14 junho 2020

Resenha | Confissões - Kanae Minato


Livro: Confissões
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Kanae Minato
Editora: Gutenberg
Páginas: 192
Ano: 2019

Resenha:
Yuko Moriguchi não se tornou professora por vocação, ou por ter se inspirado em algum professor que ela amou muito, nem por querer fazer a diferença na vida das crianças. Foi por necessidade mesmo. Sua família era pobre e seus pais decidiram que seria um desperdício pagar pelos estudos de uma mulher. Mas isso só fez com que Yuko se esforçasse mais e assim que terminou o ensino médio ela ganhou uma bolsa de estudos. O que ela não sabia é que o contrato da bolsa dizia que para não ter que devolver o dinheiro das mensalidades ela teria que se tornar professora. Mas mesmo não sendo sua primeira opção, Yuko decidiu sim que seria uma ótima professora e escolheu dar aulas no ensino fundamental onde ainda dá para se fazer alguma coisa pelos alunos.

Yuko segue duas regras impostas por ela mesma, tratar os alunos educadamente sempre usando Sr. e Srta. antes dos nomes e tratando todos como iguais. Esse talvez foi um dos seus erros e desencadeou uma tragédia que acabou com a sua vida. Fez com que ela perdesse seu bem mais precioso, sua filha Manami de quatro anos. Manami é fruto de um relacionamento que Yuko teve com um professor na primeira escola em que lecionou. Eles iam se casar mas a descoberta da gravidez veio junto com a notícia de que o pai de sua filha era portador de HIV. Nem Yuko nem Manami tinham o vírus, mas eles decidiram se afastar porque de uma forma ou de outra era melhor Manami crescer com o preconceito de ser filha de uma mãe solteira do que de um pai portador de HIV. Yuko ama Manami acima de tudo e sua vida gira em torno da pequena.

Mas Yuko precisa trabalhar e deixa Manami na creche até um certo horário e uma senhora que mora atrás da escola fica com ela o resto do tempo. E quando essa senhora ficou doente Manami acabou tendo que ficar até mais tarde na creche e nas quartas feiras devido a reunião semanal dos professores Manami ficava na enfermaria até o fim da mesma. E foi numa dessas quartas que a tragédia aconteceu: Manami foi encontrada morta dentro da piscina da escola. A policia concluiu que foi um acidente e Yuko acreditou. Até que um objeto foi encontrado e na mesma hora Yuko soube que sua filha tinha sido assassinada e quem eram os assassinos: dois de seus alunos de treze anos. Mas Yuko sabe que não vai acontecer nada com eles se levar o caso até a policia e decide se vingar por conta própria e conta a verdade para toda a classe e revela seu plano no ultimo dia de aula.


Esse é o segundo livro que leio da autora e coincidentemente vingança é o que move as duas histórias. Penitencia me ganhou pela escrita da autora, por ter uma história impecável em um livro com menos de 200 páginas. E Confissões segue o mesmo modelo. Isso tudo que disse nos primeiros parágrafos é só o primeiro capitulo de uma história que começa trágica, segue em um ritmo de tirar o fôlego e termina de uma maneira surpreendente. O livro é narrado por várias pessoas. Começa com Yuko, depois temos a narrativa da irmã de um dos assassinos, da mãe de um deles, depois temos a visão dos dois e finalmente o livro fecha da forma que começou com Yuko narrando o que a decisão de se vingar fez com todos a sua volta.

A vingança de Yuko num primeiro momento é algo repulsivo, mas fica aquele sentimento de o que eu faria no lugar dela? E logo percebemos que o ato em si que ela comete é somente o primeiro empurrão no primeiro dominó, porque dali em diante as consequências não podem mais serem evitadas. E as consequências são o que movem a história já que aqui não temos que descobrir quem são os assassinos, que já são revelados logo no primeiro capitulo, apesar de num primeiro instante não sabermos os nomes porque em sua história Yuko se refere a eles como A e B, mas nos capítulos seguintes já sabemos suas identidades. E mesmo que seja uma pequena surpresa para o leitor, não é para os envolvidos que logo percebem quem são os assassinos.

O livro é curto então não tem espaço para muita enrolação, a escrita da autora é ágil e envolvente e a gente não consegue largar o livro até ver o final dele. E terminei o livro com sentimentos conflituosos. Eu não sou a favor de nada do que ela fez, mas e o que eles fizeram? Se ela tivesse deixado para a justiça punir os culpados eles teriam sido realmente punidos? Por serem menores de idade provavelmente não. Lembrando que a história se passa no japão e lá as leis são diferentes das leis aqui do Brasil, o que não muda muita coisa porque aqui também são poucos que são punidos e ainda quando pegam a pessoa certa. Mas voltando ao livro a autora também levanta algumas questões importantes como o bullying e principalmente sobre a educação dos filhos.

No período em que estamos vivendo estou vendo muitos pais reclamarem de ter que ficar com os filhos em casa e agora estão sentindo na pele o que os professores passam e ficou mais claro do que nunca que quem tem o dever de educar e ensinar valores aos filhos são os pais. E gostei da maneira que a autora levantou a questão mostrando duas realidades familiar bem diferente ao mostrar a família dos dois assassinos. Mas enfim, é um livro que recomendo sem sombra de duvida para quem ama um bom suspense. Fiquei sabendo que existe uma adaptação do livro, mas que ele é puxado mais para o terror e é bem fraco, por isso não sei se vou assistir. Quanto a edição já que O Grupo Autêntica resolveu relançar o livro, antes ele já havia sido lançado por outro selo do grupo, podiam pelo menos ter colocado travessão nas frases no lugar das aspas, o que já é uma caraterística da editora.

Nota:








15 comentários:

  1. Oi, Sil. Tudo bem?
    Eu não conhecia a autora e nem imaginava o que estaria por trás dessa história. Achei maravilhoso ter dois assassinos e mostrar perspectivas dessas diferentes famílias, realmente é um livro que chamou minha atenção e quero ler.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  2. Oi Sil, eu confesso que só olhando rapidamente a sinopse, não é um livro que me chama atenção, mas gosto de tramas sem enrolações e nada como uma boa vingança rsrsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil como vai? Não li este livro, aliás não li nenhum livro de essa autora, por isso tenho vontade de conhecer sua escrita. Me parece um livro muito bom. Muito boa sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá..
    Adorei a sua resenha!
    Ainda não conhecia a obra em questão, mas pelos seus comentários pude perceber que com certeza é um livro que me agradaria. A premissa é bem legal e, é claro, já anotei a sua dica!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, tudo bem?

    Não conhecia o livro e nem a autora, mas ao ler a sua resenha fiquei sentindo essa contradição de sentimentos. Será a a vingança é o caminho? Mas o que eu faria se fosse a minha filha?

    Goste de tramas em que o autor consegue nos aproximar tanto dos personagens que de certo modo nos vemos em sua situação. Fiquei bastante curiosa para saber o final.

    Beijos;*
    Ariane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  6. Olá Sil,


    Nossa que livro hein, fiquei super curioso,caramba, intrigante, eu sou pai e cuido da minha filha, faço tudo por ela e não vejo trabalho nisso, só benção, não entendo os pais que reclamam por estarem com os filhos em casa, gostei da resenha e já anotei a dica....bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sil! Tudo bom?
    Eita que parece aquele tipo de thriller psicológico pra REALMENTE mexer com o nosso psicológico né - o melhor tipo. Eu nunca li nada da autora, mas gostei de conhecer e é legal porque sai daquela coisa de só ler gente branca nesse gênero. Vou procurar com certeza!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Gostei da sinopse e da sua resenha, realmente os pais estão sentindo na pele o que os professores falam mas, acho que só nesse período. Há muito de memória curta e seletiva em muitas pessoas e acho que isso será esquecido em breve.
    Gostei do livro e vou anotar aqui na lista das possíveis próximas leituras.
    Beijocas.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Chocada com a premissa do livro, já tratei de coloca-lo na minha lista para futuras leituras, pois fiquei muito curiosa com a vingança da protagonista, e amo esses livros rápidos, curtos e sem enrolação. Sem contar, que é suspense, meu gênero favorito. A única ressalva mesmo, é as aspas no lugar do travessão, também não gosto.
    Mas enfim, amei a resenha e indicação.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia a autora mas fiquei super interessada nas suas duas obras. Com certeza vão me fazer sair da zona de conforto.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem? Vingança sempre resulta em tramas interessantes. 200 páginas é excelente, senão começa a enrolar.
    Está aí um livro que adoraria conhecer. Pena que a sinopse revelou muita coisa. Quando compro um livro, evito ler sinopses e algo parecido por que o gostoso é ir descobrindo a história. Mas compreendo que a maioria pode amar saber um pouco da trama antes. Por isso existem as sinopses.
    Um bela resenha. Adorei.

    ResponderExcluir
  12. Oi Sil,

    Achei interessante o livro ter poucas páginas (comparado a outros) e ter uma trama bem trabalhada.
    Confesso que a história nunca me chamou tanta atenção, mas fiquei curiosa depois de ler sua resenha.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  13. Oi
    da autora eu só li esse livro até agora e gostei muito da leitura, mexe com o psicológico e me dava agonia a respeito da vingança, que bom que curtiu essa leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sil

    Nossa, já quero. Primeiro por conta do gênero, segundo por conta da ambientação e terceiro por conta da vingança. Hahahah
    Eu sei que a vingança nunca é um bom caminho, mas histórias com essa pegada me deixam muito interessada. Lembrei logo dos meus sentimentos com Gaiola de Ouro... Eu só queria que a Faye acabasse logo com o Jack! Hahahaha
    E nossa, dois meninos de treze anos! Que coisa! Tô cheia de curiosidade aqui agora!!!!!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo