14 maio 2020

Resenha | Darkdawn - As Cinzas da República - Jay Kristoff


Livro: Darkdawn - As Cinzas da República
Série: Crônicas da Quasinoite #3
#1 - Nevernight: A Sombra do Corvo
#2 - Godsgrave: O Espetáculo Sangrento
Gênero: Fantasia
Autor: Jay Kristoff
Editora: Plataforma21
Páginas: 704
Ano: 2020

Contêm spoilers dos livros anteriores. 

Resenha:
Mia Corvere cresceu sedenta por vingança. Aos dez anos ela assistiu o pai ser enforcado por traição e sua mãe e seu irmão ainda bebê, serem levados para a prisão e jurou matar os responsáveis pela destruição da sua família. Mia só não ficou sozinha no mundo porque ela tem um dom, ela é uma sombria e tem um passageiro em suas sombras que se alimenta do seu medo, o Sr. Simpático. Com um único objetivo em mente, Mia passou a adolescência treinando para conseguir se tornar uma serva da Igreja Vermelha, um bando de assassinos com permissão para matar em nome de Niah, a deusa da noite. E ela conseguiu chegar à Igreja e se tornar uma Lâmina. Mas Mia descobriu que seu maior inimigo é um protegido da Igreja e eles nunca deixarão ela cumprir sua promessa.

Então Mia come o pão que o diabo amassou se tornando uma escrava gladiatti para conseguir lutar no Torneio de Glodsgave e se sagrar campeã para ter a chance de matar seus inimigos de uma vez só. E ela pensa que conseguiu, mas um deles, o cônsul Scaeva sobrevive e ela ainda descobre que o filho do cônsul é na verdade seu irmão Jonnen, que ela pensava estar morto. E mais, ele é um sombrio como ela. Mas Jonnen ainda era um bebê quando foi levado pelo pai e não aceita o que Mia lhe conta. Para ele Mia é a mulher que matou seu pai na sua frente, e a história se repete. E alem de ter que lidar com Jonnen, Mia ainda tem que descobrir o que aconteceu com Ash e Mercurio que não aparecem no local combinado.

Mercurio foi capturado pela Igreja Vermelha e Mia vai fazer de tudo para libertar seu antigo mentor e o mais próximo de um pai que ela já teve, mesmo sabendo que a Igreja vai usá-lo como isca. E Ash só conseguiu escapar da Igreja porque recebeu ajuda do que ninguém menos do que Tric, o ex-amante de Mia que ela assassinou e que agora é um espectro, um sem-lume. Enquanto é caçada pela Igreja e pelos soldados luminatii de Scaeva, além de tentar ganhar a confiança do irmão e ainda lidar com a presença da atual e do ex-amante, Mia ainda vai ter que enfrentar outro desafio para o qual está destinada. A veratreva se aproxima e as sombras em Mia estão cada vez mais agitadas. O ultimo capitulo da história de Mia se apresenta e sua morte está cada vez mais próxima.

"Os muitos eram um. E serão um de novo; um sob os três, para erguer as quatro, libertar o primeiro, cegar o segundo e o terceiro."

O  ultimo livro de uma história é sempre dificil de ler e mais dificil ainda de resenhar. Confesso que li ele com um pé atrás porque como disse na resenha do segundo livro, li a resenha da Luiza e ela se decepcionou com esse terceiro. Mas ainda bem que minha opinião foi um pouco diferente da dela. Ainda achei que o livro deixou a desejar, mas gostei de grande parte do que encontrei nele. Mas pensei muito antes de dar minha nota final, e acabei fechando com um 4/5 e vou explicar o porque dela nos próximos parágrafos. Mas já deixo claro que não foi uma leitura fácil e em um certo momento precisei parar, ler outro livro e só então voltar para terminar esse.

Desde o começo da história de Mia já sabemos que ela está morta. O cronista vai contar a história de um mito, de uma heroína para alguns, de uma assassina para outros, mas ele deixa claro que ela está morta. Então nem esperem uma história com aqueles finais felizes que estamos acostumados a ver em romances de época por exemplo. Mas a esperança é a ultima que morre e fui até o final com aquele fiozinho aceso de que ia dar tudo certo no final, porque quem disse que ela não poderia ter morrido de velhice? Não vou contar como foi é claro. Mas vou falar, dos últimos livros de fantasia que tenho lido, esse foi o que o autor mais pesou a mão na hora de matar os personagens. Achei que não ia sobrar ninguém no final.


E já vou começar falando do porque não dei nota máxima para o livro. Lá no primeiro livro quando conhecemos Mia vemos que ela é movida pela vingança e foi esse o tom abordado pelo autor nos dois primeiros livros da série. Mas como até comentei nos outros livros, Mia é uma sombria e ficamos no escuro sobre o que isso significa nos dois primeiros livros. Então com uma revelação nas ultimas páginas do segundo livro, temos um terceiro completamente diferente dos outros dois. O autor resolveu mudar o foco da história nesse ultimo livro e a impressão que eu tive foi que ele não sabia o que escrever e onde a história ia chegar quando começou a contar a história da Mia.

E isso me incomodou muito porque parece que os dois primeiros livros foram escritos em vão. Tudo o que ela passou até então foi reduzido a nada porque a história verdadeira era outra e não passava nem perto do que ela viveu até então. Me senti enganada. Se ele tivesse contado a história de uma outra maneira, dando a entender que aquilo ali seria uma espécie de amadurecimento para ela enfrentar o que estava a sua esperava, a minha visão teria sido outra. Mas ele simplesmente omitiu a "verdadeira" história escondendo ela atrás de uma vingança, que perdeu completamente o sentido nesse terceiro livro.

Outra coisa que me fez não dar nota máxima foi o tanto que o autor enrolou para chegar em algum lugar. Praticamente metade do livro Mia e seus companheiros ficam dando voltas e não acontece nada. Foi nesse ponto que citei ali acima que parei de ler e fui ler outro livro para só então voltar e terminar a história, porque se tivesse continuado a minha nota teria sido bem menor. E por fim a terceira coisa que me degradou nesse terceiro livro foi que do nada o autor me inventa um triangulo amoroso com Mia, Ash e Tric, sendo que a sua atual amante matou o seu ex. Tanta coisa acontecendo e temos que ler páginas e páginas de discussões bobas entre Ash e Tric, com Ash a todo instante jogando na cara de Tric que é ela que está com a Mia. Revelando uma insegurança que até então não existia na garota que planejou acabar com a Igreja Vermelha.


Eu gosto de romance, sou romântica e mesmo em livros que não tem muito a ver, eu gosto de ver ele ali presente. Mas confesso que não consegui ver amor entre Mia e Ash, assim como não tinha visto com o Tric também no primeiro livro. No meu ver era só sexo. E muito sexo na verdade porque achei bem desnecessárias o autor ficar escrevendo aqueles montes de cenas de sexo quando tinha muito mais coisa interessantes para ele estar escrevendo. Mas vou parar as criticas negativas por aqui se não vocês vão achar que não gostei do livro e pelo contrário, gostei muito. Não foi o final que eu queria, mas tenho que reconhecer que foi um final que funcionou e que fechou bem As Crônicas da Quasinoite.

Aliás a quasinoite e toda cenário criado pelo autor, a mitologia dos deuses que regem a história foi uma das coisas que mais gostei. Pena que ficou em segundo plano no foco do autor e parece que ele só lembrou deles nesse terceiro livro. Poderia ter aproveitado melhor os deuses como personagens da história em si. Mas personagens maravilhosos foi o que não faltou nessa história, ainda que Mia seja o grande destaque dela. Mia é simplesmente sensacional, ainda gosto mais da Aelin, mas ela com certeza garantiu um lugarzinho no meu coração. E isso porque ela é uma anti-heroína, Mia é o oposto de tudo o que uma heroína deveria ser, mas ainda assim ela ganha a simpatia do leitor e faz com que a gente torça que nem loucos para ela conseguir sua vingança e seu final feliz.

Uma coisa que gostei muito nos livros, foi que no começo do segundo e do terceiro temos uma apresentação dos personagens e assim a gente não fica perdido na história como acontece com várias séries que os autores demoram horrores para escrever. E outra coisa que amei foi a revelação de quem é nosso narrador misterioso, que é o grande diferencial dos livros, já que temos notas de rodapé com ele dando seus pitacos sobre o que está acontecendo. Confesso que nem me passou pela cabeça a identidade do dito cujo. E para finalizar que essa resenha já está enorme, só deixo minha insatisfação com as páginas brancas, porque de resto os livros estão lindos. Indico a trilogia para quem gosta do gênero.

Nota:









15 comentários:

  1. Oi, Sil como vai? Esta trilogia de fantasia é uma das melhores que eu já li. Diferentemente de a maioria das fantasias existentes essa daí é diferente por vários aspectos. Que pena que existam pontos no livro que não lhe agradaram, mas acontece. Para mim esta trilogia é perfeita, eu gostei dos três livros e sendo que este último mesmo não sendo do mesmo nível dos dois primeiros, ainda consegue ser um livro épico. Adorei sua resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Não costumamos apreciar muito esse género de livros mas esse até pareceu bom
    Beijinhos 😊 , Damsel.me-Clique Aqui

    ResponderExcluir
  3. Sil, fico bem feliz que você tenha tido uma experiência beeeeem melhor que a minha. Os pontos que você considerou negativo também foram o que me fizeram decepcionar nessa conclusão.
    O que me revoltou mesmo naquele final nem foi o fato dela ter ficado viva, mas foi o fato do autor ter feito somente para agradar o fandom
    Enfim... ainda é uma história bem rica de universo e mitologia e, como já falei, fico bem feliz que não tenha sido uma experiência ruim pra você
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu preciso elogiar o exemplar porque ele é lindo demais, amo livro com detalhes assim. Sobre o enredo eu não sei se seria minha primeira opção, mas de fato é uma história interessante.

    Espero que esteja bem.
    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sil

    Que bom que sua experiência foi diferente da experiência da Luiza. Li a resenha um pouco por cima por conta do aviso de spoilers, já que ainda estou decidindo se lerei ou não. Por um lado a trilogia chama minha atenção, mas ainda estou um pouquinho com o pé atrás. Que pena que houve essa mudança de foca, de repente ele não sabia mais o que explorar mesmo, vai saber? hahahaha É muito chato esse sentimento da gente ter sido enganado pelo autor, já aconteceu comigo também. E nem sabia desse narrador misterioso! Vamos ver se eu lerei.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sil
    Apesar das ressalvas eu ainda quero muito ler essa trilogia. Já tentei trocar ela no skoob umas milhões de vezes. Ou acabam cancelando ou não enviam, e isso me irrita aff! Mas ainda assim eu pretendo ler. Espero gostar que nem você, lembro que a Lu não curtiu tanto esse segundo livro.
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sil! Tudo bom?
    Eu dei uma puladinha na resenha porque só li o primeiro, então tento evitar spoilers do segundo e até do 3. Esse livro foi uma experiência meio 8 ou 80 pra geral né, vi muita gente amando e odiando. Tô me segurando na neutralidade pra quando for ler (que não sei quando será porque o PREÇO desse livro me mataaaa).

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu dei meu rim por esse livro e me decepcionei bastante kkk. Gostei das páginas iniciais, da revelação do narrador etc. Agora houve muuuitas cenas desnecessárias que não contribuíram em nada para o desfecho. Queria ter gostado mais, mas fiquei bem decepcionada. Porém continuo amando os dois primeiros.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  9. Poxa, lendo o começo da resenha pensei: caramba, que livro maravilhoso! Depois fui murchando, conforme lia s restante e via que o autor se perdeu no meio do caminho. É muito triste quando isso acontece, porque a gente cria muita expectativa e no fim dá ruim... =/
    Uma pena.

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  10. Silvana, nunca ouvi falar nessa editora, mas parece que ela investe em novos talentos, o que acho super positivo desde que haja qualidade também, o que parece que está acontecendo, sim, pois vejo que o acabamento e a arte são maravilhosos.

    Silvana, fiz uma postagem dia 14 explicando que ia mudar a url do meu blogue e eis que já mudei. Aggora a url é

    https://socializando20.blogspot.com

    Atualize teu feed e tua lista de blogs, ok? Um abraço, querida! Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil. Tudo bem?
    Tão chato quando isso acontece. Quando uma trilogia que vinha agradando tanto nos dois primeiros livros, tem um desfecho que deixa a desejar. Sei bem qual é a sensação pois também já passei por isso.
    Confesso que nunca tinha ouvido falar nessa trilogia e também não conheço o autor.
    Bjus
    Doces Letras

    ResponderExcluir
  12. Oi Sil,
    O livro pode ter deixado a desejar, mas não foi tão ruim quanto você esperava e isso já é alguma coisa. Eu fico em cima do muro: leio, não leio... Como você, sou uma romântica e gosto de ver amor nas histórias. E você não ter visto o sentimento em Mia e Ash, me deixa mais desanimada, rs.
    beeeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    P.S.: Se você for ler Corrupt da Penélope Douglas, tenha em mente que o sexto é forte e muitas vezes desnecessário.

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil! Que vontade de começar logo essa série, eu venho lendo as resenhas e ficando animada mais e mais a cada volume. Aguardando um preço bom deste terceiro para ter a coleção completa e ler tudo. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  14. Oi, Sil. Tudo bem?
    Eu estou doida para ler essa trilogia. Muito mesmo é tudo que tenho buscado num livro de fantasia e todas as resenhas pela internet continuam elogiando, ainda bem que você não odiou o último livro, mas o segundo ainda é seu favorito, né?

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo