03 fevereiro 2020

Resenha | A Perdição do Barão - Lucy Vargas


Livro: A Perdição do Barão
Série: Não
Gênero: Romance de Época
Autora: Lucy Vargas
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 378
Ano: 2018

Resenha:
Quem quer fazer parte da sociedade londrina, precisa seguir um grupo de regras impostas pela aristocracia. Quem não segue essas regras acaba virando um pária da sociedade. E uma das regras mais importantes é nunca demonstrar sentimentos, se possível nem senti-los. E o pior de todos sentimentos é o amor. E é justamente esse o mal que acomete a família de Patrick, Barão de Ederline, há várias gerações: o mal do amor. Eles amam demais, e o problema é que esse amor nem sempre é direcionado para seus respectivos cônjuges. As últimas pessoas que foram acometidos por essa doença, ou maldição, como Patrick gosta de chamar, foram seus pais. Sua mãe fugiu com outro homem logo depois que a irmã mais nova de Patrick, Grace, nasceu e seu pai aproveitou e foi morar com a amante. 

Por isso Patrick foge do amor como o diabo foge da cruz. Mas nem fazendo tudo que pode ele consegue controlar seu coração que bate mais forte quando vê Hannah, uma amiga de Grace, que para sua tristeza já entregou seu amor a outro. Então Patrick prefere direcionar seu foco para os negócios, que mesmo tendo dinheiro para ter uma vida confortável, ele sabe que as coisas estão mudando e junto com seu melhor amigo Stephen, está pensando e investindo no futuro. E as coisas ficam ainda mais difíceis para Patrick pois, acontece uma tragédia na família da Hannah, e Patrick oferece sua ajuda hospedando em sua casa Hannah e sua mãe Lady Abbott, que está passando por um momento dificil. Mas Lady Abbott vem a falecer e certo de que logo Hannah vai se casar com o homem que ama, Patrick decide acompanhar Stephen em uma viagem de negócios. 

Quando volta um ano depois Patrick descobre que nada aconteceu como ele imaginou. Hannah ainda está solteira e acaba de fugir da casa da avó. Patrick consegue encontrá-la e Hannah confessa que o homem que amava foi embora depois que ela se entregou à ele sem nenhuma promessa ou compromisso. E agora sua avó quer casá-la com um homem muito mais velho que ela. Então Patrick que já havia perdido a esperança, vê nessa situação uma chance de ser feliz e diz a avó de Hannah que ela vai se casar sim, mas com ele. Patrick não pretende tirar Hannah de uma prisão para colocá-la em outra e deixa isso claro para ela. O casamento entre eles será de conveniência, mas Patrick vai fazer o que estiver ao seu alcance para conquistar Hannah.


Eu sou dessas que não gosta de fazer resenhas negativas. Mas tem vez que a decepção é tanta que é preciso escrevê-las. Quando vi esse livro sendo lançado, já fiquei louca para ler ele. Eu amei Um Acordo de Cavalheiros, outro livro da autora publicado pelo Grupo Editorial Record. Eu me surpreendi muito com a história e principalmente com o protagonista masculino, que é um feminista declarado. E quando vi que em A Perdição do Barão teríamos a história pela visão masculina, já lembrei do protagonista do outro livro e minhas expectativas foram nas alturas. Isso e essa capa que é maravilhosa, no tom de azul que amo.

Mas o que eu achei que ia ser o grande diferencial dos vários livros de romance de época que temos no mercado, foi sim um diferencial, mas no sentido ruim. Acredito que a história até teria uma chance se fosse narrada pela Hannah, ou pelo menos que a narrativa fosse dividida entre os dois protagonistas. Mas da forma como foi, narrada apenas por Patrick, acabou sendo uma história chata, que me fez não gostar de nenhum dos personagens do livro e ainda odiei algumas abordagens que a autora escolheu fazer sobre a época e seus costumes. Sem falar que a história ficou confusa e por vezes parecia que eu tinha pulado alguma parte porque faltava partes da história. Ou era o narrador que era meio tapado.

Quando pego um gênero literário para ler, espero encontrar o que aquele gênero traz. Não espero ler um romance de época e encontrar um suspense de tirar o folego e por ai vai. Por isso quem lê romance de época já sabe que vai encontrar uma história divertida, com protagonistas que se odeiam ou são obrigados a se casar por algum motivo e que no fim vai ser tudo marmelada e ficar todos felizes para sempre. Mas não consegui ver o principal nessa história. Em nenhum instante existiu sequer uma faísca de amor entre os dois. Ou como já disse antes, o narrador era muito tonto que não conseguiu nem expressar isso em sua narrativa. E meu Deus quanto mimimi.

Patrick casou sabendo que Hannah amava outro, então decidiu esperar o tempo dela para eles fazerem sexo. Isso até o meio da página porque em um parágrafo ele fazia esse discurso, no outro baixava o machista ciumento que queria "provar" que era melhor que o outro amante dela. E na página seguinte já voltava atrás. Que ódio dessa mudança desnecessária a cada página. E Hannah não fica atrás. Em um momento se entregava a Patrick como se amasse ele, no outro fugia dele como o diabo foge da cruz. E foi o livro todo assim. Nunca vi casamento mais chato que esse. Sem falar que foram anos nessa situação.

E uma coisa que a autora resolveu abordar foram as traições presentes na sociedade. Mas a forma como ela abordou me incomodou, ela generalizou total. A impressão que deu foi que não existia uma pessoa decente na época. A mulher precisava se manter casta até arranjar um marido, depois a coisa desandava. Os outros homens vinham pedir permissão para dormir com a esposa do outro. Convites a traição eram feitos em meio aos bailes. Até acredito que existia muito esse tipo de coisa sim, afinal os casamentos eram arranjados.  Mas todo mundo já é exagero. E nem os personagens secundários salvaram a história. Todos sem exceção são chatos e nenhum deles me cativou. Enfim já me estendi bastante nessa resenha, mas não é porque o livro não funcionou comigo que você não vai gostar. Então leia por sua conta e risco.

Nota:







15 comentários:

  1. ola
    quando eu vi essa capa eu fiquei com muita vontade de ler o livro
    Mas depois de saber que era narrado em primeira pessoa meu entusissmo diminuiu .
    Depois eu vi outra resenha
    dizendo que o livro deixava a desejar perdi um pouco mais a vontade
    e agora lendo a sua resenha perdi momentaneamente a vontade de ler assim como voce tambem nao gosto de pessoas que generaliza as coisas
    esse livro no meu entender so confirma aquilo que sempre penso
    capa bonita nao e sinonimo de boa estoria

    ResponderExcluir
  2. oLÁ...
    Comecei lendo a resenha cheeeeeia de expectativas, pois, amo os livros do gênero! Porém, ao ler suas ressalvas confesso que fiquei meio desanimada a ler... Acho legal encontrar resenhas negativas, pois, desta forma, podemos encontrar a real opinião do blogueiro, afinal, a vida de um leitor não é feita apenas de ótimas leituras.
    Acho que vou passar a dica.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ah gente, é terrível quando a obra nos decepciona. Não conhecia, mas pelo visto, também não iria apreciar a leitura.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  4. Oi Sil! Um Acordo de Cavalheiros é excelente, mas este aqui é uma decepção mesmo. O mocinho é fraco e falta carisma na galera toda. Infelizmente, também não curti. Ainda quero ler outros da autora, afinal o primeiro que li foi muito bom. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, eu quero conhecer a narrativa da Lucy e gosto de romances de época, mas eu tenho dificuldade com livros narrados só por homens, então já vou baixar um pouco as expectativas rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sil
    Eu já li um livro da Lucy, que não era de época e eu gostei. Mas depois tentei ler outro livro dela do gênero e senti que a coisa não tava bem desenvolvida. Eu acho que a autora não sabe escrever romances de época hahahaha por isso perdi o interesse em suas obras, infelizmente.
    Beijo!
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Silvana! Nunca vi você fazer uma postagem tão enfática sobre não ter gostado da leitura. Pelo jeito, a decepção foi mesmo grande. To até vendo esse livro na próxima postagem geral, na parte dos que foram doados. Ahahah...

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil,
    Quem já leu algo da Lucy Vargas aqui em casa, foi minha mãe. Não lembro ao certo se foi esta obra, mas sei que foi uma vez só, rs. Ela leu e nunca mais procurou outro livro da autora, vou até perguntar se foi este, porque ela desanimou total e eu, por consequencia, nem tive vontade de conhecer as suas obras.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sil como vai? Que pena que esta leitura tenha lhe causado grande decepção. Pela sua nota, presumo ter sido uma leitura horrível, você deu nota 2 para um livro de quase 400 páginas. O pior quando acontece essa situação desagradável é ter de ler as quase 400 páginas e no final dá nota 2. Se o livro fosse de umas 200 páginas, seria menos frustrante e você ainda não perderia tanto tempo lendo um livro tão ruim pra você. De todo modo, às vezes acontece de nos depararmos com obras assim que nos decepcionam. Espero que os próximos livros sejam agradáveis. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Uma pena esse livro ter sido uma decepção, Sil. Confesso que tinha até me interessado, mas depois de ler sua resenha, não irei ler.

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil,
    Ainda tenho bastante interesse no outro dela porque li sua resenha e adorei.
    Já esse me deu impressão que ela quis deixar um ar mais erótico, mas que saiu errado.
    E abordagem sobre traição em romances, boa parte, acabam saindo problemáticas pra mim. Mesmo assim se eu curtir o outro, talvez dê uma chance pra esse também.
    Até porque amei a capa... amo azul.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  12. Quando comecei a ler a resenha, eu tava achando que o livro era bom por ele ir embora e voltar e ter a possibilidade de ficar com ela, uma pena que a leitura não saiu como o esperado
    Beijos
    www.dearlytay.com.br

    ResponderExcluir
  13. Eu comecei lendo a resenha e pensei "nossa, o tipo de livro que eu gosto", aí cheguei no meio da resenha me deparo com a decepção huahuhauha olha que pena, a proposta parecia ótima, apesar do clichê, tinha tudo para ser um livro divertido de ler. Odeio bipolaridade sem propósito em personagem. Enfim, adorei sua resenha <3

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Oi Sil.
    Eu acho complicado livros de romance narrados por personagens masculinos. Se ficar meloso de mais aparenta ser a narrativa de uma mulher e se for sem emoção não passa a ideia certa. Acredito que isso aconteça neste livro e sinceramente também odeio personagens vem e vai. Duvidosamente irei ler algum dia.
    Beijos.
    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo