16 abril 2020

Resenha | Jantar Secreto - Raphael Montes


Livro: Jantar Secreto
Série: Não
Gênero: Suspense
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 360
Ano: 2016

Resenha:
Em Jantar Secreto vamos conhecer a história de quatro amigos, Dante, Miguel, Victor Hugo e Leitão. Até então os quatro viviam em Pingo d'Água, uma cidadezinha no interior do Paraná, mas estão de mudança para o Rio de Janeiro onde os quatro vão fazer faculdade. Encontrar um apartamento para alugar não foi nada fácil já que os preços eram bem mais altos do que eles imaginavam. Mas quando já estavam quase desistindo eles encontraram um apartamento até que bem grande e com um preço razoável, já que está localizado entre as facções das favelas dos postos um e seis. Dante vai cursar administração, Miguel medicina, Hugo Gastronomia, e Leitão Ciência da Computação. Quatro jovens com muitos planos e esperança de que a vida será boa com eles. Mas cinco anos depois com quase todos eles formados, Leitão não terminou o curso já que só quer ficar jogado na cama jogando videogame e comendo, as coisas não estão exatamente como eles tinham planejado. 

A vida não é fácil e pagar as contas é mais difícil ainda se você não tem um ótimo emprego. E não tem nada ruim que não possa piorar. No aniversário de Leitão eles têm a ideia de dar de presente de aniversário uma noite com uma garota de programa, já que Leitão ainda é virgem e pesando quase duzentos quilos é provável que continue assim. O problema é que Leitão se apaixona pela garota, Cora, e usa o dinheiro do aluguel (ele é o responsável pelo pagamento) para dar presentes para ela. E quando os outros descobrem já estão devendo seis meses de aluguel, a dívida está em quase vinte e seis mil reais e se não pagarem em duas semanas vão ser despejados. Sem ter de onde tirar o dinheiro Hugo acaba sugerindo que eles façam jantares exclusivos no apartamento mesmo, o que está na moda ultimamente. Como chef de cozinha ele monta o cardápio, carne de cordeiro, e Leitão coloca a proposta na internet. 

"Depois do que contei, é claro que você está me julgando. Deve estar aliviado, pensando: Eu jamais faria o que ele fez, esse cara é um psicopata. Sou seu termômetro de criminalidade, seu espelho de morbidez, sua bússola de loucura. Mas a verdade é que, se estivessem em meu lugar, você teria feito o mesmo. "

Mas no lugar da carne de cordeiro Leitão resolve zoar e coloca carne humana e coloca o convite para o jantar a três mil reais. Para surpresa deles em algumas horas eles têm trinta mil na conta, o suficiente para quitar a dívida e ainda sobra. E a aversão inicial a ideia de servir carne humana se torna cada vez mais atraente conforme eles vão pensando nos prós e contras. E afinal vai ser apenas uma vez. Mas onde conseguir a carne? O jantar acaba acontecendo com algumas dificuldades e é um sucesso. Só que um dos convidados do jantar, Umberto, gosta muito da ideia e quer a todo custo entrar para o negócio. Seduzidos pela ideia do dinheiro fácil, eles aceitam a proposta de Umberto que se encarrega da matéria prima para os jantares. E tudo vai bem até Dante descobrir a verdadeira origem dos corpos e ele seus amigos começarem a correr risco de vida.

"Por que você come carne de vaca, por exemplo? Ou melhor, por que raspou o prato de rosbife? É uma realidade cotidiana! A carne satisfaz, tem sabor e aparência agradáveis, Logo, comemos! O que tem de errado nisso? Absolutamente nada. Com um pouquinho de esforço, em duas gerações comer carne humana vai ser como devorar ovos e bacon pela manhã."

Esse é um livro que desde que lançou estava na minha lista de leituras. Mas quando pensava no enredo dele já me dava um nó no estomago e deixava para ler depois. Ainda mais que já tinha lido um livro do autor O Vilarejo e justamente um dos contos que traz o mesmo assunto desse livro, me fez revirar o estomago. Mas enfim resolvi ler e acreditam que não achei tudo isso não. Peraeee, não me entendam mal. Eu amei o livro, a escrita do autor é jovem e trata do assunto de forma bem simples, os capítulos passam voando e quando a gente percebe já terminou o livro, mesmo ele tendo um assunto tão pesado e sendo um livro de quase 440 páginas.


O que não achei tudo isso foram as cenas que eu ia passar mal e sentir um nojo profundo, ia pular páginas e até sentir medo como li em algumas resenhas. Teve sim uma hora que fiquei bem chocada, mas foi só. Acho que por já ter lido essa mesma temática antes em Os Sobreviventes do Andes e no livro citado pelo próprio autor O Caso dos Exploradores de Caverna, já sabia o que esperar e não senti muita coisa. Depois fiquei até pensando se eu não tinha algum problema por não ter sentido o que o povo sentiu hehe. Mas acho que foi por eu ter visto aquilo tudo como ficção mesmo. E não sei o que é pior comer a carne ou conseguir ela.

“Já pararam pra pensar que o canibalismo pode ser a solução mais imediata pra fome no mundo? Quero dizer, não comemos nossos próprios mortos por uma questão cultural. Não fomos criados assim. Acontece que enterrar os mortos é um grande desperdício de carne saborosa que poderia ser usada como alimento. Mesmo na vila mais pobre da África, onde pessoas passam fome, há carne sendo desperdiçada nos enterros. Por que não comer? O que mata essas pessoas de fome é esse impedimento moral de comer os semelhantes..."

Eu sou uma pessoa que gosta de comer carne, quando tive pedra na vesícula fiquei dois anos sem comer esperando a cirurgia e não foi fácil não, por isso uma coisa que me incomodou foi o autor ficar o tempo todo comparando quem come carne humana com quem come carne de animais. Será mesmo tudo a mesma coisa? Eu tenho uma amiga que é vegetariana e ela sempre me pergunta se eu comeria minhas gatas. Porque a vida humana tem mais valor do que a de uma animal irracional? Essa questão é levantada o tempo todo pelos personagens para justificar seus atos. E você o que pensa sobre isso?

Mas voltando ao livro. Achei o motivo deles muito fraco. Nos livros citados as pessoas comeram para não morrer de fome, mas o caso aqui foi só orgulho mesmo porque a mãe do Dante tinha aquele dinheiro e ele quis ir em frente mesmo assim, sabendo que era um caminho sem volta. Logo no começo do livro a gente já sabe que deu tudo errado para o personagem, por isso fica esperando o momento em que a coisa desandou. Gostei muito do final e quebrei a cabeça, mas acertei quem estava por trás de tudo. É raro isso acontecer porque geralmente sou meio tapada hehe. Só não dei nota máxima porque ficou bastante pontas soltas. Mas ainda assim indico o livro para quem quer ler algo diferente. Quanto a edição achei bem feita, com uma capa simples, mas bonita.

Nota:











16 comentários:

  1. Oi, Sil como vai? Este livro aí é muito bom não é mesmo. É muito bem escrito. Eu adoro carne vermelha, praticamente só me alimento deste tipo de carne, por gostar demais de carne vermelha. Quase não como carne branca, às vezes eu como carne de galinha. Carne de peixe eu não como, não consigo gostar de peixes e outros alimentos que vem do mar. Outro alimento que gosto de comer são ovos. Voltando ao livro o achei excelente quando o li. Que bom que você gostou de o ler. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Hey Sil! Tudo bem?
    Quero muito conhecer a escrita desse autor, sempre vejo muitos elogios a ele, inclusive em um outro livro! Adorei a sua resenha, vai entrar pra minha lista tbm. kkkk
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil!
    Particularmente não tenho muito problemas com cenas nojentas e sangrentas, mas gostei dos seus pontos levantados em questão de comer carne.
    Ainda não li esse do autor, mas está na lista.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do #SorteiodaAmizade no twitter; três livros, um ganhador

    ResponderExcluir
  4. No começo do mês li O vilarejo e mesmo tendo ficado com medo, decidi continuar lendo as coisas do Raphael e li o Jantar Secreto, eu achei pesado pois me impressiono fácil e algumas partes eu ficava 'será que dá para pular essas linhas, sem comprometer a leitura?'.
    O Raphael tem uma narrativa muito boa e ele consegue prender a gente.
    amei sua resenha
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiii Sil

    Dos livros todos do Raphael esse é o que menos me chama a atenção, não sei porquê. Que pena que ficaram essas pontas soltas na estória, eu fico meio frustrada quando acontece isso. Eu não costumo ter muito problema com cenas mais "pesadas", mas como ainda não conheço a narrativa do autor, vai ser surpresa pra mim como vou reagir... Achei interessante essa questão da carne, poxa é verdade refletindo bem, eu tb adoro comer carne, um bom churrasco, eita coisa boa.. mas realmente se a gente refletir profundamente é uma questão pra se colocar em pauta. Hj e dia tá muito em debate o que se come na China por causa do vírus e tals, e a gente morre de nojo de certos alimentos que tem por lá, e claro acaba julgando. Mas será que a gente tb tá certo comendo a nossa
    carninha?? Uff, complicado


    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Silvana do meu coração! Vou te falar que só li esta postagem porque gosto muito do teu blog, pois pretendo ler esse livro ainda neste ano e eu não fazia a menor ideia de como era a trama. Cheguei a seguir página do autor, mas as postagens dele eram muito vagas sobre o enredo, apesar de bem bacanas no impacto visual.
    Eu como carne quase todo dia. A carne barata de hambúrgueres que custam 89 centavos ou mortadela fatiada... Quando tenho carne moída ou de panela, considero luxo, mas como com certa frequencia, Graças a Deus.
    Eu acho que cada um é feliz a seu modo. O erro é ficar impondo aos outros e ficar fazendo a pessoa se sentir mal por comer carne, sendo que parte da cadeia alimentar de mamíferos é carnívora. É que bom que eles são irracionais, porque são muito mais fortes do que nós. Já pensou então se pudessem planejar como iriam nos abater? E fariam, sem nenhum pesar de consciência.
    Porém, sou defensor da carne sintética se for realmente similar à de verdade, pois não gosto da matança em si. Quando vejo leitão inteiro na assadeira, eu nem como. Não tenho coragem. Então a carne sintética viria para resolver essa questão. Eu apoio e eoero que ela venha para o mercado logo. O mais rápido possível.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Confesso que não conhecia nem a obra nem a autora, mas fiquei mesmo muito curiosa!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Já tinha visto esse livro antes em algum lugar mas, não me recordo onde. Gostei da sua resenha e dos pontos que abordou.
    Confesso que não curto muito esse tipo de leitura pela imposição que o livro aparenta ter mas, o assunto em si parece muito bom, só não sei dizer (porque não vou ler) se a abordagem utilizada no livro foi uma das melhores.
    Porém gostei de saber da sua opinião.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Sil! Eu ganhei o livro e até hoje não tive coragem de ler, tenho o receio de ficar meio chocada com certas coisas que são feitas na história. Que bom que não foi tão chocante para você, mas ainda assim não ganhei coragem de ler no momento. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sil!
    Li recentemente um livro do autor ("O vilarejo") e gostei bastante da escrita dele. De fato um dos contos trata do tema. Eu fiquei chocada! E talvez o tal conto tenha mexido mais com você do que "O jantar secreto" pela forma como tudo aconteceu no conto, acho que tinha um ar mais macabro. Tenho vontade de ler mais coisas do Raphael, gostei da escrita dele. Pena as pontas soltas neste livro... Num livro do gênero isso incomoda mais que em outros, pra mim.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil,
    Eu só li um livro do Raphael Montes e até que gostei! Faz alguns anos... Foi o Dias Perfeitos, lembro que fiquei chocada com o final, mas como não fazia tanto meu estilo na época, acabei de afastando dos livros do autor.
    Se fosse para escolher algum dele para voltar a ler, seria com certeza esse. Não sei, gosto da premissa, parece um filme, rs.
    Ah, e também gosto da capa!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu já escutei falar desse livro e confesso que não tenho muita vontade de ler não hahaha. Acho que ficaria ainda mais com nó no estômago hahaha. Mas para quem curte o gênero, acho que é uma ótima pedida. Eu sou bem curiosa para conhecer a escrita dele, mas queria algo menos sanguinário (digamos assim hahaha), sabe? hahaha :)

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil, eu tenho receio de ler esse livro justamente pela parte do canibalismo, mas se você não achou tão chocante assim, eu até me animo a ler!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  14. Como vc faz essas caixas rosas com citações?

    @juliamodelodemodelo
    juliamodelodemodelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi, Sil. Tudo bem?
    Raphael Montes está sempre na minha lista há muito tempo e sua resenha me deu mais vontade de ler ele, acho muito interessante explorar diferentes temáticas e ir a fundo. Inclusive ele é excelente escritor, né?

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  16. Olá Sil,

    Esse é um livro que eu quero muito ler, as resenhas são sempre positivas, já li um livro do autor e gostei bastante.


    Beijos!


    http://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo