28 julho 2020

Resenha | Crooked Kingdom - Vingança e Redenção - Leigh Bardugo


Livro: Crooked Kingdom - Vingança e Redenção
Série: Six of Crows #2
#1 - Six Of Crows - Sangue e Mentiras
Gênero: Fantasia
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Gutenberg
Páginas: 448
Ano: 2017

Contêm spoilers do livro anterior nos três primeiros parágrafos. 

Resenha:
Dentre os membros das gangues de Ketterdam, Kaz é o mais habilidoso. Tanto que quando Van Eck, um membro do Conselho Mercante precisa de alguém para roubar um dos lugares mais seguros do mundo, Kaz é chamado. Mas Kaz não arriscaria sua vida se não tivesse muito dinheiro envolvido, a quantidade equivale à sua liberdade, já que apesar de ser um dos criminosos mais eficientes, Kaz ainda se reporta a alguém, no caso Per Haskell chefe dos Dregs, gangue à qual Kaz parte. Kaz monta sua equipe e eles fazem o impossível, conseguem entrar, pegar Kuwei e sair com vida da Corte do Gelo em Fjerda. Mas na hora de receber seu dinheiro Kaz é traído e um bem mais precioso que todo o dinheiro que ele ia receber é levado, Inej, a garota suli por quem Kaz sente mais do que deveria sentir.

Van Eck dá uma semana para que Kaz entregue Kuwei ou Inej irá sofrer as consequências. O que Van Eck não imaginava era que fazer negócios com Kaz já é arriscado, mas traí-lo é um ato imperdoável. Kaz não vai somente pegar sua Espectro de volta, mas ele vai acabar com Van Eck e tudo o que ele tem de mais precioso, sua imensa fortuna. Van Eck vai pagar com juros astronômicos à traição aos seis Corvos. Kaz já tem um plano no qual vai ter que contar com a ajuda de todos, agora não mais inimigos, mas unidos em um mesmo propósito. E libertar Inej e se vingar de Van Eck é somente uma parte dos problemas que eles terão que enfrentar. Não é só Van Eck que quer Kuwei, de todos os lados as pessoas estão vindo atrás do filho do criador da Jurda Parem.

E ao mesmo tempo os Grishas de Ketterdam começam a serem caçados por algo que eles nunca viram. E o passado começa a assombrar os membros da equipe dos corvos, Nina tem que lidar com a abstinência da Jurda Parem que parece ter modificado seus poderes, Inej começa a duvidar de si mesma ao se ver presa novamente, Matthias precisa lutar internamente contra tudo o que foi ensinado, Jesper terá que lidar com a volta do seu pai e a iminente perda da fazenda deles por sua culpa, Wylan não pode acreditar que seu pai seja capaz de tudo o que ele está vendo e fica dividido entre fazer o certo e sua família e Kaz terá que enfrentar um inimigo que fez ele se tornar quem é hoje. Os dados foram lançados, mas a sorte não tem nada a ver com o resultado desse jogo.


É com um aperto no coração que escrevo essa resenha. Porque por mim essa duologia poderia ter mais uns quatro livros que eu estava feliz da vida. Não sei porque quando a coisa é chata os autores escrevem séries intermináveis e quando é maravilhosa como essa só tem dois livros. Mas ainda bem que mesmo não sendo da mesma série a autora ainda continua escrevendo nesse mesmo universo e vez ou outra vou poder matar a saudade desses personagens incríveis que conheci nessa história. Assim como aconteceu nesse livro onde temos a participação de alguns personagens da Trilogia Grisha, entre eles o meu favorito de todos.

Mas volto a ressaltar, não é essencial ler a Trilogia antes da duologia, mas recomendo que se leia porque o universo é o mesmo e querendo ou não vai ter um spoiler da trilogia nesse segundo livro. Assim como disse no livro anterior é visível a evolução da escrita da autora da trilogia para a duologia. Enquanto a trilogia é muito boa, mas deixa a desejar em alguns pontos, a duologia é perfeita do começo ao fim. Sei que muitos vão dizer que não existe história perfeita, mas se teve alguma coisa na duologia que eu possa levantar como ponto negativo, eu não encontrei. A autora foi muito feliz na escolha da narrativa, em terceira pessoa acompanhando um dos seis protagonistas por vez, e esse foi um dos pontos que mais gostei nos livros.

Até porque os seis são tão impressionantes que ela ia sofrer para escolher só um deles para narrar a história, e estaria perdendo o que foi o ponto mais forte do livro, os seis personagens. Sei que cada um que ler o livro vai ter sua lista de preferencia entre os seis, mas ninguém vai ser capaz de dizer que um deles foi menos protagonista que o outro, ou que um se sobressaiu mais, ou que esse ou aquele não teria feito a diferença se não estivesse ali. A equipe como um todo é perfeita. E isso foi uma diferença entre o primeiro e o segundo livro da duologia. No primeiro livro eles eram bandidos contratados para fazer um serviço, nesse segundo eles são um time onde cada um completa o outro.

E quando digo bandidos estou sendo generosa porque nos temos seis anti-heróis como protagonista e mesmo sabendo o que eles são, fica impossível não se render a eles e torcer para que dê tudo certo no final. E um final feliz era algo que eu via indo embora a cada novo capitulo, porque as coisas antes de melhorar só pioravam para o lado deles. Mas então é ai que entra a genialidade de Kaz e você descobre que tudo o que aconteceu era parte de seu plano. Mesmo que o plano vá sendo modificado a cada nova jogada dos inimigos. E a coisa cresce de uma maneira nesse segundo livro que de repente a gente vê que não é só o dinheiro deles que eles precisam salvar, mas todo o mundo Grisha.

Na minha ordem de preferência está Kaz é claro, com seus planos aparentemente impossíveis de serem realizados, mas que ele dá um jeito se ser colocado em prática. Depois temos Inej que meus Deus que nervoso porque eu queria muito um romance entre os dois mas a aversão de Kaz ao toque é um impedimento que me deu gastura para saber como a autora ia resolver. Depois temos Wylan que eu queria abraçar e nunca mais soltar e Jesper que são perfeitos juntos e não poderia ter casal mais maravilhoso. E por fim Nina e Matthias um dos casais que estavam fadados a se separarem desde o começo por tanta diferença entre eles, mas que provam que o amor vence tudo sim.

E mais uma vez quero ressaltar o universo rico criado pela autora que com certeza tem muito mais a ser explorado, o que inclusive já está sendo feito já que temos uma nova duologia sendo escrita e que espero não demore horrores para chegar por aqui. Quanto a edição está muito bem feita, mas volto a ressaltar a diferença de tamanho entre os livros da Trilogia Grisha e da duologia. Os livros da trilogia são menores. E para terminar essa resenha que já está enorme, só me resta indicar o livro para quem gosta de livros de fantasia, sobretudo quem gosta de livros inteligentes onde o leitor é desafiado a todo instante e que quando a história termina, fica o sentimento que expressei acima: um aperto no coração por ter chegado ao fim.

Nota:









18 comentários:

  1. Oi, Sil como vai? Eu tenho curiosidade em ler esta duologia, pois eu li só a trilogia. Como gosto de livros fantasiosos e por ter gostado da trilogia tenho vontade em ler este. A capa está maravilhosamente atrativa. Sua resenha ficou maravilhosa, parabéns! Presumo ser uma fantasia incrível de ser desbravada. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu tô apaixonada nesse livro.

    Né isso, quando o negocio é bom eles não escrevem muito, mas quando é pra encher linguiça é página que não tem fim.

    Beijinhos,
    Renata

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Essa duologia é uma das minhas favoritas e concordo demais que a escrita da Leigh Bardugo evoluiu e aqui não tem problemas que nem na trilogia original,já no amor pelos personagens eu vou na ordem: Kaz > as meninas > o Jesper > o Wylan e o Matthias.

    Beijão
    https://deiumjeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oiii Sil

    Eu adoro essa dualogia, a gente nota de longe commo melhorou a escita da Bardugo nestes livros se comparar com Grisha. Kaz eu amo, meu anti-herói favorito, mas minha favorita é a Inej, que personagem incrivel, aliás, todos os seis estão ótimos e a interação entre eles flui incrivel.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Sil! É tão bom ler algo que mexe com a gente, que deixa saudade quando fechamos o livro. Estou precisando muito de uma história assim. Que bom que foi uma ótima leitura para você. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sil! Tudo bom?
    Crooked Kingdom foi um dos livros que eu mais berrei na minha vida enquanto lia KJBNASUOFBASUOSGBAUOASG todos os feels e Kazinej que me matou LENTAMENTE porque ship mais perfeito não existe!!!!!!!
    E sim, ela ter usado a terceira pessoa mudou completamente a dinâmica da história. Eu não gosto muito de fantasia em primeira pessoa justamente pela falta de expansão de visões, e essa duologia acertou em cheio por se afastar da trilogia Grisha nesse quesito.

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  7. Amei a resenha. Acho que vou apostar nessa história, preciso de uma fantasia que mude minhas leituras.
    beijos
    http://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Sil,
    Acho que não é só nos livros. Acho que até nas séries de tv, as melhores são pequenas. Algumas zzzzz duram até hoje.
    Suas resenhas sempre me deixam curiosa em relação a série. Espero conhecer futuramente, mas bem provável que conheça o universo pela adaptação primeiro.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  9. Oi Sil, coisa ruim pessoal gosta de estender mesmo, impressionante rsrsrs Infelizmente eu não conheço o universo, mas pelas resenhas dos livros, parece excelente! E amo edições com mapa!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. nossa sempre assim, quando os livros sao bons eles nao escrevem muito af mas com certeza adorei conhecer e parece ser mesmo uma leitura que vale a pena

    www.tofucolorido.com.br
    https://www.instagram.com/liviaalli/

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sil!
    Ultimamente tenho amado ler duologias, porque na maioria das vezes a história não se perde e eu consigo acompanhar numa boa haha.
    To meio cansada de ler fantasias ultimamente, mas vou salvar a dica pra ler mais pra frente :D Seus comentários me deixaram curiosa e acho que vou acabar gostando!

    Estante Bibliográfica

    ResponderExcluir
  12. Têm livros que dão um aperto no coração quando chegam ao fim. Mas às vezes a continuação poderia estragar um pouco a história, sabe? Por esse motivo, às vezes prefiro duologia do que trilogia. Ah! Ainda bem que essa autora escreveu outros do mesmo universo e dá para matar a saudade. E você falando que torceu para personagens mesmo sabendo quem eles eram, me lembrou da série "La Casa de Papel". Eu sabia que era meio que errado torcer para eles, mas como não se apegar a esses personagens? hahaha =)

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  13. Oi
    eu to com o primeiro livro na minha lista de desejados, parece ser uma história bem envolvente, apesar de ler pouco o gênero adoro leitura que envolvem esse gênero.
    Que bom que gostou desse último da dulogia, não sabia que depois tinha outra série.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Silvana, que texto bonito esse teu. Muito bem escrito e me deu até vontade de ler em voz ou gravar a fazer um post de vídeo. Parece que vocês, blogueiros, combinaram de fazer textos excelentes. Todos os textos são bons, mas a gente (que vem aqui e lê a postagem) sente quando vocês estão compartilhando com um gostinho a mais. É diferente. Não sei por quê.

    Sobre a perfeição, é porque a autora quis terminar tudo no tempo certo. DARK teria sido uma minissérie maravilhosa se tivesse apenas uma temporada. Mas arrastaram para três e ficaram enrolando e fazendo coisas mirabolantes, mas que só encheram linguiça, pois o final foi meio que independente daquilo tudo. Poderiam ter resumido tudo aquilo. Neste caso, a autora fez uma duologia. Ficou perfeito porque ela não estendeu mais. Simples assim.

    Um abraço, querida. Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  15. Pulei os spoilers, mas me atentei ao resto da resenha, faz muito tempo que não leio uma trilogia ou duologia e me sinto assim tão satisfeita como você está. Fico feliz que os personagens tenham te cativado e a escrita da autora evoluído bem. Eu admiro muito autores que conseguem criar universos cheios de possibilidades. Já deixei a dica anotada ♥

    Beijos
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  16. Olá...
    É tão triste encerrar uma história da qual gostamos, né? Dá pra sentir o quanto você amou essa duologia ;)
    Esse livro e o anterior está na minha lista de desejados e pretendo ler em breve!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi Sil, tudo bem?
    Entendo seu sentimento mas, ao mesmo tempo, gosto quando os autores respeitam o seu limite criativo. É tão cansativo quando séries duram infinitamente, parece que é pra tirar nosso $ haha :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  18. Oi Sil,
    Que paz no coração concluir uma série, né? Dever cumprido! (Tudo bem que vem mais uma duologia por aí, mas essa pelo menos está ok, rs)
    Eu, por outro lado, não estou conseguindo terminar nada, só começo começo e começo kkkkkk
    Sabe de uma coisa que eu gostei na sua resenha, você falar que achou a fantasia inteligente, isso me anima demais! Odeio livro que subjulga o leitor!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo