11 setembro 2020

Resenha | Diga Sim ao Marquês - Tessa Dare


Livro: Diga Sim ao Marquês
Série: Castles Ever After # 2
Gênero: Romance de Época
Autora: Tessa Dare
Editora: Gutenberg
Páginas: 288
Ano: 2016

Resenha:
Quando completou 17 anos Clio Whitmore viu seu amigo de infância Piers Brandon, o futuro Marquês de Granville, se ajoelhar na sua frente e pedir sua mão em casamento fazendo assim a alegria das duas famílias. Mas Piers estava no início de uma carreira promissora em diplomacia e como Clio ainda era muito nova para assumir a administração de uma casa, eles se decidiram por um noivado longo. O problema é que esse longo está mais para permanente, porque oito anos se passaram e eles ainda são apenas noivos. Como não tem muitas opções Clio continua esperando Piers marcar a data do casamento. Ou melhor não tinha opções porque Clio acaba de herdar, além de uma substancial quantia em dinheiro, um castelo em Kent, do seu falecido tio o Conde de Lynforth.

Cansada de ser a piada da cidade e agora podendo escolher entre se casar ou ter seu próprio negócio, Clio decide romper o noivado e como Piers ainda está viajando à trabalho, ela precisa da assinatura de Rafe Brandon, irmão mais novo do agora Marquês de Granville que está responsável por seus negócios. Mas enquanto Piers é o orgulho da família, Rafe é seu oposto e ganha a vida lutando boxe e é um dos canalhas mais notórios de Londres. Só que com a morte de seu pai e com Piers viajando, Rafe precisou dar um tempo nas lutas e assumir os negócios da família. E não deixar Clio desistir do casamento faz parte de suas atribuições. Rafe não vê a hora de poder voltar a lutar e ter seu título de campeão de volta, já que o perdeu em sua última luta com a única derrota de sua carreira.

E ele tem certeza de que se Clio cancelar o casamento, Piers vai arrumar uma desculpa para não voltar e, dessa vez quem sabe por quanto tempo ele vai ficar fora, prendendo Rafe em uma tarefa que ele não quer. Por isso ele tem que encontrar um jeito de fazer Clio mudar de ideia e se casar. Rafe sabe que Clio foi treinada para ser uma esposa perfeita e acha que se ela se envolver com os preparativos do casamento, ela vai mudar de ideia. Por isso Rafe pede que Clio lhe dê uma semana para lhe mostrar que ela nasceu para se casar com Piers e Clio aceita a proposta desde que se no final dessa semana ela mostrar a Rafe que será mais feliz solteira, ele vai assinar o rompimento do noivado. O problema é que enquanto tenta manter o noivado do irmão, Rafe tem que refrear sua própria vontade, que é ter Clio só para ele.


Esse é o segundo livro da série Castles Ever After, que diferente das outras séries, onde os personagens geralmente transitam nos livro uns dos outros, a única ligação entre os livros dessa série é que cada uma das protagonistas herdam um Castelo do Conde de Lynfort. Eu amei o primeiro livro da série, meu primeiro livro lido da autora também e me apaixonei pela escrita dela. Ela escreve em um tom de comédia romântica que não tem como quem gosta do gênero, não se apaixonar pelas história e pelos personagens. Mas nesse livro, eu fiquei meio dividida.

Ainda tem tudo o que gostei no primeiro livro dá série. A começar pela capa linda, que como já citei na resenha do primeiro livro, tem todos os elementos que espero em um livro de romance de época. O castelo, a garota com um vestido lindo (tenho um fraco por capas com vestidos) e por dentro os capítulos começam com uma ilustração de um buquê de rosas e eles são separados por uma ilustração de um anel de noivado. Amo esse tipo de detalhe nos livros. Tem também todo o humor que descobri ser uma das características da autora, ri tanto em algumas cenas que até doeu a barriga. E tem as mocinhas que são um tantinho mais espertas do que as de outros romances de época no quesito sexo.

O que me incomodou aqui na verdade foi essa questão da traição. Se não olhar por esse ângulo, o romance entre eles foi lindo, as cenas apaixonante, mas cada vez que elas aconteciam eu só conseguia pensar no coitado que estava sendo enganado. Traição, é traição, não importa os motivos. Eu achei o Piers um canalha por anos enrolando a garota, mas isso não justifica ela ficar com o irmão dele. E com o Rafe é a mesma coisa, ainda mais que segundo ele mesmo, ele estava cuidando de tudo o que era do irmão, o que incluía sua noiva. Afinal se os dois se amavam, não custava nada terminar o noivado antes de se entregarem a paixão.

E por essa questão fiquei muito em dúvida na hora de dar minha nota. E acabei dando uma nota na média porque de resto gostei muito da história. E uma coisa que chamou minha atenção foi a autora colocar um personagem com Síndrome de Asperger no livro, Phoebe, a irmã mais nova de Clio. É claro que na época eles não sabiam o que era a doença, mas quem lê já percebe o que ela tem. E foi uma das personagens que mais gostei no livro. Ela e o cachorro do Piers, cachorro esse que rendeu ótimas cenas na história. Enfim, mesmo com essa ressalva, afinal é algo pessoal, eu indico o livro para quem é fã do gênero. 

Nota:








15 comentários:

  1. Oi, Sil!

    Com certeza a parte da traição também me incomodaria bastante. Só isso já desanima a torcer pelo casal né. Li o primeiro volume da série e também curti, a escrita é muito boa!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sil!

    Adorei sua observação sobre amar uma capa com vestidos haha conheço muito pouco do gênero, mas só vejo elogios a essa autora e sua narrativa. Adoro uma boa história carregada de humor e romance, preciso aproveitar a oportunidade de conhecê-la!

    Beijos, Fantasma Literário

    ResponderExcluir
  3. Oi Sil.
    Já li a trilogia faz algum tempo, e lembro que gostei dos três livros, mas o preferido sem dúvidas foi o primeiro. Também me incomodei um pouco com a lance deles. Mas nada que tivesse me atrapalhado a gostar da história.
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Oi Sil, tudo bem?
    AAA, um personagem com Síndrome de Asperger? Deve ser interessante então, recentemente li um assim, só não era de época, e ele me encantou. Gosto muito para desmistificar um pouco a questão.
    Ainda não li nada da Tessa Dare, mas está na minha lista!
    beeeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Silvana!
    Apesar da questão da traição, confesso que este foi o meu livro favorito da série.
    Adorei os dilemas e inseguranças de Rafe e a determinação de Clio. Ambos formaram um casal que se completava e achei isso lindo.
    Esperei que o irmão de Rafe fosse um canalha, mas quando ele finalmente apareceu revelou-se um tipo às direitas e tive imensa pena dele...
    Beijo
    Mundo da Fantasia

    ResponderExcluir
  6. É um problema questão da traição na literatura, atualmente, porque os escritores contemporâneos, embora soltem bastante a imaginação, em certos quesitos, ficam seus pés no chão. Provavelmente esses autores (sejam homens ou mulheres) já Hiram traídos ou já traíram. Aliás, todo mundo que mantém um casamento "padrão" é traído. Até a Princesa Diana foi traída. Até a Fátima Bernardes foi traída. Ilusão é a pessoa querer se enganar no tipo "comigo é diferente". É diferente porque a pessoa não vai atrás. É só dar uma peocuradinha que ela acha. É a vida. Faz parte do pacote.

    Aliás, os casamentos só duravam porque casavam-se pensando nos negócios das famílias . Essa história de romantizar casamento veio nos anos 70 e ganhou força nos anos 80. Mas é uma mentira que todo mundo ama acreditar. E tudo bem.

    Mas infelizmente, Vossa Majestade verá traições em muitos livros. Tente se acostumar.

    Um abraço, querida. Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  7. Oi Sil, tudo bem? Eu adorei o cachorro tb, dei boas risadas. Eu gostei do livro, mas dessa série achei o mais fraquinho, gostei mais do terceiro e quarto!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    A Tessa parece ter o estilo de escrita que eu gosto. Ainda anseio por ler algo dela.
    Nossa, eu não suporto romantização de traição, corta o clima demais da história e nem dá muito bora torcer para o casal. Culpo os dois sempre.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  9. Oi, Sil como vai? Que bom que você curtiu a leitura, embora não tenha lhe agradado por completo. Infelizmente traição é um ato abominável de alguns seres humanos, mas acontece frequentemente em nossa sociedade, infelizmente. Adorei a resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Nunca li nada da autora, mas só pelo que você escreve da para ver que a escrita é bem envolvente. Eu também não gosto muito desse negócio de traição.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil! Traição é um ponto delicado e que me incomoda demais, não sei se vou apreciar tanto esta história por conta disso, mas é só lendo para saber.
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  12. Eu gostei bastante da premissa desse livro. Mas concordo contigo, traição é traição e não tem graça.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  13. Oi
    eu já li esse e gostei, gostei do romance do casal principal, mas também dela criar seu próprio negocio ainda mais uma cervejaria que não seria tão bem visto pela sociedade, quero muito o terceiro livro, mas até hoje não comprei porque sempre acho ele meio carinho.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Eu gostei muito da sua resenha, e a história parece ser daquelas que deixa a gente com um sorriso bobo no rosto, pretendo ler. Mas eu concordo com você que teria sido melhor/correto acabar com o noivado primeiro. Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Sil. Tudo bem?
    Romances de época é um gênero que ainda não li e encontrei poucos que chamaram minha atenção e que lerei num futuro. Entendi todas suas ressalvas, mas fiquei curiosa como é tratado a síndrome de asperger num livro de época.

    Beijos, Vanessa
    Leia Pop

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo