a cor certa, né? hahaha
    Adorei a premissa e achei a diagramação linda. Com certeza leria, se a oportunidade surgisse.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil! Eu conheço a história pelo filme com a Judy Garland, mas o original eu não li até hoje. Eu acredito que deva ser uma história encantadora, sempre gostei da parceria da protagonista com os três e ainda quero conferir tudo que foi mudado para caber nas telas. A edição está linda mesmo. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho a edição desse livro, mas a minha é da Zahar, tão linda quanto S2. Eu concordo com você, é um livro curtinho, mas acontece tanta coisa, que você nem acredita, haha. É um dos meus clássicos favoritos e fico feliz que tenha gostado da leitura. S2
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sil! Tudo bom?
    Eu li O Mágico de Oz ano passado pro projeto dos clássicos e adorei, a história é muito querida e eu não esperava gostar tanto!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Sil!
    Sou apaixonada pelo Mágico de Oz! Já comecei a ler o livro uma vez, mas estava em inglês e acabei não conseguindo prosseguir com a leitura. Conheço a história pelo filme de 1939, você já assistiu? A história dos bastidores é meio pesada, mas o filme é tão lindo, que vale a pena conferir! A Judy Garland como Dorothy é perfeita, e a história é toda encantadora.
    Fiquei apaixonada por essa edição, já entrou pra minha listinha!

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  9. Sil, nunca li este livro, pode isso?
    Nem quando era criança!
    Preciso consertar isso!

    Beijos!😘😊

    ResponderExcluir
  10. Oi
    que bom que gostou da leitura, eu só conheço a história por filmes e nunca li o livro, mas quero ler, essa edição realmente parece ser bonita.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil,
    A Faro como sempre, arrasando nas edições!
    Ainda não li o clássico e sei pouco sobre a história, mas lendo sua resenha, creio que O Mágico de Oz seja interessante para crianças e adultos. Quando possível quero conferir a história original, estou pasma que os sapatinhos de Dorothy na verdade sejam prateados, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  12. Eu me lembro do filme dos Trapalhões e também me lembro de um filme realmente focado nessa obra, igualmente antigo, acho que era até em preto e branco. Por causa da sua resenha, achei esse livro curioso. O que será que tem nessa história, afinal, já que me parece que é a original? Quanto às ilustrações e cores, é bom ver que as editoras estão se esforçando cada vez mais para atrair as pessoas e manter seu público leitor. É muito bom ver esse esforço, embora seja uma via não muito opcional hoje em dia, para as editoras, já que a leitura digital está aumentando e bem mais disponível, porém, ela engatinha pela falta de recursos, pois o que lemos em e-books são textos e mais textos. Não há, ainda, o atrativo das imagens e cores como um recurso padrão. Então a editora sai ganhando com suas publicações físicas e merece sim os parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Sil. Como vai? A versão da editora FARO está muito bonita, ficou bastante caprichada. Que bom que gostou. Adorei a resenha, percebi o quanto curtiu o livro. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo