06 maio 2021

Resenha | Cidade do Fogo Celestial - Cassandra Clare

Livro: 
Cidade do Fogo Celestial
Série: Os Instrumentos Mortais #6Gênero: Fantasia
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 532
Ano: 2014

Contêm spoilers dos livros anteriores.

Resenha:
A ligação entre Jace e Sebastian foi rompida, mas eles não conseguiram matar o filho de Valentim e ele agora tem o Cálice Infernal, que é o equivalente demoníaco do Cálice Mortal, usado para transformar os Caçadores de Sombras em Crepusculares. No Cálice está o sangue de Lilith e o membro da Clave que bebe dele ganha muito mais força e agilidade, mas em compensação troca sua aliança angélica pela demoníaca e vira um servo de Sebastian. E Sebastian não está de brincadeira. Ele começa a atacar todos os Institutos e obrigar os Nephilins a tomarem do Cálice Infernal e a Clave não vê outro jeito se não mandar todo mundo para Idris. Mas isso é uma solução temporária já que Sebastian vem se mostrando cada dia mais forte. 

Jace e Clary se apaixonaram no instante em que se conheceram e desde então alguma coisa sempre acontece e impede os dois de viverem seu amor. No momento eles são impedidos de se tocarem porque ao usar a espada Gloriosa para quebrar a ligação entre Jace e Sebastian, o fogo celestial da espada parece ter ficado em Jace. Mas também eles nem tem muito tempo para pensar nisso já que a prioridade é encontrar uma maneira de deter Sebastian. A ordem da Clave é que todos os Caçadores de Sombras se refugiem em Alicante, mas enquanto isso quem vai proteger a humanidade dos demônios que estão em um número cada vez maior e ainda por cima sendo comandados por Sebastian.

Mas Sebastian já provou que a Cidade de Vidro não é tão segura quanto a Clave acredita e dessa vez ele não está seguindo os planos do pai e sim sua sede de poder e destruição. E ao ser impedido de atacar os Nephilins, Sebastian se vinga nos lobisomens, dizimando um grande grupo deles e passando um recado para todos os integrantes do Submundo, quem ficar ao lado da Clave nessa guerra vai sofrer as consequências. E ele vai além, sequestra os representantes de cada grupo e exige trocá-los por Jace e Clary, coisa que a Clave não vai hesitar em fazer, pois o que são dois Caçadores perto de todos os integrantes do Submundo. O que eles nem imaginam é que já existe um desses grupos ajudando Sebastian. E Jace, Clary, Simon, Alec e Isabelle vão fazer o que for preciso para recuperar seus amigos e derrotar Sebastian, nem que para isso eles precisem ir até os reinos inferiores, já que não podem recorrer mais aos anjos. 

"Heróis nem sempre são os que vencem. Algumas vezes, são os que perdem. Mas eles continuam lutando, continuam voltando. Não desistem. É isso que faz deles heróis.”

E mais uma série chega ao fim aqui no blog. Tecnicamente. Porque a Cassandra não sabe desapegar e já se vão livros e mais livros nesse mesmo universo. Inclusive quero deixar aqui um alerta para quem não leu a trilogia As peças Infernais, não leia esse sexto livro de jeito nenhum antes, porque tem um mega spoiler do que acontece com um dos personagens principais da trilogia. E também já temos o começo da história de Emma da trilogia Os Artifícios das Trevas. O ideal é ler os livros na ordem em que foram publicados e não na ordem das séries, porque ela foi escrevendo várias ao mesmo tempo e inserindo personagens que participam do universo como um todo.

Eu comecei a ler essa série em 2013, mas parei no quarto livro e reli agora para terminar a série, e nas duas leituras, mais dessa segunda vez, achei a história fraca se comparada a outras séries de fantasia. Principalmente por conta do casal protagonista, que a autora fez do amor deles o foco da história sendo que tinha tantas outras coisas mais interessantes para ela destacar. Mas termino ela com lágrimas nos olhos e amando todo mundo e querendo abraçar alguns personagens e nunca mais largar. E já preciso ler os outros livros desse universo. Santa Cassandra que não desapega hehe. Já vou até reler a trilogia As Peças Infernais para poder dar continuidade à história. Mesmo que seja a ordem errada, mas como é releitura não tem problema. 

Vou começar a falar dos personagens pelo casal principal. Jace me conquistou à primeira vista na primeira leitura. Seu jeito arrogante, senhor de si, sarcástico e aquele olhar carente fez com que eu me apaixonasse por ele. Mas muita coisa mudou de lá pra cá e hoje já não suporto esse tipo de homem e não me apaixonei novamente. Já a Clary é daquelas garotas sem sal que irrita pelo tanto de decisões erradas que toma só por teimosia ou por se achar invencível. E como casal então é pior ainda. Tudo gira em torno deles e de sua dificuldade de ficarem juntos. Não importa se eles colocam todos seus amigos e até mesmo todos os Caçadores em perigo, o que importa é eles viverem o amor deles. Confesso que não vi evolução em nenhum dos dois e se os outros personagens não fossem tão bons, minha nota para essa série seria a mínima. 

Um desses personagens é Simon. Nos dois primeiros livros eu achava ele um saco, o pior personagem da série. Mas ele evoluiu tanto que acabou sendo um dos meus favoritos. Um dos motivos para esse crescimento foi ele ter entendido que a Clary só ia enxergar ele como amigo mesmo. Isso aliado a sua transformação, acabou deixando o personagem interessante e no final foi o "mundano" que fez a diferença. Outro personagem que cresceu muito no meu conceito foi Alec. Eu confesso que não gostava muito dele até então e no livro anterior seu ciúmes doentio da imortalidade de Magnus deixou ele ainda pior. Mas o choque de realidade funcionou e ele mudou da água para o vinho. Chamou a responsabilidade para ele, mesmo com todas suas fragilidades e chorei com ele no final.

Agora duas personagens que foram mal aproveitadas pela autora não só nesse livro mas na série como um todo, foram Isabelle e Maia. As duas tinham tanto dentro de si para serem rainhas dessa cocada toda e elas passaram a série sendo apoio para a Clary e o Jace no caso de Isabelle e para o Luke e os lobisomens no caso da Maia. Espero que a autora aproveite elas em novas histórias. A Maia teve um papel tão importante nesse livro e poderia ter brilhado, mas suas cenas foram descritas tão superficialmente que foi como se ela não tivesse feito nenhuma diferença e poderia ter sido substituída por qualquer um. É uma pena.

Agora tenho que destacar dois personagens que foram os verdadeiros protagonistas, um desse livro e o outro da série como um todo. Sebastian supriu e muito a necessidade de um vilão para a história. Ele é tudo o que o pai não foi. E por mérito próprio. Ele tem um quê de loucura e outro tanto é o sangue de demônio agindo nele. E uma coisa que gostei foi que mesmo com a relação conturbada com a mãe, isso não foi a justificativa para o comportamento do personagem. Agora quem roubou a cena toda vez que apareceu foi o Magnus. É impossível não se encantar com ele e nesse livro em especial vemos toda a "humanidade" de Magnus. Ele se abre como ainda não tinha feito nos outros livros dessa série e da série As Peças Infernais. E minha alegria é saber que tem mais histórias dele já publicadas e não vou ficar órfã.

Agora os personagens secundários fizeram jus a palavra e alguns não passaram de meros figurantes Jocelyn, Luke, o povo todo da Clave, os adultos de maneira em geral só apareciam na hora de tomar alguma decisão errada e deixar claro todo seu preconceito contra tudo e contra todos. A Clave foi péssima a série toda, não agindo como deveriam e até por isso temos adolescentes decidindo tudo na história. E ainda tenho que ressaltar que os personagens mais inteligentes da série são as crianças. Espero que isso mude nos próximos livros. Quanto a finalização da série, eu gostei de como as coisas se encaixaram e várias respostas foram dadas e outras perguntas foram feitas, que acredito serão respondidas nas próximas séries. E como já citei nas outras resenhas, eu comprei os livros pelas capas, mas gosto ainda mais das novas edições. Só espero que não estejam tão malfeitas como essa que eu tenho aqui, porque dois dois livros da série se desfizeram nas minhas mãos enquanto lia.  

Nota:









12 comentários:

  1. Oi, Silvana. É notório quando a leitura te pega de jeito. Dá para sentir sua empolgação na postagem.

    De tudo que explicou, só Alec não me agradou muito. Talvez, como leitor, lendo toda a saga, eu até fosse achar bem legal a mudança de comportamento dele, pois eu teria assimilado todo o contexto. Mas como autor, eu acho difícil colocar um personagem que gosta de ser desagradável, que faz e acontece com as pessoas e depois simplesmente decide virar um amorzinho. Ahhhh, não rola, hein? Eheheheh

    Depois você citou uma trilogia que influencia nessas obras. Essas coisas não me agradam muito. Os autores fazem uma salada de obras que continuam umas dentro das outras. As mulheres devem gostar. Eu não gosto.

    Pra terminar, é sério que a Record está com uma qualidade de encadernação tao baixa? Quem viu e quem vê os tempos áureos da Record.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sil. Como vai? Menina que resenha incrível, ficou maravilhoa. Parabéns! Esta autora arrebenta em suas obras. Deu vontade de reler novamente. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá...
    Confesso que ao ler sua resenha fiquei com vontade de embarcar nessa série que tantos elogiam! Fiquei feliz que tenha gostado tanto assim do livro.
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sil! Tudo bom?
    Tudo que eu lembro desse livro é das safadezas no inferno que sinceramente a CC KKKKKKKKKKKKKK tem umas escolhas que só jesus na causa.
    Não foi um final que eu curti, mas também não foi um final que odiei. Dessa segunda trilogia, acho que é meu segundo favorito; sdds de quando achei que TDA ia ser meu novo TID e ai fui lá e quebrei a cara T_T

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Que maravilha que a história conquistou você no fim. Adorei essa saga e ela tem todo meu amor. Foi um dos primeiros livros que li de fantasia e a partir daí não parei mais. Amei conferir sua opinião e acompanhar seu progresso pela saga.

    Bjs

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  6. OOOi Sil,
    Então, apesar de gostar do gênero de fantasia, confesso que não conhecia essa série e achei alguns elementos muito fortes para a minha consciência, haha. Não gosto muito dessa premissa entre bem e mal, angelical e demoníaco. Mas enfim, uma pena que o livro tenha envolvido demais o romance do casal principal né?! Porém, ainda bem que a maioria dos outros personagens foram bons e supriram a necessidade do livro. Fico feliz que você tenha terminado a série com um sentimento bom sobre ela.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil, tudo bom?
    Sim, Sebastian foi tudo o que o pai não foi. Concordo em tudo! Mas a Clary ainda me tira do sério. Não consigo gostar dela.
    E assim, não sei se consigo ler mais coisas da Cassandra depois dessa série, eu desanimei demais. Tanto que nem sei se o problema é a escrita da autora ou a protagonista em si.
    A Pâmela me indica Peças Infernais, mas dá um desanimo de começar outra série dos shadowhunters...
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Deu vontade de ler a série agora hahaha e nem foi pelo casal porque como você, eu fico muito irritada com esse tipo de mocinha, muito. Nossa fico muito estressada falando que a decisão vai dar bosta, paro de ler para respirar, voltar e falar mais. hahahha É engraçado como as vezes é o universo em que a história está inserida, os personagens secundários e até o vilão que fazem a gente continuar a leitura. Eu terminei recentemente um livro no qual eu fui impulsionada pelo mistério que eu queria desvendar e não pelo romance haha
    Eu espero que a autora tenha dado mais destaque para os personagens que você gosta nos outros livros.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Hoje em dia tá tudo misturado na minha cabeça a personalidade dos personagens nos livros e na série de tv, mas super concordo que a Isabelle e a Maia mereciam mais, pois o Magnus e o Simon até ganharam histórias a mais né? (Não sei se o Simon foi conto ou livro inteiro), tipo cadê o delas né?
    Eu tenho quase certeza que misturei a ordem da leitura da série com Peças Infernais ashhuahsaus

    Beijão
    https://deiumjeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Sil! Eu amo esta série de todo coração. São poucos os personagens que não gosto nela e ainda bem que a autora não desapega deste universo. Atualmente estou lendo As peças infernais e curtindo bastante também. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  11. Parece a continuação de outra história. Acho que daria uma ótima saga desenvolvida para as telas. hehehe :D

    o blog

    ResponderExcluir
  12. Eu nunca li os livros da Cassandra, mas sei da fama de super apegada que ela tem com as séries intermináveis! kkk Que bom que pelo menos ela terminou de modo satisfatório, porque uma série longa desse jeito, era o mínimo que a gente esperaria, né? kkk
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo