22 setembro 2021

Resenha | 1984 - George Orwell

Livro: 
1984
Série: Não
Gênero: Distopia/Clássico
Autor: George Orwell
Editora: Avis Rara
Páginas: 352
Ano: 2021

Sinopse:

No ano de 1984, Londres é uma cidade ameaçadora e sombria, onde a Polícia do Pensamento controla de forma sufocante a vida das pessoas. Nessa atmosfera sinistra, Winston Smith, funcionário sem importância do Ministério da Verdade, passa os dias reescrevendo a história para adequá-la ao que o Partido considera a versão oficial dos fatos. Obra-prima distópica, George Orwell apresenta em 1984, uma sociedade dominada por um regime totalitário que, sob o comando do Partido e do seu líder máximo, o Grande Irmão, vigia e pune sem piedade não só as ações dos cidadãos, mas também seus pensamentos, decretando o fim da individualidade, do livre-arbítrio, do amor e de todas as formas de liberdade. Entre os clássicos da literatura mais celebrados do século XX, a fábula profética de Orwell a respeito de um homem preso às engrenagens de um sistema repressivo e autoritário parece mais pertinente agora do que nunca. De forma mais ampla, o romance examina o papel da verdade e dos fatos na política e as maneiras como são manipulados.

Resenha:

"Guerra é paz
Liberdade é escravidão
Ignorância é força."

Eu confesso que me sentia a estranha quando via alguém falando sobre os livros do Orwell e eu nunca tinha lido nada dele. Principalmente 1984, que é uma referência quando o assunto é distopia, um dos meus gêneros favoritos. Mas então a Faro começou a publicar os livros do autor pelo selo Avis Rara e em fevereiro eu li A revolução dos Bichos que amei e agora esse mês enfim li 1984. O livro não é daqueles que a gente lê em uma sentada, acredito que foi um dos livros que mais demorei a ler nos últimos tempos, primeiro porque praticamente não tem diálogos e segundo porque o assunto é um que tem que ser degustado e digerido aos poucos.

Quando a gente lê distopias sempre fica aquela sensação ruim e é difícil não imaginar o que faremos se aquilo acontecer no futuro. Mas 1984 que foi publicado em 1949 onde 1984 era o futuro descrito no livro, é uma distopia que já aconteceu. E não é que ele nunca foi tão atual quanto agora? É de arrepiar que algo que foi escrito tantos anos antes acabou se tornando uma profecia que se cumpriu. E o engraçado é que o livro foi escrito como uma critica e resistência a outro governo, mas ele se encaixa tão bem no governo que estamos vivendo no momento.

E enquanto a gente vai lendo, vai reconhecendo estratégias e jogadas políticas usadas pelo governo atual como se fossem um beneficio a população e que na verdade é o contrário disso. No livro a coisa já está no extremo, mas o personagem principal vai falando sobre como as coisas chegaram naquele ponto e a única coisa que a gente quer é impedir tudo aquilo. Infelizmente grande parte da população não enxerga para onde as coisas estão se encaminhando. Tem tantas referencias ao governo atual que o autor poderia estar escrevendo esse livro hoje. Governante que é considerado quase uma entidade divina (mito), noticias falsas sendo divulgadas a torto e a direito (fake news), funcionários públicos "doando" parte do seu salário ao partido (rachadinhas) e por ai vai.


E uma das coisas que mais impressiona são as teletelas. Elas estão em todos os lugares, não importa aonde a pessoa vá ela vai estar sendo vigiada. Porque elas funcionam como uma via de mão dupla. Elas não apenas transmitem, elas vigiam todos os movimentos, palavras e expressões faciais, por isso é proibido até mesmo pensar em algo que não seja permitido pelo governo. E isso já não é uma novidade porque que quem aqui nunca pesquisou sobre um produto e então propagandas sobre ele te perseguem por dias. E por causa dessa vigilância toda, as pessoas não podem mais se relacionar com ninguém. Toda forma de diversão é proibida, você tem que fazer o que eles querem, comer e vestir o que eles fornecem e ainda se mostrar feliz e grato por aquilo.

E as punições então meu Deus, eu achava que já tinha lido sobre métodos de tortura, mas confesso que fiquei com o estomago embrulhado ao ler algumas cenas. Eu já achava ter que olhar a cara do bendito, o Grande Irmão, em todo lugar horrível, e ouvir noticias falsas o tempo todo é para deixar qualquer um louco, mas ser pego é infinitamente pior. Enquanto lia ia ficando desesperada pelo protagonista porque tudo é narrado de uma forma como se o leitor estivesse ali na pele dele e sentisse tudo aquilo que ele sente. Por isso repito, a leitura não é fácil, mas é uma leitura que é necessária, ainda mais que estamos vivendo quase a mesma coisa.


Eu não vou me estender muito mais porque por mais que eu diga aqui, ainda não vai chegar aos pés dessa grande obra. E o livro é daqueles que vai falar com cada um de uma maneira diferente. Só leia e tire suas próprias conclusões. Quanto a edição, a editora caprichou e assim como aconteceu com A Revolução dos Bichos, ela se tornou uma das mais bem feitas da minha estante. Essa capa transmite na medida o que será encontrado dentro do livro. E foi engraçado que toda vez que eu pegava para ler minha mãe olhava a capa e falava: "credo que homem horroroso". Mal sabe ela que o protagonista era da mesma opinião, e ainda era obrigado a vê-la em todos os lugares que olhava.

Nota:








16 comentários:

  1. Oi, Sil. Como vai? Eu estou curioso para ler este livro. Vejo muitas críticas positivas sobre, espero gostar dele. Que bom que gostou da obra. Excelente sua resenha. Abraço!



    http://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Tenho vontade de ler esse livro. Sua resenha está incrível.

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está de volta com muitos posts novos! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha. Essa capa está linda, eu estou doida para comprar esse livro em versão capa dura.
    Distopias são ruins por causa disso, pois sabemos que de certa forma, pode muito bem acontecer mesmo sendo coisas que parecem irreais demais.
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu preciso ler esse livro... Eu li revolução dos bichos esse ano e achei a escrira do Orweel muito simples por se um clássico eu sempre olhava torto para esse livro.

    https://expressoliterarios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, tudo bem?
    Li esse livro no ensino médio pra aula de história e me marcou demais, foi o start na minha admiração pelo Orwell. É realmente brutal como 1984 se encaixa com o que estamos vivenciando hoje, o que me deixa chocada com o fato de termos deixado isso acontecer em pleno 2021. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu me sinto muito estranha quando falam desse livro e do autor e só eu não li. haha e não é como se eu não quisesse ler, eu quero ler hahaha Agora parece que eu to recebendo todos os sinais porque até o livro de ensaios que estava lendo tinha um sobre esse autor.
    Eu fico arrepiada só de pensar nessa sensação quase profética que esse livro passa, da gente conseguir se identificar tão bem com o que estamos vivendo. Vou ler sim. Espero que ainda esse ano.
    beijos :)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sil! Tudo bom?
    É absurdo o quanto esse livro é antigo e ainda assim super atual, né? Eu achei que a escrita ia me pegar, mas foi bem de boas e se tornou tão favorito quanto A Fazenda dos Animais (outro monstro em crítica e narrativa).

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. A revolução dos bichos eu já li, mas não nessas edições. Achei essa edição muito legal, com ilustrações no interior. Muito legal.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie, ainda não conhecia essa edição, mas gostei. Quanto a história, ainda não li e espero gostar quando finalmente ler.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  10. Eu ainda não tinha visto essas edições. Adorei as capas. Li os dois e gostei mais de 1984. As similaridades com nossa atual situação chega a ser angustiante.
    Mas são obras primas esses livros, depois que os li, consegui ver o quanto eles abriram as portas para os demais livros que vieram depois.
    Beijos
    https://recolhendopalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Eu sou doida para ler as obras do autor. Até separei as duas quando rolou o boom de ebooks dele, mas ainda não tive coragem. Acho que é pelo que vc disse, que precisa de mente e estômago pra ler algumas coisas. É nítido como é atemporal.
    Tem ctz que essas teletelas não são os agoritmos do Facebook/Instagram? Haha

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  12. Oi
    até hoje eu não li nada do autor, mas tenho muita vontade, quem sabe no mês do BF eu compre, tão tenso saber que um livro tão antigo ainda esteja tão atual para o Brasil que vivemos, que bom que gostou da leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Sil
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    A SUA MÃE KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    EU TO RINDO, DESCULPA kkkkk
    Eu morro de curiosidade para ler esse livro
    a minha ediçao de revolução dos bichos não é de longe tão bonita quanto essa :')

    Preciso ler esse livro, fico pensando sobre alguns tipos de cenas que me fazem passar mal de verdade rsrsrs
    mas qualquer coisa é só passar o olho rsrsrsrsrs

    Beijos!
    Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  14. Oi Sil, faz anos que eu li e na época eu fiquei muito impactada. Eu preciso muito reler esse clássico que, infelizmente, nunca envelhece...

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  15. Oi Sil,
    Errada, sua mãe não tá, porque a capa não está muito bonita. rs
    Acho que tem edições mais atrativas para mim, mas enfim... Sei da qualidade da Faro e isso é indiscutível! Agora, galando agora do livro em si...
    Sabe que nunca me animei a ler? Não sei, não faz meu estilo e você sabe que nem é pelas cenas pesadas de tortura e tal, é o gênero mesmo que não conversa muito comigo, pelo menos não por agora. Claro que não descarto uma leitura futura pelos temas abordados e como você disse, a 'necessidade' da obra.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. "E por causa dessa vigilância toda, as pessoas não podem mais se relacionar com ninguém. Toda forma de diversão é proibida, você tem que fazer o que eles querem, comer e vestir o que eles fornecem e ainda se mostrar feliz e grato por aquilo." -- às vezes penso que é exatamente para isso que celulares e redes sociais estao servindo. Por isso tenho andado um tanto esperto com alguns assuntos por lá.

    Parece interessante. Uma trama diferente, mas que me fez sentir desse mesmo jeito que você, sobre o ritmo de leitura e uma coisa meio que pesada por dentro, foi Noite em Caracas. Uma leitura um tanto difícil mas que acaba envolvendo e a gente quer saber ate onde aquilo vai.

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo