17 outubro 2018

Lançamentos de Outubro do Grupo Autêntica

Vamos ver os lançamentos do Grupo Autêntica que mais chamaram a minha atenção esse mês? Se quiser conferir as sinopses dos outros lançamentos é só clicar aqui.

“Ele é o encontro perfeito. Ela é sua próxima vítima.”
Quando o corpo torturado de uma jovem é encontrado em uma lixeira, com os olhos inchados e as roupas encharcadas de sangue, a Detetive Erika Foster é uma das primeiras a chegar na cena do crime. O problema é que, desta vez, o caso não é dela.
Enquanto luta para garantir seu lugar na equipe de investigação, Erika rapidamente encontra uma ligação desse assassinato com um crime não solucionado de uma jovem quatro meses antes. Jogadas em um local semelhante, as duas mulheres têm feridas idênticas e uma incisão fatal na artéria femoral.
Procurando suas vítimas nas redes sociais a partir de um perfil falso, o assassino ataca jovens bonitas escolhidas aleatoriamente.
Então, uma outra garota é sequestrada… Erika e sua equipe têm que chegar antes que ela se torne a próxima vítima. Mas como a Detetive Foster pegará um assassino que parece não existir?

Eletrizante, tenso e impossível de largar, O último suspiro fará você correr para a última página. Roma, dezembro de 1514. A poucos dias do Natal, o corpo decapitado de um jovem é descoberto em cima da estátua do imperador Marco Aurélio. Uma inscrição feita com sangue assina o crime: Eum qui peccat… [Aquele que peca…]. Dias depois, um velho é encontrado morto e nu, pendurado numa escada no Fórum. A Coluna de Trajano revela seu fúnebre segredo e a inscrição: Deus castigat [Deus castiga]. A sangrenta encenação está apenas começando… Instalado há pouco no Vaticano, envolvido com seus trabalhos de anatomia, pintura e ótica, Leonardo da Vinci se apaixona pelo caso. Como interpretar os sombrios detalhes que cercam os crimes? O papa e a cristandade estariam sendo desafiados? Com a ajuda de Guido Sinibaldi, um jovem estudante de medicina, o pintor tenta desmascarar um assassino que demonstra tanto inteligência em desorientar as investigações quanto crueldade em executar suas vítimas. Um thriller diabólico que, dos mistérios da biblioteca do Vaticano aos segredos das ruínas antigas, nos arrebata num jogo de pistas vibrante, inteligente e macabro.

Algumas flores desabrocham à noite… Violet Winterbottom é uma jovem tímida, que fala seis idiomas, mas raramente levanta a voz. Sofreu uma dura decepção amorosa em silêncio total e ainda não existem cavalheiros batendo em sua porta. Não até a noite do baile de Natal de Spindle Cove, quando um estranho misterioso irrompe no salão de festas e desaba aos seus pés. Os trajes grosseiros, molhados e cobertos de sangue, a “boa” aparência do sujeito – que beirava à indecência –, e a língua estrangeira que ele falava deixariam qualquer jovem cheia de cautela. Qualquer uma, menos Violet, a única que soube desde o primeiro instante que ele não era o que aparentava, e que tem apenas uma noite para extrair os segredos daquele homem perigosamente atraente. Seria ele um contrabandista? Um fugitivo? Espião das forças inimigas? Violet precisa das respostas até o nascer do sol, mas seu prisioneiro prefere tentar seduzi-la a se confessar. Para descobrir o que ele esconde, a jovem donzela precisará revelar seus próprios segredos e se abrir para a aventura, paixão e o impensável… amor. Mas, cuidado! A heroína está armada, o herói pragueja em múltiplos idiomas e, juntos, aquecem uma fria noite de inverno.

Uma nevasca não possui tanta fúria quanto uma solteirona desprezada. A senhorita Elinora Browning cresceu ansiando pelo amor do belo e inteligente cavalheiro da casa ao lado… mas ele deixou a Inglaterra sem nem olhar para trás. Em uma noite, inspirada pela bebida, Nora despejou seu coração partido no papel e escreveu um manifesto intitulado Lorde Ashwood perdeu sua oportunidade, para todas as jovens que tinham sido negligenciadas pelos homens. Depois de se tornar famosa pelo seu brilhante texto, a Srta. Browning está a caminho de Spindle Cove para dar uma palestra na biblioteca Duas Irmãs. Mas o tempo ruim atrasa sua viagem e ela é forçada a esperar a nevasca passar com o pior companheiro possível: o próprio Lorde que destruiu seu coração. E desta vez ele finalmente parece notar a sua existência…
Neste Natal, tudo pode acontecer… Quando seu corgi de estimação desaparece em um passeio a Londres, a família Walker o procura em todos os lugares, menos onde nunca poderiam imaginar. O pequeno cão foi confundido com um corgi real pela Guarda da Rainha e está vivendo no Palácio de Buckingham, recebendo tratamento especial, dormindo em uma cesta aconchegante e tem até um chefe de cozinha preparando suas deliciosas refeições. E se esta é a vida de um cão da realeza, ele não se importa nem um pouco, apenas aproveita todas as regalias de uma vida tão diferente da sua. Mas quando o espírito natalino toma conta do Palácio, Henry percebe que, de alguma forma, precisa voltar para os Walker. Afinal, estar com seus amados donos seria seu melhor presente de Natal!







 





16 outubro 2018

Resenha | Conquista - Ally Condie


Livro: Conquista
Série: Matched # 3
#1- Destino
#2- Travessia
Gênero: Distopia
Autora: Ally Condie
Editora: Suma
Páginas: 360
Ano: 2013

Contêm spoilers dos livros anteriores.

Resenha:
Cassia Reyes vive em uma Sociedade onde não existem desigualdades. Todos tem o mesmo direito a moradia, educação e empregos. Não existem mais crimes e nem doenças. Só que tudo tem seu preço, e nesse caso o preço é a pessoa desistir do seu livre-arbítrio. A Sociedade escolhe tudo por você, desde suas roupas, o que você come, o que você vai fazer nos seus momentos de lazer e principalmente com quem você vai se casar, garantindo assim gerações de seres humanos saudáveis. Cassia estava feliz em viver assim até que um "erro" no dia do seu Banquete do par, abriu seus olhos para o que realmente estava acontecendo. Seu melhor amigo Xander foi o escolhido para seu par, mas o rosto que apareceu em seu microcartão foi o de Ky, que não poderia participar da seleção por ser uma Aberração.

Cassia acabou se apaixonando por Ky e só então descobriu que o "erro" não passou de uma experiencia da Sociedade. Ky foi levado para morrer nas Províncias Exteriores, mas Cassia deu um jeito de chegar até ele. E durante a sua busca por Ky, Cassia acabou se deparando com um grupo rebelde chamado de Insurreição e se juntou a eles. A Insurreição decidiu que Cassia serviria melhor estando infiltrada na Sociedade e foi quando ela descobriu que Xander, seu par que ela abandonou para ir atrás de Ky, pertence a Insurreição. Xander agora é um Oficial da área médica e vê em primeira mão o começo da Insurreição. Uma Praga criada pela própria Sociedade para acabar com seus inimigos começa a se espalhar pela cidade, e a ironia disso tudo é que eles não tem a cura para a doença.

Mas a Insurreição tem a cura e só está esperando a hora certa de agir. E a oportunidade aparece no dia do Banquete do Par. Cassia trabalha como classificadora e é chamada as pressas para tentar salvar o dia mais importante da Sociedade. Só que em vez de ajudar, Cassia e os outros infiltrados só deixam as coisas ainda piores. O fracasso do Banquete aliado aos montes de doentes faz com que as pessoas percam a pouca fé que ainda tinham na Sociedade. E quando os aviões chegam com a cura, um deles pilotado por Ky e Indie, a Insurreição consegue o que queria. Mas diferente de Ky, Indie e Xander, Cassia e sua família não são imunes, nem ao comprimido vermelho, nem a Praga. E quando a Praga sofre uma mutação eles vão precisar correr contra o tempo se quiserem permanecer vivos.

"Você não pode mudar sua jornada, se não estiver disposto a se mexer de alguma forma."

Se tem uma palavra para descrever o que senti ao terminar esse livro foi decepção. A trilogia toda na verdade. Sinto que gastei meu dinheiro em uma história que tinha tanto potencial mas que a autora perdeu o rumo no meio dela e não soube nem dar continuidade, nem terminar uma história que prometia tanto. Ela não soube escrever a parte distópica, que ficou sem sentido nesse ultimo livro e nem soube escrever o romance/triangulo amoroso que poderia ser uma outra forma de ver o livro. Deixou a desejar em tudo e só dei uma estrela por mérito do personagem Xander, que foi muito mal aproveitado durante os dois primeiro livros e que estava na cara que tinha um grande potencial.

Nesse livro temos a narração em terceira pessoa dividida entre a Cassia, o Ky e o Xander. E apesar de ter amado conhecer mais do Xander e ver uma boa participação dele no livro, não entendi o porque dele ter narrado já que o triângulo amoroso criado pela autora lá no primeiro livro não se sustentou ao longo da trilogia, no segundo livro já está claro que a Cassia escolheu o Ky, péssima escolha por sinal, e nesse livro o triângulo muda de lado já que temos uma relação entre o Ky e a Indie, e o Xander encontra outra pessoa para amar. E apesar de torcer pelo Xander, eu não queria que ele ficasse com a Cassia porque em nenhum momento ela mereceu ele, o Xander sempre foi a segunda escolha dela, tudo e todos estavam na frente dele nas suas prioridades.

Por isso nem gostei nem desgostei da forma como a autora terminou as partes amorosas da história. Agora quanto a distopia, sabe aquela história que anda, anda e quando você percebe não moveu nenhum passo? Tudo o que era esperado não aconteceu. A Insurreição tomou o poder e a Sociedade levantou e deu o lugar, assim de graça, ninguém tentou nada, não houve nenhuma resistência. De tudo o que foi falado no primeiro livro, esperava que eles pelo menos tentassem manter o poder. Mas não. E dai você derruba um governo para que mesmo? Para nada, porque nada mudou e as pessoas continuaram do mesmo jeito como se tudo aquilo fosse normal. Então me diga o porque de eu ler três livros que juntos somam quase mil páginas para tudo continuar do mesmo jeito?

Que raiva de ter perdido meu dinheiro e meu tempo lendo essa trilogia. Queria desler eles na verdade porque não gosto de não gostar de um livro. Eu evito o máximo falar coisas ruins, sempre procuro ver as coisas boas da história. Mas não tem nada bom para falar aqui. Eu só pegaria o Xander, que é um personagem incrível e escreveria uma história completamente diferente. Não sei no que a autora pensou ao escrever essa história, se você leu e gostou, me conte nos comentários o porque de eu estar tão equivocada, porque a trilogia foi uma das piores leituras que já fiz. As capas, como disse nas outras resenhas, eu gostei bastante, tanto da escolha das cores, que tem tudo a ver com a história, como da garota estar saindo da bolha. É uma pena que ela saiu dessa bolha e entrou em outra. Não recomendo a leitura.

Nota:







15 outubro 2018

Parceria | Mariana Ribeiro

Faz tempo que não firmo parceria com autores nacionais por causa de algumas decepções que tive, mas quando vi essa capa de A Herdeira e li a sinopse, eu tive que inscrever o blog para a seleção de parceria e o blog foi um dos aprovados. Por isso logo tem resenha do livro por aqui.

A Autora:


Eu me chamo Mariana Ribeiro, sou soteropolitana, autora de época e uma das pioneiras em YA anos 80/90. Comecei a escrever na adolescência, quando criava histórias de próprio punho em cadernos pequenos. Não sei ainda ao certo de onde vem a minha inspiração, mas as ideias costumam surgir em minha mente quando eu menos espero em um insight.
Eu sofro de retrofilia. Gosto de reviver os velhos tempos com um sentimento nostálgico de saudade. Rever fotos, filmes antigos, ouvir músicas de determinada época e ler clássicos, podem causar dependência. Não há rehab que resolva.
Adoraria que a minha vida fosse como nos filmes dos anos 80 e desejo me tornar uma cidadã do mundo. Menina Veneno é o meu livro de estreia.


Suas Obras:


Pertencente à alta aristocracia brasileira do século XIX, Maria Luísa é uma mulher à frente do seu tempo. Uma jovem decidida a assumir o controle do seu próprio destino, mas ainda pressionada pelas convenções de sua época. Quando conhece o Tenente Martim Afonso Almeida, inicia uma história de amor em meio a guerra do Paraguai.
Convencionada a se casar com o Duque de Westminster, ela acaba por aceitar o matrimônio após ter recebido a notícia de que seu verdadeiro amor faleceu. Mas, quando descobre que ele está vivo e de volta ao país, acaba dividida entre o dever com a família e os impulsos do coração. A jovem herdeira acaba por ser confrontada com a necessidade de fazer uma escolha decisiva, que mudará não só a sua vida, como também a de todos que a cercam.
A partir desta escolha, Maria Luísa inicia um caminho sem volta para o mundo cruel, que até então não conhecia.


Audrey Mantovani tem dezessete anos, é estudante de Jornalismo e filha de um diplomata, que adquiriu vasta bagagem cultural em suas viagens ao exterior na companhia do namorado, Frederico Fernandes. Ela seria apenas mais uma adolescente normal vivendo nos anos oitenta, não fosse pelo fato de ter um dom premonitório através dos sonhos, os quais estão relacionados a grandes acontecimentos com repercussão mundial. Decidida a fazer tudo o que estiver ao seu alcance para mudar o rumo dos acontecimentos, ela passará por cidades como Nova York e Londres.
Como Audrey lidará com a responsabilidade de prever certos eventos futuros? Por quanto tempo ela conseguirá manter o seu segredo preservado da mídia mundial? E quais serão as consequências ao interferir no destino?
Menina Veneno é um Young Adult contemporâneo, que envolve problemas cotidianos com uma dose extra de sobrenatural. Não faltam referências sobre música, filmes, entre outros assuntos relacionados à cultura da década perdida.

Contato:

Site - Facebook - Twitter - Instagram 

Página do livro - Skoob ​


Compre Aqui:

A Herdeira - Menina Veneno











12 outubro 2018

Resenha | Amor Nas Highlands - Suzanne Enoch


Livro: Amor Nas Highlands
Série: Highlands #2
#1 - Heróis Nas Highlands
Gênero: Romance de Época
Autora: Suzanne Enoch
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Ano: 2018

Resenha:
Desde pequena Marjorie Forrester só teve seu irmão Gabriel como família. E quando tinha oito anos e Gabriel dezessete, ele entrou para o exército e desde então eles só se falaram por cartas. Marjorie foi para o melhor internato que Gabriel podia pagar e depois estudou em uma das escolas preparatórias mais respeitáveis de Londres. E todo mês Gabriel mandava metade do seu salário para Marjorie, que sempre soube que o máximo que conseguiria na vida seria um cargo de governanta ou acompanhante de alguma Lady, ou ser esposa de algum comerciante. E foi o que aconteceu por oito meses após Marjorie sair da escola, ela se tornou acompanhante da irmã mais nova de um conde. Mas o destino quis brincar tanto com ela como com Gabriel e após a morte de um tio-avô que eles nem conheciam Gabriel se tornou o Duque de Lattimer e Marjorie uma Lady.

Quando descobriu como Marjorie estava vivendo, Gabriel deu a mansão do ducado em Mayfair para ela morar e Marjorie achou que sua vida ia melhorar. Mas ela estava enganada. Três meses se passaram e Marjorie é ignorada por toda a sociedade, até pelas ladys que estudaram com ela. Então quando Gabriel escreve uma carta contando que vai se casar Marjorie decide fazer as malas e ir para a Escócia de surpresa. O que foi um erro porque assim que coloca os pés nas Highlands Marjorie é sequestrada por dois adolescentes e uma criança. Os três são irmãos mais novos de Graeme, Visconde de Maxton e um dos líderes do Clã Maxwell. Graeme acaba de ser ameaçado pelo chefe de seu Clã, o Duque de Dunncraigh. Como as terras de Graeme faz divisa com as de Lattimer, ele quer que Graeme arrume um jeito de desmoralizar Lattimer ou até mesmo matar o duque que acabou de "roubar" a lealdade de centenas de pessoas que vivem em suas terras e que antes pagavam o dízimo a Dunncraigh.

Graeme se recusa a fazer qualquer tipo de coisa contra seu vizinho, até porque mal tem tempo para fazer qualquer coisa que não seja trabalhar para tentar pagar suas contas, mas seus irmãos com medo do chefe do Clã resolvem raptar Marjorie quando descobrem ser ela irmã de Lattimer. Agora Graeme não sabe o que fazer com a bomba que tem nas mãos. Se ele entregar a garota para Dunncraigh é o mesmo que assinar sua sentença de morte e se tentar devolvê-la para Lattimer, ele é quem vai morrer seja pela mão de um do outro duque e se alguém descobrir o que aconteceu seus irmãos estão arruinados. Mas ele só consegue pensar em dois caminhos, ou suborna sua prisioneira para ela se manter calada, o que não vai dar porque a única coisa que ele tem de sobra são dividas, ou se casa com ela. E quanto mais tempo passa com Marjorie mais a ideia do casamento lhe atrai.

"Uma lady nunca demonstrava incerteza, porque uma lady sempre sabia o correto a se fazer. E claro que, se ele tentasse beijá-la de novo, a coisa correta seria esbofeteá-lo.Exceto que ela não tinha certeza se desejava esbofeteá-lo - o que não conseguia explicar nem para si mesma."

Esse é o segundo livro da Série Highlands e como os livros, apesar de terem protagonistas diferentes, contam a mesma história, recomendo que Herói nas Highlands seja lido antes desse. Até porque o conflito causado aqui, é consequência das ações de Gabriel, irmão de Marjorie e protagonista do livro anterior. E assim como no primeiro livro, gostei muito da história, mas achei que faltou um algo a mais que eu vi em outros livros da autora. Quando peguei o livro para ler a primeira coisa que me veio a mente foi isso da protagonista ter sido sequestrada e já pensei em Síndrome de Estocolmo, mas não é o que acontece aqui porque Marj fica presa só dois dias e inteligente como é, ela arruma um jeito de passar a perna em Graeme.

Se tem uma coisa para elogiar nessa série são suas protagonistas, que resolvem as situações enquanto os homens ficam a ver navios. Tanto Marj como Fiona, do livro anterior, não dão chilique, não agem sem pensar, bolam estratégias e salvam o dia no final. E diferente do que aconteceu com a Fiona, eu amei a Marj. Ela é um exemplo de lady, mas isso não impede que ela use sua inteligência a seu favor. E não precisou de gritos, palavrões nem nada do tipo para ela dobrar uma casa cheia de homens que não são lá muito educados ou acostumados a ter uma dama por perto.


Já Graeme é bem diferente dos protagonistas que estou acostumada a ver, ainda mais por ele ser um Highlander. Esperava outro tipo de homem. Ele é sensível e gentil, e pensa em todo mundo antes dele. Talvez por ter ficado com a responsabilidade de criar os irmãos e cuidar de várias famílias muito cedo. Por isso não tem como não se apaixonar por ele. E sua família também me encantou, principalmente o irmão mais novo, Connell, que herdou o coração mole de Graeme. A casa deles é praticamente um zoológico porque Connell não consegue ver um animal abandonado e não cuidar deles.

E o romance entre eles apesar de rápido, como sempre acontece no gênero, eu gostei bastante. E como disse, Graeme é meio rude para um visconde, mas ele é um doce de homem. E os dois são perfeitos juntos porque nenhum deles teve afeto de ninguém durante toda a vida. E quando eles descobrem o amor é como se encontrassem um tesouro. Por isso eu recomendo a leitura para todos que ama um bom livro romântico. E ainda tem alguns detalhes que me encantaram, que é uma das festas que acontece nas Highlands onde os homens vestem kilt e tocam gaitas de fole. É muito lindo. Quanto a edição, está tão bonita quanto a do primeiro livro. E a capa eu até gostei mais do que da primeira porque a modelo tem mais a ver com a protagonista.

Nota:








10 outubro 2018

Lançamentos da Harlequin de Outubro

Amor em Manhattan foi uma grata surpresa, por isso quero muito ler esse segundo livro da série. Ainda mais que é com uma das personagens que mais gostei no primeiro livro.

Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série “Para Nova York, Com Amor”, que vai aquecer seu coração.
Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.




08 outubro 2018

Resenha | Herói Nas Highlands - Suzanne Enoch


Livro: Herói Nas Highlands
Série: Série Highlands # 1
Gênero: Romance de Época
Autora: Suzanne Enoch
Editora: Gutenberg
Páginas: 272
Ano: 2017

Resenha:
Gabriel Forrester é um Major do exército britânico e serve sob o comando do Conde Wellington. Mas apesar de estar em uma posição mais alta em relação aos outros soldados, o que ele gosta mesmo é de estar no meio da batalha, por isso ele ignora as ordens do Tenente-General e vai para o lugar onde ele se sente melhor. Quando Gabriel está lutando, parece ter a força e a inteligência de mil homens. Tanto que a batalha em Lisboa, lhe rendeu o titulo de "Fera de Buçaco". Logo após a fuga dos franceses, ele é chamado para se reportar a Wellington, e tem certeza de que vai sofrer uma punição por sua desobediência. Mas para sua surpresa ele não está sendo chamado para ser repreendido, a conversa entre eles é sobre algo que Gabriel nunca achou ser possível: com a morte de um tio-avô que ele nem sabia que existia, Gabriel é agora o novo Duque de Lattimer.

Junto com o título, Gabriel herda algumas propriedades e com exceção da maior delas que fica nas Highlands, todas vem sendo bem administradas. Quando Gabriel pergunta aos advogados o que está acontecendo na Escócia, eles dizem que não sabem porque o atual administrador, Kieran Blackstock, não responde as cartas enviadas, somente uma foi respondida e de forma bem grosseira, e eles não vão até lá por conta de uma maldição que dizem ter sido lançada pelo antigo dono do local a mais de 100 anos. Como não acredita em maldições e quer se livrar o mais rápido possível de suas obrigações com essa herança que ela não queria, mas que aceitou por causa de sua irmã, e voltar para seu pelotão, Gabriel decide partir imediatamente para a Escócia e ver o que de fato está acontecendo no local.

Assim que chega às Highlands, Gabriel se depara com uma situação inusitada: uma mulher e uma vaca estão atoladas em um brejo e quando Gabriel tenta ajudar ouve os palavrões mais baixos que ele conhece saindo da boca da mulher. E a atração entre eles é imediata. E para sua surpresa ela é Fiona Blackstock, a irmã do administrador da sua propriedade que vem cuidando de tudo desde que o irmão desapareceu. Fiona faz parte do Clã Maxwell, os antigos donos das terras antes dos ingleses invadirem tudo. E ela acredita que as terras são deles por direito. Por isso Fiona odeia os ingleses com rodas as suas forças, ainda mais os soldados, que são os piores. Agora Gabriel vai ter uma guerra para vencer, mas essa é diferente de todas em que ele lutou. Em vez de matar inimigos, ele vai ter que ganhar a confiança deles. Principalmente de Fiona que mexe com ele como nenhuma mulher mexeu até então. 

"No campo de batalha, ele devia ser o diabo personificado, alto, com as costas eretas, liderando à frente das tropas, abrindo um caminho sangrento para a vitoria.. Não, Gabriel Forrester não era um highlander. Ele era, contudo, a definição perfeita de homem. E Fiona não tinha ideia de quanto tempo seria capaz de resistir a ele, ou mesmo se queria resistir."

Esse é o segundo livro que leio da Suzanne. Eu tinha amado a escrita dela em Como Se Vingar de Um Cretino, por isso minhas expectativas estavam bem altas. E acabei gostando bastante da história, principalmente por se passar nas Highlands, que tem todo um mistério e um charme especial. Mas teve dois pontos da escrita da autora que me encantou no primeiro livro, primeiro o humor presente em toda a história e segundo os personagens, todos, desde protagonistas, até vilões e personagens secundários foram muito bem construídos e eram cativantes a sua maneira. O que infelizmente não aconteceu nesse livro. Os dois protagonistas me enervaram em grande parte da história, principalmente a Fiona.

Eu sei que na época em que se passa a história, que a autora não diz, mas que presumo seja por volta de 1810 por ter sido após a Batalha do Buçaco, existia uma grande rivalidade entre os ingleses e escoceses, mas o ódio que Fiona demonstra por Gabriel é sem tamanho e chega a ser irritante as coisas que ela faz e diz só por ele ser um soldado inglês. No começo, quando eles se conhecem até seria tolerável, mas depois, quando tudo o que ele faz é tentar ajudar o povo e demonstrar que não é como ela pensa, Fiona deveria mudar seu modo de agir, mas não, ela continua teimosa como uma mula empacada, desrespeitando Gabriel a todo momento. Até porque, apesar dos motivos que ela pensava ter, ele era seu patrão e ao menos respeito ela lhe devia.


E eu até teria ficado com pena dele, o que aconteceu algumas vezes, mas até descobrir o motivo dele estar aguentando tanto desrespeito e malcriação da parte dela. Era simplesmente porque ele queria levar Fiona para cama. Infelizmente esse casal me deu nervoso grande parte da história. Mas tenho que reconhecer que depois da metade do livro mais ou menos as coisas mudam. Só que por isso não dei nota máxima ao livro. Agora a favor deles tenho muitas coisas. Primeiro que é o primeiro livro que leio que a garota diz "Não" e o cara para na hora. A se todos os homens entendessem isso, que não é não. E também apesar de ser mal educada, Fiona é a garota que não precisa de um homem para ser salva, e ela demonstra isso várias vezes durante a história.

E apesar dos pesares, é bonito ver como todo o ódio e implicância vai se transformando em amor aos poucos. E terminei o livro gostando bastante deles. Quem gosta desse jogo de gato e rato entre os protagonistas com certeza vai amar. E uma coisa que me chamou a atenção na história e preciso falar é que em uma das cenas de sexo, porque sim tem cenas eróticas no livro, raras, mas tem, Gabriel pega um preservativo feito de bexiga de cabra, o que achei bem interessante porque eu nunca tinha ouvido falar sobre isso antes. Quanto a edição, eu amei essa capa nesse tom verde e por dentro está tão lindo quanto por fora. Agora vou já emendar a leitura do segundo que vai contar a história da irmã do Gabriel que só apareceu de relance nesse livro, mas que já chamou minha atenção.

Nota:







06 outubro 2018

Tag | E(leitores)

Essa tag foi criada pela Carol do blog A Colecionadora de Histórias em 2016. Eu até cheguei a responder ela, quem quiser conferir as minhas respostas é só clicar aqui. Mas esse ano a Carol deu uma repaginada nas perguntas, por isso vou responder novamente. Quem quiser responder, se der tempo, fique a vontade, mas não esquece de citar a criadora da tag.


Eleições chegando, e nessa tag, leitores também votam!

Eleições 2018: O melhor livro e o melhor personagem de 2018 (até o momento)
Essa tags geralmente já começam com a pergunta mais dificil. Estava olhando os livros que li e acho que o melhor até o momento foi Extraordinário. E o melhor personagem vou ter que citar o Bailey, mesmo ele não sendo o protagonista, ele roubou a cena e o meu coração.


Promessas vazias O livro tinha uma capa linda, uma premissa maravilhosa, só recebia elogios, e no entanto...
Foi um livro que deixou muito a desejar.


Essa causa eu apoio! Um livro que aborda uma temática que você acha importante.
Amor Amargo fala sobre relacionamento abusivo, algo que tem que ser falado, e repetido até que entre na cabeça das pessoas e elas saibam reconhecer o que está na sua frente.


No meu governo... Qual clichê literário você proibiria na "Constituição dos Autores"?
Tem tanta coisa que ultimamente me enche o saco, mas vou citar aqui um que me incomoda muito, que é as pessoas virem machucadas de algum relacionamento e ter que "se curar" um no outro. Acho que esse tipo de clichê passa uma ideia bem errada da coisa, afinal ninguém precisa ser um casal para poder se curar de algo que aconteceu no passado.

Voto de confiança Um livro que você ainda não leu, mas acha que tem grandes chances de favoritar.
Estou apostando minhas fichas na série Trono de Vidro. Afinal amei os outros livros da autora e vejo tantos elogios aos livros.


1% das intenções de voto Essa é a hora de indicar aquele livro que ninguém conhece, mas você ama.
Acho que todo livro tem o seu leitor, por isso vou indicar um que sei que vai ter bastante gente que conhece, mas por ser mais antigo acho que tem bastante que não conhece também hehe. E não só esse, mas os outros da autora também.


Numa democracia, vence a maioria... Mas todos devem ser ouvidos! Deixe aquela sua opinião polêmica sobre o livro que todo mundo gostou, menos você ;)
A nota dele no skoob está 4.1, mas achei o livro tão fraco. Agora a capa é linda hehe.


Quando o horário eleitoral rende boas risadas: Um livro que mais te divertiu do que qualquer outra coisa.
Não lembro de ter rido tanto com um livro quanto ri com esse. Ele é maravilhoso.


Mandato de 4 anos Se você fosse obrigado a escolher um único autor para ler nos próximos 4 anos, quem seria?
Vou ter que repetir a minha resposta de 2016, porque não tem outra autor que eu escolheria se fosse para ler só um por quatro anos. Mesmo já tendo lido quase todos dela.


É golpe! Se um vilão literário tomasse o poder do país, quem você gostaria que fosse e por quê?
Acho que escolheria a Amara porque apesar dos pesares, acho que ela daria uma boa líder.



O discurso perfeito Parece que esse livro foi feito para me agradar!
Se tem algo que gosto nos livros de suspense é ser enganada. Por isso acho que A Outra Sra. Parrish foi feito para me agradar.


Que debate! Dois personagens de livros diferentes que você gostaria de ver juntos na mesma história.
Aqui também vou ter que repetir minha resposta da outra tag. Seria um sonho ver Poirot e Sherlock trabalhando em um mesmo crime.


Voto é secreto! Mas eu sei que tu quer contar o spoiler daquele livro pra todo mundo! hahaha Mostre o livro e nos conte, mas seja discreto e não esqueça de deixar a LETRA EM BRANCO, ok?
Apesar de não ligar para spoilers, pelo contrário fico caçando spoilers por ai, não sei contar nenhum para os outros, por isso vou ficar devendo essa.







04 outubro 2018

Resenha | Travessia - Ally Condie


Livro: Travessia
Série: Matched # 2
#1 - Destino
Gênero: Distopia
Autora: Ally Condie
Editora: Suma
Páginas: 280
Ano: 2012

Resenha:

Contêm spoilers do livro anterior.

Cassia Reyes vive em uma Sociedade onde não existem doenças, crimes, e todos tem direitos e acesso igual a moradia, empregos e educação. Mas tudo tem seu preço e para ter tudo isso as pessoas precisaram abrir mão de seu direito de escolha. Tudo é controlado pela Sociedade. O que você veste, o que você come, seu trabalho, com quem você vai se casar, quando e quantos filhos cada família terá e até seus momentos de lazer são escolhidos por eles. Cassia estava satisfeita com sua vida até o dia do seu Banquete do Par, onde seu futuro marido foi escolhido. Para sua surpresa seu par é Xander, seu melhor amigo. Mas então um erro em seu microcartão acaba servindo como um gatilho, por alguns instantes aparece outra pessoa como seu par no lugar de Xander, e Cassia começa a se questionar.

O outro rosto que aparece é o de Ky, um garoto que ela conhece desde criança. Mas Ky nem poderia participar da seleção de pares já que é uma Aberração por causa de uma Inflação que seu pai cometeu. A curiosidade leva Cassia a se aproximar e se apaixonar por Ky. É então que ela descobre que tudo não passou de uma experiência feita pela Sociedade. Mas Cassia não aceita que foi manipulada e decide que vai encontrar Ky, que foi levado pelos Funcionários para as Províncias Exteriores. Meses se passam e Cassia ainda não encontrou uma maneira de chegar até Ky. Mas ela lembra de uma dica que o próprio Ky lhe deu, e apesar de ainda não saber como chegar até ele, Cassia descobre que eles não estão sozinhos, em algum lugar existe um líder e uma rebelião sendo formada.

E num golpe de sorte Cassia consegue se infiltrar em uma nave que vai levar algumas meninas, Aberrações, para as Províncias Exteriores. E por pouco Cassia não encontra Ky. Um dos garotos que está no acampamento onde elas chegam, conta que Ky acabou de fugir para A Escultura junto com mais dois meninos,Vick e Eli. Cassia não perde tempo e junto com Indie, que está a procura do grupo rebelde conhecido como Insurreição, partem para os cânions que formam a Escultura. Lugar que dizem, ninguém nunca voltou vivo. E na busca por Ky, Cassia vai descobrir que ela mudou, sua visão sobre a Sociedade não é mais a mesma e o que ela puder fazer para derrubar esses sistema "perfeito", ela vai fazer. Até mesmo ir contra a vontade de quem ela mais ama nesse mundo.

"Não entre docemente naquela boa noite,
A velhice deve arder e delirar ao fim do seu dia;
Revolte-se, revolte-se contra o apagar da luz.
Embora os sábios, ao morrer, saibam que a escuridão é o certo,
Porque suas palavras não provocaram centelhas, eles
Não entram docemente naquela boa noite. (...)"
DYLAN THOMAS

Eu já tinha lido esse e o primeiro livro da trilogia quando lançou, mas decide reler para finalmente ler o terceiro e ultimo livro da trilogia e então terminar essa história que tanto se parece com o que está acontecendo em nosso cenário atual. Diferente do que aconteceu com o primeiro livro, que baixei a nota que tinha dado na época, a nota desse aumentou. Talvez por minhas expectativas não estarem tão altas como estavam na primeira vez que li ele. E talvez também por hoje eu ver o mundo de uma outra forma. E o engraçado é que o livro foi bem diferente do que eu tinha esperado. Esperava bastante ação e encontrei mais reflexão. Na primeira vez que li, vi toda a história como um nadar nadar e morrer na praia, nessa segunda vez consegui ver que toda a Travessia foi um amadurecimento da personagem principal.

Antes de mais nada vamos falar do triângulo amoroso, coisa que odeio. Cassia amava Xander como um amigo, mas quando ele foi escolhido para ser seu par ela ficou feliz e atraída fisicamente por ele. Mas então Ky apareceu e Ky era uma Aberração, ele era o quebrar as regras, o desafiar a Sociedade e isso foi o que atraiu Cassia. No primeiro livro eu não me convenci do amor entre eles, mas depois de tudo o que ela fez nesse segundo livro, acredito que é amor sim e que Xander ficou fora da jogada. Mas então teve um acontecimento no final desse livro que acredito que vai trazer ele de volta para esse triângulo. Eu particularmente, olhando pelas personalidades dos dois, escolheria o Xander, mas como sempre escolho o lado errado dos triângulos, acredito que ela vá ficar com o Ky.

Agora falando sobre a Travessia. É visível como a Cassia amadurece nesse livro. A garota mimada que nos é apresentada no primeiro livro não existe mais. Cassia agora sabe o que existe por trás da perfeição que a Sociedade mostra e o que ela não sabe ela vai descobrir. Ela entende as atitudes de seu avô e do seu pai. Ela sabe o que significa perder. E acredito que ela terminou esse livro com um potencial enorme para arrasar no próximo. Nesse segundo livro temos a narração intercalada em primeira pessoa entre Cassia e Ky e assim podemos conhecer mais esse personagem que é considerado uma Aberração porque seu pai questionou a Sociedade. Até que gostei dele, mas como já tinha escolhido o Xander, não me apaixonei.

E o Xander, ou precisamente a falta dele, foi o que me fez não dar nota máxima para esse livro. Mas mesmo não aparecendo fisicamente, ele esteve presente o tempo todo entre o casal. Indie é um personagem que me intriga e vamos ver o que a autora fará com ela no próximo livro. E por fim quero falar dessa capas, que como já disse na outra resenha, eu amei e tem tudo a ver com a história. Até as cores deles, porque remetem aos comprimidos que todos carregam, um verde para acalmar, um azul para sobrevivência e um vermelho para apagar a memória. E as cores ditam também o tom das histórias. E para finalizar, é claro que recomendo para quem gosta do gênero. Mesmo não trazendo nada de novo para quem lê bastante distopias, acho que ainda é válido a leitura. Quem sabe se quanto mais lermos sobre o assunto, mais vamos acordar para a realidade que nos cerca.

Nota:







03 outubro 2018

Resumo Literário e Cinéfilo de Setembro/2018


Olívia

{Filmes e Séries}




Silvana


  {Filmes e Séries}

#imagens retiradas do site Filmow. As nossas notas são as estrelas. Sob a foto está a média geral do site.


{Livros}


Livros físicos lidos: 22
E-books lidos: 0
Audiobook: 0
Desencalhei da estante no mês: 19
Desencalhados no ano: 82




© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo