17 julho 2019

Resenha | Fuck Love - Louco Amor - Tarryn Fisher


Livro: Fuck Love - Louco Amor
Série: Não
Gênero: Romance, Drama
Autora: Tarryn Fisher
Editora: Faro Editorial
Páginas: 288
Ano: 2017

Resenha:
Algumas pessoas dizem que os sonhos são projeções dos nossos desejos e pensamentos. Mas com Helena aconteceu exatamente o contrário. Ela nunca tinha olhado para Kit de outra maneira que não fosse como o namorado da sua melhor amiga Della. Ela nunca nem tinha reparado nele para falar a verdade. Mas depois daquele sonho, ela não consegue pensar em outra coisa. Enquanto aguardava seu namorado Neil, Kit e Della na porta de um restaurante, Helena acabou dormindo e foi onde tudo começou. Ela não tem dormido bem ultimamente por causa dos exames finais da faculdade e é só sentar quieta em algum canto para ela pegar no sono. Mas quem imaginava que ela ia ter um sonho tão vívido e mesmo depois de acordada ainda acreditar no que sonhou?

No sonho, Helena está casada com Kit e eles tem uma filha juntos. Na verdade Helena está em seu segundo casamento já que ela foi casada com Neil, e teve um filho com ele, mas foi traída e logo depois se casou com Kit. Sua vida é completamente diferente do que ela imaginava. Helena que não sabe desenhar, em seu sonho lançou uma coleção de livros de colorir para crianças que fez muito sucesso e ela é praticamente rica e vive cercada de luxo. Mas o melhor do sonho é a forma como Kit parece amá-la com todas as suas forças. E o sentimento entre eles é tão palpável que mesmo depois de acordada, Helena não consegue parar de sentir. E fica horrorizada ao ver que está morrendo de ciúmes por sua melhor amiga beijar o namorado dela.


Certa de que depois de uma noite bem dormida ela vai esquecer o que sonhou, Helena vai para casa, mas no outro dia tudo continua tudo igual. Os sentimentos parecem muito reais. E ela começa a fazer tudo o que pode para que seu sonho se torne realidade. Como no sonho ela fez sucesso desenhando, sua primeira atitude é esquecer que estudou contabilidade e se inscrever em um curso de arte. E claro engatar uma amizade com Kit, que até então ela acreditava não ter nada em comum. E o engraçado é que o sonho até parece uma espécie de premonição, porque ela sabe de coisas a respeito de Kit que ele nunca contou para ninguém. Mas quando ela percebe que está se apaixonando e que vai ter que escolher entre viver um novo amor ou preservar sua antiga amizade, Helena decide que está na hora de rever sua vida.

"Pensamos que podemos controlar as nossas vidas, mas em vez disso somos controlados por elas. E tudo o que afeta as nossas vidas nos controla. As pessoas têm menos poder do que pensam. Nós só podemos controlar nossas reações."

Já tinha lido dois livros da autora e gosto de seus protagonistas serem pessoas imperfeitas, ou seja, chegam bem perto das pessoas reais. E nesse não foi diferente. Num primeiro momento o que chama a atenção para esse livro, além do título inusitado, é a capa que é maravilhosa. Mas eu estava meio receosa para ler essa história porque quando li a sinopse já me veio a mente a palavra traição, o que não suporto. Mas resolvi ler mesmo assim porque várias blogueiras que confio leram e gostaram bastante e fui surpreendida com uma história não de traição, e sim de amizade abusiva, o que até então não tinha lido em nenhum livro. Relacionamentos amorosos abusivos, até que já li vários, os explícitos que deveriam ser mais, e os romantizados, que esses sim existem aos montes.


Mas achei interessante porque a autora começa o livro descrevendo uma amizade bonita e até gostei da Della. Achei que por ter esse triangulo amoroso ela fosse pintar a "outra" como uma vadia para fazer o leitor torcer pelo casal Kit e Helena, mas não foi que aconteceu. Ela foi mostrando aos poucos para o leitor como é uma amizade abusiva e achei isso ótimo porque quantas vezes não temos amigos assim e nem nos damos conta? E foi lendo a história que percebi que já tive uma amizade assim. Hoje não somos mais amigas, a vida acabou por nos afastar, mas convivemos diariamente por cerca de 20 anos. E a autora soube mostrar bem a diferença entre uma amizade abusiva e uma que te faz bem com a atual e a ex do Kit. Enquanto Della, a atual, só queria ver Helena para baixo, a ex, Green, tirava o melhor da Helena.


No começo do livro eu estava a favor da Della, afinal o namorado era dela e a Helena era a traíra, Mas conforme vamos acompanhando a história vemos que não houve traição da parte da Helena, já que ela nunca nem demonstrou o que sentia para Kit enquanto ele estava com Della. Pelo contrário, Helena fez tudo o que estava ao seu alcance para matar aquele sentimento, até mudar para outro estado ela mudou. Mas afinal quem manda no coração? Já o Kit acho que traiu sim, porque não foi sincero com nenhuma das duas. Ele na verdade é um banana que ficou em cima do muro o tempo todo esperando as coisas se resolverem. E confesso que torci muito para que Helena encontrasse outra pessoa e fosse feliz sem ele.


O livro é um romance, mas também é um drama e em sua maior parte ele fala sobre amadurecimento e crescimento pessoal. Helena precisou de um sonho para conseguir enxergar que não era aquilo que ela queria para sua vida. Mas ela conseguiu e teve um amadurecimento enorme durante o livro. A leitura me agradou bastante e acho que até o momento, esse foi o livro que mais gostei da autora. E fui surpreendida com o final, esperava outra coisa dela pelo que já tinha lido em seus outros livros. Quanto a edição, está incrível, com o mesmo capricho que a editora tem em todos os seus livros. E gostei bastante de terem mantido a capa e o título original, que como já disse antes, foi o que me chamou a atenção para ele.

Nota:









15 julho 2019

Minha opinião - Junho 2019

E vamos aos lidos e não resenhados do mês de junho.


Uma Dama Perigosa
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Eu que não abandono livro nunca, quase abandonei esse. Quis ler esse livro por causa dessa capa maravilhosa, mas a história infelizmente é uma confusão só. Eu estava com 25 % do e-book lido e se me pedissem para dizer sobre o que era a história eu não saberia explicar. A coisa só começa a melhorar lá pela metade do livro, ponto em que acredito muita gente que não tem o mesmo problema que eu em abandonar livro, já teria feito isso faz tempo. E só fica melhorzinho e dá para entender bem a história lá pelos 70 % do livro. Mas logo em seguida a coisa desanda de novo. É uma pena porque a capa é tão bonita que achei que a história seria espetacular. Mas essa é minha opinião, eu não indico o livro, mas como gosto é gosto e cada um tem o seu, se tiver vontade leia o livro.




Happy Birthday
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Eu sempre vejo resenhas dos livros da autora, mas ainda não conhecia a escrita dela. Então quando vi a Denise resenhando esse conto, achei que era a oportunidade de conhecer a autora. Como não li os outros livros dela, não sei se os personagens são de alguma outra história, a impressão que deu foi que sim. Mas se não são seria ótimo ter uma história deles porque os personagens são interessantes. O conto em dois capítulos vai narrar o aniversário dos protagonistas, um na visão de cada um deles. E o conto serviu a seu propósito, gostei do que li e com certeza vou querer ler outros livros da autora.



Opostos 
Sinopse: Skoob
Nota: 3/5
E por fim cheguei ao fim dessa série que teve seus altos e baixos. Mais baixos do que altos para falar a verdade. O quarto livro eu achei o mais fraco da série e estava com as expectativas bem baixas para esse ultimo. E achei que terminou na média, mas não vi evolução nenhuma na história, principalmente na protagonista que continuou agindo que nem uma tonta. Como disse lá no primeiro livro, ele é meio que uma cópia de Crepúsculo, só que em vez do protagonista masculino ser um vampiro, ele é um alienígena. Mas diferente de Crepúsculo que tem alguma evolução durante a história, aqui eu só me irritava a cada livro lido. A protagonista é um pé no saco e age feito criança o livro todo. Outra coisa que me incomodou muito foi que a guerra está lá rolando solta e os dois fazendo o que? Sexo. Acho que tem histórias que não cabem esse tipo de situação e essa é uma delas. Enfim, leia por sua conta e risco, eu particularmente não indico, mas vi muita gente que amou essa série.

A Garota do Cemitério
Sinopse: Skoob
Nota:4/5
Essa é a primeira HQ que consigo ler no kindle. Já tentei outras vezes e sempre fica horrível. Por isso antes de mais nada quero dar meus parabéns para a editora que além de se preocupar em ajustar o formato para uma leitura agradável, ainda colocou ele no programa Kindle Unlimited. Eu gostei bastante da história que se passa em um cemitério, o que achei bem interessante. Só não dei nota máxima porque existem algumas coisas e frases que ficam se repetindo. Se no e-book eu já achei o desenho, as cores e os traços incríveis, imagino que a edição física seja maravilhosa. Pena que é trilogia e não sei se teremos as continuações. Mas gostei bastante do que vi.






Um Presente Do Destino
Sinopse: Skoob
Nota: 2/5
Eu peguei a indicação desse livro no blog da Tamires. Amei essa capa e como sempre tive vontade de conhecer a escrita da autora, resolvi ler ele. Mas confesso que não comecei gostando muito dele não. Achei uma confusão só na hora que ela viaja no tempo. Demorei para entender o que tinha acontecido. Já a protagonista não, ela agiu como se isso acontecesse todo dia com ela. E não foi só essa parte que fiquei perdida. Teve várias vezes que tive que voltar algumas partes porque pensei ter pulado alguma página. A impressão era de que faltava partes da história. Mas acredito que a autora escolheu contar a história assim, o que não me agradou. No final até que a história melhora um pouco, mas bem no fim mesmo e quando eu achei que ia começar a entender e dar em algum lugar, a história terminou. E só então vi que não era livro único. E não vou nem comentar sobre o protagonista masculino que odiei. Enfim, não gostei, mas quem sabe você aprecie mais do que eu. E vou ler outro livro da autora porque pode ser que o problema que eu tive seja só com esse livro.


Enquanto Nevava
Sinopse: Skoob
Nota: 4/5
Como disse acima, no conto Happy Birthday, eu gostei da escrita da autora e resolvi ler outra história dela. E novamente ela já me ganhou nas primeiras páginas do livro. Eu geralmente não gosto desse tipo de história que a pessoa volta para alguma cidade onde ficou anos fora e por ai vai, mas a autora me pegou de jeito na forma como ela contou a história e ao fazer segredo do motivo da garota ter abandonado sua vida seis anos antes, eu fiquei grudada no livro até terminar. Tanto que li ele em um dia. Confesso que se fosse eu no lugar dela não daria outra chance, já passei por algo parecido e voltou a acontecer, mas cada caso é um caso. A capa é linda também e foi outra coisa que me chamou a atenção e me fez escolher esse livro para ler.





12 julho 2019

Resenha | Sangue Frio - Robert Bryndza


Livro: Sangue Frio
Série: Detetive Erika Foster #5
#3 - Sob Águas Escuras
Gênero: Suspense, Policial
Autor: Robert Bryndza
Editora: Gutenberg
Páginas: 320
Ano: 2019

Resenha:
A Detetive Inspetora Chefe Erika Foster e a Detetive Inspetora Moss são chamadas para uma ocorrência em uma praia artificial as margens do rio Tâmisa. Quando chegam ao local encontram uma cena bizarra, uma mala foi desenterrada por um escultor local e dentro dela está um homem decapitado e desmembrado. O cheiro de decomposição é terrível, mas eles tem que trabalhar o mais rápido possível em busca de possíveis provas já que não para de chover, e a maré está subindo e a qualquer momento vai cobrir o local. Erika consegue reunir uma equipe com pessoas que ela confia, entre eles o Detetive Sargento John McGorry, que faz uma pesquisa e descobre um caso semelhante ocorrido há mais ou menos uma semana, e dessa vez o corpo é de uma jovem.

O Patologista Forense Isaac Strong examina os dois corpos e vê que os ferimentos são praticamente idênticos, mas no estômago do homem tem cinquenta embalagens de cocaína. E a arma dos dois crime possivelmente é um pedaço de concreto encontrado na mala com a mulher. Tudo leva a crer se tratar de um duplo assassinato relacionado as drogas. E esses são os primeiros de vários corpos com o mesmo tipo de assinatura, o que leva a equipe a acreditar que se trata de um serial killer. E o mais chocante não é nem os membros decepados e sim a forma brutal com que as vítimas são espancadas antes de morrer. E enquanto investiga os assassinatos Erika ainda tem que lidar com alguns problemas em sua vida pessoal. 

Paralelo a isso temos a história de Nina Hargreaves, uma jovem de dezoito anos que acaba de se formar no ensino médio e sem muitas expectativas acaba aceitando um trabalho em um restaurante onde conhece Max. Ele se destaca entre os funcionários e logo Nina desenvolve uma paixonite por ele, que a principio nem olha para ela. Mas essa indiferença só faz com que Nina fique ainda mais interessada. Até que um dia ela consegue a atenção de Max. Dai em diante Nina começou a viver os melhores dias da sua vida e quando descobriu que Max já havia sido preso, soube que ela era a pessoa certa que ia mudá-lo. Mas ela não poderia estar mais enganada. 


Esse é o segundo livro que eu leio dessa série, mas ele é o quinto com a detetive Erika e confesso que fiquei perdida na história da personagem. Tem livros com os mesmos detetives que dá para serem lidos de forma aleatória, mas essa série não é uma dessas, porque a vida da Erika é parte importante da história. Principalmente nesse quinto livro. Por isso já comprei os outros três que faltam porque agora preciso saber o que aconteceu com ela nos outros livros da série. Eu li o terceiro livro e esse, mas pelo que li nas resenhas esse é o primeiro da série que acompanhamos a visão do assassino. E que assassino. Fazia tempo que eu não lia um livro do gênero com cenas tão fortes.

A história não tem aquele suspense para saber quem é o culpado, já que desde o inicio sabemos quem está matando as pessoas, mas por outro lado temos, como a história é alternada entre o assassino e a detetive, aquele jogo de quem vai se sair melhor. Vai dando um nervoso conforme vai passando os capítulos. Dai você pode pensar "ah, mas é certeza de que a detetive vai prender o assassino porque os mocinhos sempre vencem". Só que não. Nessa série não temos certeza de nada. E até esse foi um dos motivos de eu não dar nota máxima para o livro. O autor não tem dó da sua protagonista e principalmente nesse livro ela comeu o pão que o diabo amassou. Fiquei chocada com o tanto que ela se dá mal na sua vida pessoal.

A Erika é um personagem que me cativou assim que eu conheci ela. Por isso fico na torcida de que ela se dê bem. Mas sua vida só vai de mal a pior pelo que pude ver. Espero que no próximo livro mude alguma coisa, porque nesse fiquei com pena dela. E também com vontade de socar a cara de dois "homens que são possíveis par para ela". Torço para que ela não fique com nenhum deles. Não sei qual deles é mais escroto. Outra personagem que gosto bastante é a Kate Moss. Não a modelo, a detetive hehe. Ela é o contraponto da Erika. A equipe toda na verdade é bem trabalhada e gosto do autor mostrar eles como personagens reais, eles também erram, eles também tem vidas fora dali.

Agora uma coisa que tenho que falar é sobre as partes onde vemos os assassinatos. Achei as cenas bem fortes e chocantes. As cenas são bem violentas, tanto as mortes como os abusos sexuais. Quem tem problemas com isso já está avisado. Max é um psicopata que acha que "merece" as coisas e que faz de tudo para se dar bem. Já a Nina eu fiquei com pena dela. Mesmo ela tendo ajudado em quase todas as mortes. Qual é o ponto onde a pessoa passa de vitima para agressor? Será que a gente é capaz de tudo para sobreviver? Acho que ela tinha que pagar sim pelo que fez, mas ao mesmo tempo ela era a vitima que estava mais perto e que aguentava os acessos de raiva do assassino. É complicado. Quanto a edição, está muito bem feita. Achei a capa bem bonita e combina com as outras da série. E termino indicando o livro para quem gosta de um bom romance policial.

Nota:
 








11 julho 2019

Lançamentos de Julho da Gutenberg

Esse mês a Gutenberg traz um livro inédito e três relançamentos. Os livros da autora Kristina Ohlsson já foram lançados anteriormente pelo selo Vestígio do Grupo Autêntica e agora estão com uma nova edição. E Seduzida é o terceiro livro da série The Enforcers.

Ele não pode mudar sua essência…
Uma infância horrível fez de Silas o homem que é hoje: perigoso, desconfiado e exigente. Extremamente solitário, tendo como companhia apenas Drake e seus irmãos, convenceu a si mesmo de que nenhuma mulher poderia aceitar sua necessidade de controle absoluto nos negócios e no prazer e, por isso, jamais iria se relacionar com alguém. Até que uma jovem violinista surge em sua vida.
Ela não pode mudar o passado…
Hayley tem lutado para realizar o desejo de seu pai: frequentar uma escola de música de prestígio em Nova York. Mas seu caminho está cheio de obstáculos, pois mesmo com dois empregos, ela não consegue pagar o aluguel de um apartamento em uma das cidades mais caras do mundo, e percebe que terá que abandonar tudo para trás.
Silas, depois de conhecer a jovem e bela Hayley e vê-la sem esperança, promete ajudá-la e protegê-la, não importando o impacto que causaria em sua vida. Mas quando Hayley atende a todos os seus pedidos com submissão e amor inabaláveis, ele se apaixona ainda mais pela bondade e o espírito gentil dela.
Entretanto, Silas sabe que a mancha escura em sua alma nunca pode ser apagada, e para não destruir a coisa mais linda que já experimentou, terá que tomar a atitude mais difícil de sua vida: deixá-la ir.
Hayley irá lutar por seu amor e por um futuro cheio de melodia e paixão para os dois. Mas Silas estará disposto a arriscar tudo, inclusive a vida da mulher que ama, para viver uma história impossível?

Uma garotinha desaparece de um trem com destino ao centro de Estocolmo. Em outra parte da Suécia, uma jovem vive oprimida pelo homem que um dia pensou ser seu príncipe encantado – e ela sabe melhor do que ninguém o motivo pelo qual a menina sumiu. A analista criminal Fredrika Bergman enfrenta dificuldades para ser aceita na equipe liderada pelo inspetor Alex Recht, que tem como braço direito o impetuoso investigador Peder Rydh. Fredrika, a única com formação acadêmica entre os policiais, trava uma difícil batalha para conduzir o caso por uma linha de investigação diferente daquela escolhida pelo restante da equipe. O caso ganha contornos dramáticos, e o que todos temiam não pode ser evitado. A equipe deve se apressar para chegar ao agressor antes que mais vidas sejam perdidas. Quanto tempo eles realmente terão até que o criminoso dê seu próximo passo?

Quinze anos atrás: uma adolescente é surpreendida enquanto colhia flores para a celebração do solstício de verão e brutalmente violentada. No presente, um homem é morto em um atropelamento. Ele não tem nenhuma identificação e não é reportado como desaparecido. Ao mesmo tempo, um sacerdote e sua esposa são encontrados mortos em um aparente duplo suicídio. Fredrika Bergman, juntamente com a equipe de investigação de Alex Recht, é encarregada de casos aparentemente desconexos. A investigação leva a uma rede de contrabando de pessoas: um novo agente a operar rotas de imigração ilegal a partir de Bangkok, Tailândia. À medida que a polícia desmantela o esquema, começa a se revelar uma trilha que remonta à década de 1980, a um crime não denunciado, mas cujas consequências irão muito além do que qualquer um poderia esperar.

A analista criminal Fredrika Bergman e a equipe do inspetor Alex Recht são designados para investigar o brutal homicídio de Rebecca Trolle, uma jovem desaparecida dois anos antes, vista pela última vez a caminho de uma festa. Seu corpo é localizado numa cova rasa em uma remota área florestal e algum tempo depois outras vítimas são encontradas no mesmo local. Fredrika descobre que, à época de sua morte, Rebecca estava fazendo uma pesquisa para sua monografia sobre uma figura pública – alguém com um passado obscuro. A investigadora está profundamente envolvida com o caso, que a essa altura já não é para estômagos fracos, mas quando o nome de seu companheiro entra para a lista de suspeitos, a provação poderá ser grande demais para ela suportar…







09 julho 2019

Resenha | À Beira da Eternidade - Melissa E. Hurst


Livro: À Beira da Eternidade
Série: À Beira da Eternidade #1
Gênero: Ficção Científica, Jovem Adulto
Autora: Melissa E. Hurst
Editora: Galera Record
Páginas: 322
Ano: 2019

Resenha:
2146. Depois que o pai de Bridger Creed morreu há um mês em uma missão, ele está cada vez mais melancólico. Nem viajar no tempo ele teve mais vontade. Mas Bridger sabe que para passar para o próximo nível na Academia e se tornar um Manipulador do Tempo certificado, ele precisa viajar e se esforça para conseguir sem ninguém perceber o seu estado. O que ele não consegue é claro. Tanto sua namorada Vika, quanto o professor March, melhor amigo do seu pai, percebem como ele está mal e os dois oferecem ajuda. A viagem será para 2076, onde os cadetes irão filmar de todos os ângulos possíveis o assassinato da presidente Foster, que foi um dos eventos que levaram à Segunda Guerra Civil. O salto é igual o das outras vezes, mas quando chega ao local Bridger acaba se distraindo com o discurso da presidente e quando ele percebe, tem um homem igualzinho seu pai lhe observando.

Bridger esquece de todas instruções e protocolos e vai atrás do homem. Mas a unica coisa que ele tem tempo, é de ouvir seu pai dizer para que ele salve Alora. E essa distração vai lhe custar caro porque ele não vê o que acontece com Vika, e ela é mortalmente ferida. Quando voltam para seu tempo, o professor March pede que Bridger confie nele e não conte nada sobre ter visto seu pai. Bridger se faz de confuso e é suspenso da Academia enquanto durar as investigações sobre o acidente. E nesse meio tempo ele descobre que seu pai estava trabalhando em algo escondido e tem a ver com a tal Alora. Bridger decide descobrir o que está acontecendo e faz um salto livre escondido de todos e vai parar na casa de Alora, que por coincidência parece ser gêmea de Vika. E bastam poucos minutos no local para Bridger descobrir que Alora é uma Manipuladora do Espaço.

2013. Alora Walker está tentando sobreviver à escola, mas está cada vez mais dificil porque o bullying é constante. Alora não lembra dos seus pais e há dez anos vive com sua tia Grace, que depois que o marido faleceu, luta para conseguir pagar as contas da casa sozinha. E sua vida que já era dificil, está cada dia pior já que ultimamente Alora vem tendo uns apagões. Ela acorda em lugares onde não estava e não se lembra de como foi parar lá, nem do que aconteceu no período em que esteve "desaparecida". E ela ainda tem uma sensação o tempo todo de estar sendo observada, como se alguém invisível estivesse ao seu lado. Qual será a ligação entre ela e Bridger e qual o motivo do pai dele ter pedido que Bridger a salve da morte, já que segundo os registros, Alora irá morrer dentro de três meses.

À Beira da Eternidade foi um livro que comecei a ler sem esperar muita coisa e acabei devorando ele. Em uma mistura de ficção científica com um jovem adulto, a autora traz um tema já batido, viagem no tempo, de uma forma simples e diferente que prende o leitor até as ultimas páginas. Eu particularmente sou meio dificil de entender essa coisa de viagem no tempo, mas como disse, a autora simplificou as coisas e deu para me sentir dentro da história. Os capítulos são alternados entre Alora e Bridger e terminam sempre na parte mais interessante fazendo com que o leitor fique querendo ler somente mais um capítulo e quando vê, o livro já terminou. E que final! Preciso da continuação para ontem.

Como disse, a história é uma mistura desses dois gêneros e nas partes narradas por Bridger temos mais a ficção científica onde conhecemos as novas tecnologias que estão no futuro criado pela autora. Tudo é muito interessante e eu gostaria de viver por lá hehe, porque geralmente a coisa lá na frente é bem feia e a gente torce para que não aconteça hehe. Já nas partes narradas pela Alora é onde temos mais o jovem adulto e como o cenário é um colégio de ensino médio, já dá para imaginar o que vamos encontrar no livro. Tem todos aqueles clichês que fazem parte do gênero. A garota excluída que de repente desperta o interesse do aluno popular, que acabou de terminar com a queridinha de todos. E por isso não dei nota máxima para o livro. Achei essas partes um pouco maçantes.

Mas de resto o livro é muito bom. Tem todo um mistério a ser descoberto, tanto por Alora quanto por Brigder. E conforme as páginas vão passando, cada um deles vai descobrindo uma peça aqui e outra ali e o leitor vai encaixando elas até matar a charada. Fiquei de cara com tudo na verdade. A trama é bem intrincada e mesmo muita coisa tendo sido colocada as claras nesse primeiro volume, ainda faltou bastante coisa desse mistério para ser descoberta. Tem muito mais história por trás do que os dois descobriram. E por isso eu preciso do próximo livro da série, e torço para que a editora traga ele para cá o mais rápido possível.

Eu gostei bastante dos personagens principais e dos secundários também. Tanto Alora quanto Bridger são personagens que conquistam o leitor logo de cara e a gente já torce para que eles consigam descobrir a verdade e também por um romance é claro, que ninguém é de ferro hehe. A Grace foi um personagem que me chamou bastante atenção também, ela foi o contraponto entre o presente/futuro e o presente/passado. Parece confuso, mas não é hehe. Outro personagem que acho que ainda tem bastante a mostrar é o professor March. Enfim, é um livro que eu indico para quem gosta de história com viagens no tempo, mas com protagonistas mais jovens. A edição do livro está muito bem feita e a capa me agrada bastante.

Nota: 








08 julho 2019

Tag | 50%


Já estamos na metade do ano e como já é tradição por aqui, vamos de Tag dos 50%.

1. O melhor livro que você leu até agora, em 2019.
Já começa com a pergunta mais dificil. Dá para ser um de cada gênero? hehe. Acho que o melhor na verdade foram dois, porque aqui no Brasil foi dividido em dois, mas ele é um só.


2. A melhor continuação que você leu até agora, em 2019.
Eu li ótimas continuações até agora nesse ano, mas Jogos Malignos sem dúvida elevou o nível de uma série que já era ótima.


3. Algum lançamento do primeiro semestre que você ainda não leu, mas quer muito.
Não li porque ainda falta o anterior hehe. Reino das Cinzas.



4. O livro mais aguardado do segundo semestre.
Não consigo pensar em nenhum hehe.

5. O livro que mais te decepcionou esse ano.
Li alguns livros bem ruins esse ano, mas um que eu esperava bastante e acabei não gostando tanto assim foi Um Tempo Aceitável


6. O livro que mais te surpreendeu esse ano.
Eu não esperava tanto do livro confesso, mas acabei amando ele.


7. Novo autor favorito (que lançou seu primeiro livro nesse semestre, ou que você conheceu recentemente).
Finalmente consegui ler os livros do Charlie Donlea e já virei fã.


8. A sua quedinha por personagem fictício mais recente.
Acho que não me apaixonei muito esse ano. Escolhi o Arin da Trilogia do Vencedor


9. Seu personagem favorito mais recente.
Vou roubar e responder dois. Aelin e Manon. Não consigo escolher entre as duas.



10. Um livro que te fez chorar nesse primeiro semestre.
Chorei em vários livros porque sou uma chorona, mas escolhi Vergonha porque li ele meio que obrigada pela Tamires e amei.



11. Um livro que te deixou feliz nesse primeiro semestre.
A Tessa é um gênio e Um Casamento Conveniente me fez rir horrores e me deixou bem feliz hehe



12. Melhor adaptação cinematográfica de um livro que você assistiu até agora, em 2019.
Assisti poucos filmes esse ano, assisti mais séries. Mas esse eu gostei bastante tanto do livro quanto do filme.


13. Sua resenha favorita desse primeiro semestre (escrita ou em vídeo).
Escolhi essa porque teve a participação de uma garotinha muito querida, a Milena. Se quiser conferir é só clicar aqui.


14. O livro mais bonito que você comprou ou ganhou esse ano.
Ganhei e comprei livros lindos esse ano, até porque só compro se a capa for linda hehe. Mas escolhi esse da DarkSide que está maravilhoso.



15. Quais livros você precisa ou quer muito ler até o final do ano?
Quero ler todos que eu conseguir ler hehe. Sou muito de bater o olho e me dar vontade, por isso não consigo escolher nenhum com antecedência.










© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo