03 agosto 2021

Resenha | Alguém para amar - Mary Balogh

Livro: 
Alguém Para Amar
Série: Westcott #1
Gênero: Romance de Época
Autora: Mary Balogh
Editora: Charme
Páginas: 420
Ano: 2020

Resenha:
Avery Archer, o duque de Netherby, nunca imaginou ter em mãos uma responsabilidade como aquela, a tutela de Harry Westcott, o conde de Riverdale. Até porque Harry está com vinte anos e Avery tem apenas onze a mais que ele. E na verdade essa tarefa nem era para ser dele, já que o pai de Harry havia estipulado isso em seu testamento antes do antigo duque falecer e junto com o título, Avery herdou mais essa responsabilidade. Justo ele que gosta de trabalhar o mínimo possível e só faz algum esforço se for para melhorar seu próprio conforto. Avery até poderia recusar, mas é somente por um ano e ia dar mais trabalho do que assumir a tarefa. O que Avery não esperava era que ia ter mais uma responsabilidade em mãos, encontrar uma filha bastarda do conde a pedido da duquesa viúva e deixar ela em uma situação financeira confortável com a condição de que nunca entre em contato com seus meios-irmãos. 

Essa filha é Anna Snow, que nunca conheceu seus pais e viveu sua vida toda em um orfanato em Bath, já que essa era uma das condições para que seu benfeitor continuasse ajudando-a financeiramente. Mas não foi somente pelo dinheiro que Anna ficou. O orfanato é o único lar que ela conhece, bem ou mal sua única família e ela quis retribuir o pouco do amor e carinho que recebeu ali ensinando as crianças e hoje trabalha como professora no orfanato com um salário modesto, mas que garante seu sustento. Por isso Anna fica surpresa quando recebe uma carta pedindo que ela vá até Londres para resolver seu futuro. Anna passa a viagem toda uma pilha de nervos, criando mil teorias do porque sua presença foi requisitada, mas nenhuma delas chegou nem perto da verdade.

Anna não é uma bastarda e sim a única filha legítima do conde, já que ele foi casado com sua mãe antes de casar com a agora ex-condessa, já que seu casamento é inválido. E Anna é Lady Anastacia Westcott e tirando as propriedades vinculadas ao título, que vai para um primo, todo o resto pertence a ela. E de repente o desejo de Anna de ter uma família se torna realidade, o problema é que eles a vem como uma usurpadora e não querem nem saber de Anna. O contrário do que acontece com Avery, que encontra todo tipo de motivo para estar perto dela. Ele diz para si mesmo que está apenas sendo justo e tentando ajudar Anna, mas na verdade ele está cada vez mais fascinado e quem sabe em Anna, ele encontrou alguém para amar.

“– Não se pode viver de um dia para o outro sem mudar. É a natureza da vida. Pequenas escolhas sempre são necessárias, mesmo quando as grandes não aparecem.”

A Mary figura entre minhas autoras favoritas de romance de época, por isso toda vez que vejo um livro dela já quero ler. E quando vi que esse estava no Kindle Unlimited é claro que já peguei emprestado. Mas infelizmente dessa vez minhas expectativas não foram alcançadas. Cada autora de RE tem sua particularidade, até porque os enredos não tem muito o que mudar já que seguem basicamente a mesma fórmula. E nos livros da Mary eu vejo um tom mais maduro em seus personagens, principalmente os protagonistas masculinos que mesmo os libertinos são homens honrados. E pelo menos nos livros que li dela até agora, não temos uma leitura muito dinâmica, a coisa vai quase parando mesmo.

E nesse não foi diferente. Apesar do clima mais leve e divertido, não temos muitos acontecimentos bombásticos, fora a bomba do começo que mudou o rumo da vida de todo mundo hehe. Mas eu particularmente gosto disso, porque assim tem tempo para o relacionamento dos protagonistas ser desenvolvido. E a coisa é tão lenta que nem parece que tudo acontece em dias e não meses como temos a impressão. Mas infelizmente dessa vez acabei não sendo arrebatada pela história como aconteceu com os outros livros da autora. Pelo tanto de páginas, foi o maior dela que li até agora, esperava um desfecho diferente. Sabe quando fica aquela sensação de que faltou alguma coisa para fechar bem a história?

Até pode ser porque como é uma série teremos essas respostas que não veio nesse nos próximos livros, mas eu esperava mais, principalmente do romance, que como romântica que sou precisava de um final diferente. Mas entendo o que a autora quis mostrar, não gosto mas entendo, porque aí entra a personalidade dos protagonistas. Avery tem um comportamento peculiar, em alguns momentos até achei que ele possa ter TEA, além de ser ele todo diferente fisicamente do que estamos acostumados a ler, porque ele passa longe de ser o moreno alto bonito e sensual que sempre vemos nos protagonistas dos livros.

E Anna é descrita como uma pessoa segura de si e que sabe de impor quando preciso, e ela é pelo menos na questão toda da sua filiação, mas quando o assunto são seus meios-irmãos ela muda completamente a atitude. Infelizmente foi uma história boa, mas que não tem nada marcante, nem de acontecimentos, nem de personagens. É uma pena porque tanto o enredo como os seus protagonistas diferentes tinham muito potencial. Mas vou ler os outros da série quando publicar por aqui para ver se tenho as respostas que faltou nesse. Quanto a edição eu li em ebook e achei bastante erros de escrita. E a capa nem me agrada, nem desagrada.

Nota:







14 comentários:

  1. Oi, Silvana. Será que esses erros também são encontrados na versão impressa? Já vi alguns livros físicos com erros assim. Se você tivesse lido essa história em formato de livro físico, será que você não teria se envolvido mais com os personagens?
    Um abraço, querida!

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Quando vejo editora diferente publicando autor famoso em outra já sei que tem algum problema. haha
    Eu gostei que a personagem é professora - raramente pego romances com protagonistas assim - então daria uma chance por isso. E gostei da construção do mocinho.
    E, claro, fiquei curiosa com o final.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  3. Oi Sil, tudo bem?
    Quer dizer que o livro deixa coisas sem resposta? Eu acho que ficaria frustrada, porque acostumei com a fórmula feliz da Lisa Kleypas (única autora de RE que li por enquanto).
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sil
    A gente já sabe que essa não é uma série boa da autora porque ninguém comenta direito KKK Eu não sinto muita vontade de ler, a capa não me chama atenção e pelos pontos, eu não sei se gostaria. Geralmente quando é série, eu gosto de ver as coisas desenrolando no fundo, mas as principais precisam ter resolução no livro, senão eu acabo também sentindo que faltou algo.
    Espero que os demais melhorem!
    Beijo
    https://capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sil. Como vai? Que pena que a obra não tenha lhe envolvido como gostaria. Muito boa sua resenha. Abraço!


    http://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Acredita que nunca li nada da autora? Pois é, mas tenho muita vontade!
    É uma pena que a leitura não tenha sido tão boa pra você... é tão chato quando isso acontece. Romantica como sou e tendo em vista seus comentários, acho que me decepcionaria com esse final também.
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu nao conhecia a historia , nem a autora, mas adorei, achei muito fofo.
    Bjs bjs https://beperes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Não gostei tanto da capa, e pela resenha não sei se iria curtir a história. Como não leio tanto o gênero, prefiro não arriscar.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  9. Oi Sil,

    Que eu me lembre acho que não li nada da autora ainda. Uma pena que o livro foi mediano. A premissa dela é legalzinha.

    Bjs
    https://diariodoslivrosblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Não sou muito de ler RE, mas conheço bem o sentimento de ler um livro que sentimos que tinha tanto pra dar certo, mas que no final não foi. Acho que por ser apenas o primeiro livro da série a autora deixou pra desenvolver o que faltou nos próximos e quem sabe isso faça você a amar os livros :)

    Abraços
    http://www.auniversitaria.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil,
    Eu já tinha visto a capa desse livro no instagram mas não tinha lido uma resenha dele ainda. Como pude ver ele não vai agradar muita gente, já que você como leitora assídua desse gênero não curtiu. Vou deixar passar e esperar por outro livro do gênero.

    Beijoss, Enjoy Books
    https://www.blogenjoybooks.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Sil,
    Assumo que nada chama realmente minha atenção para eu ler esse livro.
    Até porque a Mary, nem é uma das autoras que mais me agradam, já tive contato com a escrita dela uma vez e não foi tudo isso, sabe?
    Infelizmente, não acho que vá ler esse livro não.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. A capa dele é bonita, uma pena que a história não funcionou tanto quanto você esperava... =/ É frustrante quando criamos expectativas, especialmente quando conhecemos a escrita da autora... Mas vida que segue...
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  14. Li os dois primeiros volumes da série "O clube dos sobreviventes" e fiquei bem fria com a Mary Balogh, sei lá, desanimei, mesmo sendo apaixonada pelos "Os Bedwyns". Esse estava a ponto de passar batido, teu comentário me fez olhar novamente para ele e considerar ler, mas já vou com expectativas mais ajustadas.

    https://elfpandora.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo