29 novembro 2020

Resenha | A Segunda Vida de Missy - Beth Morrey

Livro: A Segunda Vida de Missy
Série: Intrínsecos # 26
Gênero: Drama
Autora: Beth Morrey
Editora: Intrínseca 
Páginas: 304
Ano: 2020

Sinopse:

Em 1959 Millicent Carmichael, a Missy, casou-se com o homem que amava. Passados cinquenta anos, sem ele e com dois filhos criados e distantes, ela está sozinha. Embora se apresse em dizer que considerava seu papel de dona de casa e mãe pouco satisfatório, a verdade é que Missy devotou toda uma vida à família e suprimiu qualquer ideia de carreira em função do sucesso do marido. Agora que ele não está mais a seu lado, que ela brigou com a filha e que o filho se mudou para a Austrália com o neto que Missy tanto ama, ela passa os dias bebendo xerez, evitando as pessoas e vagando pela casa enorme e mal decorada esperando não se sabe o quê.

Missy não lembra, mas ela é fabulosa. Um pouco difícil, sim, e cabeça-dura, mas também generosa e espirituosa, um tanto à moda antiga. Sua falta de traquejo para lidar com a vida esvaziada de tudo que antes lhe conferia valor começa a parecer um caminho sem volta, até que, em uma de suas raras saídas à rua, um desmaio em pleno parque faz com que uma desconhecida se aproxime. Esse é o primeiro de uma série de acontecimentos fortuitos - uma invasão, uma cadela adorável sem raça definida precisando de uma lar - que, aos poucos, vão carregando ao redor da mulher solitária um grupo improvável de maravilhosos estranhos. Rodeada por essa comunidade alegre e diversa que encarna as várias formas de amar, Missy encontra uma nova razão para viver.

Resenha:

Desde o lançamento do clube Intrínsecos eu quis assinar as caixas, mas na época eu já comprava as caixas do Clube do Livros e Citações que vinham brindes mais interessantes. Mas sempre fui apaixonada pelas edições coloridas em capa dura do Intrínsecos. Então agora nessa quarentena que a caixa que eu assinava começou a fazer somente caixas temáticas limitadas, eu resolvi me aventurar na Intrínsecos e para minha surpresa amei a caixa que chegou super rápido, antes do prazo de entrega, e amei tudo o que veio na caixa. Gostei tanto que assim que abriram a loja de caixas antigas do clube, para assinantes, já corri e comprei algumas que vieram livros que estavam na minha lista de desejados e outros que li resenhas superpositivas. 

Mas vamos ao livro. Eu confesso que não teria comprado esse livro de livre e espontânea vontade, pelo menos não nesse momento. Se fosse alguns anos atrás, eu era muito fã desses romances carregados no drama e esse livro seria uma escolha certa. Mas ultimamente eu tenho fugido de livros dramáticos. E o legal de assinar essas caixas é isso, você tem a oportunidade de ler um livro que se não fosse assim você não daria uma chance. E estaria perdendo uma história incrível. A escrita da autora é fascinante e a gente fica preso na história da Missy logo no primeiro capitulo. É impossível não se envolver e mais ainda não se emocionar e chorar litros no final do livro.

Sempre que fazem aquela pergunta qual seu maior medo, a primeira coisa que me veem a mente é ficar sozinha na velhice, e é exatamente esse um dos assuntos que vamos encontrar sendo abordado nesse livro. Nossa protagonista uma senhora de 79 anos abriu mão de sua carreira, contra sua vontade, para se dedicar aos filhos e ao marido. Hoje cinquenta anos de casamento depois, ela não tem mais nenhum deles com ela e Missy não vive mais, apenas sobrevive com dias praticamente iguais como se à espera do dia em que vai deixar essa vida. Até o dia em que uma cachorra vira-lata entra em sua vida e ela descobre que mesmo com essa idade, ainda existe muito a viver e aprender. E que sim, ainda está em tempo de consertar os erros do passado.

A história é narrada com capítulos divididos entre o presente e capítulos no passado onde Missy conta sua história desde que conheceu seu marido Leo, o nascimento dos filhos e todas as dificuldades que ela passou. E nisso temos alguns mistérios para serem desvendados, como o que aconteceu com seu marido Leo, o motivo da briga com a filha e existe um segredo que ela guardou por todos esses anos, até mesmo do marido, que ela carrega a culpa até hoje. E nessa mudança de tempo vemos duas Missys completamente diferentes. A Missy jovem tinha muitos planos, mas abriu mão deles por seu marido. O amor que ela sente por Leo é até mesmo obsessivo, e ao decorrer do livro vemos que ele não merece toda a adoração que ela sente por ele.

Enquanto o marido tem uma ascensão em sua carreira, Missy se frustra em casa por ter aberto mão de ter a sua e também por não ser a mãe e esposa perfeita que ela acredita que o marido precise. E vemos uma clara preferencia de Missy por Alistair e uma rejeição a Melanie que só descobrimos o motivo mais tarde. No começo achei que a briga entre elas era porque Melanie mora com outra mulher, mas isso não é algo recente e o motivo tem mais a ver com o segredo que ela esconde de todos. E a principio pensei "como assim que os filhos abandonam uma mãe com quase oitenta anos e não estão nem ai para ela", mas também vamos compreender toda a situação conforme a história vai sendo contada.

Já no presente temos uma graça de cadela que vai mudar a vida de Missy. Através de Bobby, Missy vai conhecer pessoas que assim como ela não são perfeitas, mas que estão ali sempre que ela precisar. Destaque para Angela que a principio eu torci o nariz para o jeito dela, mas fui conquistada ao longo do livro. Aliás todos os personagens desse livro são incríveis. Uma das coisas que mais gostei no livro foi que a autora utilizou de pessoas com características reais, poderia ser alguém que eu conheço ali. Todo mundo tem qualidades e defeitos e podemos aprender alguma coisa com todos eles. Quanto ao final do livro achei bem clichê. Já vi esse mesmo final em vários livros, mas isso não faz a história ser menos emocionante, pelo contrário, amei e não vejo a hora de ler outros livros do clube. Enfim, fica aqui a minha indicação. Quem não puder assinar o clube, o livro será futuramente lançado pela Intrínseca, e com essa capa azul que achei linda demais.

Nota:






17 comentários:

  1. Oi, Sil. Tudo bem?
    Acho que nunca li um livro abordando a temática da solidão na velhice e mesmo tendo um final clichê fiquei curiosa com a história e como esses personagens vão se encaixando na vida de Missy.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  2. Ei, Sil. Que história diferentona, é raro ver livros com protagonistas idosos, eu me interessei pelo novo livro da Beth O'Leary justamente por isso. Eu tô correndo de dramas como se a minha vida dependesse disso kkk, mas eu vou deixar a dica anotada, para o futuro, porque eu gostei muito da sua resenha e a história parece interessante e vívida, mas dá capa eu não gostei, no entanto o "cartão" que vem junto é lindo.


    Books House

    ResponderExcluir
  3. Oi Sil

    Nunca assinei essas caixas mas tenho vontade.

    Esse livro parece ser muito fofo apesar do drama. Ter uma cadelinha já me vendeu a história, fora que é bem incomum escreverem sobre a velhice.
    Fiquei interessadissa, eu curto um drama!

    Boa próximas leituras
    Apesar do Caos

    ResponderExcluir
  4. Oiee Sil! Não acho muita graça nessas capas do clube intrínsecos.
    Eu prefiro as capas tradicionais mesmo.
    Mas fico feliz que seja um bom livro, adoro tramas que mesclam presente e passado.

    Passa lá no blog! Estou esperando sua visita. Bom começo de semana.
    Beijos,
    Paloma Viricio❤❤

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, tudo bem? Eu não sou tão fã de dramas fortes, mas nunca diga nunca, né? Achei a trama super interessante e as intrínseca tem acertado demais nas edições, então quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  7. "Como assim que os filhos abandonam uma mãe com quase oitenta anos e não estão nem aí pra ela" -- isso aconteceu na minha família. Meus irmãos não estão nem aí pra minha mãe, sendo que ela abriu mão da própria herança e deu pra eles. Falta de caráter que se chama, ne? Pois é! E eles evitam criar atrito comigo porque sou o único que está perto dela. A ironia é que eles têm muito mais condições do que eu.
    Muita gente fala mal dessas casas de repouso. Se não fossem essa lugares, os idosos que lá estão teriam morrido muito antes na maior judiação, porque a família não dá conta e não se importa. Idoso dá trabalho. Dá muito trabalho. E tem gente que tem a coragem de se mudar pra mais 300km de distância só pra não cuidar da mãe, sendo que antes morava ao lado dela. Minha filha, o mundo é cruel e as pesoas são podres.
    Não confie no outro Homem a ponto de sua vida depender disso.
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  8. Sil, eu já pensei algumas vezes em assinar essa caixa. Vejo muitos livros legais, mas outros que acho que ficariam encalhados na estante! Mas, sem dúvida, é uma forma de sair da zona de conforto mesmo. Quanto à história: eu adorei e achei a capa azul a coisa mais linda! Doguinhos sempre ajudam! ♥️ E assim que lançar, quero embarcar, sem dúvida! E, sim, todo mundo têm defeitos e qualidades e a gente pode aprender com ambas características. Obrigada pela dica! ^^

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho muita vontade de assinar um dos clubes de leituras que existem (e existem muitos!), mas, para mim, um dos pontos negativos do Intrísecos é esse padrão de capa. Ainda não consegui decidir se acho lindo ou se acho sem graça! Hahaha
    Mas os títulos que enviam parecem ser muito bons, como esse.

    Blog Tagarelando Livros

    ResponderExcluir
  10. Esse Intrínsecos veio uma lindeza. Estou com essa edição aqui e já vi elogios que me deixaram com altas expectativas. Espero curtir a leitura.

    Abraço

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  11. Morro de vontade de assinar um box assim por que acho essas assinaturas são como um presente a si mesma, afinal, você paga, mas o conteúdo é uma surpresa, haha. Eu só não assinei ainda por que leio muito mais em e-book.
    Confesso que eu tbm não leria e nem compraria esse livro de forma espontânea, e até já tinha lido algumas informações sobre ele, mas focaram muito mais na vira-lata do que na protagonista humana. Não sou fã de livros dramáticos, mas eu amei tanto a sua resenha que ela me deixou bem curiosa. Me dê esse spoiler: a cadela morre? Se não eu já vou colocar o livro na wish, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  12. Oi, Sil! Tudo bom?
    Eu vou tentar encaixar essa leitura em Dezembro porque tô muito curiosa desde que o livro chegou - a capa que escolheram pra ele é uma gracinha, e toda a temática de explorar frustrações e recomeços numa idade avançada é ótima quando bem feita. Eu AMEI A Troca por isso; espero gostar desse também!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  13. A capa que vai ser do livro é bem fofinha mesmo... eu ainda vou ler porque ele me deu muitas vibes de A Troca, que foi outro da Intrínseca que amei de paixão!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  14. Oi
    eu também acho lindo essas edições coloridos, eu tenho vontade de assinar essa caixinha, mas por enquanto não tem como, não conhecia esse e pelo que falou o enredo é interessante, ainda mais por envolver questões familiares.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi, Sil. Como vai? Gostei da história deste livro. Que bom que curtiu a leitura. A capa azul é muito bonita. Sua resenha mostra como o livro lhe agradou positivamente. Adorei. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi Sil,
    Eu tenho tanta vontade de assinar Intrinsecos, mas acho tão caro!!! Ai ai ai, mas eu também queria essa coleção capa dura colorida na estante, acho a coisa mais lindaaaaaaaaaa.
    E sobre a leitura em si? Claro que quero ler esse livro! Acho que vou me emocionar e nem ligo do final ser clichê. ADORO!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Está aí um livro que eu também não compraria de livre e espontânea vontade, rsrs. Eu não conhecia a história, mas a caixa dessa assinatura tinha que mandar uma caixa de lenços de presente, pois seria bem útil durante a leitura... rs
    O que me incomoda na Intrínsecos é exatamente que os livros não tem a capa original, só essas coloridas e sem nada mais... Se não fosse por isso, até arriscava assinar uma vez. Mas que bom que você gostou da experiência. =)
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo