22 junho 2017

Resenha | A Espada de Vidro - Victoria Aveyard


Livro: A Espada de Vidro
Série: A Rainha Vermelha #2
#1 - A Rainha Vermelha
Gênero: Distopia
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Ano:  2016
Páginas: 496

Resenha: 


Contém spoiler do livro anterior. 


"Se sou uma espada, sou uma espada de vidro. E já me sinto prestes a estilhaçar."

Mare Barrow só tinha uma preocupação na vida, prestes a completar dezoito anos, ela queria descobrir um jeito de escapar do alistamento obrigatório na guerra de Norta contra Lakeland. uma guerra sem sentido que já dura anos. E é exatamente tentando escapar do alistamento que ela conhece o príncipe Cal e ele consegue um emprego para ela como criada da família real. Mas as coisas não acontecem como o esperado e logo no seu primeiro dia no emprego, Mare descobre que apesar de ter o sangue vermelho, ela tem a habilidade de controlar a eletricidade. Os poderes até então eram exclusivo dos prateados. Mas essa descoberta se dá em publico e para contornar a situação o Rei faz um acordo com Mare e ela terá que fingir ser uma nobre prateada. Só que a Guarda Escarlate, um grupo de vermelhos rebeldes, vê Mare como um trunfo e Mare acaba fazendo um jogo duplo.

Porém Mare confia na pessoa errada e as coisas terminam da pior forma com Mare e Cal condenados a morte. Só que eles conseguem fugir com a ajuda da Guarda Escarlate. Mas Cal apesar de estar com eles, aos olhos de todos os vermelhos ele é um prateado, por isso ele está algemado, mesmo tendo todos os prateados em seu encalço, já que ele é acusado de matar seu próprio pai, cortesia de Maven e da Rainha Elara. E mesmo tendo conseguido fugir da execução eles ainda não estão seguros. Enquanto fogem no trem em direção ao esconderijo da Guarda Escarlate eles sabem que a qualquer momento Maven vai atacar. E Cal avisa que Maven vai vir com tudo o que eles tem. E depois de ter sido traída da pior forma, Mare não sabe se pode confiar em Falsey mesmo que seu irmão Shade, que graças a Deus esta vivo e tem poderes como ela, e seu amigo Kilorn, estejam com a Guarda.

E Cal estava certo. Eles são atacados pelo ar e por terra. Mas nem Cal poderia imaginar o que Maven faria: a linha de frente é ocupada por criados vermelhos acorrentados servindo de escudo para os soldados prateados. E novamente Mare e Cal lutam juntos e mesmo com toda destruição causada por Maven e seu exército, eles conseguem escapar. Mas Mare não é mais a mesma. Aquela Mare morreu no dia em que caiu no escudo elétrico. Essa nova Mare não confia mais em ninguém e não consegue se encaixar entre os vermelhos que também não a veem como uma igual. Por isso Mare só tem um objetivo em mente: encontrar os iguais a ela. Ela tem uma lista de vermelhos com poderes prateados. O problema é que Maven também sabe todos os nomes que estão na lista e chegar até eles antes de Maven é uma questão de vida ou morte. E se conseguir eles terão um exército para lutar de igual para igual.

"Sou a primeira a agarrar seu braço. Seguro firme. Ainda que não possa confiar em Kilorn, em Cal e em mais ninguém, posso confiar no poder. Na Força. Na energia."

Quando fui ler A Rainha Vermelha, li morrendo de medo, porque até então tinha lido muitas resenhas negativas dele. Era todo mundo falando que não tinha nada original na história, que era basicamente uma salada de outras distopias. E também era só coisas negativas sobre a protagonista. Mas felizmente eu li o livro e amei. Realmente tem muitas coisas de outros livros, mas se pensar por esse lado, qual livro que a gente lê que não tem nadinha de nada de algum outro que a gente já leu ou ouviu falar. Mas apesar de ter amado, eu acabei demorando um tempão para ler o segundo. Só agora consegui pegar ele para ler. E dessa vez infelizmente eu tenho que concordar com as resenhas negativas que li da série. O segundo livro pouco acrescentou à história e tem muitas referencias a outros livros famosos. Tem até uma cena muito igual a Jogos Vorazes. E a protagonista, meu Deus.

Eu tinha gostado da Mare no primeiro livro, mas nesse eu até que tentei dar desculpas para suas atitudes, mas no fim não teve jeito, fiquei com vontade de entrar no livro e dar umas sacudidas nela para ver se ela enxergava alguma coisa que não fosse seu próprio umbigo. Ela passou metade do livro se lamentando porque foi traída pelo Maven e não querendo acreditar que aquilo realmente tinha acontecido e passou a outra metade achando que era a super poderosa invencível que não importava quem ela magoasse pelo caminho, que no fim só o poder dela é que valia a pena. Se eu fosse a autora ia dar um jeito de ela perder seus poderes só para ver o que ela ia fazer. Mas gostei do que a autora fez no final, ela merecia muito mais do que aquilo. Como já estou com o terceiro livro aqui na estante, já vou começar a ler e espero que ela mude essas atitudes, se não vai ficar impossível continuar lendo a série.

Mas nem tudo foi ruim, até por isso ainda dei uma nota alta para o livro. Espada de Vidro começa exatamente na mesma cena em que A Rainha Vermelha terminou, por isso já temos ação logo no inicio do livro. E o livro é praticamente isso, ação, atrás de ação. Não temos grande reviravoltas como no primeiro, mas eu como fã dos X-Men, não poderia deixar de apreciar tantas pessoas com poderes juntas. Eu queria muito ter o poder de uma das garotas. Ela tem uma memória perfeita, consegue se lembrar de tudo o que já leu, ouviu ou viu em sua vida. Imagine que bom seria para lembrar de todos os livros que já lemos? hehe. Quanto aos demais personagens, Maven pouco aparece, e quando o faz rouba a cena. Cal me decepcionou um pouco também por ficar passando a mão na cabeça da Mare. E os outros praticamente foram ofuscados pela chatice da Mare, que é a narradora da história. Mas em compensação a capa está ainda mais linda que a do primeiro livro. Emfim, leia por sua conta e risco.

Nota:







21 junho 2017

Tag | Com que filme eu vou?

Fomos indicadas pela Nana do blog Canto Cultzíneo para responder essa tag. Consiste em responder perguntas relacionadas  a filmes. E como a expert de filmes aqui no blog é a Olivia, as respostas vão ficar por conta dela.

As regras são:
- Colocar o link do blog que te indicou;
- Indicar mais cinco blogs para responder a TAG.

Meu povo, vou procurar sugerir alguns que talvez não é falado com tanta frequência. Para apresentar novas opções. 

1 - UM FILME PARA ASSISTIR SOZINHA


Por se tratar de uma linda historia e cheia de detalhes que são melhores absorvidos quando não tem interferência de outras pessoas. É por isso que escolhi O Capitão Fantástico. 

2 - UM FILME PARA ASSISTIR QUANDO ESTÁ CHOVENDO



Esse é o tipo de filme que dá pra assistir em qualquer momento da vida, mas como as vezes dia de chuva é meio deprê, escolhi esse que é puro amor e tem uma mensagem linda sobre família.


3 - UM FILME PRA TE FAZER DORMIR



Todos concordam que Darin é o cara e que Tese sobre um homicídio é um bom filme, mas se você assiste sem estar muito atento dá um soninho bão sô rs


4 - UM FILME PARA ASSISTIR BÊBADA



Bêbada? rsrsrs não entendi o porque dessa opção, mas como todos que bebem vê graça em tudo... vai que com um pouco de álcool esse filme fique um pouco mais interessante rsrs


5 - UM FILME PARA ASSISTIR QUANDO VOCÊ ESTÁ FAZENDO OUTRA COISA



Particularmente tenho o habito de assistir filmes fazendo as unhas, e as vezes colocando o quarto em ordem. Mas deixo a sugestão de Sing pois é uma animação musical e bem animadora.


6 - DOIS FILMES PARA SEREM ASSISTIDOS EM SEQUÊNCIA



Ah o que dizer do filme que a gente respeita? sou suspeita pois amo Narnia, já fiz maratona varias vezes e não tem como enjoar... Narnia é puro amor!


7 - UM FILME PARA ASSISTIR ACOMPANHADA



Acompanhada aqui acredito que seja pelo crush certo? Então sugiro Sem limites, é um filme com um tema muito bacana e com o lindo do Bradley Cooper 


8 - UM FILME PARA ASSISTIR COM OS AMIGOS



Olha me desculpe aqueles que não curtem um terror, mas adoro assistir filmes de terror com amigos, alem de passar medo (confesso) me divirto. Se você tem medo tente assistir com seus amigos, talvez o medo fique menor.


9 - UM FILME PARA ASSISTIR COM A MÃE


Minha mãe dificilmente para pra assistir filmes, mas quando resolve assistir ela quer ver algo que valha a pena. Deixo então Flores do Oriente. É um filme baseado numa historia real e emocionante.


10 - UM FILME PARA ASSISTIR COM O PAI


Logan... ai ai (suspirando) posso colocar como sugestão em todos os anteriores? rsrs Sou fã.
Meu pai é outro que também é seletivo pra ver filmes, prefere ficar no youtube hahahaha. Mas acredito que esse ele iria gostar de assistir junto comigo. 

Indicados:
- The Tony Lucas Blog
- Momento Crivelli
- Meu Epílogo
- Estante da Ale
- O que tem na nossa estante




19 junho 2017

Resenha | Fisheye - Kamile Girão


Livro: Fisheye
Série: Não
Gênero: Drama, Romance
Autora: Kamile Girão
Editora: Wish
Ano: 2017
Páginas: 316

Resenha:
Ravena Sombra tem dezesseis anos, mas quem olhar para ela hoje vai achar que ela tem muito mais. Afinal ela se vestiu para isso. Ela demorou horas se arrumando para parecer mais velha. Horas literalmente, e a maior parte desse tempo só para fazer a maquiagem. Mas isso é culpa da lâmpada do banheiro que mal dá para enxergar seu rosto. Essas lâmpadas feitas hoje em dia parecem que não funcionam direito e estão cada vez mais fracas. Mas a demora vale a pena e quando ela olha no espelho ela está perfeita. Ela está ansiosa para sair, já que faz tempo que ela não sai, pois, tem dedicado suas noites para estudar para o vestibular. Ela vai para a White Elephant, a boate mais cara e inacessível da cidade com seu amigo Micael. Mas quando Micael chega e ela sai para a rua, Ravena tem a impressão de que não é só a lâmpada do seu banheiro que está com defeito, parece que as da rua também estão bem mais fracas. Desde quando o mundo virou uma espécie de produção do Tim Burton?

E quando ela olha para Micael, ela mal consegue distinguir suas feições, ele mais parece com um rascunho estragado por manchas de tintas escuras. Micael conhece Ravena a tanto tempo que logo percebe que tem alguma coisa errada com ela, mas Ravena disfarça e diz que está tudo bem. E dentro do carro a escuridão é ainda maior. Quando chegam na boate, Ravena já perdeu toda a empolgação, mas como não quer estragar a noite de ninguém, ela permanece firme. Mas dentro da boate as coisas só pioram e quando Ravena percebe já está no chão com a cabeça machucada. Ela vai parar no ambulatório da boate para aguardar seu pai vir buscá-la, já que é menor de idade e está em uma boate para maiores. E Micael tem certeza de que ela caiu por estar bêbada. Mas sua preocupação nem é a humilhação e a vergonha que já passou e que ainda vai passar, o problema é o que realmente está acontecendo com seus olhos.

"— Ei, olha para mim – obedeci, um pouco vacilante. Daniel parecia sério e seus olhos claros, um céu infinito de sabedoria em que eu poderia me perder. Por alguns instantes, tragada pelo seu olhar, me esqueci do motivo pelo qual resolvi falar com ele sobre meus medos. Mais uma vez, me senti em cima de uma montanha-russa. — Você não é apenas isso, Ravena. Tem muito mais em você do que apenas a deficiência. Talvez as coisas estejam meio confusas agora, mas tudo isso é um processo de aceitação"

Desde criança Ravena tem se esforçado para ser aceita. Não que ela seja a garota perfeita, mas ela soube valorizar seus pontos fortes e segue a risca as regras para sobreviver em um mundo de aparências. Mas ela vê seu mundo desmoronar quando chega na escola na segunda feira e todos compartilharam um vídeo do que aconteceu com ela na boate. Mas o pior ainda estava por vir. Quando finalmente ela passa por um oftalmologista, ela descobre que tem retinose pigmentar. Sua retina está se degenerando e em pouco tempo, ela poderá ficar completamente cega. Ela sai do consultório desnorteada e não tem ninguém com quem ela possa dividir esse fardo. Seus pais nunca dão atenção e suas amigas, apesar dela ser a garota mais popular da escola, ela sabe que não pode contar com nenhuma delas. E nessa nova fase de sua vida, ela vai poder contar com a ajuda de quem ela menos imagina.

" — Mas sobre a sua primeira pergunta, nunca parei para pensar no que faria se descobrisse que poderia ficar cego.
— Não precisa responder se não quiser.
— Mas é um pensamento interessante. O que eu faria...? Bem, o que eu faria?
Daniel ficou quieto. Depois de uma demorada reflexão, falou:
— Acho que, se estivesse em uma situação do tipo, tentaria registrar toda a beleza que meus olhos veriam até o derradeiro dia. "

Em primeiro lugar o que chama a tenção nesse livro é a capa, linda demais. Depois o drama presente na história. Eu sempre usei óculos desde que eu me conheço por gente e já sofri muito por isso, tanto pela parte estética, hoje em dia isso até diminuiu bastante por causa da tecnologia e pelos óculos estarem sendo vendidos como acessório, mas a 30 anos atras quem usava óculos já era taxado como feio e aberração logo de cara e também pela parte da deficiência visual mesmo. Eu tenho miopia e astigmatismo, ou seja, não enxergo de longe e a noite como diz o ditado, todos os gatos são pardos. Por isso já fui vista como mal educada por não reconhecer as pessoas e tantas outras coisas. mas nada que um bom óculos não resolvesse. Então por isso a história desse livro mexeu muito comigo, porque, quem usa óculos que nunca pensou nessa possibilidade de não poder enxergar mais? Ainda mais nós leitores vorazes, como seria ficar sem poder ler?

E Ravena ainda tem um agravante, ela era perfeita, nem que fosse somente de fachada. Mas como eu disse, eu praticamente cresci com um óculos na cara, agora imagino isso em uma pessoa que era a garota mais popular do colégio. Seu mundo perfeito praticamente desmorona e é ai que ela percebe que aquilo tudo o que ela estava vivendo era apenas uma vida de ilusão. De repente ela não tem ninguém nem para contar o que está acontecendo com ela. Alguém que ela possa confiar tal segredo e dar o apoio que ela precisa. É na doença que ela vai conseguir ver além das aparências, que ela vai olhar para toda a beleza que está a nossa volta esperando ser apreciada e mal nos damos conta disso. E o apoio vai vir de um garoto que ela conhecia como uma aberração por ter parte de seu corpo queimado. Mas enfim ela vai conseguir ver além da "casca" que somos por fora e vai começar a dar valor para o que realmente importa.

Ravena foi um personagem incrível. É tão bom ver um personagem evoluindo na nossa frente. No começo eu fiquei com raiva dela, por causa de suas atitudes, mas então quando ela começa a amadurecer, não tem como não se identificar com ela e torcer pela garota que antes só enxergava o próprio umbigo e de repente está abrindo mão de um amor pela felicidade da pessoa amada. E que pessoa. Daniel é um encanto. Se tem uma coisa que faltou no livro foi pelo menos alguns capítulos narrados por ele, queria muito poder ter sentido melhor seus sentimentos. Ele teve seu corpo quase todo queimado quando ainda bebê, mas isso não impediu de ele ser uma pessoa adorável, mesmo sendo a aberração da escola, ele não se deixa abater e dá toda a força que Ravena precisa quando ela mesma se vê em uma situação dificil. Temos o Micael também, que tem sua própria história e drama e que também ganhou meu coração. Assim como Vitoria, irmã mais velha de Ravena. Enfim, para não me alongar mais do que já fiz, é uma história linda de superação e descobertas e que indico para todo amante de um bom livro de romance/drama.

Nota:




18 junho 2017

#69 | A Estante Aumentou

Não faz um mês ainda desde que mostrei os livros que chegou por aqui. Mas como dia 28 de maio foi meu aniversário, eu ganhei bastante livros e por isso vou mostrar já para não acumular. Três eu ganhei de umas amigas e os outros eu mesmo me dei de presente hehe. Então hoje é praticamente um especial de aniversário.

Esses três foram os que ganhei de duas amigas. Casada até quarta eu já li e já tem resenha. Passei na frente quando vi essa capa maravilhosa.


Já esses foram os que eu mesmo me dei de presente. Eu amo os livros da Holly Black, por isso não podia deixar de comprar esse. O Sorriso da Hiena eu vi tantos elogios dele no blog Meu Epílogo da Tamires que inclui ele no carinho. Espero gostar.


Já esses dois eu comprei porque amo o gênero mesmo. O da Loretta eu estou lendo o segundo da série agora. Já o da Lucy eu li um outro livro dela e amei, por isso comprei esse.


Bom a Carina dispensa comentários. E Três Coroas Negras eu fiquei louca por ele assim que vi ele sendo divulgado.


E vocês, já leram algum desses? O que acharam?



16 junho 2017

Resenha | Casada até Quarta - Catherine Bybee


Livro: Casada até Quarta
Série: Noivas da Semana #1
Gênero: Romance
Autora: Catherine Bybee
Editora: Verus
Ano: 2017
Páginas: 196

Resenha: 
Se tem uma coisa que Blake Harrison odeia é atrasos. E ele está atrasado. Blake marcou um encontro com Sam Elliot, um empresário dono de uma agência de casamentos, mas está preso no trânsito. Blake precisa estar casado até na quarta, e hoje já é segunda feira, mas não pode contar com nenhuma de suas "amigas". Porque na verdade ele não precisa de um casamento e sim de um contrato convincente por um ano. Tem que ser algo que convença os advogados de seu pai, mas também tem que ser algo que a "noiva" já entre sabendo onde está se metendo. Por isso ele aceitou se encontrar com esse empresário indicado por seu assistente. Blake é um milionário por esforço próprio, mas não pode deixar os trezentos milhões de seu pai ir parar nas mãos de seu primo. E sem falar no título de duque e na propriedade ligada a ele. E quando enfim ele chega ao local do encontro, ele tem uma surpresa. Sam é na verdade Samantha e ela além de ser uma ruiva linda, ainda tem a voz mais sexy que ele já ouviu.

Desde que abriu a Alliance, Samantha espera conseguir um contrato como esse. Ter um duque entre seus clientes colocaria de vez a Alliance entre os grandes nomes do mercado. Sem falar que com o dinheiro que vai receber, ela estaria em uma situação confortável pelo menos pelos próximos três anos. E ela precisa e muito do dinheiro no momento, ainda mais com sua irmã internada em uma clínica particular depois de tentar se suicidar e sofrer um AVC. Samantha deu a volta por cima depois que seu pai acabou com a família deles. Eles sempre foram muito ricos, mas esse dinheiro vinha das fraudes que seu pai cometia e quando tudo foi descoberto, eles ficaram sem nada. Tanto sua mãe como sua irmã sucumbiram a pressão, mas sua mãe morreu na hora, enquanto sua irmã vai precisar de cuidados o resto da vida. Por isso ela seleciona as garotas mais bonitas da sua agência, e que ela sabe que fazem o perfil de Blake.

Então quando Blake liga marcando uma reunião no mesmo dia, ela tem certeza de que vai conseguir fechar o contrato. Mas Blake tem outra proposta em mente. Ele está sem tempo para conhecer cada uma das candidatas, então ele quer que Samantha se case com ele. Além do valor que já havia sido negociado, ele ainda da um incentivo para Samantha: ele diz que vai pagar as despesas de sua irmã o resto da vida, mesmo que o contrato do casamento seja apenas por um ano. Num primeiro momento Samantha recusa, pois, ela é a dona da agência e não está no menu de pretendentes. Mas depois ela pensa bem e resolve aceitar. Eles viajam para se casar em Las Vegas, para dar a impressão de romantismo para impressionar os advogados. O problema será convencer o mundo e os advogados de que eles estão apaixonados enquanto tentam ficar longe um do outro, já que cada vez que chegam perto, é como se um fogo se acendesse dentro deles e o desejo fala mais alto. E chegar ao fim desse contrato com o coração intacto, parece ser impossível.

Eu vi esse livro sendo anunciado em uma postagem no blog Cantinho para Leitura e quando vi essa capa, eu morri. Acho que já disse aqui algumas vezes que tenho um fraco por capas com vestidos. Se for de noiva então, eu quero para ontem. E como meu aniversário foi dia 28 de maio e o lançamento do livro dia 29, casou e deu tudo certo para que eu ganhasse ele de aniversário. Quando chegou aqui em casa eu não queria largar mais ele de tão linda que é essa capa. Pessoalmente é ainda mais bonita do que nas fotos. Então furei a minha fila enorme de leituras e li ele. Como o livro é bem fininho, não tem nem 200 páginas, dá para ser lido em um dia. Mesmo querendo "economizar" ele para ficar com ele mais tempo em mãos hehe. A minha sorte é que é uma série, com histórias independentes, mas ainda vai ter mais seis capas maravilhosas dessas para eu admirar.

Para quem não gosta de um clichê, nem pense em ler esse livro. Ele é um clichê do inicio ao fim. Mas eu como amo um clichê, claro que não podia deixar de amar essa história assim como amei essa capa. Você começa a ler ele e já sabe como vai ser o meio e o fim, mas mesmo assim é impossível não se envolver e desejar estar na pele da mocinha para ter aquele mocinho adorável ao alcance. E por isso que não posso dar uma nota menor do que cinco para ele. Dentro do seu clichê, ele não deixou nada a desejar, cumpriu certinho o que prometeu. E já falei dessa capa maravilhosa que só por ela eu já daria um muito bom? hehe. Mas piadas a parte, não vou falar muito mais porque quem ama um clichê já sabe o que esperar, então é para você que indico esse livro. É uma leitura leve, despretensiosa e que vai deixar você com um sorriso no rosto e com aquela sensação de dinheiro bem gasto.

Nota:







15 junho 2017

Divulgação | Série Entre Mundos

Os dois primeiros livros da Série Entre Mundos da autora Thaylane Ramos já está em pré-venda no site do Kickante. E quem contribuir com o lançamento vai ganhar um monte de brindes legais. É só acessar o site e ver os pacotes. Nas compras acima de R$50,00 você pode parcelar a sua contribuição em até 6x! O preço promocional, o frete grátis e os brindes só serão válidos durante a pré-venda.


Quem não puder contribuir, pode ajudar a autora compartilhando a postagem no facebook. Deem uma forcinha para os nacionais pessoal.

Facebook - Kickante



Mudar o destino daquelas crianças era o mais correto a se fazer, certo? Não era justo que eles pagassem pelos erros de seus pais. Mas ter que decidir o destino de quatro pessoas que ainda nem sabiam se defender não era uma das tarefas mais fáceis. Thomas sabia das consequências, mas os amava demais para não arriscar.
Anos depois, uma vida, amigos, família e crenças, tudo se desmoronava. Então a vida deles não tinha passado de uma grande mentira? Ellen, Alma, Jason e Rodrigo veem suas vidas mudarem drasticamente de um dia para outro, de agora em diante ninguém mais era confiável. Todo o esforço de alguém do passado parecia não ter valido a pena... Tinham sido descobertos.
O primeiro livro da Série Entre Mundos leva o leitor a uma história intrigante, cheia de mistério, romance e traição, onde os deuses da Grécia Antiga ganham destaque numa batalha intensa contra os feiticeiros mais poderosos do mundo. O que você faria se descobrisse que a pessoa que acreditasse ser não existisse?
Resenha Aqui


Após uma traumática batalha contra os deuses olimpianos, os feiticeiros Alma, Ellen, Jason e Rodrigo decidem retomar suas antigas vidas em busca de paz e tranquilidade. A belíssima Espanha é o local escolhido para esse recomeço, e o início da faculdade parece ser o caminho mais indicado para isso. No entanto, se mudar para outro lugar e conhecer novas pessoas não apagava a realidade de que eles continuavam com os seus poderes, e que tinham que lidar com isso dia a dia para não expor o segredo da magia ao mundo.
Então, alguém inesperado reaparece, e um terrível desejo de vingança pode colocar tudo a perder. Algumas escolhas deverão ser feitas e isso poderá acabar com tudo com o que eles mais se importavam: amizade, amor e família. A volta dos Titãs era uma ameaça até mesmo para os deuses, e por isso, eles não podiam permitir que tal coisa ressurgisse. Mas, e se a confiança firmada há tantos anos por uma velha amizade fosse quebrada por interesses particulares? Você seria capaz de confiar novamente em um traidor?
Resenha Aqui



13 junho 2017

Resenha | Os Mistérios de Sir Richard - Julia Quinn


Livro: Os Mistérios de Sir Richard
Série: Quarteto Smythe-Smith # 4
#1 - Simplesmente o Paraíso 
#2 - Uma Noite Como Esta
#3 - A Soma de Todos os Beijos
Gênero: Romance de época
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2017

Resenha:
A pessoa tem que estar mal da cabeça ou desesperada para aceitar um convite para o Recital Anual das Smythe-Smith. A segunda opção é o caso de Sir Richard Kenworthy. Ele tem apenas duas semanas para encontrar uma esposa e como todos sabem que as garotas Smythe-Smith que se apresentam no recital são solteiras, ele vê ai uma oportunidade de encontrar uma esposa. Ele não tem pretensões de se apaixonar num futuro próximo, mas como ele tem necessidade de se casar o mais rápido possível, uma das garotas Smythe-Smith pode ser a candidata ideal já que pode estar igualmente desesperada para se casar e se livrar de passar vergonha no recital por mais um ano. Mas a coisa ainda é bem pior do que ele pensava e um minuto depois da apresentação iniciada, ele já está grato pelos chumaços de algodão e pela bebida que seu amigo Winston Bevelstoke lhe ofereceu. Ainda assim sua cabeça já começou a doer.

Mas ele não pode deixar de notar a Srta. Íris Smythe-Smith, a violoncelista que parece ser a única ali que sabe o que está fazendo. E ele não consegue tirar os olhos de Íris, que não combina nada com seu nome, já que a flor de íris é tão brilhante e Íris é tão pálida. E Íris percebe na hora que tem um cavalheiro que não tira os olhos dela. Ela está acostumada a ser invisível aos olhos das pessoas, por isso estranha quando alguém à fita tá intensamente. E ela fica tão nervosa que perde a entrada por duas vezes. Mesmo sabendo que as meninas são horríveis, ela não consegue deixar de fazer o seu melhor, mesmo que ninguém vá perceber em meio a tantas notas erradas. E ela só percebe seu erro quando Sarah chama sua atenção. E mesmo tendo visto o cavalheiro olhando para ela o recital inteiro, Íris fica desconfiada quando ele pede para ser apresentado e começa a lhe fazer perguntas como se estivesse interessado nela. 

E ela ainda não acredita quando Sir Richard vem visitá-la no dia seguinte e diz com todas as letras que está interessado nela sim. Íris fica encantada por estar sendo cortejada, já que isso nunca aconteceu. Mas isso não impede que Íris continue intrigada e desconfiada das atitudes de Sir Richard e de seu súbito interesse por ela. Ela acha que está tudo rápido demais. Mas Richard está sem tempo, e uma semana depois de conhecer Íris ele a pede em casamento. Íris diz que precisa pensar, é claro. Mas Richard não vai aceitar um não como resposta e provoca uma situação onde eles são pegos em flagrante e obrigados a se casarem, seu plano desde o início. E ele fica com a sensação de que Íris sabe exatamente tudo o que ele fez. Íris desconfia de que tem alguma coisa muito errada nessa história, mas nem imagina a verdade. Agora ela está casada com alguém que aparentemente é o homem mais apaixonado do mundo, mas quais são seus verdadeiros sentimentos? E porque Íris aceitou se casar com tanta pressa se não tinha certeza nem dos sentimentos de Richard, nem dos seus próprios? 

Romance de época é meu gênero literário favorito. Gosto de coisas previsíveis e não tem nada mais previsível do que um romance de época. Geralmente temos um libertino e uma mocinha a frente de seu tempo que quer se casar. Eles acabam envolvidos em algum mal entendido e são obrigados a se casar. E depois de muita confusão, eles vivem felizes para sempre. O enredo é basicamente esse com algumas variações. Tem gente que não gosta, eu amo. Mas devo dizer que nesse livro eu fui completamente surpreendida. Se para bem ou para mal, ainda estou tentando descobrir. O certo é que a Julia não fez nada do que eu esperava aqui nesse livro. E se não tivesse o nome dela ali no livro e os personagens não fossem os mesmos, eu nem saberia que o livro era dela.

Primeiro que por ser o último livro de uma série, esperava um final bem mais arrebatador e queria ter nem que fosse um epílogo mostrando como ficaram os protagonistas dos outros livros, não teve. Segundo. o enredo não passou nem perto da fórmula do gênero. Temos o protagonista masculino doido para se casar e é ele quem faz a mocinha cair em uma armadilha. E terceiro, tive problemas com o casal protagonista. Esse é o segundo romance de época que leio que não me apaixonei pelo mocinho. Pelo contrário, odiei ele com todas as minhas forças. Achei um absurdo o que ele fez com a Íris. E isso antes de saber qual era o segredo dele, depois eu queria matar e enterrar mesmo. E a Íris me enervou por ser tão passiva e aceitar tudo com um sim senhor. Ah se fosse eu no lugar dela, coitado do Richard. Que raiva dos dois. 

Mas por outro lado a autora mostrou bem como eram os costumes da época. A Íris é a imagem perfeita do que se esperava de uma verdadeira dama. E com o segredo do Richard podemos ver exatamente como as mulheres eram tratadas na época. Não vou contar o que era é claro. mas ele teve que fazer aquele jogo sujo porque infelizmente as coisas eram assim. Apesar que acho que teria outro jeito de fazer o que ele fez. E teve uma cena que valeu a pena o livro todo. Nos livros anteriores podemos ver que Harriet vinha escrevendo uma peça e ela finalmente ficou pronta. Quase morri de rir com a cena. Mas como um todo foi um bom livro, mas não lembrou nem de longe os outros livros da autora. Quanto a edição, segue na mesma linha dos livros do gênero da editora. A capa está perfeita. Enfim, indico para os fãs da autora e da série mas infelizmente na minha opinião deixou a desejar.

Nota:





12 junho 2017

Novidades | Paulo Mateus

O autor parceiro Paulo Mateus está lançando o e-book do livro Os Fantasmas do Espelho na Amazon e está com uma promoção bem legal para quem adquirir o e-book. Quem comprar ou ler o livro através do kindle Unlimited, poderá participar de um sorteio, o prêmio sorteado será um CARTÃO PRESENTE ONLINE da Saraiva no valor de 50 reais. 


Regras para participar do sorteio:
No caso da compra do ebook a pessoa deve enviar um comprovante da compra para o e-mail de contato no final do livro.
No caso do kindle Unlimited a pessoa deve enviar uma foto ou screenshot da última página do ebook (onde ficam as informações e os contatos)
O participante também deve enviar seu nome completo e seu e-mail de contato.
O resultado será divulgado no instagram do autor, paulo_mateus16, no dia 30 de Junho.

Os Fantasmas do Espelho é uma coletânea com dez contos de terror e suspense. São eles:
O Novo Brinquedo
Sofia recebe um novo brinquedo de presente da sua mãe, uma simples boneca de pano pequena e colorida. No começo tudo é alegria e diversão, mas ela logo descobre que aquilo não é uma simples boneca.
O Totem
Ele é um ávido colecionador de objetos raros e antigos, ao viajar para uma remota região da África e entrar em contato com a tribo Sualani ele obtém mais um precioso objeto para a sua coleção. Mas isso trará sérios problemas quando retornar da viagem, principalmente para o seu filho.
Alpha o Assistente Pessoal
Arthur teve a sorte de recuperar o seu celular perdido, mas ao verificar se os seus arquivos pessoais não foram roubados ou invadidos ele descobre um estranho aplicativo instalado no celular. Um aplicativo capaz de realizar coisas incomuns.
Os Fantasmas do Futuro
Lucas acorda, vai ao banheiro e se prepara para mais um dia de trabalho. Tudo parecia ser um dia normal em sua vida até que ele entra em seu apartamento, pessoas estranhas estão lá e começam a fazer testes com ele.
Um Dois Três
Laura e Rafael se mudam para um novo apartamento, ainda faltam muitas coisas para arrumar e o chão ainda está cheio de caixas de papelão, mas eles estão ansiosos por começar a vida naquele lugar. Mas as coisas ali não são tranquilas como eles esperavam.
O Vendedor de Pesadelos
Pedro estava voltando do trabalho quando para no meio da estrada por causa de um carro suspeito, ele é atacado e seu corpo fica inerte no chão, mas aquilo não era um assalto. Era apenas uma coleta de memórias para um projeto muito maior.
Não Olhe
Por causa de uma chuva forte Clara acaba indo parar dentro de uma loja de antiguidades, tudo ali parece ser absolutamente normal, exceto por um estranho objeto que ela acaba levando consigo quando sai da loja. Um objeto que vai mudar a sua vida para sempre.
O Sussurro dos Espíritos 
O tempo quente e úmido era propício para as árvores, que esticavam seus galhos em direção à casa, como mãos querendo se agarrar nas paredes e nas janelas. Quando a noite cai estranhos sons começam a ecoar para o interior da casa, como se alguma coisa estivesse se movendo lá fora.
Os Olhos da Noite
Victor e Nicolas recebem uma ocorrência de disparos ocorrendo no parque da cidade, é noite e não há lua cheia, tudo está extremamente escuro. Munidos apenas com suas lanternas e suas armas eles entram no parque, mas as coisas se tornam mais estranhas a cada minuto que ficam lá.
Carolina
Aparentemente ela é uma cidade pequena e simples, com carros velhos demais nas ruas e pessoas estranhas caminhando pela calçada, mas eles estavam apenas de passagem, precisavam apenas dar uma olhada em uma casa. Mas quando param para comer alguma coisa tudo muda.

Logo tem resenha do livro por aqui.

Skoob - Amazon


Corre lá na Amazon e garanta o seu.
Os contos também estão sendo vendidos separadamente, deem uma olhada nas capas, é uma mais linda que a outra. Compre aqui.






10 junho 2017

Resenha | Sociedade J. M. Barrie - Barbara J. Zitwer


Livro: Sociedade J. M. Barrie
Série: Não
Gênero: Romance
Autora: Barbara J. Zitwer
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
Ano: 2017

Resenha:
Joey Rubin não está se aguentando de tanta ansiedade. Mesmo sabendo que nem o fracasso, nem o sucesso da apresentação será sua responsabilidade. Se tudo der certo, Dave Wilson será o premiado. Premio sim na sua opinião, porque será ele a viajar para a Inglaterra e morar em Stanway House e supervisionar a restauração da mansão. Joey daria tudo para ser ela a viajar para a casa em que pelo que dizem, J. M. Barrie, seu autor favorito, escreveu Peter Pan. Mesmo sendo ela quem passou meses desenhando e investindo tudo naquele projeto, será Dave quem irá levar os créditos. Mas ela já está acostumada com isso, porque apesar de ela ser a pessoa que mais trabalha naquele escritório, ela nunca é a arquiteta principal de nenhum projeto. Sempre alguém leva a melhor em seu lugar.

Mas Joey tem sua grande chance quando chega a empresa e fica sabendo que Dave sofreu um acidente e está no hospital. Depois de uma apresentação apaixonada, ela recebe a noticia: ela vai viajar para a Inglaterra na véspera do Ano-Novo. E quando ela começa a fazer as malas para a viagem é que Joey se dá conta de que ela não tem amigos para se despedir. Ela teve um caso com seu chefe Alex Wilde durante um ano, e nesse tempo ela se afastou de todo mundo, já que Alex dizia querer privacidade e eles esconderam o relacionamento de todo mundo. Ela dividia seu tempo entre Alex e seu trabalho até descobrir que Alex não queria nada sério com ela e já tinha uma noiva. Mas ela ainda tem a Sarah, apesar de estarem afastadas a mais de dez anos já que Sarah mora na Inglaterra e ela em Nova York, por isso ela decide visitar Sarah antes de ir para a mansão.

E quando Sarah e seu marido Henry descobrem o que Joey foi fazer na Inglaterra, eles contam que os moradores locais, principalmente os mais velhos, não estão nada contentes com a reforma da mansão. E ela percebe esse descontentamento logo que chega ao local e é mal recebida pelo zelador Ian McCormack. E não é só ele que está descontente. Mas então Joey conhece Aggie, a mãe de Henry, e descobre que ela faz parte da Sociedade de natação de Senhoras J. M. Barrie. Aggie e suas amigas Gala, Meg, Viv e Lilia nadam no lago há mais de cinquenta anos durante o inverno. E Joey começa a nadar com elas. É uma sensação tão incrível que ela nem sabe descrever. E é na amizade com essas octogenárias que Joey vai descobrir que a vida tem muito mais a oferecer do que ela imagina. E quem sabe até vai abrir seu coração para um novo amor. 

Eu confesso que solicitei esse livro para a editora por causa da capa e só quando chegou aqui em casa é que fui descobrir sobre essa ligação com  J. M. Barrie, porque nunca li Peter Pan. Mas a história não é releitura nem nada do tipo, só tem as referencias mesmo, o foco da história é outro. Ele é daqueles livros que a gente pega para ler e quando percebe já foram mais de 100 páginas. A escrita da autora é tão envolvente que ela nos absorve para dentro da história e pelo menos pelo tanto que a leitura durou, eu era Joey. Senti tudo o que ela sentiu, eu ri, chorei, nadei junto às senhoras, me apaixonei, coloquei magoas antigas para fora e por fim, cresci e amadureci junto com a personagem. Em um livro que se tivesse outra capa eu nem olharia duas vezes, acabou sendo uma das melhores leituras do ano.

Joey é a protagonista, e como eu disse, ela teve um grande crescimento durante a história. No começo ela era uma pessoa frustrada e cheia de magoas e indecisões. Mas terminou o livro de bem com ela mesma e fazendo a diferença na vida de outras pessoas. Mas quem chama a atenção na história sem dúvida são as octogenárias aventureiras. Achei legal essa jogada da autora, porque enquanto Peter Pan queria ser criança para sempre, elas eram senhoras que mesmo tendo envelhecido fisicamente, ainda tinham o espirito mais jovem do que muita gente. Elas deram toda uma leveza a história. E mesmo essa história tendo vários personagens que foram importantes para o desenvolvimento dela, não posso deixar de citar o Ian que estava sobrevivendo, mas não vivendo desde a morte de sua esposa e vai reencontrar a alegria de viver junto com Joey. Enfim é um livro que eu indico com certeza. Além da história linda que você vai encontrar, ainda vai ter um belo exemplar em sua estante.

Nota: 





09 junho 2017

Divulgação | Sobreviventes do Caos


A notícia de hoje é maravilhosa. Quem se interessou pelo livro Sobreviventes do Caos da autora parceira Bianca Gulim e não leu ainda porque não pode ou não consegue ler e-books, já pode se preparar para ler uma distopia de tirar o folego.
Sobreviventes do Caos agora tem versão física e já está disponível para venda, com entrega imediada após a confirmação do pagamento. Os livros seguem autografados e com dois marcadores. O valor é R$ 22,00 com frente incluso, uma promoção para os primeiros 50 exemplares.
Eu já garanti o meu exemplar.

Para maiores informações acesse a fanpage do livro ou o Instagram.

Fanpage - Instagram


Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.
Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada.
Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.
Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?
Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!

Confiram a resenha.






07 junho 2017

Resenha | Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir - Sarah McLean


Livro: Onze Leis a Cumprir Na Hora de Seduzir
Série: Os Números do Amor # 3
# 1 - Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar
#2 - Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter
Gênero: Romance de época
Autora: Sarah MacLean
Editora: Arqueiro
Páginas: 336
Ano: 2017

Resenha:


"— Você é um escândalo esperando para acontecer. Um escândalo do qual não posso me dar ao luxo de participar."

Juliana Fiore sabia que não devia ter ido para o jardim da Casa Ralston numa vã tentativa de fuga dos mexericos do baile de inverno oferecido por sua cunhada. E ela sabia que devia ter voltado para casa no exato instante em que encontrou lorde Grabeham completamente bêbado, mas não foi o que ela fez e isso acabou resultando em um soco na cara de lorde Grabeham e um nariz sangrando depois que ele tentou agarrá-la. É claro que isso não vai valer em sua defesa ainda mais sendo quem é. Juliana é filha de um mercador italiano e de uma marquesa inglesa desonrada que abandonou o marido e os filhos além de repudiar a sociedade londrina. Agora que ficou sozinha no mundo ela foi trazida para a Inglaterra para morar com seus meio-irmãos sendo o mais velho o Marquês de Ralston.

Mas além de ser uma italiana que não conhece nenhuma das regras de como viver em uma sociedade britânica, seu gênio não ajuda em nada para consertar sua reputação já que ela é impulsiva e fala o que pensa sem pensar nas consequências. Mas ela não quer arruinar ainda mais o esforço de seus irmãos chegando correndo ao baile com o vestido rasgado e com lorde Grabeham gritando impropérios atrás dela. Por isso ela faz a primeira coisa que vem a sua mente: ela entra em uma carruagem que está parada do lado de fora da mansão. Mas por ironia do destino ela entra justo na carruagem de Simon Pearson, o duque de Leighton. E antes que ela possa pensar em sair da carruagem, Simon entra e manda que a carruagem siga. E o duque tirar suas próprias conclusões. Na visão dele Juliana entrou na carruagem para pegá-lo em uma armadilha casamenteira.

Juliana até desejaria se casar com o homem que ela pensou conhecer, mas não com esse homem arrogante e preconceituoso que ele se mostrou ser depois que descobriu quem ela era. Simon tem horror a escândalos e valoriza a reputação acima de tudo, mas como ele tem uma dívida com a família Ralston, ele decide levar Juliana até sua casa. Gabriel fica furioso com Juliana e acaba pedindo a ajuda de Simon para vigiá-la, e Simon sabe que não pode recusar, afinal ele tem uma irmã que está em uma situação difícil e os Ralston estão ajudando com o problema. Só que Simon vai vigiar Juliana de longe já que está decidido a se casar e até já escolheu uma noiva dentro de seus padrões com uma reputação impecável. Mas Juliana decide que vai provar ao duque que a paixão está acima da reputação e decide desafiá-lo. Simon num impulso aceita o desafio. O difícil vai ser fugir dos escândalos, já que onde Juliana está, eles acontecem. E cada vez que chega perto dela, ele perde a cabeça. 

"Aqui nada ganhava da sagrada trindade: tradição, reputação e título.
E, para alguém como ela — que não reivindicava nenhum dos três — , alguém como ele — que possuía todos os três como um direito casual — estava completa e inegavelmente fora de alcance."

Esse é o terceiro livro da série Os números do amor e desde que Juliana surgiu na história lá no primeiro livro, eu fiquei querendo ler o livro que ia contar a história dela. E as expectativas estavam bem altas, já que os dois primeiros livros são maravilhosos e Calpúrnia, protagonista do primeiro é uma das minhas personagens favoritas de romance de época. E como a Juliana já se mostrava uma personagem impulsiva e totalmente fora dos padrões desde o primeiro livro, eu estava doida para ler esse e na esperança de que ele correspondesse as minhas altas expectativas. E posso dizer que sim, ele correspondeu, apesar de ter ficado nervosa com algumas coisas na história como a teimosia do duque por exemplo. Mas nada que tirasse o brilho da série e do livro.

Assim como nos outros livros, o tom de comédia está presente em toda a história. Eu comecei e terminei de ler essa série com um sorriso bobo no rosto. E em algumas cenas eu ria com vontade. E apesar da cenas hots serem em menor numero nesse terceiro livro, a tensão sexual entre os protagonistas é tão grande que as cenas de sexo nem fizeram falta. E como disse no livro anterior, eu gostei muito da autora ter mostrado o lado feio da época. E ela continuou a fazer isso aqui, usando principalmente a figura do duque. A reputação era tudo naquela época e quem perdia ela, era considerado um pária pela sociedade. E o o duque foi criado para estar a altura de sua posição, e para isso ele não podia ter sentimentos. Mas quando ele encontra alguém que é movida pela paixão, é ai que enfim ele vai perceber que até então ele não estava "vivendo".

A autora conseguiu criar um trio de protagonistas que foge totalmente dos padrões. Enquanto Calpúrnia era uma perfeita dama que criou uma lista de regras que ela queria quebrar, Isabel não aprendeu a ser uma e fazia o que lhe dava vontade. Mas é em Juliana que a autora se superou porque ela nem é inglesa e ainda por cima é filha de uma mulher que foi responsável pelo maior escândalo já visto na Inglaterra. E ela se apaixona justo pelo homem que preza as regras e a reputação acima de tudo. Eu vi em algumas resenhas que o povo não gostou muito do duque, mas eu gostei bastante dele, já que se olhar a situação como um todo, dá para entender perfeitamente seu modo de agir. Enfim, não vou me alongar muito mais. Só me resta elogiar essa capa perfeita, todas as três são, mas minha favorita continua sendo a primeira. E só vou deixar uma observação, deviam ter traduzido o titulo ao pé da letra, o original é Eleven Scandals To Start To Win a Duke's Heart, teria ficado muito melhor e combinado muito mais com a história a palavra escândalos, do que a palavra leis, mas...

Nota:




© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo