10 dezembro 2017

Maratona Literária Desencalhando Livros


Eu não sou muito de participar de maratonas, mas como essa é para desencalhar livros e livros encalhados é o que mais tem aqui em casa, resolvi participar. Ela está sendo organizada pela Maria do Blog Pétalas de Liberdade.

A Maratona Literária Desencalhando Livros vai acontecer entre os dias 12/12/2017 e 12/01/2018.

 Para participar, você deve postar sua TBR (lista de livros que quer ler) em modo público com a hashtag #MLDL (pode ser post no blog, vídeo no canal, foto no Instagram, no seu perfil ou fan page no Facebook, no Twitter, Tumblr...) e se inscrever no formulário de inscrição, link do formulário: https://goo.gl/sNbE1j (formulário aberto até dia 19/12, caso alguém chegue atrasado).

 Não é obrigatório, mas se, além de postar a TBR e se inscrever no formulário, você se inscrever no meu canal no YouTube (link do canal: https://www.youtube.com/channel/UCA6rN2MY2Lhvi4zSgQ6opAA) e entrar no grupo da maratona no Facebook (link do grupo: https://www.facebook.com/groups/1534350523284811/), você poderá participar de sorteios extras.

 Prêmios para os participantes: ao final da maratona, entre todos os inscritos no formulário de inscrição, sortearei um vale-compras de R$45,00 no Submarino.

 Entre todos os inscritos no formulário, no canal e membros do grupo, sortearei um kit de marcadores e um livro surpresa da minha biblioteca pessoal. Dependendo do número de participantes, posso conseguir mais prêmios.

 Sugestão de temas para ajudar a montar a TBR

 Eles não são obrigatórios, você escolhe os livros que vai ler com base neles se quiser, e pode escolher mais ou menos livros ou, até mesmo, um único livro para todas as categorias.

1- Encalhado a mais tempo na estante: esse é autoexplicativo, um livro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
2 - Encalhado nacional: também autoexplicativo, um livro de um autor brasileiro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
3 - Novo na estante mas que corre o risco de ficar encalhado: um livro que não faz tanto tempo assim que você tem na estante, mas que corre o risco de ficar encalhado se você não o ler agora.
4 - Um encalhado que você não sabe o porquê de estar encalhado: um livro que você queria muito ler, conseguiu adquirir mas ainda não leu.
5 - Série encalhada: livro que faz parte de uma série, CUIDADO AQUI: como digo no vídeo, aconselho a deixar esse livro para ler por último, a menos que seja o volume final da série, pois você pode correr o risco de querer ler o restante da série ao invés dos outros livros da TBR.

E esses foram meus escolhidos:



1- Não lembro qual livro está há mais tempo na minha estante, mas Fique Comigo está lá faz muito tempo.
2- Esse livro da Carina comprei na pré-venda e até agora não li.
3- A Casa Torta corre o risco de ficar encalhado porque é um livro que já li tem uns vinte anos, mas essa edição é novinha e como fiquei sabendo sobre a adaptação, escolhi ele para ler.
4- Extraordinário comprei quando lançou. Comprei um exemplar para uma amiga e como ela amou comprei um pra mim também. E não sei porque não li até agora.
5- Dias de Sangue e Estrelas também comprei assim que lançou e está lá paradinho na estante esperando eu ler. Vamos ver se agora desencalha.

Quem ai se anima?




07 dezembro 2017

Resenha | Corte de Asas e Ruína - Sarah J. Maas


Livro: Corte de Asas e Ruína
Série: Corte de Espinhos e Rosas # 3
#1 - Corte de Espinhos e Rosas
#2 - Corte de Névoa e Fúria 
Gênero: Fantasia
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 687
Ano: 2017

Esse livro faz parte de uma série. Contêm spoilers dos livros anteriores.

Resenha:
Feyre era uma humana que acabou envolvida em uma maldição lançada em alguns feéricos. Ela se apaixonou por um deles e quebrou a maldição, mas para isso teve sua alma partida e seu corpo mortal foi transformado em um corpo feérico pelos Grão-Senhores. E nesse processo ela recebeu o poder e habilidades de todos eles. Mas Tamlin, seu amado e Grão-Senhor da Corte Primaveril, teve tanto medo de perder Feyre novamente que acabou prendendo ela em sua casa, o que fez com que Feyre fosse definhando um pouco a cada dia. E quando estava prestes a morrer de tristeza, Feyre foi salva por Rhysand, Grão-Senhor da Corte Noturna, que Feyre não sabia, mas era seu Parceiro. A Parceria é um laço tão forte que o casamento se mostra insignificante perto dele. É um laço de amor que une duas pessoas como se fosse uma ponte entre as duas almas.

E é graças a esse laço que Feyre e Rhys vão poder se comunicar agora que estão separados. Enquanto tentavam descobrir uma maneira de derrotar o rei Hybern, eles foram traídos por Tamlin, que se aliou a Hybern em troca de ter Feyre de volta em seus braços. O que Tamlin nem imagina é que Feyre agora é a Grã-Senhora da Corte Noturna e está fingindo para poder destruir o rei Hybern em um local estratégico, no meio de seus aliados. Feyre tem que ser o mais sutil possível, já que um descuido pode acabar com todos os seus planos. Além de conseguir informações sobre os planos de Hybern para o ataque à muralha e posteriormente as terras humanas, Feyre vai tentar jogar uns contra os outros, a começar por Lucien, que descobriu que Elain é sua parceira quando ela e Nestha foram transformadas em feéricas no Caldeirão, pois Ianthe entregou suas irmãs para Hybern poder controlar Feyre.

E Feyre não perde uma oportunidade, mas ela tem que tomar muito cuidado porque Jurian está de volta e ele conhece Rhys de antes do tratado. Ele sabe o que Rhys é capaz de fazer pelos que ele ama e ele tem certeza de que Rhys não vai deixar que levem sua parceira sem fazer nada. Por isso Feyre apressa seus planos e consegue deixar Tamlin desmoralizado perante todos, e de quebra se vinga de Ianthe. E Feyre leva Lucien com ela. Mas apesar do que Feyre fez, Hybern segue firme em seus planos de derrubar a muralha e a guerra que até então era só boatos, começa de vez com Hybern atacando uma das Cortes. Além de Hybern ter um exército sem tamanho, ele consegue anular a magia dos feéricos e conta com o poder do Caldeirão a seu favor. A Rhysand só resta tentar unir os Grão-Senhores. Mas depois de tudo o que eles já passaram, como confiar uns nos outros? Mais uma vez Feyre tem um grande inimigo à sua frente, será que dessa vez ela sairá vencedora?

"E, embora a expressão de Rhys estivesse tranquilo, e os ombros, relaxados, eu disse: Vejo você inteiro, Rhys. E não há uma só parte que eu não ame com tudo o que sou."

Faz tempo que eu não leio uma história que mexeu tanto comigo como aconteceu nessa. Essa trilogia foi uma das melhores que li não só nesse ano, mas na minha vida. A história é tão completa e tem tudo o que gosto. Por isso virou favorita, mesmo eu encontrando vários pontos nela que me fizeram odiar a autora em alguns momentos. Odeio autores que manipulam os leitores a seu favor. Você esconder as coisas e criar aquele suspense em torno de algo é uma coisa, você levar o leitor a pensar de uma forma e no livro seguinte mudar tudo aquilo, eu acho sacanagem. Principalmente quando essa coisa no caso mexe com sentimentos. Tem gente que não concorda comigo, mas eu ainda estou muito magoada com o que a autora fez do primeiro para o segundo livro. Mas nem por isso deixo de reconhecer que a Sarah é uma das melhores autoras de fantasia da atualidade e com certeza vou querer ler outros livros dela.

Esse terceiro livro não chega a ser tão perfeito como foi o segundo, mas ainda assim é um ótimo livro e entrou para os favoritos também. Aconteceram tantas coisas e foram tantas emoções que nem sei explicar o que senti lendo ele. Eu acabei o livro em prantos. Foi muita emoção para um coração só e até precisei fechar o livro e voltar depois, pois, não consegui me segurar em uma cena que teve quase no fim da história. Não vou dar spoiler, só vou dizer que quando o negócio é com família, mexe comigo. Eu amei as cenas de ação durante a guerra que vinha sendo anunciada desde o primeiro livro. E as coisas que Feyre teve que fazer, o que cada um deles teve que sacrificar, foi maravilhoso. Fazia tempo que eu não lia um livro assim que cada um dos personagens foram essenciais para que tudo terminasse como terminou.

Mas eu sou dessas que guarda as coisas e não consegui perdoar a Nestha pela forma como ela tratava a Feyre no começo da história. Ela pode ter conquistado todo mundo, mas eu não consegui olhar ela de outra forma. Até se eu tivesse visto algum tipo de mudança nela, mas o tempo todo ela tratou a Feyre mal, mesmo que fosse apenas por respeito pela posição da Feyre, mas nem isso ela fez. Ela foi sim uma grande personagem que mostrou e muito o empoderamento feminino, mas eu guardei ódio dela. E falando em empoderamento feminino, isso foi o que mais teve nessa história. Todas as personagens femininas tiveram seu papel de destaque. Os homens estavam ali sim, mas era para apoiar as mulheres e incentivar cada uma delas a alcançar seu potencial. Eles lutaram lado a lado como iguais. Era uma guerra, local onde homens sempre tiveram mais presença. Mas aqui todos os personagem são iguais e tem o mesmo valor, ninguém é mais do o outro, que é o que revindicamos.

Outra coisa que não faltou, foi ship para todos os gostos. Eu fiquei na torcida por vários casais e acho que menos da metade deles deram certo. E teve alguns que ficaram em aberto, já que mesmo que a história dessa trilogia tenha terminado por aqui, a autora ainda vai continuar escrevendo nesse mesmo universo e acredito que esses personagens vão aparecer ainda. Mas o grande romance sem dúvida é entre Feyre e Rhys. Eu amei essa coisa do laço de parceria e desse amor entre eles que transcende tudo. E o legal foi a autora mostrar que eles tiveram escolha, o amor entre eles não veio por causa do laço, o laço apenas fortaleceu o amor entre eles. Tanto que teve outros casais que tinham o laço mas não se amavam. Outra coisa que gostei foi que a autora redimiu alguns personagens, que não vou falar quem são é claro.

Enfim, essa resenha já está enorme e eu ainda tenho muito para dizer, mas vou parar por aqui. Eu indico para quem ainda não leu. Mesmo não sendo de um gênero que você curta, dê uma chance, porque feliz é quem leu e conheceu essa história magnifica. A Feyre vai ser um marco nas minhas leituras. Não vou conseguir ler um livro sem comparar os personagens com ela. Feyre foi um exemplo de força e superação. Um personagem que cresceu tanto que virou a própria história. Essa história não existiria sem ela. Quanto a edição, está melhor que no livro anterior, pelo menos não encontrei tantos erros de revisão. Eu gostei da capa, mas sei que o povo chiou bastante quando ela foi revelada. Enfim, leiam, leiam agora. Pare o que você está lendo e vá ler essa trilogia. Você não vai se arrepender.

Nota: 








06 dezembro 2017

Divulgação | Autoras parceiras

Sei que estou bem atrasada com essas divulgações, mas antes tarde do que nunca hehe. Como vocês sabem eu fiz uma cirurgia no mês passado e as postagens do blog atrasaram um pouco. Mas vamos as novidades, que já não são tão novidades assim hehe.

Bianca Gulim



Quem ainda não conhece a Trilogia Sobreviventes do Caos, não sabe o que está perdendo. Confiram a resenha do primeiro livro aqui no blog. 
E hoje venho mostrar para vocês o booktrailer da história. 





Denise Flaibam


A Denise está participando de uma antologia inspirada em clássicos de terror dos anos 80 na vibe de Stranger Things. Mundo Invertido reuniu 21 contos e é um lançamento da Editora Wish. 
O projeto é formado por dez autores convidados e dez autores selecionados.



SINOPSE
Outros mundos existem e eles estão cheios de monstros...

Já imaginou se o mundo seu fosse apenas o reflexo sombrio de outros? O Mundo Invertido é uma dimensão paralela por onde caminha o Senhor dos Mundos, uma entidade que busca apenas uma coisa: causar medo. Ele atravessa as dimensões com seus tentáculos que abraçam tudo o que tocam. É um olho pulsante que está cansado de viver só, e por isso, Ele chegou, abrindo portas entre os multiversos, disseminando o terror.O Senhor dos Mundos está aqui.


Para maiores informações sobre o livro, acesse o site e aproveite e apoie esse projeto que ainda dá tempo: Mundo Invertido.






03 dezembro 2017

Resenha | Corte de Névoa e Fúria - Sarah J. Maas


Livro: Corte de Névoa e Fúria
Série: Corte de Espinhos e Rosas # 2
#1 - Corte de Espinhos e Rosas
Gênero: Fantasia
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 658
Ano: 2016

Esse livro faz parte de uma série. Contém spoilers do livro anterior.

Resenha:
Em Corte de Espinhos e Rosas conhecemos Feyre, uma humana que quando teve uma oportunidade, matou um feérico sem pensar duas vezes. Os humanos sempre foram escravos dos feéricos, mas um dia eles se rebelaram e depois de muita morte acabaram chegando a um tratado onde os povos seriam separados por uma muralha mágica e cada espécie ficaria do seu lado. Mas os feéricos atravessam a muralha quando querem, afinal é o povo humano quem tem que ter medo e não eles com sua magia. Só que Feyre nem imaginava que ao matar um feérico ela teria que dar sua vida em troca e ela é levada para Prythian por Tamlin, a fera que ela descobre ser o Grão-Senhor da Corte Primaveril e acaba apaixonada por ele. Mas todos na corte estão debaixo de uma maldição lançada pela Grã-Rainha Amarantha e Feyre tem que cumprir três tarefas ou resolver um enigma para conseguir libertar Tamlin e seu povo.

Feyre consegue quebrar a maldição, mas o caminho que ela percorre para conseguir isso, acaba com suas forças e dilacera seu coração que ainda é humano, mesmo seu corpo tendo se transformado em um corpo imortal de um feérico pelos Grãos-Senhores após Feyre ter morrido para salvar a todos eles. Faz três meses que tudo aconteceu e Feyre ainda tem pesadelos com Amarantha e com tudo o que aconteceu Sob a Montanha e não consegue esquecer o rosto dos feéricos que teve que matar para salvar Tamlin. Mas Tamlin também tem seus pesadelos e eles não conversam sobre isso e fingem que está tudo bem enquanto esperam pelo dia do seu casamento que está próximo. A dois meses Tamlin fez o pedido e Feyre aceitou. Outra coisa que eles não falam é a tatuagem no braço de Feyre, que a lembra a todo instante o acordo que ela fez com Rhysand, Grão-Senhor da Corte Noturna, onde Feyre prometeu passar uma semana por mês com Rhysand quando ele a curou depois de uma das tarefas.

Mas Rhys não esqueceu o acordo e na hora do casamento ele aparece e exige que Feyre cumpra sua parte no acordo. Feyre vai obrigada, mas logo percebe que estar na Corte Noturna é um alivio, já que Tamlin quer tanto protegê-la que ela está vivendo sufocada dentro de casa. E Rhys não esconde as coisa dela como Tamlin vem fazendo, pelo contrário, ele incentiva Feyre a treinar suas habilidades e poderes adquiridos através dos Grão-Senhores quando eles a ressuscitaram. E esses poderes podem ser a salvação do povo feérico, já que Amarantha era apenas uma parte de um plano que vem sendo arquitetado à séculos por Hybern. Um plano que pode ser a ruína tanto do povo feérico, como dos humanos. Em meio a essa guerra iminente, Feyre terá que curar sua alma que está partida em mil pedaços e ao mesmo tempo decidir com quem está seu coração.

"Alguma pequena parte de mim sussurrou que eu podia sobreviver a Amarantha; (...); podia sobreviver à transição para aquele novo corpo... Mas àquele buraco vazio e frio em meu peito... Não tinha certeza se podia sobreviver a ele.
Mesmo durante os anos em que estivera a uma semana ruim de morrer de fome, aquela parte de mim estivera cheia de cor, de luz. Talvez me tornar feérica a tivesse destruído. Talvez Amarantha a tivesse destruído.
Ou talvez eu a tivesse destruído quando afundei aquela adaga nos corações de dois feéricos inocentes e o sangue aqueceu minhas mãos."

Antes de mais nada tenho que fazer um desabafo. Quero matar a autora série. Odeio autores que fazem isso. Odeio triângulo amoroso. Porque fazer a gente se apaixonar por um personagem no primeiro livro só para depois vir e estragar tudo no segundo? Eu já tinha passado por isso com Adam e Warner em Estilhaça-me. Agora de novo com Tamlin e Rhys. Acho muito desnecessário fazer o leitor passar por esse tipo de coisa. Não precisa mostrar um personagem maravilhoso em um livro, fazer o leitor cair de amores por ele e depois falar que na realidade ele era um escroto abusivo. E o outro lado do triângulo que na verdade era o bonzinho. Muita raiva disso. Desabafei. Pronto! Vamos continuar a resenha hehe.

Logo que terminei o primeiro livro da série, já emendei nesse segundo. E os pontos negativos que tinha ressaltado no primeiro e minhas restrições com a obra foram inexistentes nesse segundo livro. Gente, como pode uma história que era ótima se tornar uma história tão grande e incrível como acontece aqui. Se você ler só o primeiro livro, vai achar ele ótimo, mas quando ler o segundo, se comparar os dois, o primeiro livro é até chato perto dele. Eu nem sei o que dizer para descrever o quanto ele é bom e tudo o que senti lendo esse livro. Foi um misto de emoções que me tirou o folego  por várias vezes, e até precisei parar de ler, dar uma volta e respirar de tanto que o livro me sugou. Foi como se ao ler o primeiro livro só desse para ver um pedacinho de um iceberg fora da água e no segundo o iceberg inteiro dentro dela. Agora imaginem então minhas expectativas para o terceiro livro.

Novamente nesse segundo livro vemos um romance sendo construído aos poucos, o que fez a autora ganhar muitos pontos comigo. E foi tão aos poucos que eu estava desesperada para que eles se beijassem logo e nunca acontecia hehe. Eu tinha amado o Tamlin no livro anterior, mas se compararmos ele com o Rhys, é tipo zero a mil. O Rhys é maravilhoso. Ele é tudo o que uma mulher espera de um homem. Ele protege, sem sufocar, ele não menospreza e sim faz com que a Feyre alcance seu melhor. Ele dá espaço, mas mostra seu amor em todos seus movimentos. Ele respeita Feyre acima de tudo. Ele é perfeito. Eles tem uma química tão grande que não tem como não suspirar em cada cena que eles estão juntos.  Só espero que não a autora não faça nenhuma bobagem nesse quesito no próximo livro.

E por falar em autora, ela me ganhou completamente. A escrita dela é viciante. Ela criou um mundo mágico para nenhum fã de fantasia botar defeito. Ela descreve, mas não cansa, ela transporta o leitor para dentro das páginas e é como se estivesse lá, vivendo tudo aquilo junto com eles. E olha que a narrativa é em primeira pessoa, coisa que eu não gosto muito. E uma coisa que amei foi que ela criou finais perfeitos, de tirar o folego e não precisou matar nenhum personagem querido para fazer isso. Porque tem gente que acha que para escrever uma história de sucesso tem que matar algum personagem importante.

Quanto aos personagens, eu tinha gostado muito de Tamlin e Lucien, mas no circulo de Rhys todos eles se destacaram e tiveram seu momento na história. É como se eles também fossem os protagonistas e não coadjuvantes. Amren, Morrigan, Cassian e Azriel são personagens misteriosos que conforme vamos lendo a história, vamos descobrindo suas histórias e amando cada um deles. Mas o grande destaque sem dúvida vai para nossa protagonista. Eu li algumas resenhas citando a Feyre como ponto fraco do livro. Eu não concordo. Ela é um personagem incrível que cresceu e muito durante toda a história. Se for fazer alguma comparação com personagens femininas de outros livros famosos, a Feyre ganha disparado. Ela sim é forte. Ela é como a fênix. quando você pensa que não, ela ressurge das cinzas e mais forte do antes. Ela sem dúvida é o grande destaque do livro.

É uma pena que uma história linda como essa teve uma revisão tão ruim. Eu cansei de encontrar erros de português e palavras escritas erradas. Até nos nomes. E olha que não sou dessas que fica reparando nessas coisas. Mas é que estava bem gritante. Mas em compensação capricharam na capa. a cor é linda, as partes em destaque, e o casal no plano de fundo. Perfeito! E vou terminar por aqui porque se não vou ficar o dia todo aqui escrevendo o quanto eu amei esse livro. Se desse para favoritar duas vezes eu teria feito. Então eu indico o livro com certeza. E vamos ler o terceiro e amar ou se decepcionar hehe.

Nota:




01 dezembro 2017

Resumo Literário e Cinéfilo de Novembro/2017

Sete minutos depois da meia-noite


Olívia


{Filmes e Séries}


Silvana



  {Filmes e Séries}

Minhas notas são as estrelas fora da imagem

{Livros}
Esse mês rendeu. Estava fazendo repouso por causa da cirurgia e a unica coisa que podia fazer era ler hehe




29 novembro 2017

Resenha | Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas


Livro: Corte de Espinhos e Rosas
Série: Corte de Espinhos e Rosas # 1
Gênero: Fantasia
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 434
Ano: 2015 

Resenha:
Feyre podia dar como desculpa a fome para ter feito o que fez. Afinal, tanto ela, como suas irmãs e seu pai estão com o estômago roncando e mal se vê carne sobre seus ossos. Já faz um dia que o pão acabou e há dois acabou a carne. Mas não foi a fome a responsável pelo seu ato e sim o ódio que ela sente pelos feéricos desde que se conhece por gente. Por isso ela não hesitou quando viu que o lobo enorme ia comer a corça que podia ser a salvação de sua família pelo menos pelas próximas duas semanas. Desde que seu pai perdeu tudo o que eles tinham, Feyre, a filha caçula, virou uma caçadora para sustentar a família. Ela vai a lugares que nem mesmo os homens mais experientes tem coragem de ir, mas é isso ou morrer de fome. E a cada inverno está mais dificil de conseguir alimento, por isso ela está indo cada vez mais longe na floresta e mais perto da muralha mágica que separa os humanos dos feéricos.

Quando os humanos se rebelaram contra a escravidão dos feéricos, a quinhentos anos, um acordo foi feito entre eles e a muralha foi criada, ficando cada espécie do seu lado. Mas mesmo com esse tratado, os feéricos sempre atravessam a muralha e eles nunca sabem quando é um deles que está por lá em forma de lobo. Porém Feyre tinha certeza de que o lobo que matou era um deles e o fez com gosto. O que ela não imaginava era que alguém ia aparecer em sua casa reclamando pela vida que ela tirou. Uma besta enorme, uma mistura de lobo com felino, tão grande quanto um cavalo e com chifres como os de um cervo. De acordo com o tratado, se um humano tirar a vida de um feérico sem ser provocado, o que foi o caso, ele deve pagar com outra vida. E a besta dá uma escolha para Feyre, ou ele vai com ela para as terras de Prythian ou vai morrer naquele instante.

Feyre escolhe ir com ele para as terras feéricas, mas fica com o coração partido por ter que deixar sua família que sem ela para caçar, não terão como sobreviver. E ela pretende assim que estiver longe da sua casa dar um jeito de matar a besta. Mas seus planos são frustados porque a besta usa magia nela e quando ela percebe já está em Prythian. E o outro lado das muralhas é bem diferente do que ela tinha imaginado. Feyre sempre foi fascinada por cores mas o que ela vê em Prythian não pode ser descrito em palavras. É tudo mágico. E a magia não para por ai. O feérico que a levou ate lá se transforma em um homem e Feyre descobre que ele é um Grão-Feérico e seu nome é Tamlin. Ele é bem jovem pelo que dá para ver pelo pouco que aparece do seu rosto, já que ele usa uma máscara. E não é só Tamlin, todos no reino usam uma mascara que Feyre descobre ser por causa de uma maldição que está aos poucos drenando a magia dos feéricos. E quando seus sentimentos por Tamlin mudam de ódio para amor, ela vai fazer de tudo para impedir que isso aconteça.

"Eu sabia... eu sabia que seguia um caminho que provavelmente terminaria com meu coração mortal despedaçado, mesmo assim... Mesmo assim, não pude evitar."

Desde que lançou esse livro lá em 2015, eu quero muito ler ele. Só vi elogios ao livro, e a escrita da autora então, que já era famosa por aqui pela série Trono de Vidro, nem se fala. Mas esperei lançar todos porque odeio ficar esperando horrores para ler as continuações. E gostei muito do que li. Apesar de ter encontrado vários pontos negativos, mostrando que não é a perfeição toda que eu tinha lido, a leitura vale a pena e a autora e sua história me conquistou. Vou começar falando dessa capa que confesso foi o que me ganhou antes de tudo. Eu amo essa capa e a edição toda está maravilhosa. Acho que no livro todo encontrei um erro de revisão. E isso porque estava prestando atenção para ver se encontrava defeitos no livro.

E foi assim que encontrei os pontos negativos que vou mencionar. Como só tinha lido resenhas elogiosas, comecei a ler o livro com um pé atrás para não acabar decepcionada. Em primeiro lugar já me decepcionei por ser em primeira pessoa e somente na visão da Feyre. Eu prefiro terceira pessoa, mas gosto de primeira quando a narrativa é dividida entre dois ou mais personagens. E precisava e muito ter acontecido isso aqui. Faltou uma outra visão de algum feérico nessa história. Se fosse na do Tamlin eu tinha ficado muito feliz, mas na de qualquer outro deles era melhor que só a visão da Feyre. Outra coisa que acabei não curtindo tanto foi que ouvi muito sobre a originalidade da história, mesmo sendo uma releitura de A Bela e a Fera e não foi o que encontrei. O livro é uma mistura de vários outros famosos que temos por ai. Inclusive a Feyre me lembrou muito a Katniss quase o livro todo.

E achei engraçado não ter lido sobre essa semelhança na resenhas, porque vi tanta gente gente descendo a lenha em A Rainha Vermelha e elogiando Corte de Espinhos e Rosas pelos mesmos motivos. Dois pesos, duas medidas? Enfim tem mais dois pontos que não gostei e preciso falar. Duas coisas que eram completamente desnecessárias. Primeiro as cenas hots. Por ser uma releitura/fantasia, acho que não precisava ter usado esse tipo de cena e ainda mais com algumas palavras que foram usadas. E por ultimo uma coisa que a autora não precisava ter colocado, o bendito e já tão mal falado triângulo amoroso. A história tem tanto a ser explorado que era totalmente desnecessário ir por esse caminho que infelizmente acho que vai ser ainda mais usado no próximo livro.

Mas fora esses pontos que abordei, o livro me conquistou. O romance não é aquele olhou amou. Eu vi algumas pessoas falando sobre o romance ser Síndrome de Estocolmo. Mas eu não achei porque em nenhum momento a Feyre era uma prisioneira e Tamlin não era nada do que ela e nós acreditamos a principio. Em nenhum momento ele trata Feyre mal, pelo contrário, ele sempre foi gentil. E foi conquistando Feyre aos poucos. Acho que por isso algumas pessoas acharam que o livro foi meio parado no começo. Eu achei que o desenvolvimento foi perfeito. Teve ação quando foi necessário e teve momentos mais lentos quando assim foi exigido. E por ultimo, mas foi o que mais gostei na história: a magia envolvida. E quando conheci a verdadeira história dos feéricos, fiquei de boca aberta e me apaixonei ainda mais pela história. Eu poderia ficar aqui falando sobre esse mundo mágico e sobre os personagens criados pela autora por horas e mesmo assim não ia ser suficiente para passar a verdadeira essência deles. Então só me resta indicar o livro. Leia e se apaixone também.

Nota:






27 novembro 2017

#74 | A Estante Aumentou!

E vamos ver o que chegou por aqui nesse mês de novembro? São livros que chegaram esse mês, mas que eu já tinha comprado o mês passado, a maioria em pré-venda. 

A Arqueiro como sempre todo mês garantindo uma parte do meu suado dinheirinho. Tem como não comprar esses romances de época maravilhosos que eles publicam? Como se Casar com um Marquês já tem resenha aqui.


A Irmã da Pérola eu estava louca por ele porque amei os três primeiros livros da série. Se você ainda não leu nada da Lucinda não sabe o que está perdendo. Seduzida até domingo comprei na pré-venda e veio com esse livro de anotações bem fofo.


Quando a Mari abriu pré-venda para seus livros físicos, eu corri garantir os meus. Comprei o Combo Duque e amei tudo o que veio no kit. Pena que precisei destruir o lacre de cera para ler a carta. Mas achei a ideia maravilhosa.


Mindhunter veio na caixinha literária que mostrei aqui para vocês e 13 horas eu ganhei em um sorteio no blog Livros, vamos devorá-los?


Esses dois veio de parceria com a editora Companhia das Letras. Estou bastante interessada em Não Me Abandone Jamais.


E por fim esses dois livros comprei com vale presente que ganhei respondendo pesquisas. A história de Malikah faz parte da série O Amor Nos Tempos do Ouro que li o primeiro e gostei bastante. E Jantar Secreto apesar de saber que vou ficar enojada, não resisti e logo vou ler ele.


Já leram algum desses? O que acharam?




25 novembro 2017

Resenha | Darkham - Jean Valens


Livro: Darkham
Série: Sombras de Sangue #1
Gênero: Aventura, Ação
Autor: Jean Valens
Editora: Viseu
Páginas: 129
Ano: 2017

Sinopse:
Quando a Lei não consegue mais combater o crime, talvez um vigilante possa fazer toda a diferença. Isso é o que ocorre em Hollandon, uma importante cidade para assuntos internacionais e, amplamente, considerada a segunda capital cultural do mundo. Nela, acompanhamos a história de Jack Lewis, um empresário e vigilante, perseguido por agentes corruptos da Agência de Inteligência Centralizada (A.I.C.). Ele é incriminado por um assassinato e isso o leva a fugir das autoridades. Enquanto tenta provar sua inocência, não pode deixar de dar suporte a cidade na figura de Darkham, um vigilante honesto em meio a uma cidade corrupta e inescrupulosa. Sua jornada não será fácil, ainda mais quando Royal King quer ver o vigilante morto. King ainda designa Frank Tupelo, seu braço direito, a uma missão crucial para sua organização. Entretanto, quando o caminho de Tupelo cruza com o de Darkham, vidas são perdidas.

Resenha: 
Quando comecei a ler o livro, logo no prologo já pensei nas famosas histórias de heróis e vigilantes que tanto fazem sucesso e é claro na semelhança com Batman. Principalmente pela capa. Um personagem rico que leva uma vida aparentemente normal durante o dia e que faz justiça com as próprias mãos durante a noite usando uma máscara. Eu confesso que sou meio perdida quando é esse o assunto, heróis e vigilantes, já que nunca sei diferenciar quem faz parte do que. De quadrinhos só me lembro de ter lido as histórias do Homem-Aranha e isso tem uns 30 anos já. E agora tenho acompanhado algumas coisas pela Netflix, como Arrow, Flash e Demolidor, que gosto bastante. 

Mas quando o assunto vai para os filmes, fico perdida. Eu sempre durmo nos filmes e acho que nunca consegui terminar nenhum deles. Não entendo como alguém consegue assistir um filme inteiro com o Homem de Ferro por exemplo. Ele é muito chato, arrogante e se acha. E todos os outros são bem sem sal também. Nem as cenas de ação conseguem deixar os filmes mais interessantes. Podem me crucificar agora hehe. Mas gosto é gosto e cada um tem o seu. Mas ainda assim aceitei ler o livro do Jean para fugir da minha zona de conforto.

O enredo do livro é praticamente esse que eu disse acima. E a história já começa com muita ação porque Jack Lewis é atacado pelos homens que deveriam ser os bonzinhos e acaba sendo acusado de ter matado seu sócio. E agora para provar sua inocência ele vai precisar mais ainda da sua máscara. E isso tudo sem deixar de proteger a cidade. O livro é basicamente feito de ação do inicio ao fim. Se você está esperando uma história mais profunda, está no livro errado. Aqui a coisa é ação o tempo todo. E por isso a leitura é bastante rápida, li em cerca de 40 minutos. E além dessa rapidez por conta de toda ação presente no livro, ele não é muito longo também.

Mas achei alguns pontos que me incomodaram na história. Primeiro é o excesso de descrição das coisas. Tá certo que a forma como o autor escolheu para narrar a história, como se fosse um roteiro de filme, exige uma certa descrição das coisas ao redor. Mas achei um certo exagero ficar falando sobre as coisas caras que o personagem possuía e a metragem dos cômodos do seu apartamento. Outra coisa que me incomodou foi as notas para explicar alguns termos. Achei excessivas. Não sei como está na versão corrigida da história, mas a minha em PDF ficou bem ruinzinha e toda a hora cortava a história no meio para explicar alguns termos que pelo menos eu, já sabia o que significavam.

Mas mesmo com esses pontos negativos eu acabei gostando da história. E olha que como falei, não é algo que eu esteja acostumada. Ele é o primeiro livro de uma série, então ficaram bastante coisas em aberto. Mas o personagem principal é bem carismático e para quem gosta de livros/filmes do gênero, a história é uma boa pedida. E se até eu que não sou fã de heróis acabei gostando, imagine a grande maioria que gosta do estilo então? Fica a dica.

Nota:








23 novembro 2017

#8 | Eu Quero!

Já fez sua lista de desejados de novembro? Eu fiz a minha, mas foi dificil escolher apenas cinco para colocar na postagem. Ainda mais que esse mês tem Black Friday, dai já viu hehe.

Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo. Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela. Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.

Esse eu estou louca para ler. Amei o primeiro livro dessa mesma série e a escrita da autora. E ainda mais que é uma releitura de um dos meus contos favoritos.

O mito do Rei Arthur recontado de maneira totalmente original e com protagonistas jovens femininas Quem nunca sonhou em viver na Idade Média com Arthur e os cavaleiros da Távola Redonda? E se todas as versões já retratadas fossem uma tentativa de Merlin, poderoso feiticeiro do rei, de mudar o destino? O primeiro volume de Sonhos de Avalon traz a história de Melissa, uma jovem do século XXI, predestinada a voltar à Idade Média para se casar com Arthur e salvar a Britânia e a magia. Porém, quando sentimentos são envolvidos os resultados podem ser imprevisíveis. Dividida entre a responsabilidade que lhe foi dada e a voz de seu coração, Melissa terá que tomar uma decisão que mudará sua vida e a de todos que a cercam.

Esse eu quero muito ler por causa dos elogios da Ale do blog Estante da Ale. Além de querer conhecer a escrita da autora, amei essa capa e a lenda do rei Arthur é uma das minhas histórias favoritas.

"Para conhecer o amor verdadeiro é preciso ser arrasado por ele.” Rajputana, Índia, 1930. Desde a morte de seu marido, a jovem inglesa Eliza tem como única companhia sua câmera. Determinada a se firmar como fotógrafa profissional, ela acaba de aceitar um convite do governo britânico para se hospedar durante um ano no castelo da família real local. Sua missão: fotografar, para o acervo da Coroa inglesa, a vida no Estado principesco de Juraipore. Ao conhecer Jayant, irmão mais novo do marajá, Eliza embarca na aventura mais transformadora de sua vida. Acompanhada pelo príncipe rebelde e misterioso, ela conhecerá uma terra marcada por contrastes — com paisagens de beleza incomparável, cultura rica e vibrante e, ao mesmo tempo, a mais devastadora das misérias. Enquanto Eliza desperta Jayant para a pobreza que circunda o castelo, ele mostra a ela as injustiças do domínio britânico na Índia. Juntos, descobrem uma afinidade de alma e uma paixão arrebatadora. Mas a família real fará de tudo — até o impensável — para impedir a aproximação entre o nobre indiano e a viúva inglesa.

Esse eu quero ler porque amei o livro O Perfume da Folha de Chá da autora. E essa capa maravilhosa?

O sétimo livro da série Noivas da Semana. Gabriella Masini: assombrada pelo passado, com as cicatrizes que não a deixam esquecer, Gabi acredita que contos de fadas acontecem com outras pessoas, não com ela. Trabalhando na Alliance, a agência de casamentos de elite, ela é ótima com números, mas não consegue somar dois mais dois quando se trata de seu último cliente: um bilionário bad boy com seus próprios segredos. Quando Gabi se recusa a ser sua esposa temporária, Hunter faz uma oferta que ela não pode recusar. Mas o casamento com um homem como ele nunca poderia dar certo... ou poderia? Hunter Blackwell: apenas sua conta bancária é maior que sua habilidade para conseguir o que quer. Ele tem uma razão secreta para querer se casar, pelo menos por um tempo — e acha que a sensual e atrevida Gabi é perfeita para o papel. Mas, quando o casamento de conveniência se torna perigoso, Hunter deve decidir até onde iria para cumprir a promessa de honrar e proteger Gabi para sempre.

E não podia deixar de querer o ultimo livro da série Noivas da Semana. Espero que esteja tão bom quanto os outros da série que eu li.

Grande clássico da literatura mundial retrata a mítica história do rei Artur a partir da perspectiva de mulheres mágicas e poderosas. Por séculos, as lendas arturianas povoaram o imaginário de leitores de todo o mundo. As Brumas de Avalon é considerado por muitos a versão literária definitiva do mito e muitas gerações de mulheres se deixaram arrebatar pela escrita envolvente de Marion Zimmer Bradley. Pelos olhos de mulheres complexas e poderosas como Morgana das Fadas, Viviane, a Senhora do Lago, Igraine, Morgause e Gwenhwyfar, os reinos de Camelot e de Avalon são revisitados neste clássico, repleto de magia, sensibilidade e intrigas. Uma releitura monumental das lendas arturianas...
Ler As Brumas de Avalon é uma experiência profundamente tocante, e muitas vezes fantástica. Um resultado impressionante. - THE NEW YORK TIMES BOOK REVIEW
O enredo elaborado com maestria e a escrita maravilhosa de As Brumas de Avalon jogam nova luz a antigos personagens, em especial Morgana das Fadas, Merlim, Lancelote e Gwenhwyfar. Um romance épico, com violência, ambição, lealdades dolorosas e feitiços assombrosos. - PUBLISHERS WEEKLY

E por coincidência temos o rei Arthur duas vezes na lista. Eu até já tenho os quatro livros dessa série, mas essa edição capa dura em volume único está maravilhosa. Se der eu vou comprar.

E quais são os seus desejados nesse mês?




20 novembro 2017

Resenha | O Canto Mais Escuro da Floresta - Holly Black


Livro: O canto mais escuro da floresta
Série: Não
Gênero: Fantasia
Autora: Holly Black
Editora: Galera Record
Páginas: 294
Ano: 2017
Resenha:
A cidade de Fairfold fica no meio da floresta de Carling. Alguns diriam que ela é um lugar ideal para se viver. A comida de lá é mais gostosa, porque segundo dizem é temperada com feitiços. Os sonhos são mais vívidos, os artistas mais inspirados e seus trabalhos os mais belos. A música é mais agradavel e os sentimentos são mais profundos. Mas outros já diriam para que você fique longe dela. A floresta é habitada pelo Povo do Ar e eles são muito maus na maior parte do tempo. Sem falar no monstro escondido no coração da floresta. E não é raro que alguns turistas que visitam a cidade nunca mais sejam vistos. Isso quando não são encontrados mortos de alguma maneira bem esquista. Mas eles continuam vindo para Fairfold, principalmente por causa do garoto de chifres dentro do caixão de vidro.

Ninguém sabe desde quando o garoto está ali. E por mais que as pessoas já tenham tentado, ele nunca acordou. E o vidro parece ter alguma espécie de maldição, porque quem tanta quebrá-lo acaba se dando mal. Mas ainda assim as pessoas continuam a visitá-lo na esperança de que um dia ele acorde. Ben e sua irmã Hazel está entre eles. Foram longos verões brincando em volta do caixão e inventando histórias sobre ele. Em suas fantasias, o garoto é um príncipe e eles são cavalheiros de sua guarda. Mas os anos se passaram e o garoto nunca acordou e os irmãos deixaram essa história para trás, mas lá no fundo a esperança de que um dia ele acorde continua. E suas vidas também.

Quando era um bebê, Ben recebeu uma bênção de uma das criaturas da floresta quando sua mãe pintou um quadro dela. Ele foi abençoado com o dom da música. Mas eles não tinham dinheiro para Ben fazer uma faculdade. Por isso Hazel faz um acordo com os seres da floresta. Ela dá sete anos de sua vida em troca do sonho de Ben. E agora parece que chegou a hora de ela cumprir sua parte no acordo. Hazel recebe um bilhete que só ela entende, porque ninguém mais sabe o que ela fez. No dia seguinte Hazel acorda com os pés cheio de lama e em suas mãos tem cacos de vidro e sua cama está cheia de galhos e folhas e ela não lembra de nada do que aconteceu. Mas o mais impressionante é que ao chegar na escola eles ficam sabendo que que o caixão de vidro está quebrado e o menino de chifre sumiu. Hazel e Ben decide que vão encontrar o garoto, mesmo com o alerta de Jack, amigo dos dois que é um changeling (é quando uma fada deixa seu filho no lugar de alguma criança humana). 


Desde que lançou esse livro eu fiquei morrendo de vontade de ler. Já li outros livros da Holly e considero ela uma ótima autora. Ela consegue pegar um tema que já está mais do que batido e cria algo totalmente novo. Ela fez isso em A Menina Mais Fria de Coldtown, um dos melhores livros com vampiros que já li. E ela fez isso novamente nesse livro. Já li vários livros com fadas, mas esse de longe foi o melhor. Ainda mais que os personagens principais não precisam se descobrir ser um ser de outro mundo para ter seu destaque. Eles continuam humanos e convivem com outros seres. E outra coisa ótima é que ela cria uma história grandiosa dentro de apenas um livro, coisa rara hoje em dia em que parece que os autores não sabem mais escrever livros únicos. E não ficou aquela sensação de que faltou alguma coisa por ser apenas um livro, pelo contrário, ficou tudo bem fechadinho no final.

A história se divide entre passado e presente e essa foi uma das únicas coisas que achei para ressaltar como negativo no livro. Fiquei um pouco confusa em algumas partes porque não tem uma clara divisão entre os tempos. Mas não é nada muito relevante, foi só para ter algo negativo para mencionar mesmo hehe. O livro é de fantasia, mas outro dom da Holly é esse, saber misturar a fantasia com a realidade. Então por isso temos diversos temas sendo abordados dentro da história e um dos mais bonitos é a amizade e lealdade entre os irmãos protagonistas. E até temos romance na história, mas gostei dele não ser o foco. E a parte fantástica é muito bem desenvolvida. Adorei conhecer Fairfold e a floresta onde vivem as criaturas. As cenas são tão bem descritas que parece que estamos lá junto com os personagens.

Hazel e Ben me encantaram da mesma maneira e não sei dizer qual foi meu favorito. Mesmo o protagonismo tendo ficado um pouquinho mais para o lado da Hazel, sem o Ben a história não seria anda do que foi. E temos os personagens secundários também que dão o apoio que os principais precisam e ao mesmo tempo são essenciais para os mistérios da história. Não vou falar muito sobre cada um porque o legal é ir conhecendo eles conforme vai lendo. E antes de terminar a resenha não posso deixar de elogiar a edição linda da editora. A capa é incrível, por dentro e por fora e eu ficava o tempo todo imaginando essas cores na floresta enquanto lia. É um livro que eu indico com certeza. Leia e se surpreenda.

Nota:





19 novembro 2017

Parceria | Jean Valens

Hoje vou apresentar para vocês o mais novo parceiro do blog: Jean Valens. Quero até pedir desculpas para o autor pela demora em fazer a postagem. Mas como vocês já sabem eu operei e estava de molho hehe. E já li o livro e logo tem resenha dele por aqui.

O Autor:


Nascido em 2 de Setembro de 1990 em Goiânia-GO, Jean Valens Veloso Rodrigues começou a escrever a historia de Darkham em 2010, época que ainda cursava Direito na PUC/GO. Conforme o tempo passou, o roteiro de sua obra evoluiu até que pudesse chegar a este 1 volume da obra.
Sua inspiração veio através de alguns quadrinhos como The Punisher, Batman, Pulp Fiction (O Aranha, Besouro Verde e O Sombra) e filmes do gênero.
Hoje Jean Valens é Advogado graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC/GO), Contador graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Católica dom Bosco (UCDB), Especialista em Planejamento Triburário pela Universidade Federal de Goiás (UFG), Membro da Comissão de Direito Tributário (C.D.T.) da OAB-GO, Membro da Comissão de Advocacia Jovem (CAJ) da OAB-GO, Integrante do Movimento de Acompanhamento das Causas Contábeis de Goiás (MACCGO), Articulista, Palestrante e Escritor.

Sua Obra:


Quando a Lei não consegue mais combater o crime, talvez um vigilante possa fazer toda a diferença. Isso é o que ocorre em Hollandon, uma importante cidade para assuntos internacionais e, amplamente, considerada a segunda capital cultural do mundo. Nela, acompanhamos a história de Jack Lewis, um empresário e vigilante, perseguido por agentes corruptos da Agência de Inteligência Centralizada (A.I.C.). Ele é incriminado por um assassinato e isso o leva a fugir das autoridades. Enquanto tenta provar sua inocência, não pode deixar de dar suporte a cidade na figura de Darkham, um vigilante honesto em meio a uma cidade corrupta e inescrupulosa. Sua jornada não será fácil, ainda mais quando Royal King quer ver o vigilante morto. King ainda designa Frank Tupelo, seu braço direito, a uma missão crucial para sua organização. Entretanto, quando o caminho de Tupelo cruza com o de Darkham, vidas são perdidas.



Adicione e Compre:


Skoob - Saraiva - Amazon





16 novembro 2017

Resenha | Como Se Casar Com Um Marquês - Julia Quinn


Livro: Como Se Casar Com Um Marquês
Série: Agentes da Coroa # 2
Gênero: Romance de Época
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Ano: 2017
Resenha:
Elizabeth Hotchkiss precisa se casar urgentemente. E tem que ser com alguém bem rico. Há cinco anos, desde os seus  dezoito, ela cuida de seus três irmãos. Quatro órfãos que até então viveram de maneira bem simples com o pouco dinheiro que seu pai lhes deixou e com o salário que Elizabeth ganha como dama de companhia de Lady Danbury. Mas já tem algum tempo que as contas não estão batendo e ela não sabe de onde vai tirar o dinheiro para comprar lenha para aquecer o chalé nesse inverno. Quando seu pai faleceu, alguns parentes quiseram criar Lucas, o único homem da família e consequentemente o herdeiro do titulo de baronete. Porém Elizabeth não deixou que a família se separasse. Mas nem em seus maiores pesadelos ela imaginou que a situação fosse chegar a esse ponto.

E por uma incrível coincidência, no mesmo dia em que decidiu se casar ela encontrou um livro vermelho na biblioteca de Lady Danbury com o título Como Se Casar Com Um Marques. E o livro até parecia chamar Elizabeth. Num impulso ela pegou o livro e guardou dentro da bolsa quando foi liberada do serviço. E certa de estar fazendo uma coisa muito errada, nem prestou muita atenção quando foi descer os degraus da entrada da casa e acabou trombando no novo administrador de Lady Danbury. O novo administrador na verdade é James Siddons, marquês de Riverdale e sobrinho de lady Danbury. James trabalhou por anos para o Departamento de Guerra. Mas recentemente teve sua identidade revelada e foi afastado dos serviços de espião. Por isso foi com alegria que recebeu um bilhete de sua tia pedindo sua ajuda.

Lady Danbury está sendo chantageada e pede que James trabalhe disfarçado como seu administrador para descobrir o dono da chantagem. E o primeiro nome em sua lista de suspeitos é justamente o da da pessoa mais próxima de Lady Danbury no momento: Elizabeth. E ela nem percebe que está sendo observada por James, já que depois de ver que está faltando até comida para ela e seus irmãos, Elizabeth decide seguir os conselhos do livro vermelho que pegou na biblioteca de Lady Danbury na esperança de conseguir um marido. E como não tem nenhum homem em vista ela decide treinar os decretos do livro com James. E quando James descobre sobre o livro, decide que vai ajudar Elizabeth a conseguir um marido. O problema é que quanto mais convive com Elizabeth mais ele teme abrir mão de sua companhia. 

"— Como ousa pensar que eu estaria chantageando essa doce e velha dama?
— Doce? — repetiu o Sr. Siddons.
— Velha? — bradou lady Danbury."

Quando li o livro Como agarrar uma herdeira, foi uma decepção total. Por isso estava sem muitas expectativas para ler o segundo livro da série. E isso aliado a alguns fatores fez com que eu acabasse favoritando o livro. Tudo o que não gostei no primeiro livro, foi diferente nesse segundo. As piadas e cenas sem graça do primeiro se transformaram em cenas realmente engraçadas nesse segundo. O casal protagonista que não teve nenhuma química e que torci para que terminasse separado, nesse segundo foi um casal que amei logo na primeira cena em que eles apareceram juntos e torci feito louca por eles. A protagonista é uma personagem forte, decidida e que enfrenta lady Danbury, um dos melhores personagens que tive o prazer de conhecer em um romance de época, de igual para igual e em nenhum momento se tornou chata e irritante como a protagonista do primeiro livro.

Como disse acima, teve alguns fatores que foram determinantes para que esse livro se tornasse favorito. Além da protagonista feminina que já comentei, o protagonista masculino foi um desses fatores. James já havia me ganhado no livro anterior com sua simpatia, seu bom humor e inteligencia, características que acho fundamental em um homem. E amei ele ainda mais quando conheci sua história de vida. Outro fator que me fez amar o livro foi a família da Elizabeth. Sempre que tem crianças nessas histórias de romance de época, elas são uma atração a parte e nesse livro não aconteceu diferente. Os irmãos mais novos de Elizabeth, Susan, Lucas e Jane, fizeram toda a diferença na história. Teve desde momentos engraçados, a momentos emocionantes ao ver o quanto eles se amavam e eram unidos.

E por ultimo o fator que mais me fez amar esse livro: lady Danbury. Eu já amava o personagem dos livros da Série Os Bridgertons, mas aqui eu vi um outro lado da famosa senhorinha. E concordo com a Cida do Moonlight Books, queria muito que a Julia escrevesse um livro com ela mais nova. As aventuras não devem ter sido poucas não. Quem já conhece a Lady D dos outros livros, já percebe logo de cara o que está acontecendo, ai cai naquela do porque as editoras lançam os livros fora da ordem cronológica. Como esse livro foi escrito antes de Os Bridgertons, deveria ter sido lançado por aqui antes, mas... Enfim, não vou me alongar muito mais. Só me resta indicar o livro para os amantes do gênero. E para finalizar só vou falar sobre essa capa maravilhosa. Aliás, as duas capas dessa série são as mais bonitas do gênero da minha estante.

Nota:






14 novembro 2017

Clube de Assinatura Literária

Faz algum tempo que surgiram os clubes de assinatura literárias e temáticas. Mas eu como pão dura que sou e também porque detesto surpresas, disse que nunca ia participar de nada do tipo. Cuspi para cima e caiu na minha testa. Decidi experimentar e comecei a procurar dentre os clubes o qual melhor se encaixava no meu perfil. O que mais chamou a minha atenção e fiquei apaixonada foi o Clube Skoob. Mas quando vi o valor da caixa e do frete eu quase cai de costa.

Então eu fiquei sabendo do Clube do Livros e Citações. Além da vantagem enorme do frete grátis, ainda vem com o adicional de poder escolher o gênero literário favorito. E as caixas são com valores que cabem no nosso bolso.

Na primeira compra, como seguro morreu de velho, comprei a caixa mais barata. E tem várias formas de pagamento para o cliente poder escolher. Logo de cara já fiquei perdida e tive assistência online da Gabrielle, uma das responsáveis, na hora e já consegui finalizar minha compra certinho. Optei por boleto pelo PagSeguro e logo já recebi a confirmação de pagamento. E a minha caixa foi uma das primeiras a chegar pelo que vi no IG e no Facebook.


Eu já tinha visto uma das caixinhas desse mês e veio um livro que já tenho, um romance da Julia Quinn, por isso fiquei morrendo de medo de vir esse na minha caixa. Mas quando chegou e vi que não era, fiquei ainda mais feliz.
Adorei tudo o que veio na caixinha. Tudo muito caprichado e feito para agradar quem ama livros. Vejam nas fotos abaixo o que recebi.

Veio vários brindes de Halloween. Uma vela, um sabonete no formato de olho, um chaveiro de fantasma, 2 pirulitos, um botton de bruxa e um colar de coruja.
Os marcadores também adorei. Principalmente o de Livros ou Travessuras e esse que está deitado. São lindos.
O livro escolhido foi Mindhunter, uma das sensações, tanto literária, como na série da Netflix.

E quem quiser passar por essa experiência corre lá no site e garanta a sua caixa. Já comprei a minha de novembro, cujo tema é natal, e espero que venha tão legal quanto a de outubro. E se você comprar e quiser indicar o blog lá no formulário para eu ganhar um descontinho, eu agradeço. 




E você, já participa de algum clube literário? 





© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo