31 janeiro 2017

Parceria | Alana Gabriela

Hoje a postagem é para falar sobre a nova parceria do blog. Na verdade é uma renovação, já que a Alana já é parceira aqui desde setembro de 2015. Mas era sob o pseudônimo Nina B. Prescott. Inclusive já temos dois livros dela resenhados aqui: Flor de Cerejeira e Histórias em Retalhos.

A Autora:
Alana Gabriela  é uma acadêmica autora. Divide seu tempo entre bloggar, escrever, tocar violão, assistir seriados, tipo, The Walking Dead e The Blacklist; ouvir música Indie e Jazzy, ler e estudar na UFS.
Alana gosta de olhar para o céu em dias de chuva!






Suas Obras:
Sinopse HISTÓRIAS EM RETALHOS:
“O amor é a meta infinita da história do mundo.”
Histórias em Retalhos é uma coletânea de histórias curtas intrínsecas e sinceras, que narra de forma sensível o sentimento mais singelo de todos: o amor.
Um relato de uma mãe introspectiva, o amor de uma irmã pelos irmãos, uma carta de uma garota apaixonada para seu melhor amigo e uma filha que enfrenta dificuldades com a perda dos pais. Além, de uma história extra sobre o descobrimento do amor pela leitura.
Todas essas histórias compactam a sutileza e nuances desse sentimento dolorido, complicado e bonito em seus diversos ângulos.

Sinopse EFEITO DOMINÓ:
"É melhor ser enganado do que não confiar."
Um assassinato. Um caso sem suspeitos... Uma testemunha ocular misteriosa.
Após a morte de sua mãe, Helena, em um passeio à Saquarema, Cora se vê solitária e desestabilizada pela perda do pilar de sua vida. Reclusa, a garota se torna relapsa e instável. A relação com seu pai bem como com a maioria das pessoas a sua volta fica cada vez mais distante e frágil. Sua vida caótica vira do avesso quando presencia uma tentativa de homicídio que põe a vida de Lucas, seu amigo, em perigo. No processo, Cora é feita refém de um criminoso enigmático que está disposto a tudo para trazer à luz todos os segredos que rodeiam a morte de Helena. Ela só precisa decidir entrar no jogo.

Entre mentiras, assassinatos e segredos perigosos, Cora se vê num impasse pelo qual lado se aliar. Ela precisa decidir qual segredo é digno do silêncio e se estará pronta para desencadear o efeito dominó.

Skoob - Amazon

Sinopse A ESTRANHA MENTE DE SETH:
Em 1914 dá-se início a um conflito de proporções inimagináveis que marcou para sempre a história da humanidade. A I Guerra Mundial.
A barbárie e a violência desse embate destruiu uma geração inteira de poetas, artistas, escritores, músicos, de inventores e atletas.
Foram mais de 19 milhões de vidas ceifadas, entre soldados e civis. Homens, mulheres e crianças que viram suas vidas e famílias destruídas pelos horrores das bombas, tiros e gases tóxicos.
Tudo isso foi resultado de uma série de fatores que colapsaram as estruturas políticas da Europa no Início do Século XX, mas teve como estopim o atentado que levou à morte do arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro do trono Austro-húngaro, e sua esposa em 28 de Junho de 1914 em Sarajevo.
O homem que o matou chamava-se Gavrilo Princip. Um jovem engajado em uma luta revolucionária e membro do grupo terrorista Mão Negra. Os tiros deflagrados por ele acenderam o pavio de uma bomba que estava prestes a explodir.
O que se escondia por trás da mente desse homem?
Quais segredos, paranoias ou dilemas ele viveu até aquele momento?
Neste livro, Seth Richards, um jovem que em um universo fictício e em um tempo mais recente serve como um espelho do que imaginei como sendo a mente do algoz de Francisco Ferdinando. Dessa forma podemos viajar entre o brilhantismo e a psicopatia desse personagem enigmático e sombrio.
Poderemos viver junto com Seth Richards suas dúvidas entre as alucinações e a realidade, entre o conformismo e a revolução, entre o amor platônico e a violência da paixão.
Seth R. é um jovem extremista, um pensador que vive entre aulas matinais na faculdade e noites de treino numa sociedade clandestina e assassina em Vojerasa. Seth tem duas obsessões que controla com frieza e paciência: manter Lauren, seu amor platônico e sôfrego, pura para sempre e matar o conde Luendres Marquez. Tudo foi planejado. Ele tem um plano perfeito. O mártir perfeito em quem se apoiar. Seth fará o impensado e causará a Primeira Grande Guerra.

Skoob - Autografia

Sinopse FLOR DE CEREJEIRA
 “Qualquer um pode cometer um erro.”
Yoko sempre teve uma vida relativamente boa e estável. Todo ano participava da organização do Festival Cherry Blossom, tinha amigos na escola, tocava violino e estava treinando para fazer parte da orquestra da Juventude de Macon quando tudo começou a dar errado. Seu pai causou um grave acidente e foi parar na prisão.
Sem a referência paterna, e com todos os problemas financeiros que se acumularam, o distanciamento da mãe, Naomi, que está a cada dia mais se afundando em trabalho, Yoko vê o que sobejou de sua família, totalmente desestruturado. Em meio à dor da perda, Yoko conhece Aidan Hirsch, um garoto que parece tão desestruturado quanto ela, taciturno e solitário, e que é capaz, acima de tudo, de não julgar, simplesmente ouvir. Aos poucos, um sentimento singelo e inefável ganha forma, surgindo uma história delicada de autoconhecimento, arrependimento, culpa e superação que poderá mudar a vida desses adolescentes se assim escolherem.


Contatos:

Blog - Facebook - Twitter - Instagram



30 janeiro 2017

Resenha | Escândalos Na Primavera - Lisa Kleypas


Livro: Escândalos Na Primavera
Série: As Quatro Estações do Amor #4
#1 Segredos De Uma Noite De Verão
#2 Era Uma Vez No Outono
#3 Pecados No Inverno
Gênero: Romance de época
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Ano: 2017

Resenha:
Baile após baile elas ficaram sentadas em um canto olhando as outras garotas sendo tiradas para dançar. Mas isso acabou desde que elas resolveram se unir para desencalhar e se tornaram amigas. Elas se intitularam as Flores Secas e o grupo quase teve 100% de êxito. Annabelle, Eve e Lillian conseguiram se casar, somente Daisy Bowman continua solteira. Mas das quatro, Daisy é a mais sonhadora e romântica e espera encontrar um amor igual ao que está nos livros que ela tanto lê. Livros esses que ela prefere mil vezes do que um baile. Porém seu pai esta cansado de esperar. Já se vão três temporadas e Daisy ainda não encontrou alguém que lhe agradasse, por isso ele dá um ultimato em sua filha: se até o fim da temporada, Daisy não encontrar alguém, ela vai ser obrigada a se casar com seu homem de confiança na empresa, Matthew Swift.

Daisy fica chocada. Além de nunca ter sonhado em se casar com alguém tão parecido com seu pai, sério e controlador, Daisy sabe que seu pai não está pensando nela e sim na empresa que sempre foi sua prioridade. O que ele pretende com esse casamento é ter alguém de sua confiança para assumir os negócios da família. E Daisy não quer para marido uma cópia do seu pai. Ainda mais ao ver a forma como Westcliff olha para sua irmã. É isso que ela quer para si, alguém que olhe para ela daquela maneira. E como se não bastasse querer lhe empurrar uma copia sua para se casar com ela, seu pai ainda diz que Daisy é uma parasita que nunca fez nada de útil. E mesmo magoada e horrorizada com a possibilidade de ser obrigada a se casar sem amor, Daisy não se deixa abater e procura a ajuda de suas amigas decidida a se casar com qualquer um, menos com o homem que seu pai escolheu.

Mas o homem magrelo que tem um ar de superioridade de que ela se lembra, não é o mesmo que vem passar a temporada em Hampshire. O homem que está na sua frente exala masculinidade e ela demora um tempo para reconhecer Matthew Swift. E não é só na aparência que ele parece diferente. Mas Daisy não perde tempo e diz logo que não vai se casar com ele em hipótese nenhuma e Matthew parece surpreso com isso, como se não soubesse dos planos de seu pai. Mas quando Daisy pede que Matthew dê sua palavra que não vai aceitar a proposta de seu pai, ele recusa. O que Daisy não sabe, é que Matthew sempre foi apaixonado por ela, desde que a viu pela primeira vez, ele não consegue tirar Daisy de sua cabeça. O problema é que ele tem um passado que deseja esquecer e não pode envolver Daisy nele. Por isso é melhor que eles fiquem o mais longe possível. O difícil vai ser resistir a atração que existe entre os dois.

Final de série é sempre empolgante. Mesmo as séries que não são consideradas séries, como essa que dá para ler os livros fora de ordem. Não na minha opinião, como já expressei nas outras resenhas. Se ler fora de ordem, você perde todo o desenvolvimentos dos personagens. Esse quarto livro é o que eu mais queria ler, porque, como amante de livros, é impossível não se identificar com a Daisy. Ela é igualzinha a milhares de nós que prefere livros a outros programas e que sonha com os incríveis protagonistas dos romances que lemos e mesmo sabendo que não são reais, colocamos eles como padrões e os homens "reais" parecem tão sem graça perto deles. É a vida né? hehe. Por isso a grande expectativa em ler o livro que contava a história dela, para saber como ela encontraria seu "príncipe" fora das páginas de um livro.

E ele foi tudo o que pensei que seria. Não é o melhor da série na minha opinião, ainda prefiro Era Uma Vez No Outono, porque bater o Westcliff é bem dificil, mas fechou sim com chave de ouro. Adorei rever as outras garotas e nesse livro elas apareceram bastante, temos até alguns capítulos pela visão delas e seus respectivos, como o Westcliff. E já que ele é o meu favorito, é claro que eu amei isso. E é irritantemente gostoso ver como elas mudaram ao longo da série. Lilian foi a que mais mudou e mesmo ainda sendo a teimosa que sempre foi, nesse ela está bem mãezona e quer proteger Daisy a todo custo. Nesse livro teve mais cenas de sexo também, o que me surpreendeu, porque das quatro Daisy parecia ser a mais recatada.

Essa série foi meu primeiro contato com a autora, que tem outra série publicada também pela Arqueiro, e gostei bastante dela. A escrita dela se destaca das outras do gênero pela objetividade. Não tem aquela enrolação típica do gênero. As mocinhas não fazem doce, elas sabem o que querem e não tem vergonha de demonstrar isso, seja em palavras ou ações. Não importa a quem elas tenham que enfrentar para isso. Outra coisa que gostei bastante foi a autora ter inserido duas garotas americanas no meio da realeza britânica e ter mostrado todo o preconceito dos nobres com quem não tinha um título. Os dois protagonistas desse livro são o exemplo disso, já que Daisy e Matthew são americanos e não fazem parte da nobreza. Nem preciso dizer que Matthew me encantou e adorei ver os dois juntos. Para não me alongar muito mais, só me resta indicar a série para os fãs do gênero. Sem esquecer de mencionar a capa que achei a mais linda das quatro.

Nota:






29 janeiro 2017

#64 | A Estante Aumentou

Esse mês chegou bastante coisa aqui em casa, principalmente livros que ganhei em sorteios. Só ganhei dois sorteios, mas em um ganhei 10 livros e no outro 5. E tem também os livros de parceria que chegou e os que eu comprei com vale presente.

Esses primeiros eu ganhei no sorteio de dez livros. Foi no blog Roendo Livros. Veio livros bem variados e de várias editoras. O que eu mais gostei de ter ganhado foi Outlander, vou poder começar a saga hehe.


Os bons Segredos é outro que eu só li resenhas positivas dele.


Já o charme aqui ficou por conta da embalagem da editora, com um recadinho para o carteiro hehe


Boa Noite é outro que só li elogios dos blogueiros.


Estão faltando dois livros dos dez, um deles até chegou, mas vou aguardar chegar o outro para tirar a foto junto. E para fechar com chave de ouro, junto com os dez livros ganhei essa arte maravilhosa. Eu escolhi a frase. Pena que amassou um pouco no correio.


Já esse sorteio eu ganhei no blog Recanto da Chefa. Como fui a terceira sorteada fiquei com os livros que sobraram, então veio dois que eu já tinha. 


Ache Momo eu li em vinte minutos porque é um livro de fotografia. E achei bem sem graça na verdade. 


Esses dois eu comprei com um vale presente que ganhei respondendo pesquisa. São dois romances de época que já li resenhas positivas deles e espero gostar.


O presente do meu grande amor também comprei com vale presente para ler no natal e acabei lendo outro no lugar dele. Filha de Woodstock recebi da editora em parceria com a autora e já tem resenha dele aqui.


E da Arqueiro chegou esses marcadores maravilhosos. Eu não tinha nenhum da Saga do Tigre ainda. E também veio o calendário de 2017, Cada página tem a foto de um livro. Só alguns que eu votei que estão lá, mas não tem problema hehe.


E também de parceria com a Arqueiro chegou os lançamentos de janeiro. Escândalos Da Primavera eu já li e logo sai a resenha e esse kit de Ninféias Negras arrasou e ele é minha leitura do momento.


Ficou interessado em algum deles? Qual leio primeiro? hehe



27 janeiro 2017

Resenha | A tempestade - Manuela Titoto


Livro: A tempestade
Série: Não
Gênero: Suspense
Autora: Manuela Titoto
Editora: Novo Conceito
Páginas: 258
Ano: 2016
Resenha: 

"Dizem que, quando face a face com a morte, um filme de nossa vida passa pela nossa cabeça. Comigo isso não aconteceu. Passou um filme, sim, mas não das coisas que fiz, apenas das que deixei de fazer."

Margot acaba de chegar ao Brasil para morar com sua mãe Sara. Ela veio para ter um pouco de paz, por isso agora seu sobrenome é Brandonni e não mais Brown, como era em Boston. E o outro motivo dela ter vindo foi para se esconder. Mas sua esperança é de que peguem logo Irony Joe e ela possa voltar para sua casa em segurança. Sua mãe até que está se esforçando, tentando recuperar o tempo perdido desde que a abandonou, mas nada ali tem a cara dela. Mas ela vai se adaptar, ela tem que se adaptar já que não tem outra opção mesmo.

Margot fez o impossível, foi a única vitima do serial Killer mais conhecido do Estados Unidos que conseguiu escapar. Ela estava em uma viagem de pescaria com seu pai quando foi sequestrada. Quando acordou, estava presa dentro de um caixão. Depois de se desesperar, gritar até perder o folego, ela lembrou da noticia que estava em todos os jornais e noticiários do país inteiro: o psicopata que já atuava a mais de três anos sequestrando adolescentes e prendendo elas em um caixão, sendo torturadas por dias, até morrerem. E como por um milagre, ela conseguiu escapar, mas o assassino continua solto.

"Não, eu não sabia de muita coisa naquele tempo. Os limites que separam a vida da morte se tornam embaçados quando visto de perto. Eu nem sabia, sequer desconfiava, que iria parar num caixão mais uma vez."

Depois disso sua vida virou um inferno. O FBI tratava Margot como se ela fosse a assassina, a pergunta que todos queriam que ela respondesse era, porque ela. Depois de tantas garotas torturadas, porque ela foi a única que conseguiu escapar? Mas essa era a pergunta que ela também se fazia e não sabia a resposta. E depois veio a mídia. Sua foto ficou estampada em todos os jornais e ela ficou tão conhecida quanto seu agressor Irony Joe. Ela conseguiu escapar do assassino, mas ainda estava presa. Ainda assim ela tentou seguir com sua vida. Foi então que começaram os e-mails ameaçadores e ela não teve outra opção a não ser vir morar em Ribeirão Preto, com sua mãe que a abandonou quando ela tinha dois anos.

E o engraçado é que depois que ela mudou de país, os e-mail pararam, como se a pessoa que estava enviando eles soubesse que ela tinha se mudado. Mas em compensação, ela passou a ter pesadelos todas as noites. O novo esposo da sua mãe tem muito dinheiro, por isso além de ter seu próprio motorista, ela vai estudar em um dos colégios mais caros da cidade. Ela logo faz amizade e até se interessa por um dos garotos. Mas Irony Joe volta a atacar e deixa um recado no caixão dizendo que ninguém nunca escapou. O que ele quis dizer com isso, que ele deixou Margot viva porque quis, ou que ele vai terminar o serviço? Infelizmente para Margot o pesadelo ainda não terminou, ele está apenas começando. E ela nem imagina o que a espera.

Eu recebi esse e o livro Só por uma noite em e-book da Novo Conceito. E diferente do outro que me atiçou a curiosidade só pela sinopse, esse eu comecei a ler sem nenhuma expectativa. E não sei se foi por isso, ou se foi pela qualidade da história mesmo, mas o certo é que eu amei o livro. Acabei lendo ele em dois dias. Isso porque estava lendo pelo computador, se não tinha terminado ele em horas. É um dos melhores livros de suspense que eu já li. Eu cheguei a roer as unhas de tanta ansiedade para saber o que realmente tinha acontecido e quem era o culpado. E acabei acertando uma das coisas no fim das contas, mesmo que depois eu tenha mudado a direção dos meus pensamentos no decorrer do livro, pelo menos no começo eu pensei que podia ser aquilo.

A história é muito intrigante. daquelas que a gente desenvolve mil teorias durante a leitura e coça a mão de vontade de ler logo o final. A cada novo capítulo a autora inseria mais uma questão para nos fazer pensar. E ainda bem que no final ficou tudo explicadinho, todas as questões se encaixaram e eu gostei bastante do final, do livro todo na verdade. A narração é em primeira pessoa, pela Margot e como gostei bastante dela, foi fácil acompanhar a história através dos seus olhos. E como ela, eu já estava ficando paranoica, desconfiava de tudo e do todos e as vezes achava que ela estava louca e era tudo da cabeça dela. Eu recomendo o livro com certeza para quem gosta de um bom suspense que não enrola e te prende do começo ao fim da história. Leiam, vale muito a pena.

Nota:




25 janeiro 2017

#21 | Eu Indico...

La La Land - Cantando estações

2017 mal começou e já temos um filminho queridinho para chamar de nosso.
La La Land é um filme musical, daqueles em que as pessoas estão presas no transito e de forma super natural alguém sai dançando e cantando e contagia a todos, que por sinal são uns pé de valsa e ex- alunos do Carlinhos de Jesus. ahhahahaha. Porem isso não é ruim, é onde está todo o charme do filme.

A historia acontece em Los Angeles, Sebastian (Ryan Gosling de Diario de uma paixão) é um pianista de jazz que ama o que faz porem está meio que sem rumo. Mia (Emma Stone de Historias Cruzadas) trabalha em um café e sonha em ser atriz. A vida os aproximam e se apaixonam. 
O amor passa por varias estações e provações. Onde ambos tem sonhos a serem conquistados e um grande amor em comum.

Damien Chazelle é o diretor e roteirista, o mesmo de Whiplash - Em busca da perfeição. Traz um musical lindo e na medida certa. Com cenas e fotografia espetaculares que valem a pena serem vistas. O filme é um grande concorrente ao Oscar desse ano, e não duvido nada que alguma estatueta será ganha. 
Gostei muito da harmonia entre o casal, super combinou. A Emma tem uma beleza unica e mesmo calada ela consegue falar com o olhar... e o Ryan... ahhh o Ryan... sou apaixonada por ele desde o Diário de uma paixão. E o jazz? que gostoso ouvir e sentir a paixão que o personagem tem por esse ritmo.


Musicais normalmente nos deixa com um sentimento gostoso e vontade de sair dançando e cantando por aí. Houve uma época que filmes musicais eram mais frequentes. A Disney mantém esse estilo em suas animações, a ultima que não sai da boca do povo é Let Go e agora tem Moana que também recomendo e as musicas estão lindas. Mas ainda não desbancou Frozen.

O ano iniciou muito bem e La La Land já garantiu 7 troféus no Globo de Ouro, ou seja, concorreu a 7 categorias e ganhou todas.
Só posso dizer que é um forte candidato ao Oscar desse ano, mas como não vi os outros ainda não posso julgar. De qualquer forma, deixo minha recomendação de filme para ser visto e já! rs








24 janeiro 2017

Resenha | Filha de Woodstock - Luiza Ten


Livro: Filha de Woodstock
Série: Não
Gênero: Infantojuvenil
Autora: Luiza Ten
Editora: Chiado Editora
Páginas: 481
Ano: 2015
Sinopse:
 “Conhece a máxima “Quanto mais loucos os pais mais caretas serão os filhos”? Acho que ela se aplica a mim. Quem diria que a junção de uma artista plástica hippie com um fã de Frank Zappa e rock progressivo daria em mim: uma nerd devoradora de livros com Transtorno Obsessivo-Compulsivo e uma timidez patológica? Meus pais me criaram de uma maneira que se alguém me chamar de doida eu sou capaz de responder “Muito obrigada!” pois doideira não é defeito, é uma benção.”Lana escreve diários desde os 10 anos de idade e um dia decide relê-los. Mais madura e já na faculdade, ela relembra as dificuldades financeiras dos pais, as brigas, os momentos felizes, o bullying que sofreu, as paixões platônicas e o florescer de duas grandes companheiras de sua vida: o Transtorno Obsessivo-Compulsivo e a Síndrome do Pânico. Ela vê novamente os momentos de sua vida com nostalgia, carinho e boas doses de ironia e humor.

Resenha:
Recebi esse livro em parceria com a Luiza. Eu não conhecia ela ainda, nem o livro, e quando procurei resenhas dele para ler, não encontrei. Mas como a sinopse era muito interessante, eu aceitei ler. Quando chegou, a primeira coisa que reparei foi no tamanho do livro, ele é enorme. Depois foram as cores da capa. Eu particularmente amo rosa e esse tom do livro é um rosa bem chamativo, por isso gostei. Na pequena biografia que tem da autora na orelha do livro, descobrimos que partes do livro foram baseadas em experiencias da própria autora, então não sabemos o que tanto na história é real e o que é ficção.

O livro conta a história de Lana, que ao fazer uma limpeza em seu quarto, acaba encontrando alguns cadernos empoeirados em uma gaveta. Eram seus diários. E a história é basicamente as lembranças de Lana que estão relatadas nos diários. É tudo em primeira pessoa, e temos várias partes que são reproduções dos escritos. Os diários abrangem os anos de 2003 a 2009 e é assim que foram feitas as divisões dos capítulos, por anos. Mas antes temos um capítulo contando algumas coisas desde que Lana nasceu até o ano de 2002, quando se iniciam os diários.

Confesso que já comecei gostando muito do livro. Entrei em uma sessão nostalgia. Eu sou dessas pessoas que tem memória curta e não lembro quase nada da minha infância, mas ao ler as aventuras da Lana, lembrei de tanta coisa que me aconteceu e tantas situações que passei, que não teve como não amar o que eu estava lendo. São muitas referencias a músicas, pessoas famosas, novelas e acontecimentos que marcaram os anos. Coisas que quando lemos desperta ainda mais lembranças. E sem falar que ri muito com as coisas que a Lana aprontava e com os micos que ela pagava. Micos esses que acho que todo mundo já pagou um dia na infância hehe.

Os diários começam com a Lana com dez anos e ela transcreve uma parte do que está escrito e comenta sobre aquilo. É engraçado como nosso pensamento muda tanto e as coisas que gostávamos, as vezes odiamos hoje e vice-versa. Tem uma coisa logo lá no comecinho do diário que me chamou muito a atenção. Foi ver como o mundo e os valores hoje estão diferentes. A Lana cita que ganhou material escolar de presente de natal e foi o presente que ela mais gostou. E aconteceu isso comigo várias vezes e esses eram os melhores presentes mesmo. E hoje em dia as crianças exigem de celular para cima de presente de natal e ainda enjoam logo no primeiro mês. Como os valores mudaram.

Outra coisa que me identifiquei muito com a Lana, foi que ela fala que as meninas não queriam mais ser crianças com dez anos, já queriam ser adolescentes e que ela não, que ela brincou de Barbie até dezesseis anos e como eu brinquei até os quatorze, me identifiquei. Hoje em dia as meninas dessa idade já são mães. E tem também a paixão dela por Smallville, só que enquanto ela amava o Clark, eu amava o Lex hehe. E quem nunca teve uma paixão por alguém famoso ou pelo professor ou algum conhecido mais velho? Enquanto lia estava lembrando das minhas paixonites. Fui apaixonada pelo Edson Celulari em Amor com amor se paga, depois pelo Tony Ramos em Rainha da Sucata. Também fui apaixonada pelo Fabio Junior e minha ultima paixonite foi pelo Ronaldo fenômeno. Hoje em dia só rindo disso hehe.

Tem muita história de bullying também. Coisas que na época eram consideradas "normais", mas que vendo hoje, deixavam uma marca em quem era o alvo dessas "brincadeiras". E a nossa protagonista sofreu bastante, tanto na escola como em casa. E o interessante é ver que só mudam os lugares, mas as pessoas são sempre as mesmas. Tem os nerds, tem o grupo popular com aquela garota que tem mais dinheiro que os outros e se acha melhor por isso, tem aquela que imita a gente em tudo, se veste igual, compra tudo o que você compra. E tem aquelas que não ligam para a opinião dos outros e é amigo de todo mundo.

Agora vou falar o que não gostei no livro. Primeiro, achei bastante erros de revisão. Segundo, eu fiquei perdida varias vezes, porque de um parágrafo para o outro, a Lana mudava o assunto. E por último, o que estava muito legal no começo, acabou se tornando maçante pelo tanto de páginas. Se tivesse umas 200 páginas tudo bem, mas com quase 500, o mesmo assunto o livro todo acabou se tornando bem enjoativo. E também outra coisa que me irritou foi a protagonista. Ela começa o livro com dez anos e aos dez as suas atitudes eram aceitáveis. Mas o tempo vai passando, ela vai envelhecendo e as atitudes continuam iguais. Mas apesar das ressalvas, é um livro bom e eu recomendo para quem quer relembrar e se divertir com isso. Só recomendo que leia um pouquinho por dia, assim não enjoa hehe.

Nota:





23 janeiro 2017

Top 5 | Trilogias que pretendo finalizar esse ano

Como vocês já devem saber, esse ano não estou participando de nenhum desafio. Estou com 243 livros na estante que ainda não li, #vergonha, e pretendo diminuir bem esse número nesse ano. E tem algumas trilogias que estão ali faz um tempão já e que esse ano eu pretendo finalizar.
São elas:

5- Matched
Eu li Destino logo que lançou em 2011, quando começou a onda de distopias, e demorei um tempão para comprar os outros e até agora não consegui ler. Espero que os outros livros continuem bons igual o primeiro.


4- Queen of Babble
A Rainha da fofoca eu li quando estava na fase Chick-Lit e nem sabia que tinha continuação. Quando descobri, corri comprar e estão lá na estante esperando eu ler.



3-The Game
Essa é a trilogia que está a menos tempo na estante, já que o último foi lançado o ano passado. Mas é uma trilogia que quero muito ler porque amei o primeiro. E é da DarkSide, um capricho só.



2- Trilogia da Névoa
Essa trilogia está parada na estante por motivos egoístas. Eu amo o Zafón e como não tem muitos livros dele lançados por aqui, estou economizando para ler hehe. Eu li o primeiro e amei, mas ainda não publiquei a resenha dele. Mas esse ano pretendo ler os outros dois.



1- Feita de Fumaça e Osso
E no primeiríssimo lugar essa trilogia que comprei pela capa e acabei amando a história. Falta só o ultimo, mas sabe quando bate aquele medo de não ser tão bom quanto os outros? Por isso que não li ainda. Mas esse ano lerei com certeza.




E vocês já leram algum desses? O que acharam?



22 janeiro 2017

Resenha | Qualquer Outro Lugar - A. G. Howard


Livro: Qualquer Outro Lugar
Série: Splintered # 3
O Lado Mais Sombrio
Atrás do Espelho
Gênero: Fantasia, Releitura
Autora: A. G. Howard
Editora: Novo Conceito
Páginas: 416
Ano: 2016

Contém spoilers dos livros anteriores

Resenha:
Depois de lutar contra a Irmã Dois e contra a Rainha Vermelha, Alyssa está viva. Mas ela perdeu quase todas as pessoas que ama no processo. Sua mãe foi levada para o País das Maravilhas em ruínas e os portais para lá, agora estão todos fechados. Jeb e Morfeu foram arrastados pela Rainha Vermelha para Qualquer Outro Lugar, uma espécie de cadeia do mundo intraterreno. E seu pai acha que ela está louca e internou Alyssa, assim como ele tinha feito com sua mãe anteriormente. E Alyssa não pode nem mostrar a verdade para seu pai, para não correr o risco dele se lembrar de todo o horror que viveu antes de ser salvo por Alison. Mas isso seria um impedimento para a Alyssa de antes. A Alyssa que sobreviveu à batalha, está sendo comandada pelo seu lado intraterreno e vai fazer de tudo para trazer sua mãe e Jeb de volta, mesmo que o único caminho para isso seja seu pai recuperar suas memórias. Por isso ela faz com que ele fique pequenininho e vai com ele até o trem das memórias. 

E não é só as memórias de seu pai que ela quer visitar. Se ela quer derrotar a Rainha Vermelha, ela precisa saber seu ponto fraco. Nem que para isso ela precise usar seus poderes de Rainha e passar por cima de quem estiver na sua frente. Só que as memórias da Vermelha que estão lá, são memórias repudiadas e Alyssa não vai somente assistir o que aconteceu, as memórias vão entrar em sua cabeça e se ela não for forte o bastante, as memórias vão enlouquece-la. E as memórias da Vermelha faz Alyssa perceber que as duas são mais parecidas do que ela pensava. A Vermelha também cresceu longe de sua mãe, teve um pai distante e perdeu o amor da vida dela por um erro besta. E por mais que Alyssa não queira, ela começa a criar uma certa empatia com a Vermelha. Mas ela consegue tirar as lembranças de dentro dela e transferir para um diário, o que não impede de Alyssa lembrar o que aconteceu com a Vermelha a todo instante.

E felizmente eles conseguem recuperar as memórias de seu pai e ele sabe como ir para o País das Maravilhas, e a entrada é por Qualquer Outro Lugar. Seu pai antes de ser capturado pela Irmã Dois, estava treinando para ser um cavaleiro Branco. Os homens de sua família são chamados para guardar os portões de Qualquer Outro Lugar. Mas não será fácil entrar, principalmente pela animosidade de todas as criaturas contra Alyssa, que fechou os portais entre os dois mundos. E o mais difícil ainda será encontrar seus dois amores, porque Qualquer Outro Lugar, é um lugar de onde as pessoas nunca mais voltam a ser as mesmas de antes. E Alyssa não estava preparada para o que ia encontrar, principalmente o Jeb. Mas ela tem que seguir em frente e derrotar de uma vez a Rainha Vermelha, mesmo que isso custe mais do que ela está disposta a pagar.

"O primeiro duende tinha razão. Eu sou o epítome de Alice.
Uma Alice de pesadelo.
Uma Alice que enlouqueceu, que tem sede de sangue.
Quando eu encontrar a Rainha Vermelha, ela vai implorar para que eu só corte sua cabeça."

Final de trilogia é sempre difícil. Fica aquela ansiedade para que a história termine bem e do jeito que a gente gostaria. E também a esperança de quer todas as dúvidas e questões levantadas durante a história sejam respondidas. E são poucos os autores que conseguem fazer isso. Como disse nas outras resenhas, eu comecei a ler essa trilogia por causa das capas maravilhosas, e me surpreendi com a belíssima história que encontrei. Eu nunca li a história da Alice original, mas sei do que se trata graças as inúmeras adaptações, tanto literárias como para o cinema. E essa me surpreendeu pelo tom sombrio que a autora colocou na história, principalmente por causa de um dos personagens principais, o Morfeu. Os cenários são fantásticos, e enquanto lemos é como se assistíssemos um filme, de tantos detalhes que a autora nos mostra. Até parece que são lugares reais.

No primeiro livro a aventura aconteceu no País das Maravilhas, no segundo no nosso mundo e no terceiro em Qualquer Outro Lugar, por isso dessa vez o cenário foi ainda mais desolador do que até então tinha sido mostrado. E adorei acompanhar a história em mais um cenário incrível criado pela autora e conhecer todas aquelas criaturas fantásticas. O triângulo amoroso faz parte das decisões que Alyssa tem que tomar, já que seu coração está dividido entre Jeb e Morfeu, mas a escolha maior não é amorosa e sim entre os dois reinos. Metade de seu coração é humano e metade intraterreno e a grande dúvida é qual das duas metades vai ganhar essa disputa. E posso dizer que gostei do final que a autora preparou, mesmo já tendo visto um final bem parecido em uma das trilogias que finalizei no ano passado, que não vou dizer qual é para não soltar spoilers.

Os personagens evoluíram muito ao longo dos livros, mas não perderam sua essência durante o processo. Alyssa passou de uma menina assustada e dependente, para uma mulher forte e decidida. Jeb que me conquistou desde o inicio acabou se revelando ainda melhor do que eu previa, quero um Jeb pra mim hehe. Já Morfeu foi amor e ódio desde o começo, mas nesse livro eu consegui ver por trás das aparências e acabei gostando dele. A mãe de Alissa eu odiei no começo da história, mas quando conheci a história toda, acabei simpatizando com ela. Já os seres intraterrenos não tem nem o que falar, porque são todos encantadores a seu modo. E para não me alongar ainda mais, só me resta recomendar essa trilogia. Além de capas e edições maravilhosas, a história vale muito a pena.

Nota:





20 janeiro 2017

Aventura - Cachoeira - Petar

Olá queridos e queridas. Vim compartilhar com vocês minha ultima aventura... eu me senti o Indiana Jones hahhaha, mas sem todo o preparo fisico e etc hahhaahha.

Desde muito novinha (devido a influência dos filmes de aventura da sessão da tarde) sempre tive vontade de fazer trilha, dormir em barraca, correr de pedras que rolam .... opa isso não hahahhaha. Mas fazer algo do gênero... E esse dia chegou!!! Gente confesso que fiquei muito ansiosa, me preocupando se eu ia me machucar, se ia morrer afogada, o que ia comer, quem ia me socorrer... pense numa pessoa que até pensou em desistir. Primeiro como eu disse, não estou em bom preparo físico e pra ajudar estou acima do peso -.- e mais urbana que tudo. Bem, vocês devem está se perguntando "onde essa doida foi parar?" Fui pra Petar!!! sim Petar, fica na Serra da Ribeira/SP. O lugar tem varias e lindas e maravilhosas cachoeiras, cavernas e uma delas a mais conhecida é a Caverna do Diabo, por que desse nome? então é simples, no fim da trilha dentro da mesma tem na parede o "retrato" do dito cujo. Agora como a cara dele foi parar na parede fica pra nossa imaginação.


Saímos de Sorocaba a noite de sexta-feira (25/11) e chegamos lá 1h da manhã. Chegamos e já fomos para o quarto se instalar e dormir. Fiquei em um quarto com 3 beliches. Dividi o quarto com mais 2 meninos e 1 menina; super de boa.
Sábado acordamos 7h da manhã, banho e um café da manhã caprichado. E então pegamos nossas mochilas, lanches e água e fomos pra van. O motorista nos levou ao ponto inicial do nosso trajeto. A adrenalina estava à flor da pele. Daí nosso guia diz "vamos começar por aqui, é uma descidinha mas bora la!" só peço que alguém explique pra ele que é feio mentir hahahaha. Gente é serio, a ladeira é tão íngreme que minhas pernas tremiam, parecia que eu ia chegar no centro da terra e chegar na china, tá um pouco menos, mas parecia mesmo não ter fim. E fomos assim nesse trajeto, ora descendo, ora subindo, e detalhe... pedras escorregadias, então atenção nunca é pouco. E depois sobe ladeira, e atravessa cachoeira, e sobe e desce com auxilio de cordas, e bate joelho, e acha que não vai conseguir... Porém, cada cachoeira encontrada no caminho era um deleite, a vontade era de ficar por ali e curtir aquela maravilha. E nessa brincadeira foram 13 cachoeiras que conhecemos, fizemos o caminho do Vale das Ostras. Amei, mas o melhor estava por vir. Fomos conhecer a cachoeira do Meu Deus. E o caminho para essa foi mais suave, deu pra respirar melhor e contemplar toda a beleza local. Daí então quando levanto a cabeça e vejo aquela imensa cachoeira, linda se exibindo em todo seu esplendor, fiquei com olhos brilhantes e de boca aberta. Realmente é linda, fomos nos aproximando, e pude entrar na piscina que forma, água gelada e o coração a mil. Parei por um momento olhando tudo aquilo e pude agradecer e contemplar como o nosso criador é criativo e nos deixou coisas lindas. Depois do meu momento de contemplação fui me arriscar tomar um banho ali debaixo da queda de água, ahhhhh gente... preciso aprender nadar.... não sou tão corajosa assim né... mas aproveitei tudo dentro dos meus limites.

Após nossa peregrinação e contemplação fomos para a Caverna do Diabo. É uma das mais famosas cavernas do Brasil. Daí já era um misto de Globo Repórter com Indiana Jones hahahhaa. Aprendemos um pouco sobre o palmito (quem gosta disso, por favor só comam marcas legalizadas e colabore com nossa flora) E então fomos até a caverna, para andar lá é tranquilo, pois foi construído uma passarela, tem iluminação em lugares estratégicos e todos podem ir independente da idade. Lá dentro é outro lugar que a própria natureza vai moldando, é I N C R I V E L !!! é uma obra de arte a olho nú, e cada lugar ou ângulo que você olha,, é algo diferente. Ainda bem que o guia gostava de falar e demorou bastante tempo com a gente lá, assim pude observar tudo. Sem contar que em um momento ele quis nos mostrar como é realmente escuro lá dentro, e correu para apagar as luzes. O breu é total que me senti no espaço. não dava pra ver absolutamente nada. A caverna tem uma grande extensão porém andamos um curto caminho, que já foi super válido.

Uma das que fomos encontrando pelo caminho
Fim de tarde, fomos para a nossa pousada, banho, descansar e um luau gostoso com fogueira. E depois nada melhor que uma cama quentinha.

à caminho da cachoeira do Meu Deus


Cachoeira do Meu Deus.
Lindo né? lá dentro da caverna

Entrada da Caverna do Diabo
Estalactite e Estalagmite, dentro da Caverna

3° Cachoeira do Sem fim


Domingo e ultimo dia; de manha houve uma aula de Yoga, mas preferi fazer dormindo em minha cama gostosa hahhaaha. Após o café, fomos para a Cachoeira do Sem Fim. São 3 lindas cachoeiras e um percurso tranquilo... bem poderia ser tranquilo se eu não sentisse tanta dor nas coxas hahhaha. Ficamos por ali curtindo aquela delicia de cachoeira e depois voltamos a pousada, tomar banho, arrumar as coisas, se despedir dos nossos anfitriões, almoçar e pegar a estrada para casa. Mas antes tínhamos o mirante para ir... olha na próxima vez que falarem pra mim que tem um mirante pra eu conhecer vou desconfiar... Subimos uma ladeira de fazer chorar... minhas pernas não aguentavam dar mais nenhum passo. Mas valeu a pena pois a vista é encantadora...

Vista do Mirante

Os sobreviventes, cansados e felizes aventureiros
E assim foi um final de semana com muitas risadas, caminhadas, novas amizades, picada de mutuca... e por falar nesse ser tão minúsculo que deixa as pernas em estado terrível... quem deixou elas entrarem no barco de Noé? Noé vamos ter uma seria conversa viu (já não basta as baratas e ainda tem as mutucas?)

Dicas :
Repelente
Toalha de banho
Roupa de banho
Tênis com um bom solado.
Roupas leves (não precisam ser novinhas)
Garrafinha de água
Lanchinhos ou frutas
e outras coisas mais...
Da esquerda para a direita. Rodolfo (meu parça) Thiago, Branca e Eu.

E antes que me perguntem, não fui sozinha, fui com um amigo que sempre está em todas hahhaha E lá ficamos próximos e fizemos amizade com nossos colegas de quarto, formamos um quarteto muito bacana, ambos foram sozinhos. Quem sabe um dia eu não faça o mesmo, ir viajar só... mas enquanto isso, sem desculpas de fazer aquilo que tem vontade, mesmo se for gordinho (a) não te impõe limitações, vá e viva! Pois nada melhor que conhecer novos lugares, pessoas diferentes e voltar com a bagagem (a vida) ainda mais cheia de historia pra contar.
Não precisa ir pra muito longe para dizer que fez uma viagem, assim como viajamos lendo, assistindo, podemos ir numa cidadezinha próxima de nossa cidade e conhecer coisas novas. Viagem boa não é aquela que foi caríssima e com selos no passaporte. É aquela que você realiza seu sonho, conhece algo novo e vive novas historias.

Espero que tenham gostado desse "pequeno" diário de bordo. E nos conte qual viagem que você fez que foi marcante, se já conhece Petar ou quem sabe já faz algum ecoturismo.... Enfim... deixe seu comentário.
Beijos e até breve!




19 janeiro 2017

Resenha | Sobreviventes do Caos - Bianca Gulim


Livro: Sobreviventes do Caos
Série: Da Trilogia 2323
Gênero: Distopia
Autora: Bianca Gulim
Editora: Independente
Páginas: 457
Ano: 2016

Resenha:
Em 2222 um vírus letal acabou com metade da população da Terra em questão de meses. Depois de contraído o vírus, a pessoa só tinha mais 72 horas de vida. Os Estados Unidos conseguiram desenvolver uma vacina, mas a matéria prima para a fabricação era escassa e o governo americano decidiu que não iria compartilhar o medicamento com o resto do mundo. Isso, é claro, gerou uma revolta em todos, e não demorou para que uma guerra mundial acabasse com quase todas as pessoas que sobreviveram ao vírus. Em 2223 não somente as pessoas, mas também o planeta estava destruído. Os poucos que ainda tinham o vírus foram mortos, e os sãos ficaram com a difícil tarefa de recomeçar em um mundo devastado pelo caos.

Cem anos depois vamos acompanhar o que aconteceu com os sobreviventes através de Celine. Celine tem dezenove anos e é uma guerreira, assim como seu irmão Julio. E enquanto Julio é o líder do povo, Celine é a líder dos guerreiros. No momento Celine esta no comando de tudo porque seu irmão foi até a Fortaleza em uma missão de paz. O problema é que seu irmão está ausente a muitos dias e Celine não está mais aguentando de preocupação, por isso ela decide que vai atrás dele. Para isso ela pede a ajuda de seu melhor amigo Darion. Ela sabe que não deveria deixar o povoado desprovido dos dois melhores guerreiros, mas ela precisa da companhia de Darion nessa busca. Mas quando um outro guerreiro, Max, descobre o que ela vai fazer, ele faz Celine prometer que vai com ela. Celine tem uma queda por Max, mas não se permite assumir seus sentimentos. 

Julio sempre foi a favor da paz, por isso quando o Povo da Areia atacou os Aligortes, ele precisou intervir e seu povo acabou matando algumas pessoas no processo. Por isso a sua ida até a Fortaleza, que são o povo que mandam em todos os outros povos, já que eles são os únicos que tem armas e tecnologia. Mas o que Celine não entende é o porque do povo da areia ter atacado os Aligortes com seus guerreiros mais fracos. E o motivo deles terem atacado. Ela tem certeza de que tem alguma coisa muito errada nisso. E quando começa a investigar, ela acaba presa pelos Aligortes, que ela não sabe como, tem em seu poder uma arma de fogo. É assim que ela conhece Luke, que está preso na mesma cela que ela e a irmã caçula dele. Sem saber em quem confiar, Celine vai descobrir que em um mundo como o deles, somente os mais fortes sobrevivem e os mais fortes não podem ter outra coisa em seu coração além da crueldade.

Eu adoro uma distopia, por isso quando recebi o convite da autora para resenhar seu livro, é claro que aceitei. Já comecei a história gostando bastante, já que temos uma explicação para o que aconteceu no prólogo. Odeio esses livros de distopias que não dão explicação nenhuma para o mundo ter chegado até aquele ponto. Mas me decepcionei um pouco ao ver que era narrado em primeira pessoa. Acho que já falei aqui em outras resenhas que prefiro em terceira. Me sinto meio enganada quando é primeira pessoa porque as vezes a pessoa que está narrando faz a gente ir por um caminho e na verdade é outro. E também como conhecemos as outras pessoas pelos olhos de quem está narrando, não sabemos se o que está sendo dito é a realidade mesmo ou se é o que a pessoa que está narrando vê.

Mas ainda bem que a Celine é uma pessoa muito interessante, então relevei. Celine está meio no escuro, ela vai descobrindo as coisas ao longo da história e vamos descobrindo junto com ela. Temos algumas cenas de seu passado que nos situa bem no contexto atual, e assim podemos ver como ela se transformou na mulher fria e guerreira que ela é hoje. Max me ganhou no primeiro instante em que apareceu na história e torci para que Celine assumisse o que sentia por ele. Luke, creio eu, vai entrar no meio do casal e formar um triangulo amoroso nos próximos livros, mas já gosto dele um montão. E tem muitos outros personagens interessantes que acredito ganharão mais destaque no decorrer da história. Como um primeiro livro de uma trilogia, esse foi ótimo.

Eu li o livro muito rápido porque a história é tão boa e daquelas que a gente não consegue largar enquanto não vê o fim. Se eu estivesse lendo um livro físico eu tinha olhado o final porque não me aguentava de curiosidade para saber mais da história e onde aquilo tudo ia dar. Mas como era e-book, precisei me roer de curiosidade. E eu que nunca acerto as coisas, nunca adivinho nada, acertei o que ia acontecer no final. Nem acreditei quando vi que era exatamente o que eu tinha imaginado. Fiquei naquele misto de alegria por ter descoberto o que ia acontecer e de cara porque foi um baque para a personagem. Enfim, quero falar muito sobre o livro, mas se falar mais do que já falei, vou acabar soltando spoilers. Então só me resta recomendar que leiam o livro. A história é ótima.


Nota:



 Onde Comprar:


© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo