29 maio 2020

Resenha | Sol e Tormenta - Leigh Bardugo


Livro: Sol e Tormenta
Série: Trilogia Grisha # 2
#1 - Sombra e Ossos
Gênero: Fantasia
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 365
Ano: 2014

Contêm spoilers do livro anterior.

Resenha:
Alina Starkov acreditava ser mais uma das muitas crianças normais que cresceu sem os pais, até o dia que atravessou a Dobra junto a seu melhor amigo Maly e salvou a vida dele ao liberar um poder até então desconhecido. Ela é uma Grisha, pessoas que nascem com um dom, e seu poder é único. Alina é uma Conjuradora do Sol e se torna a esperança de todos os habitantes de Ravka. O país é cortado ao meio por uma Dobra das Sombras, uma faixa espessa coberta pela escuridão onde habitam terríveis criaturas. E o poder de Alina pode ser o que faltava para acabar com a Dobra. Mas Alina descobriu que o Darkling, o líder dos Grishas, tinha intenção de usar o poder dela não para acabar com a Dobra e sim para aumentá-la e controlar todos ao seu redor.

Então para Alina só restou uma alternativa, fugir para o mais longe possível do Darkling e seus comandados. Já faz algumas semanas que ela e Maly vem conseguindo se manter incógnitos. Mas para isso Alina não pode usar seus poderes, o que tem deixado ela cada vez mais fraca. O contrário do que acontece com o Darkling, que quando emfim encontra Alina, está ainda mais forte e mais poderoso. Além de algumas cicatrizes, o Darkling saiu da Dobra com um novo tipo de poder, que Alina não sabe como enfrentar. Capturada novamente, quando Alina acorda ela descobre que está a bordo do navio do famoso corsário ravkano Sturmhond.

E o Darkling quer que Maly rastreie o açoite do mar, o dragão do gelo, um segundo amplificador de Morozova, para Alina usar junto ao colar do cervo. Numa reviravolta Alina consegue fugir do Darkling e agora com dois amplificadores. Mas existe um terceiro amplificador, e Alina quer encontrá-lo, pois só assim ela conseguira derrotar o Darkling de vez. Agora mais do que nunca já que Alina vai liderar o Segundo Exército depois que o Darkling se revelou um traidor. Alina se une ao Príncipe Nikolai para tentar libertar Ravka de vez da Dobra e do Darling e seus nichevo’ya. O problema é que metade das pessoas a veem como Santa e a outra metade como uma traidora e ganhar a confiança deles não será nada fácil, ainda mais que ela anda tendo algumas alucinações com o Darkling.

“Eu sabia que ele era um mentiroso experiente. Ele podia fingir qualquer emoção, jogar com qualquer falha humana. Mas eu não podia negar o que havia sentido em Novyi Zem, nem a verdade que o Darkling tinha me mostrado: minha própria tristeza, minha própria longevidade, refletida para mim em seus olhos cinza sem vida.”

Para quem não sabe eu fiz uma releitura da Trilogia Grisha e no primeiro livro acabei gostando mais da releitura do que na primeira vez que li ele. E nesse segundo livro a minha opinião e a nota foram a mesma da outra vez. Gostei muito do livro, mas teve algumas coisas que me incomodaram bastante, principalmente um certo personagem que podia ganhar o premio de babaca do ano. A história criada pela autora é incrível, a mitologia presente, eu particularmente não lembro de outros livros que tenham mitologia russa neles. Mas a autora comete o mesmo erro de muitos autores do gênero. Em vez de focar na história em si, passam-se páginas e páginas enrolando em um romance que podia passar sem.

Como disse na resenha do livro anterior, Alina não se compara à algumas protagonistas do gênero como a Aelin, Amani, Mia e Kestrel (citei as mais recentes do gênero que eu li), mas pelo menos ela não é aquela personagem chata que narra a história e torna ela enfadonha. Ela tem defeitos sim, mas sua coragem e senso de justiça compensam eles. Mas não posso deixar de mencionar o quanto de decisões erradas essa garota toma. Tem coisas que está ali na cara dela e somente ela que não enxerga. Mas ainda acredito nela e espero que no terceiro livro ela seja a heroína que todos esperam. Agora o que me irrita mesmo é o amor todo que ela diz sentir pelo Maly. Isso até a página dois porque é só algum outro cara dar um pouquinho de atenção e ela já esquece que ama ele.

Como me irritei com esse bromance todo que a autora resolveu colocar no livro. E esse foi o motivo de eu não ter dado nota máxima para ele. Em vez de explorar o universo todo que ela tinha em mãos ficou lá no drama da relação da Alina e do Maly. Eu confesso que tentei gostar dele pelo tanto que a Denise (Queria Estar Lendo) defende o personagem. Mas não deu. Eu não consigo ver amor entre eles. Maly diz amar uma Alina que não existe. Ele quer ela mas sem a parte da Conjuradora, ele não entendeu que a Alina é uma Grisha, que isso faz parte dela, que não tem como fingir que ela é a única esperança de todos. Dai fica lá fazendo ceninha de ciúmes e outras coisas que me fizeram querer entrar no livro e dar uma surra nele.

E ainda mais que temos o Nikolai ali pertinho para comparar. Nikolai que apareceu nesse segundo livro e já é meu personagem favorito da trilogia. Ele é charmoso, tem um encanto natural que ganha todo mundo ao seu redor. E é inteligente. Tudo o que ele faz é estratégico, pensando no bem do seu país. O oposto do Maly. E temos o Darkling que pouco apareceu, mas quando o fez foi para abalar as estruturas. E diferente do final do primeiro livro que teve uma espécie de calmaria para os personagens, nesse segundo temos um final de arrancar os cabelos e preciso partir para o terceiro agora. E olha que já li ele e sei como termina essa história hehe. Quanto a capa, achei meio repetitiva, mas gosto da edição como um todo.

Nota:










16 comentários:

  1. Oi Sil! Eu quero terminar essa série, mas vou ter que reler o primeiro. Lembro que o começo da história me deixou bem contente. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Oi Sil
    Eu sempre vejo resenha da Lu sobre essa autora mas por enquanto ainda não tive oportunidade de conhecer a escrita da Leigh, mas ela está na lista! Espero gostar tanto quanto vocês, amém.
    Beijo
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Sil como vai? Que pena que alguns pontos não lhe agradaram não é mesmo! Para quem aprecia fantasia presumo uma leitura excelente, apesar de as suas ressalvas. Tenho curiosidade de ler este livro. Ótima resenha, adorei. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Ainda não conhecia esse livro, mas, acho que suas ressalvas também me incomodaria, portanto, prefiro passar a dica.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil, tudo bom?
    Eu ainda não li essa série, mas já vi em promoção e não a comprei.
    Não sei se estou no momento, sabe? Estou tentando ler mais romances água com açúcar para aliviar a tensão da quarentena...
    Eu também acho as capas repetitivas, mas fazem sentido como série.
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiii Sil

    Eu amoooo Nikolai, tb é meu favorito. E a Alina, embora não seja uma Kestrel ou uma Inej, também acho bem razoável, como vc bem disse Sil, pelo menos não é uma chata. Eu gosto dessa trilogia da Leigh Bardugo, mas ainda prefiro Six of Crows, achei mais bem elaborado. Estou curiosa pra conferir o llivro do Nikolai, King of Scars.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Ahhh esse romance deve ser meio chato. Mas nunca li essa trilogia, apesar de ser no estilo que gosto.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi, Sil

    Affe, ninguém merece ficar focando em romance. Se eu quiser ler sobre um romance eu vou ler um romance romântico, ora bolas! hahahahah
    E ando meio sem paciência para personagem que comete muito erro, sabe? Deve ser a quarentena! ahahaha
    E que bom que você está animada mesmo sendo uma releitura e você saiba o que vai acontecer! hahaha

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  9. Vou levar a sugestão!
    Aproveito para desejar um bom domingo!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sil. Tudo bem?
    Gostei da sua resenha, acho que focar em romance é um problemas de alguns livros e um personagem que diz amar o outro tentando mudar ou não amando e não entendendo a responsabilidade como você disse também me deixaria frustrada. Eu realmente quero conhecer os livros da Leigh Bardugo é uma das coisas que está na minha lista.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir
  11. É engraçado isso, às vezes a gente não curte tanto a leitura numa primeira vez, mas na segunda ele atrai uma atenção que não tinha antes... rsrs
    E eu fiquei chateada aqui já, por saber que a autora tinha toda uma história e uma mitologia nas mãos (pois eu quase não conheço nada da Rússia), mas perdeu tempo enrolando num romance desnecessário... =s
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  12. Oi Sil, tudo bem? Acho que às vezes as fantasias tem problemas com romances, não é todo mundo que sabe equilibrar bem. De qualquer forma, eu ainda não li a série, mas achei a premissa boa. Quem sabe em outro momento eu leio.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  13. Oi Sil.
    Amo fazer releituras, às vezes é o que me salva. Ainda bem que você já sabe o desfecho, porque lendo sua resenha e sabendo a forma como o segundo livro acaba, deve ser uma agonia só até ler o próximo. kkkk
    Bjus

    ResponderExcluir
  14. Oi
    esses livros parecem ser bons, eu estou com o primeiro na minha lista de desejados, que bom que gostou da leitura a história e os personagens devem ser envolvente.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi, Sil! Tudo bom?
    Eu amo e defendo o Maly, mas entendo quem não goste. Ele não é um personagem fácil e escrito pra ser bom, ele tá bem na margem cinza. Mas é humano e eu gosto de como ele comete tantos erros pra ir melhorando com o tempo - principalmente a postura dele no último livro. E também entendo essa coisa de ter medo dos poderes da Alina e não querer se aproximar do lado santa dela (bem Chaol com a Aelin, no fim das contas) porque ele vê que tudo que envolve magia está machucando a Alina; nunca é a vontade dela ou as escolhas dela, né. É sempre por causa dos outros ou do Darkling e pra mim, ele associa a magia a uma coisa ruim pelo tanto que usam a coitada.
    Eu espero que a série explore melhor o personagem porque o livro é CLARAMENTE team Darkling e me irrita, porque nunca mostra realmente a toxidade que é esse personagem (motivo pelo qual tem tanto shipper dessa desgraçaaaaaa).
    Nikolai maior e melhor dono de tudo que a Bardugo escreveu ou vai escrever. NUNCA ERROU!!!!!!!!!!!

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo