12 agosto 2019

Resenha | Indesejadas - Kristina Ohlsson


Livro: Indesejadas
Série: Fredrika Bergman #1
Gênero: Romance Policial, Suspense
Autora: Kristina Ohlsson
Editora: Gutenberg
Páginas: 336
Ano: 2019

Resenha:
Sara Sebastiansson e sua filha Lilian estavam viajando de trem de Gotemburgo até Estocolmo. Mas antes de chegar ao destino final, o trem fez uma parada em Flemingsberg, onde Sara desceu para fazer uma ligação. Sara está separada do pai de Lilian e como a ligação é para seu novo "amigo", ela não quer que Lilian escute a conversa e deixa a menina dormindo no banco do trem. Antes de se afastar do trem ela pergunta ao fiscal, que diz que eles devem partir em cerca de dez minutos. Sara faz sua ligação e quando está voltando para o trem uma mulher pede que Sara ajude com seu cachorro que está passando mal. Sara que ama cachorros decide ajudar a mulher, mas nesse meio tempo o trem parte da estação.

Sara fica desesperada, mas um dos funcionários da estação de Flemingsberg entra em contato com Henry, um dos fiscais no trem, que diz que Lilian está segura e que ele mesmo vai ficar de olho na menina. Então Sara pega um táxi para encontrar o trem em Estocolmo. Mas faltando poucos minutos para chegar em Estocolmo, começa uma confusão em um dos vagões e Henry deixa Lilian, que ainda está dormindo sozinha por cerca de 4 minutos, e é o que basta para a garota desaparecer. A policia é acionada, mas por mais que procurem eles nada encontram, ninguém viu nada e é como se Lilian tivesse evaporado no ar. A unica pista são marcas de pés tamanho 46 em frente ao banco onde Lilian dormia, o que se deduz que ela foi levada por um homem.

Quem assume o caso é a equipe do inspetor Alex Recht e quem vai ao local colher informações é a analista criminal Fredrika Bergman e o investigador Peder Rydh. Ao interrogar Sara, Fredrika logo percebe sinais de agressão e ela estava certa porque existe um histórico de registros de queixas de Sara contra o ex marido. Com a pegada encontrada e o histórico de violência, logo Alex e Peder deduzem ser o pai o culpado. Mas Fredrika não acredita nisso e quer seguir em outra linha de investigação. Porém desde que entrou para a equipe, Fredrika vem enfrentando o sexismo dos colegas de trabalho, que não acreditam que uma mulher e principalmente uma que era uma acadêmica até então, tenha capacidade para investigar esse tipo de situação. Mas então o caso que era de desaparecimento acaba se tornando de assassinato quando o corpo de Lilian é encontrado com a palavra "Indesejada" escrito em sua testa.

"— Uma menina de seis anos desapareceu ontem de um trem (...) A policia está pedindo que todos que estiveram no trem ...
— Oh, meu Deus — sussurrou, sentindo o coração acelerar. — Ele começou."

Eu sempre tive vontade de conhecer a escrita da autora pois sempre li resenhas positivas dos livros dela e também me chama a atenção os títulos dos seus livros terem apenas uma palavra, mas até então ainda não tinha tido a oportunidade. Então os livros foram relançados pelo selo Gutenberg, do qual o blog é parceiro e assim que tive a chance comecei a ler seus livros, comecei porque com certeza não vou parar nesse. Indesejadas é o primeiro livro de uma série que conta com a analista criminal Fredrika Bergman como sua protagonista. Mas para quem leu série e já vai dar a desculpa de que não quer começar uma série no momento, o livro tem começo meio e fim, sendo assim possível ser lido como livro único.

Quando vi que o livro se passava na Suécia, já me veio a mente Stieg Larsson e sua trilogia Millennium que amei. Mas se compararmos com livros policiais cujas histórias se passam na America, a pegada é bem diferente. Toda a investigação da policia e o andamento do caso segue uma linha diferente do que estamos acostumados a ler. Mas nesse livro em específico eu me decepcionei bastante com os policiais do caso. Primeiro por causa da forma com que tratam a protagonista Fredrika. Como acompanhamos principalmente os três envolvidos no caso, podemos ver claramente a opinião dos dois homens sobre a personagem. É um absurdo a forma como eles se referem a ela e até falam isso na frente da própria, julgando sua competência pelo simples fato dela ser mulher.

E o engraçado é que ela era a unica que conseguia enxergar fora da caixa e foi quem colocou a policia na pista certa. E segundo foi que achei os policiais, com a exceção de Fredrika que basicamente não é uma policial pois está ali apenas de passagem fazendo tipo um estágio na policia e ainda é considerada pelos outros como civil, todos os policiais são muito tapados. Eles não enxergavam um palmo a frente do nariz. E ainda acham que estão certos, que eles sim tem o faro policial, aquele chamado que falta em Fredrika. E por conta disso eu não dei nota máxima para o livro.


Acredito que se eu fosse uma iniciante em livros policiais teria achado o livro maravilhoso. Se tivesse lido ele anos atrás e ainda não fosse "formada" na profissão de detetive pelo tanto de livros policiais que eu já li hehe, teria deixado passar de boa algumas coisinhas que me incomodaram na história. Mas depois que você lê um tanto de livros do mesmo gênero, o nível de exigência vai aumentando e detalhes é que fazem a diferença para determinar o quanto o livro foi bom. Por exemplo, descobri grande parte do mistério bem antes do final, ainda que não tenha descoberto a identidade do assassino em si. Mas com isso não estou dizendo que o livro não é bom, pelo contrário, gostei muito dele, tanto que quero ler os outros livros da série.

Os capítulos são bem curtos, o que tecnicamente deveria dar uma agilidade à história e fazer com que a leitura fosse rápida. Mas como a história toda acontece em praticamente uma semana, a sensação é de que ela é lenta. Eu particularmente li o livro em dois dias, o que está na minha média para o gênero com esse tanto de páginas. E penso que essa sensação de lentidão se deve a autora não focar somente nos fatos, mas também na vida de seus personagens, o que é um recurso que eu gosto bastante. E creio que nos próximos livros vamos saber mais sobre a vida deles. A Fredrika foi uma personagem que gostei bastante e acredito que ela tem muito a oferecer ainda. Já os homens desgostei de todos, mas até tenho que concordar que no final eles começaram a mudar suas atitudes. Enfim, é um livro que recomendo para quem gosta de um bom romance policial. Quanto a edição está muito bem feita e essa capa já dá o ar do que vamos encontrar na história.

Nota:







20 comentários:

  1. "Mas depois que você lê um tanto de livros do mesmo gênero, o nível de exigência vai aumentando e detalhes é que fazem a diferença para determinar o quanto o livro foi bom" esta questão eu passo com os quadrinhos que tanto leio. Não vejo isso como um problema mas é aquela coisa que não te surpreende, não te deixa com aquela emoção do tipo "Caraca! Que incrível!", mas ainda pode ser uma boa leitura.
    Será que a autoria é internacional mesmo, ou seria apenas um escritor nacional se utilizando de uma ficção ambientada fora? Se for realmente internacional, costumam creditar quem fez a tradução. Mas estou desconfiado de que não seja.
    Penso que houve a intenção proposital de mostrar a mulher-agente se sobressaindo aos homens, por isso esse contraste de eles serem bobos em relação à astúcia dela. Você citou Milleniumm. Dizem que os livros são maravilhosos.
    Ah, esses romances - onde as mulheres escrevem um comportamento masculino que não existe - costumam ser bem divertidos. Acredito seja ótima leitura e cumpre bem o papel de entretenimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabiano.
      Já vi muito usarem esse recurso de deixar todos idiotas para um se sobressair, mas não foi o caso aqui. E a autora é sueca sim.

      Excluir
  2. Creio que hoje os relacionamentos entre homens e mulheres mudou muito
    Então não consigo entender esse aspecto que a autora coloca no livro
    Sabemos que a mulher já exerce um grande papel em várias profissões e colocar policiais tapados parece enredo de livros dos anos 60 50 70

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      O livro é mais antigo sim, é uma reedição. Mas não sinto essa mudança que você citou na relação homem/mulher. Infelizmente esse cenário está longe de mudar. O machismo ainda é enorme.

      Excluir
    2. Obrigada por responder
      Não sabia que era reedição

      Excluir
  3. Oi Sil! Eu já tive vontade de ler o livro, mas tem a adaptação como seriado e eu não curti. Acabei desistindo da leitura (e do seriado) e pela sua resenha algumas coisas que me incomodaram são mesmo do original. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  4. Oiii Sil

    Adoro esses suspenses de capitulo curto, mas relament eisso deveria dar a sensação de historia mais ágil, uma pena que não foi tanto assim. Eu adoro romance spoliciais, leio bastante e por isso mesmo tb fiquei com receio de me frustrar lendo esse, de não me surpreender, mas... apesar de tudo, gostei da premissa e acho que vou arriscar.
    Falando nisso, estou com o primeiro de Millenium aqui em casa pra ler, expectativas super altas.


    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Amei seu artigo, estou acompanhando seu blog há alguns dias e posso dizer é estou adorando. Sempre tem conteúdo de qualidade com bastante dicas e informações interessantes!

    Parabéns!

    Meu Blog: Totolec Show

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sil

    Olha ela, detetive formada em leitura de livro policial! hahahaha
    Eu sou lerda, não importa a quantidade de livros do gênero que eu leia, sempre sou feita de trouxa.
    Que babacas esses policiais machistas, me lembrou um pouco a detetive do livro Confie em Mim, ela também era a única que enxergava o caminho certo mas os machos babacas diminuíam ela só porque ela era mulher.
    Eu confesso que não conhecia a autora, mas sendo policial sempre dá vontade de ler.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  7. Amei seu artigo, estou acompanhando seu blog há alguns dias e posso dizer é estou adorando. Sempre tem conteúdo de qualidade com bastante dicas e informações interessantes!

    Parabéns!

    Meu Blog: https://www.apostandonaloteria.com.br/totolec-show/

    ResponderExcluir
  8. Tenho um certo receio de ler suspense mas, esse me deixou curiosa, eu anotei aqui a dica e quem sabe não seja uma das próximas leituras que vou fazer. A história me deixou curiosa.
    Beijocas.

    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  9. MEU DEUS QUE ISSO, preciso desse livro pra ontem. Imagino o nervoso da mãe ao não encontrar a filha. Como tudo parece ter "acontecido na hora errada". Fiquei mega curiosa com o desenrolar ad história e essa capa é maravilhosa né

    Abraço,
    ParágrafoCult.blogspot

    ResponderExcluir
  10. Oi Sil, também sempre tive curiosidade de ler os livros da autora justamente por seus títulos e capas sombrias!
    Adorei saber que os capítulos são curtos, pena que algumas coisas incomodaram né, independente disso, gostaria de conhecer a narrativa da autora.

    Beijos Mila

    Daily of Books Mila

    ResponderExcluir
  11. Oi Sil,

    Eu não conhecia o livro e nem a autora. Perece ter uma trama bem interessante e como ainda sou meio nova nesse gênero acho que eu iria gostar.
    Mas realmente coo você disse, quem está a muito tempo lendo livros assim acaba ficando mais criterioso com as histórias é bem normal hehehe.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  12. Oi
    eu gosto muito de livros desse gênero, mas apesar disso leio bem pouco, esse super chamou minha atenção e não conhecia a autora, agora fiquei curiosa para saber o que aconteceu com a criança e como a investigação foi desenvolvida.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Sil
    Eu tinha Desaparecidas mas acabei passando pra frente. De início já achei Lilian uma mãe irresponsável por deixar a filha sozinha num trem pra ir telefonar. Gente, que loucura. Eu já teria me irritado de início se conseguisse ler uma obra do tipo hahaha espero que as próximas obras da autora sejam melhores!
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Sil,
    Eu amo os policiais nórdicos, tenho muita vontade de conhecer os livros dessa autora também. Tadinha da menina. E mesmo fácil, fiquei super curiosa.
    Me acho super chata por ficar descobrindo tudo antes, mas tem autor que deixa tudo muito fácil kkkkk.
    Eu acho que os autores fazem isso como uma crítica mesmo, o machismo dentro do departamento, pois já vi outros policiais europeus que colocam cenas assim, bem nítidas dos caras com as únicas moças no meio, sempre falando merda no ambiente de trabalho. Mas, é aquilo, a gente se sente super mal lendo mesmo.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  15. Oi Sil!
    Na vdd eu nunca tinha ouvido falar nessa autora! rs
    Pena q a menininha foi assassinada.
    Mas realmente Sil, qnt mais a gnt lê, mais fica exigente. Ainda uma detetive como vc q adivinha tudo, hahahah
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderExcluir
  16. Já vi muitos comentários positivos a respeito da autora e quero muito ler seus livros. Adorei a resenha, com certeza vou adicionar na lista.

    bjo
    https://www.imersaoliteraria.com.br/

    ResponderExcluir

© Blog Prefácio ♥ 2016 - Todos os direitos reservados ♥ Criado por: Taty Salazar || Tecnologia do Blogger. imagem-logo