29 outubro 2020

#9 | Da Natflix - Doces ou Travessuras?

  Dia 31 de Outubro é conhecido como o dia das bruxas ou Halloween. Aqui na terra do Saci-pererê, essa data vem ganhando muitos adeptos. Mas não é exatamente sobre a festa que vim falar. Quero saber quem aqui gosta de um filme que faz os pelinhos do braço ficarem em pé? ou quem sabe um bom suspense? ah! claro, tem os filmes de horror. Qual estilo você prefere?

  Poxa Olívia, e tem diferença entre eles? Sim! as vezes a diferença pode ser sutil, ou unir vários gêneros em um único filmes. Porém, pra nível de conhecimento, vou explicar de forma simples a diferença entre eles. 

Terror: medo do que está por vir. Sobrenatural, Criaturas Místicas, Monstros... 

Horror: está atrelado a repulsa. Cenas de violência explícita e muito sangue. 

Suspense: ausência de susto, enigma, situações desagradáveis, investigação... 

Uma comparação famosa é do acadêmico norte-americano Devandra Varma: o terror é o “cheiro da morte iminente” enquanto o horror é “tropeçar num cadáver”.

Bora ver como ficou essa lista?

1- Psicose (1960) 
Um clássico suspense, dirigido pelo mestre Hitchcock. 
Uma mulher em fuga, um hotel a beira da estrada e Norman Bates entre eles.
Sugiro, que após assista a serie Bates Motel. A serie foi inspirada no filme e é espetacular.


2- Drácula de Bram Stoker (1992)

Drama, Romance, Suspense e Terror fazem desse clássico um filme grandioso.
Vocês poderão ver Keanu Reeves e Winona Ryder jovenzinhos.
Se ainda não leu o livro, já deixo a recomendação. 


3- Entrevista de um vampiro (1994)

Mais um filme inspirado em livro.
Terror e Romance caminham de mãos dadas nessa historia. 
Brad Pitt, Tom Cruise, Kirsten Dunst e Antonio Bandeiras fazem parte desse rico elenco. 
Outro clássico que vale a pena ser visto. 


4- Quando um estranho chama (2006)

Uma babá é contrata para ficar com as crianças enquanto os pais precisam sair.
Uma casa imensa e uma chamada de telefone que tira o sossego de todos.
Um suspense pra quem tem medo de terror. 


5 - Caso 39 (2009)
Suspense e Terror e uma menina tão linda e meiga.
Nem tudo é o que parece ser.
Esse é o tipo de filme, que toda vez que você assiste vê algo diferente. 


6- Hush a morte ouve (2016)

Escritora vivendo em uma casa afastada e que perdeu a audição. 
Até que um mascarado resolve perturbar sua noite.
Um suspense psicológico de roer as unhas de nervoso.


7 - It (2017)

Um palhaço surge na cidade, atraindo crianças para bueiros, casas abandonadas e becos.
O clima de aventura dá uma suavizada nesse terror. 


8 - O homem das trevas (2016)

Três adolescentes burros, resolvem invadir a casa de um homem velho.
Nesse suspense/terror eles precisam tentar sair vivos.
Vai pensando que o velhinho é bonzinho, vai...


9- Ecos do além (1999)

Kevin Bacon está nesse terror, dando vida ao Tom.
Um homem comum e que em uma festa é hipnotizado.
Ao voltar ao seu estado normal, percebe que alguma coisa está estranha.
O sobrenatural agora o atormenta. 


10 - A maldição da mansão Hill (2018) - serie

Uma família se muda para uma mansão, onde coisas estranhas começam a acontecer.
Após anos, voltam a mansão para enfrentar seus traumas, dores e angustias.
Uma serie que mistura o drama, suspense e o terror e que nos deixou com muito medo.

...


Todos os filmes da lista estão no catalogo da Netflix. E na opção de busca, tem a opção Halloween, onde você pode encontrar vários títulos. No Prime Vídeo tem vários filmes que valem a pena.
E aqui no blog você também pode ir na busca e encontrar outras sugestões de filmes clica aqui que tem outra lista bacana.

Agora me despeso de vocês as 00:40 e depois de tanto pesquisar filmes de terror, to até com medo de ir beber água hahahaha serio. Mas antes vou deixar meu curriculum para a dona Netflix, para escrever sinopse dos filmes. Será que consigo o cargo? kkk

E já sabem, nos conta aqui em baixo se gosta desses gêneros de filmes/ livros e se já assistiu algum dessa lista. Adoro sugestão também. 

até breve







27 outubro 2020

Resenha | Casa de Terra e Sangue - Sarah J. Maas

Livro: Casa de Terra e Sangue
Série: Cidade da Lua Crescente #01
Gênero: Fantasia
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 896
Ano: 2020

Resenha:

Uma eternidade antes os vanir se esgueiraram pela Fenda do Norte e tomaram Midgard, evento esse conhecido como Travessia. Desde então a vida não é nada fácil para os humanos. Somente em Lunathion, também conhecida como Cidade Da Lua Crescente, eles ainda tem alguns direitos. E se não é fácil para os humanos, é ainda pior para os mestiços. Bryce Quinlan que é metade feérica e metade humana, sempre sentiu na pele essa dificuldade. Porque apesar de ter herdado as orelhar pontudas do pai feérico, praticamente todo o resto, inclusive a fragilidade humana, ela herdou de sua mãe. Mas não foi por interesse que Bryce se tornou a melhor amiga de Danika Fendyr, alfa da Matilha dos Demônios, há cinco anos quando se conheceram na Universidade.

As duas tem uma ligação de almas e até juraram fazer a Descida juntas daqui a quatro anos quando completarem vinte e sete. A Descida é um ritual onde os vanir tomam posse total de seus poderes e a imortalidade é alcançada, mas mesmo antes disso Danika já é uma das mais poderosas de sua espécie. Mas antes disso elas querem mais é se divertir e Danika é conhecida como a Princesa Baladeira. Mas nem só de festas vivem as amigas. Enquanto Bryce trabalha em um antiquário e no momento está encarregada por sua chefe de encontrar o Chifre de Luna, uma relíquia feérica que foi roubada recentemente, Danika e sua matilha fazem a patrulha da Praça da Cidade Velha e eles foram responsáveis pela prisão de Philip Briggs, um dos rebeldes da Keres, responsáveis por uma série de explosões.

Mas Briggs é solto por um detalhe técnico e no mesmo dia se torna o suspeito e posteriormente é preso acusado de ser o mandante de uma tragédia sem tamanho que vira o mundo de Bryce de cabeça para baixo. Mas dois anos depois sua culpa é colocada em dúvida, porque um vampiro é encontrado morto com o mesmo modus operandi do crime pelo qual Briggs foi preso. E como Bryce é o único elo entre os dois crimes e também ela foi a única a ver o demônio supostamente invocado por Briggs, ela é designada para investigar os crimes e Bryce terá a ajuda e proteção de Hunt Athalar, o Umbra Mortis, o anjo caído que foi escravizado após liderar uma rebelião e hoje trabalha para o arcanjo Micah Dominus, o governador de Lunathion. 

Desde que li Corte de Espinhos e Rosas me apaixonei pela escrita da Sarah, e quando li Trono de Vidro então, quis ler tudo o que essa mulher escreve, por isso não poderia deixar de me animar quando lançou Casa de Terra e Sangue, primeiro livro da série Cidade da Lua Crescente, mesmo já tendo lido algumas resenhas bem negativas sobre a história e também algumas polêmicas envolvendo a questão da representatividade nos livros da autora e a tradução do livro para o português. E como já esperava, amei o livro e entrou no ranking de melhores livros do gênero que já li. Claro que assim como todo livro, ele não é perfeito, mas todas as coisas boas nele compensam uma ou outra falha que ele tem.

E já vou começar falando sobre as polêmicas. A Sarah é bastante criticada por não colocar representatividade em seus livros e nesse parecia que ia ter alguma quando falou-se que um dos protagonistas seria negro. Mas então a cor da pele dele foi "mudando" ao longo da história e na tradução para o português ela clareou de vez. Claro que concordo que é necessário termos protagonistas negros e toda classe de representante sim, principalmente em livros com tanta visibilidade como os dela, mas discordo de se julgar uma história por isso. Basta entender que ela é uma autora branca que escreve personagens brancos e dar mais valor para autores negros que existem no mercado que a polêmica acaba. Sem falar que estou cansada de vez autores famosos dizendo que tem representatividade em seus livros e na verdade não passa do melhor amigo gay, que não faz nenhuma diferença. 

Quanto a outras criticas que li como o tamanho do livro ser desnecessário para a história que ela escreveu e sobre ser uma cópia de seus outros livros e personagens, vou falar o que acho. A Sarah tem seus fãs e me incluo nessa, e tenho certeza de que quanto maior o livro melhor.  "Ah mas ela enrolou muito e não acontece praticamente nada", quem disse isso por acaso leu Trono de Vidro? Porque os três primeiros livros da série juntos acontece menos do que nesse. E não concordo com o não acontece nada porque teve cada coisa de tirar o fôlego nesse livro. Sobre ser uma copia, ou mistura de TOG e ACOTAR, outra vez pergunto, já leram Nicholas Sparks, Rick Riordan e Cassandra Clare só para citar alguns? Porque não vejo nada de novo nesses autores citados, seus livros tem todos a mesma formula. 

Mas isso é uma coisa ruim? Se você for levar para o gênero do suspense, é claro que queremos uma história e principalmente um final que nos surpreenda, mas eu particularmente quando amo um estilo como acontece com a Sarah, quero sempre ler mais daquilo. Bryce não chega nem perto do carisma da Aelin ou da Feyre, mas é uma boa protagonista sim, assim como Hunt não se equipara ao Rhys, mas gostei mais dele do que do Rowan. E o desenvolvimento do casal é igual o dos outros livros? Sim é, mas como já disse antes, eu não acho isso ruim. Até porque quando gosto muito de uma coisa, sempre acabo procurando outras histórias parecidas com o que acabei de ler.  

Não vou negar que o começo do livro é dificil. Até porque a autora colocou uma salada de criaturas na história. O que você imaginar tem por aqui. E como além disso tudo temos um novo cenário, com novas regras e mitologias para entender, eu por vezes voltava algumas folhas para melhor compreender as informações que estava recebendo. E também não nego que a investigação se estende por algumas páginas a mais, mas acredito que tudo o que vem sendo contado ali é para construir a estrutura da história e também o relacionamento dos protagonistas. Porque não dava para acontecer o que acontece lá pelo final do livro se não acreditássemos que eles tinham um relacionamento sólido. 

Agora o que não consegui ver foi o porque dessa nova série ser classificada como de adultos se tem as mesmas coisas que as outras duas séries da autora também tem. Ou é tudo adulta ou é tudo jovem adulto, porque as cenas violentas e as cenas de sexo são no mesmo nível. Só se for pelo uso de drogas que nesse livro rola solto. Mas enfim. Eu adorei a história e indico para todos os fãs da autora sim. Acredito que cada um tem sua opinião e até por isso temos que ler e tirar nossas próprias conclusões. Não é porque eu amei ou vice-versa, que todo mundo vai achar o mesmo que eu. Enfim, leiam e depois me contem o que acharam. Quanto a capa não gostei tanto quanto das capas das outras séries, mas pelo menos não fizeram a besteira de querer dividir o livro em tomos, igual fizeram em Trono de Vidro.

Nota:







25 outubro 2020

#107 | A Estante Aumentou!

Esse mês resolvi assinar o Intrínsecos e já recebi minha primeira caixinha. E gostei tanto que já comprei outras caixas atrasadas de livros que me interessaram. Também chegou o livro da Sarah que eu tinha comprado na pré-venda e tem alguns de parceria e um que ganhei em um top comentarista.

Só um aviso, se você comprou a caixa da Intrínsecos de novembro e não quer saber o conteúdo, não siga em frente na postagem. 

De parceria com a Faro recebi O pequeno Príncipe que tem resenha aqui e Nunca Saia Sozinho que tem resenha aqui. Onde Mora o Coração era para ter chegado aqui em casa em agosto, mas acabou extraviado. Mas enfim chegou e tem resenha dele aqui.


Esse comprei na pré-venda é claro, porque é da Sarah e eu precisava hehe, mesmo com as resenhas negativas que li dele. Já adianto que já li e gostei. Muito. Logo tem resenha dele por aqui. Optei pela compra na Amazon que vinha essa ecobag de brinde. No Submarino o brinde era uma flâmula.


E essa é a caixa de novembro da Intrínsecos. Comecei a assinar o clube esse mês e achei que a caixa só ia chegar mês que vem, mas me surpreendi com a rapidez na entrega. Amei tudo, desde o livro até o brinde, que é esse aparador lindo. 


Coraline eu também já li e logo tem resenha. Comprei ele com um vale presente que eu tinha da Americanas que consegui respondendo pesquisas. E A Sedução da Duquesa ganhei no top comentarista do blog Capitulo Treze. Queria muito esse livro porque amo essa série.  


Desapego


Como já sabem, aqui em casa não tem muito mais espaço, então assim que chega livros novos tenho que desapegar de alguns e esses foram os que doei nesse mês. Os dois clássicos, como recebi novas edições da Faro, acabei doando os que eu já tinha, mesmo com dor no coração porque são capa dura e lindíssimos hehe.










23 outubro 2020

Resenha | Uma Loucura e Nada Mais - Mary Balogh

Livro: Uma Loucura e Nada Mais
Série: Clube dos Sobreviventes #3
#1 - Uma Proposta e Nada mais
#1.5 - O pretendente
#2 - Um Acordo e Nada Mais
Gênero: Romance de Época
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Ano: 2019

Resenha:

Sir Benedict Harper é um dos sete membros do Clube dos Sobreviventes. O clube é formado por ex-militares que sobreviveram à guerra, mas que por anos e ainda hoje sofrem às consequências dela, tanto físicas como psicológicas. Os membros do clube passaram anos se recuperando na propriedade do duque de Stanbrook na Cornualha e acabaram criando laços tão fortes como se fossem irmãos e combinaram de se reencontrarem na propriedade uma vez por ano, e eles já estão no terceiro encontro. A ligação entre eles é tão forte que mesmo Ben não falando nada, os outros percebem que ele não está nada bem e insistem em ajudar. Ben então acaba contando que está cada vez mais deprimido porque não sabe o que fazer de sua vida. Ele sempre quis seguir carreira militar, o que agora será impossível já que mal consegue andar sem suas muletas, o que já é praticamente um milagre pois, se não fosse por sua insistência os médicos teriam amputado elas. 

E com a morte do irmão mais velho, Ben se tornou herdeiro do baronato, outra coisa que ele não sabe como lidar, já que seu irmão mais novo é quem vem administrando tudo por todo esse tempo e Ben acabou se sentindo um intruso em sua própria casa. Por isso ele pretende passar um tempo na casa de sua irmã Beatrice e seu caminho vai cruzar com o de Samantha McKay, que também já teve sua cota de sofrimento nessa vida. Samantha não sabe mais o que é ser uma pessoa livre. Desde que se casou há pouco mais de sete anos, sua vida virou uma verdadeira prisão. Assim que se casou com Matthew, ela descobriu que ele não chegava nem perto do marido perfeito que ela havia imaginado e quando ele foi para a guerra Samantha ficou sob a tutela do sogro, que a todo momento deixava claro o quanto estava insatisfeito com o casamento. E nos cinco anos seguintes ela passou praticamente ao lado da cama do marido, que foi ferido na guerra.

E nos últimos quatro meses após sua morte, Samantha tem vivido o luto sob o domínio da cunhada, que não deixa Samantha nem colocar os pés para fora de casa. Mas Samantha resolve se rebelar e sai para dar um passeio onde quase é atropelada por um homem e seu cavalo. Mas o que deixa Samantha indignada é que o homem nem desce do cavalo para ajudá-la. O que de fato seria impossível, já que o homem é Benedict. Mas Ben sabe que foi deselegante e decide se desculpar e os dois acabam virando amigos. Porém a presença de Ben só faz com que a grades da prisão de Samantha fiquem ainda mais estreitas e quando seu sogro tira sua casa e ordena que ela vá morar com ele, Samantha decide fugir. Ela se lembra de um chalé que herdou de uma tia no País de Gales e resolve ir para lá recomeçar sua vida e Ben em um momento de loucura, resolve acompanhá-la. Mesmo sabendo que essa é uma péssima ideia já que ele se sente imensamente atraído por Samantha. 

"— Temos algo em comum, sabe? — disse ele, parando abruptamente antes de chegar à porta. — Também quero dançar. Às vezes é o que mais quero no mundo."

E chegamos no terceiro livro da série, e a cada livro lido parece que a série só melhora. Sem duvida é o melhor livro até o momento. E não só dessa série, mas fazia tempo que eu não lia um livro que reunia todas as características que amo em um romance de época. Sabe aqueles mesmos problemas que a gente sempre reclama?, aqui eles não existem. Por isso favoritei o livro sem pensar duas vezes. Mas como não existe livro perfeito, tenho a pontuar que poderia ter uma participação maior dos membros do clube. Mas também quando aparecem é aquela sensação gostosa no nosso coração. Sabe quando você lê um livro e sente que aqueles personagens fazem parte da sua família?, é assim que me sinto com esses personagens.

E olha que não dava muito para o Ben, já que ele pouco aparece nos dois livros anteriores. Mas tinha uma coisa marcante dele que desde o primeiro livro fica aquela duvida. Bem foi ferido gravemente na guerra e mesmo sofrendo dores constantes, ele não deixou que amputassem suas pernas e jurou que voltaria a andar e que um dia ainda ia dançar. Então essa era a grande expectativa em relação a ele desde o primeiro livro. E será que ele conseguiu? Isso só lendo para saber hehe. E mesmo sofrendo tudo o que sofreu na guerra, Ben não se tornou uma pessoa amarga e desiludida com a vida, pelo contrário, ele continua forte e não vai desistir até conseguir alcançar seus objetivos.

Já Samantha é aquela garota que se deslumbra com o homem mais velho e bonito e só depois do casamento descobre que a beleza era só por fora. Mas como prometeu no dia do casamento que seria na saúde e na doença ela permanece firme cuidando do marido que sofre mais de orgulho do que de ferimentos propriamente dito. E ao longo desse tempo ela amadurece e quando encontra Ben ela não olha somente para a beleza física, mas para o caráter dele. E aqui que entra o que comentei sobre aquelas coisas que sempre reclamo. O amor entre eles vai sendo construído ao longo do tempo. Tudo começa com uma amizade, que leva a uma paixão e se transforma em amor. Autores que escrevem instalove, aprendam com esse livro.

E outra coisa que amei é que como amigos, eles falam o que sentem, não ficam tentando adivinhar o que o outro está pensando. As conversas entre eles é um dos pontos mais interessantes do livro. E novamente não temos nada de extraordinário acontecendo, mas sim aquela história que a gente vai degustando e por isso achei ela ideal para ser lida em uma leitura coletiva, que é o que estou fazendo. E ao final do livro não me aguentei de tanta emoção e confesso, chorei. Por enquanto esse livro passou na frente e se tornou meu favorito da série, ainda tenho expectativas com a história do George. E antes de finalizar não posso deixar de citar a presença marcante de Tramp, o cachorro cupido, responsável pelos dois terem se conhecido. Termino indicando para todos amantes do gênero, e também para quem quer se aventurar.

Nota:









20 outubro 2020

Resenha | O Pequeno Príncipe - Antoine De Saint – Exupéry

Livro:
O Pequeno Príncipe
Série: Não
Autor: Antoine De Saint-Exupéry
Gênero: Fábula, Infantil
Editora: Faro Editorial
Paginas:  112
Ano: 2020

Sinopse:
“O essencial é invisível aos olhos ..." O Pequeno Príncipe é uma das obras literárias mais lidas no mundo e isto se deve à sua capacidade de relevar, a cada pessoa, significados diferentes, profundos, diante de uma história aparentemente simples. Nesta nova edição, você terá a chance de revisitar asteroides, planetas e baobás, encontrar uma certa raposa e admirar uma rosa muito especial. Escrito há mais de 70 anos, este livro é um dos favoritos de todos os apaixonados por literatura. E, até quem não tem hábito de leitura, se encanta pela doçura do pequeno príncipe. Ilustrado com as aquarelas do autor, a obra narra a amizade entre um piloto perdido no deserto e seu amigo inesperado, o pequeno príncipe. Seja esta a sua primeira leitura ou já perdeu as contas de quantas vezes leu a história: prepare-se para se emocionar.


Resenha:

"... eu dedicarei esse livro para a criança que essa pessoa grande já foi um dia. Todas as pessoas grandes já foram crianças — apesar de poucas se lembrarem disso." 

Quando tinha seis anos, ele viu uma ilustração em um livro, de uma jiboia engolindo um animal. Ele então resolveu fazer o seu primeiro desenho inspirado na ilustração, mas quando mostrou o desenho aos adultos, todos diziam ser o desenho de um chapéu, quando ele tinha desenhado uma jiboia que tinha devorado um elefante. Ele resolveu então desenhar o interior da barriga da serpente, mas foi aconselhado a deixar de lado os desenhos. Foi assim que ele abandonou uma carreira promissora de pintor para se tornar um piloto de aviões. Mas seu primeiro desenho está sempre com ele e, ele usa como teste para saber qual adulto é realmente inteligente.


Ele foi sozinho por muito tempo, até que a seis anos atrás seu avião sofreu uma pane e ele foi obrigado a fazer um pouso de emergência no deserto do Saara. Ele só tinha água e comida para poucos dias, por isso ele tinha que achar um jeito de consertar o motor. Foi depois da primeira noite que ele conheceu o Pequeno Príncipe. Como ele está sozinho a quilômetros de tudo, ele levou um susto quando viu o garoto pedindo que ele desenhasse um carneirinho. Como seu talento para pintor consistia em desenhar uma jiboia que tinha engolido um elefante, vista por dentro e por fora, foi o que ele desenhou e qual não foi sua surpresa quando o garoto disse que queria o desenho de um carneirinho e não de uma jiboia que tinha engolido um elefante.


Eles começam a conversar e ele descobre que o Pequeno Príncipe veio de outro planeta, e que a Terra é o sétimo planeta que ele está visitando. Ele descobre que o planeta que o garoto veio, é muito pequeno e que tem três vulcões, um já extinto e uma flor com quatro espinhos. Ele mal dá atenção as coisas que o garoto está falando e perguntando, porque ele está mais preocupado com o conserto do avião. Mas quando ele começa a prestar atenção nas aventuras que o garoto viveu em cada planeta até chegar ali, ele percebe que havia se tornado o adulto que ele desprezava quando era criança.


Eu li O Pequeno Príncipe pela primeira vez depois de velha, cinco anos atrás, e essa é uma releitura. E acredito que me emocionei ainda mais dessa segunda vez do que da primeira. E eu me arrependo até o ultimo fio de cabelo de não ter lido ele antes. Queria ter lido ele criança e hoje com 39 anos, já teria relido algumas vezes. Como é um livro infantil, a história é bem bobinha, sem nada parecido com as histórias mirabolantes que temos hoje em dia. Mas o que realmente importa aqui é a bela mensagem que o livro traz. Um livro escrito tantos anos atrás, mas que é ideal para o momento em que estamos vivendo. Gente que tapa na cara que eu levei de um livro infantil. A Silvana criança teria vergonha da Silvana adulta, assim como aconteceu com o nosso protagonista. 


Acho que cada um vê essa história de uma maneira e para mim, ele falou muito sobre valores. Como as coisas mudam de quando somos crianças para a idade adulta. Como é fácil agradar uma criança e tão difícil satisfazer um adulto. Como uma criança consegue ver as coisas mais importantes da vida e ser feliz com tão pouco e os adultos dão tanta importância para o "ter" e ficam sem chão quando isso lhes é tirado. Como não temos tempo para nada, só para o que "é importante", mas isso que julgamos tão importante são coisas que passam e o que fica são aquelas "bobagens" que as crianças dão tanto valor. Por isso que acredito que esse livro apesar de ser considerado infantil, é uma leitura obrigatória para todo adulto. 



A parte do livro que mais me emocionou foi a conversa que ele teve com a raposa, queria copiar tudo aqui, de tão linda que ela é. Mas selecionei algumas frases que vão ficar para sempre comigo. 

"As pessoas já não tem tempo para compreender coisa alguma. Elas compram tudo pronto nos mercados, mas não há loja alguma onde a amizade possa ser comprada, e assim as pessoas não tem mais amigos."

"E agora como prometido, aqui vai meu segredo. De fato é um segredo bem simples: é somente com o coração que podemos ver corretamente; o essencial é invisível aos olhos." 

Quanto a edição mais uma vez vou me desmanchar em elogios para a Faro. Apesar de não ser capa dura, que é o acabamento preferido de muitos para os clássicos, ela está de encher os olhos e agrada a todos. Na capa temos muito gliter e é nesse tom de azul que amo. Por dentro está impecável, ilustrado com as aquarelas do autor. E se você ainda não leu essa história, leia. É minha segunda leitura do livro, mas significou até mais do que da primeira vez.

Nota:





 







18 outubro 2020

Tag | Outubro Rosa Literário


Eu vi essa tag no blog Lendo e Escrevendo e resolvi responder. A Tag foi criada pelo blog Psicologia Para Curiosos junto ao Canal do Henrie

Campanha – Um livro que você indica para todos.

Não vou dizer para todos porque tem gente que não gosta de um ou outro gênero. E ninguém é obrigado a gostar. Mas quem se identifica com meus gostos literários e é fã de fantasia, vou deixar indicado não um livro, mas uma série que amei: Trono de Vidro.

Prevenção – Um livro com aviso de gatilho.

Apesar de não ser a maior fã da autora vou indicar um livro que gostei, mas que tem gatilho para quem tem dificuldade de engravidar.

Câncer de mama – Um livro com um personagem que devemos ter cuidado.

Nessa questão vou responder referente não a um personagem, mas a uma situação que é muito bem abordada pela autora no livro Amor Amargo: relacionamento abusivo.

Dia Mundial – Um livro que TODO MUNDO ama.

Assim como na primeira questão, você nunca vai encontrar um livro que Todo Mundo ama porque os gostos são diferentes. Mas vou indicar um que acredito que uma grande parte das pessoas gostam. Eu particularmente adorei: O Pequeno Príncipe.

Rosa – Um livro de capa rosa.

Esse livro não é totalmente rosa, mas em tons de rosa e amei tanto a edição como a história.

AutoExame – Um livro que você descobriu sozinho e foi bom.

Eu comprei esse livro porque estava custando R$ 10,00 reais no Submarino, mas nunca tinha ouvido falar dele. E que livro incrível. Até hoje o Zafón não tem o devido reconhecimento que deveria ter porque ele é genial. 

Médico – Um livro que todo mundo deveria ler.

Um livro que me fez pensar muito e que preciso reler é Extraordinário. 

Luta – Um livro difícil de terminar.

Aqui nessa categoria entram os clássicos. Sempre tenho dificuldade para terminar porque acho eles muito chatos. E vou citar Os Miseráveis porque além de chato é enorme e não conseguia ler por muito tempo por causa do peso.

Peito – Um livro que tem um lugar especial no seu coração.

Até tento colocar outros livros nas tags, mas dai vem esas perguntas e tenho que responder a Agatha hehe. Assassinato no Expresso do Oriente até pode não ser o melhor livro do mundo, mas sempre vai ter um cantinho no meu coração.

Risco – Um livro que você tem medo de ler.

Não tenho medo de ler nenhum livro, mas sempre últimos livros de série eu tenho receio de não gostar. No momento espero não me decepcionar com The Queen of Nothing, da trilogia O Povo do Ar.

Conscientização – Tagueie outras pessoas.

Não vou indicar ninguém, mas quem quiser responder só não esqueça de dar os créditos.






© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo